História SEXO ou AMOR - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Personagens Harry Styles, Josh Devine, Liam Payne, Louis Tomlinson, Niall Horan, Personagens Originais, Zayn Malik
Tags Drama, Sexo, Violencia
Exibições 43
Palavras 3.623
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Pansexualidade, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Booa leitura...

Capítulo 16 - Cap-16


Point of view Ada ~

Acordei com o despertador, eram quatro da manhã, me levantei e fui me trocar, ajeitei minhas malas e liguei para minha mãe.

Ligação on ~

-alô. -sua voz era de cansaço, acho que, com certeza ela estava dormindo.
Eu-mãe, oi.
-filha? Ada isso não é hora de ligar, o que houve? 
Eu-é, eu sei, me desculpa, eu liguei porque, vou pegar o próximo voo e... devo chegar aí pelo meio dia. Pode ir me pegar no aeroporto? 
-porque não ligou pro Harry minha filha? São duas da manhã. 
Eu-desculpa, aqui são cinco, eu sei mas, ele deve estar estudando ou coisa do tipo, não quis atrapalhar.
-e achoi por bem atrapalhar o meu sono. Misericórdia. 
Eu-me desculpe.
-ta bem, era só isso? 
Eu-sim.
-está bem, vou lhe pegar. Tchau.
Eu-tchau.

Ligação off ~

Liguei para o aeroporto e reservei duas passagens de sete horas, uma para Nova York,  e outra para Los Angeles, me julguem. Acordei a Angel e fui fazer a merenda, saímos de casa ais seis e, passamos no hotel em que o irmão dela e seus amigos estavam, ela pegou suas coisas e fomos para o aeroporto.

Quando chegamos, fui pegar as passagens e paguei, nosso voo já estava sendo chamado, seu destino era Los Angeles, porém para ir para Nova York, teria que mudar de avião em denver, no Colorado. Essa era a intenção. 

Durante a viagem, droguei a Angel, quando chegamos, deixei um recado para ela, escrevi em um papel .

" Boa sorte em Los Angeles. "

E desci do avião, peguei minhas bagagens e fui comprar uma passagem direta para Nova York.

Quando cheguei, fui direto para a sala de desembarque, me sentei em uma das cadeiras e peguei meuc celular, eram 01:26 pm. Minha mãe deveria estar em algum lugar. Me levantei e olhei em volta. Quando cheguei no estacionamento, vi seu carro e senti meu coração bater mais rápido, só em pensar em reencontrae o Harry, me fez ficar emotiva, nervosa e um pouco tímida.  Pensei em voltar para o avião e ir oara Los Angeles com a Angel, mas não. Se estou sentindo isso, é porque provavelmente, ainda posso sentir algo pelo Harry, mas que porra, quatro meses, transando com mil homens diferentes por noite. E não consegui tirá lo da minha cabeça?

Eu preciso de um psicólogo. Ah, preciso.

-Ada! -olhei para trás e vi minha mãe vindo em minha direção, ela abriu os braços e corri para abraça la.

Eu-que saudade.
Mãe-até parece. 
Eu-falo séria, pode deixar o sermão para depois? Você me faz sentir como uma criança.
Mãe-pode ter corpo e idade de adulta mas sua cabeça funciona como uma roda gigante, e pior, com um pedaço do trilho faltando. Preciso te equilibrar encima para não desabar.
Eu-obrigada Clarice Lispector.
Mãe-shiu.

Ela me soltou e um homem surgiu ao seu lado.

-deve ser a Ada. Muito prazer. - que homem. Ele pegou na minha mão e beijou. Confesso que fiquei admirada. Ele era alto, trajava um sobretudo preto, seu cabelo era bastante escuro e ele tinha uma barba bem charmosa. 
Mãe-filha, este é o Nick.
Eu-muito prazer, Nick.
Mãe-vamos.

Nos dirigimos para o carro da minha mãe e entramos, o tal Nick foi atrás do volante e eu fui no banco de trás.  Fomos conversando o caminho todo, mas sinceramente, não consegui tirar a ideia de que vou encontrar o Harry, quando chegar em casa. Esse horário, ele deve estar dormindo.

Me lembrei de quando íamos almoçar depois do trabalho e sorri . Fodasse, se controle Ada. É um garoto e não o fim do mundo. É seu primo.

Mãe-e..chegamos. -ela cantarolou e levantei minha cabeça, olhei a minha antiga casa pela janela e senti algo estranho descer no meu estômago. Que sensação nostálgica e horrível. 
Eu-é...obrigada mãe. E tchau.  Tchau Nick. Foi um prazer. 
Nick-tchau Ada, também foi um prazer.

Desci do carro e tirei minha mala. Abri o portão e entrei. Quando cheguei nos degraus da varanda, subi e fui até a porta, girei a maçaneta, mas estava trancada. Toquei a campainha duas vezes e senti que ia vomitar.

Pacei a mão levemente pela minha barriga e fechei meus olhos. Ouvi passos e comecei a me sentir fraca. Mordi meu lábio e a porta foi destrancada... meu Deus. 
Aberta.

Abri meus olhos e vi................

Uma garota, loira, um pouco mas alta que eu. Seus olhos eram azuis e seu cabelo loiro batia nos ombros. Tudo aquilo se esvaiou de mim e me senti fria, relaxada, e desanestesiada.

-oi? -o som de sua voz era um pouco abusivo. Como se ela estivesse tentando entender a situação, ela olhou minha mala e ficou sem entender, foi isso.

Eu-oi.-falei tão fria quando a água do polo norte.-ela cintinuou me encarando e então me lembrei do que disse ao Harry antes de ir embora, sobre garotas e outras coisas.
-olha, eu não quero comprar seus doces, falou? -ela já ia bater a porta e falei.

Eu-desculpa, e quem é você? -ela me olhou novamente como se ainda tentasse entender e então impurrei a porta e entrei.

-AÍ garota, se manda, não pode fazer isso.- soltei a mala ao lado do sofá e tirei meu casaco.

Eu-até onde eu sei, posso. A casa é minha.
-como é que é? O HARRYYY.-fechei meus olhos, na verdade deveria ter tampado meus ouvidos, sua voz fina era tão irritante quanto o Louis com TPM.

Ha-O QUE É? -ouvi ele gritar de volta e por instinto, senti minhas pupilas dilatarem, ouvi seus passos e olhei para a escada, vi ele descendo e apertei meu pulso, ele foi até ela e me encostei no sofá, me sentei no braço dele pra ser mais clara.

-essa garota aí...-ela apontou pra mim e o Harry olhou na minha direção.

Mordi meu lábio quando senti seus olhos em mim e, minha boca secou, eu fiquei seca, perdi meu rumo, minhas palavras, porque voltei mesmo? Qual meu nome? Ainda sou virgem? Porra o que é isso? O que ele emite em mim? 
Ele estava paralisado, o que me obrigava a ficar também. Porque isso ta acontecendo?

Ha-Ada?!...-ele falou calmo, ainda me analisando, ele estava surpreso e eu, queria morrer.

Eu-oi.-sorri rapidamente apenas para quebrar o meu oi seco e ele continuou parado me olhando.

Ha-eu..não sabia que tinha voltado. 
-Você conhece ela? Conhece essa garota?

Eu-é porque...eu voltei hoje...-seus lábios estavam entre abertos e isso me fez lembrar do nosso beijo. Seu cabelo estava bagunçado e suas bochechas um pouco vermelhas. Lindo. - cheguei agora.

-Harry, quem é ela?

Ha-você, veio de táxi até aqui? -eu não consegui desviar seus olhos, por uma conexão estranha, ele também não o fez.

Eu-minha mãe...ela me trouxe.
Ha-porque não me disse? Eu teria ido te pegar. 
Eu-eu não...
-HARRY.-ele olhou para ela, que vadia. Vou quebrar a cara dela.-...o que ta havendo aqui?

Ha-... Madie, essa é a..-ele me olhou e continuou.- minha prima. Ada.

Madie- prima? Era só o que me faltava.-ela passou a mão ta testa e pegou na cintura.
Eu- vou pro meu quarto. Briguem a vontade.

Madie-fica na sua ô garota. -olhei diretamente para ela .

Ha-hey, cala a boca Madie.

Madie-como é que é? Eu estou louca ou você me mandou calar a boca..
Eu-não está, ele falou isso, porque gosta de você. Porque ele sabe que se você não calar, eu vou.

Ha-okay Ada, vai, sobe. - peguei minha mala e o Harry se colocou um pouco do lado dela quando me virei. Passei por eles e comentei.

Eu- olhou o preço de validade? Acho que ta vencido. Ta tão claro e aguado.
Ha-Ada.-ele falou grave e senti seu repeendimento.
Eu- vou subir.
Ha-obrigado.

Assim fiz. Quando entrei no meu quarto, vi que estava perfeitamente como deixei. Joguei minha mala no chão e comecei a tirar minha roupa, quase rasguei ela, de tanta raiva que eu estava. 
Tantas garotas no mundo e ele só sabe pegar essas loiras? Que ódio.  Ainda por cima, mimadas.
Fassa me o favor. Argh...

Tomei um banho, desfiz minha mala e me troquei. Me deitei e peguei um livro pra ler.

{...}

Acabei pegando no sono, eu estava bastante cansada, passei a viagem acordada, fiquei pensando na minha chegada e ela foi uma droga, mas e daí não é mesmo.

Acordei com batidas fortes, como se tivesse alguém na porta, e tinha. Abri meus olhos, fechei o livro que estava encima de mim e fui até a porta, quando abri, vi o Harry, ele estava... lindo.

Eu-...oi.-falei e voltei para a cama, ele entrou e fechou a porta.

Ha-como você está? 
Eu-uma droga, e você? 
Ha-viciado.-encarei ele.- desculpa, bem eu estou do jeito que você viu.
Eu-sei.

Engatinhei até meu travesseiro e me deitei novamente.

Ha- você dormiu a tarde toda? 
Eu-sim.
Ha-me desculpa pela Madie, ela não sabia.
Eu-tudo bem, não ligo.
Ha-sério?

Eu já estava com os olhos fechados mas abri e o olhei.

Eu-o que você quer?

Ha-...saber sobre você. -me sentei e o olhei bem.
Eu-Harry, eu to bem. Você que parece que nunca me viu. Senta.-ele se sentou na minha frente e bagunçou o cabelo.

Ha-bem, não te vejo há quatro meses e você não atendeu minhas ligações.
Eu-estive ocupada.
Ha-ah sei, bem ocupada. 
Eu-olha, o que acha de irmos no shopping? 
Ha-vou sair mas a Madie.
Eu-hm...
Ha-e são dez horas.
Eu-nossa.
Ha-...eu não sei que horas volto então, tem comida na geladeira e..porque não me avisou que ia voltar? 
Eu-porque eu não ia. Foi de última hora.

Ele ficou me encarando e desviei seu olhar. Eu queria abraça lo, mas não me senti a vontade. Queria sentir seu cheiro um pouco mas de perto, suas mãos contornando meu corpo e o seu calor na minha nuca. Sentir seus lábios amaciando os meus e seu nariz encostando no meu. Mas não vou fazer o que me fez ter que ficar longe dele durante todo esse tempo.

Ha- acho que já vou.
Eu-tudo bem então.-ele continuou me olhando e levantei meu olhar para ver os seus olhos. Aqueles olhos.
Ha-boa noite.

Ele se levantou e caminhou até a porta, assim que abriu ela, senti algo em mim ir ao chão, eu vou entrar em uma depressão. Ele saiu do quarto e olhei pro teto.

Como pode, eu nem se quer me sinto mas eu. Pensei que ficar longe ia me fazer bem, só me fez mal, agora eu vejo o quanto estou apaixonada por ele e o quanto isso está me domando, eu... eu mudaria por ele? 
Mas o que eu estou pensando? 
Se meu pai estivesse aqui, as coisas seriam diferentes, eu só...
Queria poder ser o que eu preciso ser, e não o que eu quero.
Não importa quanto tempo eu passe longe, isso já está em mim, e pra sair, vai ser difícil separar, pois eu nunca senti isso, é um sentimento puro, confuso, imaturo.
E eu não sei lidar com recém nascidos. 
Não é como ter escolhas e seguir uma, é como minha mãe disse, uma montanha russa, e aqui no topo, qualquer coisa pode acontecer. E tudo teme dar errado.

Me deitei, e comecei a chorar, desci minha mão pelo meu corpo, o que era aquilo? 
É quente e ao mesmo tempo friu. É longe e perto, tem luz mas também tem trevas. É bom e ao mesmo tempo, a pior coisa do mundo. O que é isso em mim? 
Dá choque e ao mesmo tempo me faz sorrir, eu só quero que pare, por favor, eu só quero poder voltar a ser livre.
Me libertar desse sentimento que eu sei que, nada nunca me feriu tanto quanto isso. Talvez uma coisa, a minha anestesia, a que perdi a muito tempo atrás.

Por favor pai, faz isso parar...

{...}

I'm not strong enough to stay away.
Can't run from you
I just run back to you.
Like a moth, i'm drawn into your flame,
Say my name, but it's not the same.
You look in my eyes, i'm stripped of my pride.
And my soul surrenders and you bring my heart to its knees.

And it's killin' me when you're away, i wanna leave and i wanna stay.
I'm so confused, so hard to choose.
Between the pleasure and the pain.
And i know it's wrong, and i know it's right.
Even if i try to win the fight,
My heart would overrule my mind.
And i'm not strong enough to stay away

-Not Strong Enough

{...}

Acordei como de costume com meu despertador tocando. Me levantei e fui me trocar, entrei no banheiro para escovar os dentes e vi meu rosto inchado, acho que deveria ter me segurado um pouco mas ontem.
Lavei meus olhos e escovei os dentes. Me sentei no chão e encarei meus joelhos.

Eu vou descer e, o Harry vai estar merendando com aquela loira na minha cozinha. Na minha casa. Senti algo bater contra mim, essa dor, esse sentimento que insisti em permanecer. Machuca tanto.
Saber que ela pode e eu não.

Peguei um cigarro dentro da gaveta do armário e acendi. Traguei toda a maconha que tinha nele e me levantei. Lavei mas uma vez o rosto e saí do banheiro.

Ao chegar na cozinha, vi o Harry lavando a louça, mordi meu labio com a vontade de abraça lo por trás, isso estava me destruindo por completa. Seja forte, certo?! É o que você é. 
Ada...
Ada? 
Fique.
Enfrente.
Ada.

Pisquei duas vezes e fui até o balcão, me sentei na banqueta e arrastei uma xícara, fazendo barulho, ele se virou e me olhou, sorri rápida e comecei a preparar minha merenda.

Ha-bom dia.
Eu-bom.-ele voltou a lavar e ouvi passos. Apertei meus olhos e quando os abri, vi a Madie se sentando ao meu lado.

Madie-olá, bom dia. Bom dia Amor.-encarei ela e olhei pro Harry. 
Eu-amor? -sussurrei para mim mesma.

Ele enxugou as mãos e se aproximou dela pelo outro lado do balcão, encostou seus lábios nos dela e disse bom dia.
Aquilo foi de mais para suportar virei meu rosto sentindo que ia começar a chorar e me levantei.

Saí dali sem olhar para trás e voltei para o meu quarto. Fechei a porta e me escorei na mesma, olhei para cima tentando, me forçando a conter as lágrimas e não consegui. 
Eu quis isso, sou eu quem acha isso errado, sou eu quem estou tentando manter esse sentimento longe, e acabar com ele de fato. Então tudo isso, é consequência. 
Eu não deveria ter voltado. Enxuguei minhas lágrimas.

Eu apenas, pensei que estavam ficando mais, parece que estão juntos, isso dói tanto.
Certo Ada, você tem que lidar com isso da maneira certa, finja, mesmo que ligue. Ignore, mesmo que se importe. Siga, mesmo que queira voltar. É isso, é a única forma. E você é forte o suficiente para isso.

Sabemos chorar, mas também sabemos sorrir.

Coloquei uma roupa boa para correr, peguei meus fones e meu celular, liguei a música mas alta de screamo e saí do quarto, quando desci, ignorei meus arredores, saí de casa e fui correr.

{...}

Na volta, parei naquele bar e comprei uma garrafa de água.  Voltei para casa andando, e quando cheguei, o carro não estava mais. Suponho que ele tenha ido trabalhar. Entrei e vi a TV ligada. Tirei meus fones e ouvi risadas, ela estava deitada no sofá, falando ao telefone. Não resisti.

Peguei o controle encima do centro e desliguei . Ela me olhou e desligou o celular.

Madie-posso saber com que direito faz isso? Não viu que eu estava assistindo? -ela se levantou e me olhou como se tivesse alguma moral.

Eu-escolhe, celular ou TV.
Madie-ô minha filha, por acaso é você que paga a conta? É o Harry e..
Eu-ele sabe que está com ele pelo dinheiro dele? -ela se calou e ficou me encarando. - eu e ele pagamos. E você? Faz o que da vida? Você não trabalha não? 
Madie-eu...tenho 17 , ainda to estudando.

Eu-é mesmo? E cadê seus pais? Porque não ta na escola? Acham que está dormindo na casa de uma amiga? -ela parecia tensa.- fica sabendo, que ..... ele pode ser idiota, mas eu não.

Entreguei o controle a ela e subi pro meu quarto. Era só o que faltava, essa garota é uma criança, e eu achando que ela tinha 25 , pior, que ela age como se fosse velha, se veste como puta, e ainda por cima é interesseira, o que o Harry viu nela? Corpo?  Meu Deus.

Terminei de tomar banho e fui me trocar. Peguei algumas pastas de clientes e comecei a organizar. Vou voltar a trabalhar amanhã, não vejo a hora de ...nada.
Pacei a tarde lendo livros de estudo e desci para comer alguma coisa.
Não vi a Madie, acho que ela se trancou no quarto do Harry.
Não vou falar pra ele sobre ela, não vou interferir mas na vida dele. E não vou complicar mais ainda a minha.

Meu celular tocou, era o Louis.

Ligação on ~

Eu-oi.
-oi, que voz merda é essa? O que houve? 
Eu-nada, só to cansada e você? 
-o Harry me falou que você voltou. Porque fez isso? Eu ia com a Gemma te visitar. 
Eu-foi por isso.-comecei a rir.
-vai se danar.
Eu-qual é. 
- o que você tem? 
Eu-ja falei, to cansada.
-Ada. Por favor, sabe que pode confiar.
Eu-por isso mesmo, não é nada e se fosse eu te diria. 
-okay. Vou me conformar.
Eu-obrigada.
- eu te amo.
Eu-eu..-pacei a mão nos olhos tentando evitar chorar e não cinsegui.- eu também. Eu te amo muito e, eu queria que você estivesse aqui.-derramei tudo encima dele.
-Ada? Não, para. Que droga. O que ...eu pego o próximo voo.
Eu-eu te amo muito Lou. Eu só...
-eu também te amo. Eu vou estar aí amanhã.
Eu-nã...não precisa.-fechei meus olhos tentando conter as lágrimas e tampei minha boca para evitar soluçar. 
-como não amor? -notei sua voz mudar. 
Eu-eu vou ficar bem.
-claro que vai, você sempre diz isso e sempre faz algo terrível. Eu sabia que algo estava estranho, você nunca viaja assim sem ser nas férias e você me ignorou por um tempo. O que foi?  Me conta.
Eu-eu não posso.-respirei fundo e abri meus olhos.- eu vou ficar bem.-engoli o máximo de choro que pude e continuei.-só não...fala nada pro Harry nem pra ninguém, por favor.
-o que você quiser.
Eu-eu te amo.
-eu também te amo.
Eu-tchau Lou.
-por favor..para de chorar.
Eu-eu vou eu...eu vou dormir. Tchau.
-tchau.

Ligação off ~

Soltei o celular na cama e me abracei a um travesseiro.
Por favor, faz isso parar.

{...}

Fiquei sentada em frente a porta, acabei dormindo ali. Acordei quando ouvi a voz do Harry ecoar distante. Me levantei e abri a porta. Saí e fui até a escada, vi ele subindo e, ele me olhou, seu olhar parecia mas perdido, distante, do que o meu.

Ha-oi.
Eu-oi.-falei reconfortante e ele ficou do meu lado.-chegou agora? 
Ha-foi. Cadê a Madie? 
Eu-acho que está no seu quarto.
Ha-okay.-ele foi em direção ao quarto e abriu a porta.-você ta bem? Ta com o rosto ichado? 
Eu-é cansaço. -sorri e ele acendeu a luz do quarto.
Ha-Madiie? -ela não respondeu e ele me olhou.

Eu-não sei onde ela está. 
Ha-tudo bem. Vou tomar um banho.
Eu-okay.

Ele entrou e deixou a porta entre aberta. Respirei fundo e fui para o meu quarto. Me deitei na cama e fiquei brincando com meus dedos. Apenas vendo o tempo passar, sei lá...esquecer tudo isso. Fingir como em um sonho, se perder nas mais diversas lembranças.

Ouvi a porta ser aberta e abri meus olhos, vi o Harry, ele sorriu e então esfreguei meus olhos. Eu dormi?

Ha-achei que estivesse com fome, você ta? 
Eu-eu..não comi ainda hoje. Acho que sim.
Ha-pedi Pizza.

Sorri e me levantei, fui na sua direção e ele deu espaço para que eu saísse do quarto. Descemos e vi a caixa da pizza encima do centro da sala. Me sentei no chão e ele mudou o canal, deixou no filme Gente Grande e se sentou do meu lado, começamos a tirar um pedaço da pizza e comer.

Ha-você não dormia em Las Vegas? Nossa, nem responde. -risos.
Eu-é, eu dormia, pouco mas dormia. Os casos lá são bem difíceis.
Ha-posso imaginar, todo dia gente casa sem saber.
Eu-é tipo isso.-risos.-... a Madie foi mesmo embora? 
Ha-foi.
Eu-vocês...estão tipo, juntos? -ele me olhou e mordeu seu pedaço. 
Ha-mais ou menos. Ela insiste muito.
Eu-força. 
Ha-é.  E eu cedi.
Eu- Harry ela...esquece.
Ha-o quê? Pode falar.
Eu-nada.
Ha-pode falar, não ligo. Já notei que não gostou dela.
Eu-não é isso, é que... deixa pra lá. 
Ha-...ta bem.

Terminei de comer e abracei minhas pernas. Vi ele comer mas dois pedaços, no fim, apenas ri dele.
Quando o filme acabou, começou Piratas do caribe e ele ficou puxando assunto comigo sobre o Jhonny Depp.
Isso estava me fazendo mal, eu sabia, eu sentia. Aquilo era a coisa mas errada...mas parecia ser a mais certa. Eu até temia estar correta, preferia estar errada.

Olhei a hora, já ia dar meia noite. Me levantei e ele me olhou.

Eu-boa noite.
Ha-você já vai..dormir? 
Eu-é, eu volto pro escritório amanhã. Tenho que acordar cedo. 
Ha-ta bem. -ele se levantou e esperei que dissesse mas alguma coisa, mas ele não disse. Apenas pegou a caixa da pizza e levou para a cozinha.

Sim, não deveria, mas isso me machucou, ele não sabe, ele nem sonha. Mas está me maltratando tanto e nem tem culpa. 
Subi para o meu quarto e apaguei a luz, me deitei e fechei os olhos. Foi como um sonho, o mas longo e leve sonho.


Notas Finais


bjs,bjs,bjs,bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...