História Sexta-Feira 13 - Jason nunca foi ao inferno (INTERATIVA) - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sexta-Feira 13
Personagens Personagens Originais
Tags Adolescente, Jason, Melhor Filme, Morte, Terror
Visualizações 39
Palavras 3.261
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Luta, Romance e Novela, Slash, Sobrenatural, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiê povenho, terceiro episódio.

Bem, eu disse que ia dar merda nesse episódio, mas meio que adiei para o próximo que no caso, é a ''Sexta-Feira 13'', então a maioria da fanfic se passará nesse dia.
Espero que vocês gostem, muito obrigado pelo apoio...

TÁ AÍ!

Capítulo 4 - ''É apenas o início...''


Fanfic / Fanfiction Sexta-Feira 13 - Jason nunca foi ao inferno (INTERATIVA) - Capítulo 4 - ''É apenas o início...''

Quinta-Feira, Dia 12 de Outubro de 2017, 04PM - Uma Tarde Calorosa

 

As garotas resolveram ficar juntas, parecia uma ideia estúpida se separar naquela situação tendo em conta a densidade enorme da floresta onde elas estavam e a sua semelhança com um labirinto que, possivelmente, as faria se perder.

Elas passaram quase meia-hora pegando gravetos das árvores e do chão e os pondo num grande cesto, pareciam extremamente cansadas... mas era quase como uma obrigação.

 

– Ai, queria estar morta. - Akane se sentou numa pedra e se espreguiçou.

– Dou ''Retweet'' no que você disse. - Aya se sentou ao seu lado e olhou para Elizabeth que continuava á procurar gravetos.

– Descansa um pouco, more!

 

Elizabeth parou e as fitou levemente, sorrindo fofa.

 

– Acho que já temos o suficiente. - Disse e se juntou ás outras.

– Sim... - Aya parecia aliviada, queria chegar logo na cabana feminina pois queria tomar um banho e descansar.

 

As garotas descansavam imóveis, mas, se movimentaram bruscamente ao escutar uma série de gritos ao longe, parecia vir do outro lado do acampamento e mesmo assim, elas conseguiram destinguir como sendo de James.

 

– James? - Elizabeth olhou para o céu, preocupada.

– Temos que ir, peguem o cesto! - Aya, num tom mandão, começou á correr na direção do som.

 

Elizabeth á seguiu e acabou por deixar Akane com todo o trabalho ''sujo''.

 

– Ai, sempre sobra pra mim. - Ela pegou o cesto e começou á correr com as outras duas.

 

Elas corriam apressadas, mas não num desespero, elas sabiam que algum acidente provavelmente havia acontecido.

Aya e Elizabeth por serem um pouco mais rápidas que Akane, acabaram por deixar ela para trás, a diferença não era muito grande, mas o peso que Akane carregava a prejudicou levemente.

Akane chegou á um ponto onde não conseguia mais ver as garotas, e aí sim, começou á entrar em desespero.

 

– Aya! Elizabeth! - Ela gritava caminhando um pouco perdida.

 

Ela as chamou por um tempo, até que, de supetão, acabou por bater em algum tipo de cercado de ferro encontrado no meio da floresta.

 

– Hum? - Ela ficou surpresa e começou á caminhar ao redor do cercado até achar uma entrada.

 

Quando ela chegou ao local, percebeu que era um... cemitério. Esse não foi o fato mais assustador da questão, o problema era que a porta estava aberta e um buraco se destacava no meio da área.

Ela sentiu seu coração acelerar, mas mesmo assim, se aproximou levemente... quando finalmente chegou perto daquele orifício... escutou algo atrás dela.

 

– Akane! O que você está fazendo? VEM! - Aya nem se quer ligou para a presença do cemitério, achava normal tendo em conta que havia visto no mapa algo desse tipo.

– Estou indo, desculpa! - Correu de volta para as meninas e não conseguiu ver o que tinha no buraco... mal sabia ela que o corpo do motorista do ônibus que os havia levado até lá, estava ali, sem vida, com centenas de marcas de facadas.

 

As garotas finalmente chegaram ao ponto onde haviam se separado com os meninos, encontraram Anthony parado em pânico.

 

– Escutaram isso, garotas? - Anthony olhou para elas com os olhos arregalados.

– Sim! - Elizabeth parecia muito preocupada com James.

– Nós temos que ir até lá! - Akane soltou o cesto no chão e começou á correr na direção dos gritos.

 

Enquanto isso, próximo á cabana de Jason, Peter mandou David e Kile buscarem ajuda o mais rápido que eles podiam. David ficou um pouco relutante, não gostava de receber ordens, mas concluiu que não era hora para fazer Show. Kile ficou realmente preocupado com James, parecia extremamente surpreso e concordou sem sombra de duvidas.  Os dois correram de volta para o ponto anterior e sumiram no meio do mato.

 

– James, calma! Você tem sorte que não foi uma armadilha de verdade, essa foi feita por alguém. - Seth segurava no corpo de James, tentando o acalmar, enquanto pressionava o local e estancava o ferimento.

– CALMA? O QUÊ? - Ele estava realmente em pânico e sofria muito.

– Eu sei que dói, por favor, fica calmo. - Seth olhava nos seus olhos, o reconfortando intensamente.

– Quem pode ter feito essa armadilha? - Peter indagou Seth.

– Eu não faço ideia, talvez algum caçador tenha deixado nessa área.

 

Naquele momento, James gemia de dor suavemente, parecia ter se acostumado com a dor e o corte que não era muito grande, havia parado de sangrar.

 

Anthony e as garotas chegaram ao centro do acampamento, e viram duas figuras correndo no meio do mato, se aproximando cada vez mais rápido. Eram Kile e David, que gritaram por eles desesperadamente:

 

– VENHAM! JAMES PRECISA DE AJUDA! - Kile berrou e David olhou para ela com uma cara de desaprovação.

– Eles estão bem ali, não precisa gritar. - Revirou os olhos e começou á correr de volta para o ponto da armadilha, agora acompanhado de todos os outros.

 

Eles não tardaram á chegar, Anthony viu a armadilha e, instintivamente, correu para dentro da cabana, pegou um tipo de ferramente que ninguém sabia ao certo o que era e á desativou.

 

Aya olhava para James preocupada, mal conseguia imaginar a dor que ele deve ter passado, Elizabeth e Akane pareciam se controlar para não olhar para a perna do garoto, tinham medo de que algo horrível houvesse ocorrido.

 

– Vamos, tragam ele! - Anthony disse num tom mandão e logo em seguida, Seth e Peter o carregaram naquele momento, desacordado.

 

Os jovens foram para o chalé principal que por sorte estava perto dali, Anthony colocou James num quarto trancado onde supostamente, iria cuidar de seus ferimentos.

Seth parecia inquieto, tinha medo de que algo sério houvesse acontecido com uma pessoa que ele gostava tanto, Kile sentou-se ao seu lado e tentou o reconfortar colocando uma mão em seu ombro.

 

– Ele vai ficar bem... -  Sorriu fofo e logo em seguida, se levantou para buscar algo para comer.

– Nossa, se isso é ficar bem... - David disse sarcástico e no mesmo instante, Seth olhou para ele com um olhar sério e profundo.

 

Seth sentiu um pouco de raiva do garoto, mas se manteve calmo e confiante.

 

Eram quase cinco horas da tarde quando Aya cuidava de sua aranha no dormitório feminino, Elizabeth conversava com Peter, e David e Akane falavam sobre a quantidade de coisas estranhas que ali estavam ocorrendo...

Até que finalmente, Anthony terminou de enfaixar e cuidar do jovem, deixando Seth entrar no quarto.

 

– James? - Ele entrou um pouco tímido e se sentou ao lado da cama.

– Você tá bem?

– Na medida do possível... não foi muito severo, mas a dor acabou com meu organismo. - Ele riu numa ironia forçada.

– Entendo. - Seth sorriu e olhou em seus olhos.

– Obrigado por estar lá por mim. - James pegou na mão de seu ''Amigo'' e sentiu uma sensação muito estranha, algo como uma segurança, uma proteção enorme que o fez sorrir abertamente.

– O que foi, James? - Seth percebeu a face do garoto e o indagou confuso.

– Eu me sinto bem ao seu lado. - O respondeu com um semblante carinhoso.

– Eu também... - O de cabelos negros sorriu abertamente, nunca havia escutado algo assim de alguém.

– É para sentir mesmo! Eu sou uma maravilha. - James falou num tom narcisista o que causou mais risadas em Seth.

– Bom, eu tenho que ir... mas fico feliz que esteja bem. - Os dois se despediram e Seth caminhou para a saída, aparecendo na sala principal.

 

Elizabeth e Peter conversavam no local, pareciam estar falando de algo que havia acontecido mais cedo...

 

– Eu tive um pesadelo horrível, Peter... - A garota disse lembrando-se da dor que havia passado em seus sonhos.

– Como assim? É sobre o lago? - Peter olhou para ela preocupado.

– Sim, tinha alguém me perseguindo... e eu... morri.

– Que horrível, Elizabeth... foi só um sonho, calma. - Peter se aproximou lentamente dela, abrindo os braços de forma acolhedora.

 

Ela ficou relutante por um segundo, mas abraçou o garoto que havia se preocupado com ela.

 

– Quem você acha que pode ter colocado uma armadilha lá? - Ela disse se afastando dele levemente.

– Não faço ideia... mas por algum motivo, sinto como se alguém estivesse aqui conosco. - Olhou para a janela e percebeu que já estava quase no final da tarde.

 

Akane apareceu, parecia ter acabado de sair do quarto onde James estava e olhou para os dois.

 

– Que pegação... vocês não querem ir ver o garoto não? - Ela revirou os olhos e se sentou ao lado de Kile.

– Pegação? O quê? - Elizabeth ficou muito tímida, suas bochechas se tornaram rubras.

– Hahahaha, pode deixar... garota. - Peter riu de forma sutíl, se despedindo de Elizabeth e indo até o quarto onde James estava.

 

Kile olhou para Akane com um olhar de desinteresse...

 

– Que foi, garoto? - Disse, desconfiada.

– Nada não. - Continuou com seu olhar mesmo depois de ter sido chamado á atenção.

 

Aya, David e Seth esperaram Anthony aparecer depois de um tempo para conversar sobre o ocorrido.

 

– Como que algo assim pode ter acontecido? Você colocou alguma armadilha, Anthony? - David disse primeiro.

– Não, eu não coloquei armadilhas naquela área. Só pode ter sido um de vocês... - Anthony respondeu com um olhar sério para eles.

– Ahn, como assim? Não pode ter sido alguém que veio pela floresta? - Aya disse, se sentindo afrontada pela acusação do mais velho.

– A área é cercada e a entrada é trancada... foi alguém de dentro. - Seth respondeu á pergunta de Aya, parecia conhecer o acampamento.

 

– Bem, já pode me excluir, Peter, Akane, Kile e Elizabeth. Nós estávamos próximos á fogueira ontem. - David disse debochado.

– Não vamos começar com um ''CSI: Camp Crystal Lake'' aqui não, garoto... eu fui tocar piano na Cabana de Artes. - A de cabelos negros disse, tentando manter a paciência, tarefa difícil.

– Eu e o James estávamos na cabana! - Seth disse um pouco nervoso.

– É o que vocês dizem... - Desconfiado, o ruivo olhou para ambos.

– O que disse, garoto? - Aya serrou os punhos e se aproximou dele.

– Calma, Senhorita Balzac. - Anthony parecia pensativo.

– É, vai com calma, garota. - David saiu de perto dela, á desafiando.

 

Seth apenas observava os dois, não parecia ter entendido o que acabara de acontecer, estava pensando em quem poderia ter colocado uma armadilha...

 

– Tive uma ideia, nós podemos ver no sistema de segurança... - O dono do acampamento foi até um dos quartos, pegou um tablet e começou á mexer em algum tipo de sistema.

– Primeiro, aqui tem câmeras? E segundo, NÓS NÃO PODEMOS USAR CELULAR, MAS VOCÊ PODE? Como assim? - David parecia incrédulo vendo a cena.

– Sim, e... sim. - Anthony riu irônico e começou á ver as câmeras na área.

 

Os jovens ficaram bem atrás dele, e começaram á observar a câmera que tinha um tom esverdeado, graças á visão noturna. No início, não viram nada... mas numa certa hora, conseguiram ver a silhueta de um homem, se abaixando e pondo uma armadilha escondida entre folhas.

Aya ficou aterrorizada por dentro, todos naquele cômodo sentiram um arrepio enorme.

 

– Garotos, não se preocupem... eu vou chamar a polícia e eles vão ver o caso. Fiquem aqui, eu vou na casa com o telefone, volto daqui á uma hora. – Ele deixou o Tablet na mesa e enquanto falava, foi andando até a saída.

 

Todos os jovens se reuniram na frente da porta, a maioria deles muito confusos, mas aqueles que entenderam o que estava acontecendo os explicaram.

 

– Eu sabia que tinha alguém aqui conosco... – Seth ficou um pouco assustado, olhava constantemente para a Janela.

– Eu estou um pouco assustado... – Peter se aproximou de Elizabeth.

– Vai ficar tudo bem, não se preocupe. – Ela o confortou, sorrindo fofa.

 

De forma muito azarada, uma chuva forte começou á cair sobre o acampamento inteiro, acompanhada de trovões.

 

– Clima de filme de terror. – David disse e olhou para Kile.

 

Kile estava lidando muito bem com a situação, tanto que nem parecia ligar sobre o homem que estava lá junto com eles e supostamente, colocou uma armadilha para machucá-los seriamente.

 

– Bem, eu vou tomar um banho e limpar minhas lentes... passar bem. – Bocejou levemente e começou á subir as escadas até o banheiro.

 

Akane revirou os olhos ao ver a afirmação do garoto.

 

– Eu vou explicar a situação pro James. – Aya caminhou até o quarto onde o garoto estava.

– O problema é, a estação de polícia mais próxima fica muito longe daqui... eles provavelmente vão chegar de madrugada. – David disse, olhando para fora e vendo que já eram quase 18horas.

– Não se preocupem... tudo vai ficar bem. – Elizabeth disse e se sentou á mesa, olhando para todos, confiante.

 

Todos esperaram bastante pelo homem que tardava á chegar, Peter parecia extremamente preocupado e constantemente verificava as janelas...

 

– Acho que vou atrás dele... – Disse de forma heróica.

– Não vem com protagonismo... ele disse para ficarmos aqui, então ficaremos aqui. – Elizabeth seguia á risca as instruções daquele que havia sumido.

– Ele deve ter se perdido ou algo pior pode te acontecido! – Peter olhou para Elizabeth com os olhos arregalados.

– Ele só deve estar esperando a chuva passar, calma... – O respondeu com um sorriso confortante no rosto.

– Se você vai, eu também posso ir? – Kile apareceu no mesmo instante que os dois discutiam.

 

Na verdade, ele não iria por querer encontrar Anthony, no fundo, estava cansado de ficar naquele lugar trancado sem nenhuma fonte de entretenimento.

 

– Claro, mas antes... bem que podíamos achar alguma coisa para nos  precavermos. – Peter começou á andar pela casa, e Elizabeth o seguiu.

– Você não vai! Teimoso! – Disse num tom mandão.

– Você vai me impedir? – Ele riu fofo e ela olhou para ele com raiva.

– Vou sim! – Ela interrompeu sua caminhada.

– ‘’Se comam’’, parte dois. – David olhou para a cena e revirou os olhos.

 

Aya observava com raiva por causa da quantidade de tempo que eles estavam perdendo naquilo.

 

– Parem de palhaçada. Toma isso! – Ela, impaciente, pegou um tipo de atiçador de chamas e entregou á Peter.

– Fiquem seguros. – Ao dizer isso, foi até a cozinha ver se Akane havia preparado o jantar.

 

Elizabeth olhou para os dois com raiva, revirou os olhos, e foi até a cozinha.

 

Kile e Peter saíram pela porta, o garoto de olhos puxados havia pego uma capa de chuva e não se importava muito com o frio. Já Peter parecia levemente incomodado, pegou a lanterna da varanda e começou á seguir o caminho com o seu companheiro.

Akane havia acabado de preparar o jantar e chamou todos os outros naquele chalé para comer, Seth ajudou James á sentar-se á mesa e logo, todos começavam á comer.

 

– Onde estão Kile e Peter? – James parecia um pouco confuso.

– Foram atrás do Anthony. – Elizabeth revirou os olhos.

– Eles estão doidos? – Disse incrédulo.

– Foi o que eu falei. – Ela parecia estar com um pouco de raiva de Peter, mas parecia quase forçado.

– Bem, espero que eles voltem logo. – Aya colocou uma grande quantidade de comida e começou á comer sem parar.

– Que faminta, adorei? – David riu pervertido olhando para ela.

 

Por um segundo, pensou em se levantar e dar um soco em seu rosto, mas a comida estava muito gostosa e ela ficou com relutância de perder seu tempo com ele.

Kile e Peter caminhavam na chuva forte, e finalmente chegaram á construção onde havia o telefone, já eram quase sete horas da noite quando eles entraram e perceberam que Anthony não estava lá...

 

– Ué... para onde ele foi? – Disse Peter com o atiçador de chamas em riste.

– Provavelmente deve ter voltado e nós o perdemos... – Aquele que estava ao seu lado parecia extremamente entediado.

 

Peter iria falar mas, por um segundo, escutou um barulho de passos pisando constantemente contra o solo. Ele se abaixou e puxou Kile para perto de si...

 

– O que foi? – Kile disse surpreso num tom normal.

– Shhhh... – Peter sussurrou e colocou o dedo em seus lábios.

– Tem alguém aqui conosco. – Ele continuou á sussurrar.

 

A porta do chalé onde eles estavam abriu-se, Peter pulou numa tentativa de atacar aquele posto do lado de fora, mas percebeu que era Anthony.

 

– Argh! – O mais velho gritou e se afastou, fazendo com que Peter batesse o atiçador de chamas no ar.

– EU MANDEI VOCÊS FICAREM NO CHALÉ! Por que vocês nunca me ouvem? – Ele revirou os olhos.

– Desculpa, estávamos preocupados. – Ele sorriu e Kile saiu do esconderijo.

– Huff, eu acabei de consertar a torre do sinal, a chuva acabou por danificar, eu acho. – Disse e entrou no chalé, pegou o telefone e começou á ligar para a polícia.

 

Ele começou á explicar a situação para os policiais e eles disseram que iriam aparecer de manhã o mais breve possível, já que não haviam provas da existência de qualquer um ali naquele acampamento.

Anthony tentou explicar que na câmera, havia aparecido um homem, mas não deu certo, talvez porque muitos trotes já haviam sido passados para a polícia sobre este local, ele pareceu enraivado, desligou o telefone e começou á caminhar de volta para o chalé principal.

Os meninos o seguiram e de 20horas, todos estavam na sala, reunidos...

 

– Garotos e garotas, vocês vão dormir em seus dormitórios... podem usar as barricadas de segurança para impedir qualquer um de entrar. Eu vou estar no chalé principal caso qualquer coisa... Os policiais só vão vir de manhã. – Anthony começou explicando.

– Como assim? Nós vamos dormir sozinhos? – Seth falou surpreso e olhou para todos aqueles na sala.

– Vocês não são mais crianças, e eu vou cuidar de vocês, não se preocupem... amanhã, iremos fazer uma grande expedição pela floresta, James pode ficar aqui com o Seth, vai ser muito divertido. – O mais velho disse e bocejou levemente.

– Não temos muita escolha, no caso... – Aya revirou os olhos e disse, desdenhosa.

– Tudo bem, espero que amanhã tudo dê certo. – Elizabeth se espreguiçou e olhou para Peter, emburrada.

Depois de algumas horas de conversa em geral, todos os jovens foram para seus quartos e barricaram as portas e janelas. Não demorou e todos dormiram...

 

Sexta-Feira, dia 13 de Outubro de 2017, 08AM – ‘’Sexta-feira 13’’

 

 

 

Todos acabaram por acordar cedo demais, o que causou um mau humor imenso por parte de Kile... A polícia acabara de chegar e eles precisavam dar depoimento de coisas estranhas que haviam ocorrido com eles.

Eles tomaram café e esperaram as autoridades analisarem a área, mas eles não encontraram nada depois de 4 horas, então o caso foi arquivado. Eles disseram que provavelmente, que estava aqui foi embora, e não havia motivo para preocupações.

 

James ficou com Seth na cabana principal enquanto Anthony resolvia preparar a expedição na floresta ao redor do lago de Crystal Lake, a maioria estava entusiasmada mas alguns pareciam extremamente entediados com o assunto.

Todos guardaram comida em suas mochilas além de equipamentos úteis... e logo se encontraram em frente ao lago.

 

– Bom, gente... vamos nos separar. Um grupo irá pelo lado oeste e o outro, leste. E vamos nos encontrar do outro lado, ok?  - Anthony disse mordendo uma barra de chocolate.

– Bem, nós que escolhemos com quem vamos? – Elizabeth olhou para todos ao seu redor, não queria ter que ir com David.

– Sim, vocês que escolhem. – Sorriu irônico.

 

 

– Meninas para um lado, meninos para outro. –

 

– Escolha baseada no relacionamento –

 

– Vocês que escolhem falando com o povo nos comentários –

 James e Seth estavam sozinhos, conversando dentro do quarto, mas por um segundo, escutaram alguém batendo na porta...

Escolhas para Seth: 

– Tentar ver pela janela quem é... –

– Ir até a porta... –

– Ficar com James. –

Escolhas para James:

– Gritar e perguntar quem é da cama –

– Tentar se levantar e possivelmente ir com James até a porta –

– Ficar deitado –

 


Notas Finais


Esse foi o chapter, no próximo, o caos começa de noite e vai durar até a madrugada... cada capítulo vai ser uma hora da Sexta-Feira 13.
Muito obrigado por lerem... Se quiserem criticar, podem criticar.
XOXO! BEIJOS DE MEDO PARA VOCÊS!

''Jason está feliz que é seu aniversário...
Mas isto não poupara sua vida e nem os seus sonhos...
ele irá te torturar até que você grite sangue.''


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...