História •Shadow Empire• - Capítulo 2


Escrita por: ~ e ~Thay-Yoongi

Postado
Categorias Legend of The Cryptids
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Guerra, Reinos
Exibições 17
Palavras 1.637
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Magia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Espero que gostem. – Thay *-*

Capítulo 2 - A Nova Missão


Fanfic / Fanfiction •Shadow Empire• - Capítulo 2 - A Nova Missão

Tayrumi não parava de pensar na idéia de que batalhará ao lado de sua irmã novamente como nos velhos tempos, e ficou tão empolgada com isso, que não se continha a felicidade por dentro, era meio que visível que tinha um sorriso em seus olhos. Desde pequenas treinavam juntas, e já se destacavam entre as outras crianças da idade delas. Elas escolheram esse caminho e queriam defender sua guilda e sempre serem as melhores para si mesmas. E com Ariene ao lado de Tayrumi, essa missão será concluída com bastante esforço, pois elas não desistem e sim persistem. Não é atoa que as sisters of war são sinônimos de morte!

– Quero que vocês partam para o Reino do Sul o quanto antes para ganharem mais tempo e levem consigo alguns de nossos melhores soldados e alguns da nossa guilda aliada Alancts, e Shaniza, Hector, Nihage e Clarice. – Ordenou Erza. Clarice é a feiticeira chefe da guilda Tenicera, tem cabelos loiros longos, pele branca, alta, e olhos azuis.

– Daremos o nosso melhor nessa missão, senhora, não a desapontaremos. – Disse Ariene.

– Espero isso de vocês, estão em suas mãos. – Disse Erza.

Todos pegaram tudo o que iriam utilizar e precisar na batalha contra os inimigos da guilda Trevor que se aliou à guilda Tauren. Com essa aliança, eles estavam mais fortes agora.

Nossos soldados já estavam em suas posições do lado de fora da guilda esperando aos comandos, todos montados em suas montarias.

Ariene, Tayrumi, Clarice, Hector e Nihage já estavam preparados para a viagem. Todos pegaram suas coisas e saíram para fora da Guilda...

– Avante pessoal, vamos derrotar todos da Trevor e Tauren. – Disse Ariene, em um tom de bravura.

Todos com suas montarias prosseguiram naquela noite chuvosa cheia de raios e trovoadas. Chegando perto de uma floresta bastante aterrorizante e escura, mais conhecida como "Floresta Negra" começaram a ouvir sussurros arrepiantes vindo de dentro daquela floresta e havia muitas caveiras de pessoas que um dia foram mortas ali. Não era um bom lugar para se estar à noite, então todos avançaram rapidamente e ignoraram os sussurros. A viagem era longa, e não haviam tempo para pararem... Até que os sussurros da floresta negra pararam de vez. Nesta mesma hora todos se olharam sem entender o por que de os sussurros dos mortos terem parado e feito silêncio total.

Todos descem de suas montarias e pegam seus armamentos percebendo que algo de estranho estava para acontecer.

– Gente, fiquem de olhos abertos, isto aqui não está me cheirando muito bem! – Disse Tayrumi.

– Mas é claro que não está cheirando muito bem, olha quantos ossos tem de pessoas mortas aqui! – comenta um soldado, fazendo graça.

– Haha, sério? se você não me fala eu nem tinha percebido. É melhor você guardar esses comentários estúpidos para si mesmo, ou quer ver minha lâmina em sua garganta, espertalhão?

Quando o soldado iria abrir a boca para responder, Hector o interrompe e fala:

– Melhor parar com isso aí, isso aqui não é hora e nem lugar de ficar discutindo e Erza não iria gostar nada de saber disso aqui. Até parecem duas crianças! 

– Ok. – Disse o soldado, afastando - se. Tayrumi fica em silêncio.

Um risada horrenda, e aterrorizante é ouvida em meio a floresta. Uma sombra preta se aproxima e todos pegam suas armas e ficam em preparados em suas posições.

– Ora ora, veja o que temos aqui! Chegaram bem na hora do jantar... Sabe, faz tempo que ninguém passa por aqui, eu já estava ficando desanimada. – Disse uma mulher, cuja aparência não era feia, tinha a pele muito branca, cabelos escuros como aquele lugar, e uma roupa preta muito vulgar e carregava em suas mãos um bastão com caveiras.

– Não tenho tempo para jantar algum! Quem é você afinal? – Diz Ariene com uma expressão em seu olhar furioso.

– Vocês tem a ousadia de andar em minha floresta e ainda por cima não me conhecem? Este lugar pertence a mim, todos que passam por aqui morrem e me temem. Vocês deveriam ter mais cuidado antes de pisar em qualquer floresta por aí. Eu sou uma bruxa, não é meio óbvio? – Disse a bruxa.

– Não me faça rir, sua bruxa miserável. – Disse Clarice rindo.

No mesmo instante a bruxa irritada acerta algum soldado com o poder do seu bastão, matando-o. Logo depois deste terrível acontecimento, todos partiram para cima da bruxa, tentando mata - la.

– Era só o que me faltava, aparecer uma bruxo no nosso caminho, nos atrasando para nossa missão. – Pensa Nihage aflito.

A bruxa fez um feitiço fazendo com que vários monstros surgissem na floresta e os atacassem. Ariene e Tayrumi os matavam rápido e a bruxa não gostava nada daquilo e trazia cada vez mais e mais monstros.

– Já pode desistir sua bruxa, isso não é nada para nós! – Clarisse fala, em tom de deboche.

– É melhor você tomar cuidado com o que diz sua feiticeirinha de nada. – Disse a bruxa rindo toda debochada.

Tayrumi e Ariene se aproximam. – Ariene, vamos usar nossos poderes e mostrar para essa bruxa desgraçada com quem ela está mexendo. – Fala Tayrumi cheia de determinação.

– Certo maninha, vamos acabar com ela de uma vez por todas! – Disse Ariene.

A bruxa toda irritada fez com que os mortos se levantassem da terra, trouxe à vida monstros horrorosos de todos os tipos. – Quero ver agora vocês acabarem com meus bebês, seus meros mortais irritantes! – Fala a bruxa com o olhar maléfico.

Os soldados e os outros partem para cima dos monstros e mortos dando cobertura para as sisters of war.

Tayrumi, uma guerreira, ao usar o seu poder se transformou em uma feiticeira e em seguida Ariene tira seu capuz, e em vez da besta em suas mãos, ao transformar ela adquiriu uma Haze, um armamento que é bastante antigo e só ela conseguia usar, cuja função era controlar os mortos em seus fios bem fortes para matar seus aliados e cada vez que ela usava esse armamento, ela iria adquirindo mais experiência que fazia com que seu cabelo fosse crescendo aos poucos.

– Chegou a hora da diversão, eu não aguentava mais esperar por este momento. Vamos acabar com essa bruxa maninha! – Disse Tayrumi.

– Vamos nessa. – Disse segurando a haze com os mortos.

A bruxa ficou surpreendida, pois nunca tinha visto tal coisa como aquela. Ela estava desesperada, pois seus monstros estavam morrendo e aquelas garotas a provocou um certo medo.

As sisters of war foram contudo para cima da bruxa a deixando encurralada. A bruxa jogava seus poderes, mas elas as desviavam fazendo com que a bruxa cada vez mais ficasse furiosa com aquela situação. Clarice veio logo em seguida ajudar, então ela e Tayrumi jogaram seus poderosos poderes de feitiço na bruxa, sem parar fazendo com que ela perdesse o controle e caísse no chão, e em seguida Ariene com sua Haze trouxe seus mortos consigo devorando a bruxa inconsciente.

– Se ela soubesse como iria acabar, nem teria nos desafiado. – Disse Clarice sorrindo.

– Bom trabalho pessoal, vamos prosseguir a diante. – Disse Ariene.

Ariene monta em sua montaria, e os outros se aproximam fazendo o mesmo.

Hector que estava à frente, pergunta: – Tudo bem aí com vocês pessoal?

Todos confirmam que sim e prosseguem.

A chuva tinha parado e o caminho ficou melhor para continuar. Já era dia, e o sol estava escaldante. Ao avistarem uma sombra.

– Acho melhor descansarmos um pouco e comermos antes de continuar com a viagem. – Disse Nihage.

Todos concordam e fazem um acampamento.

[...]

Horas depois eles continuaram com a viagem.

O caminho foi bastante longo e estava escurecendo quando eles chegaram ao Reino do Sul.

– Chegamos gente, vamos armar algum plano para deter os soldados oficiais da guilda Trevor e Tauren. Quero que alguns soldados fiquem aqui de fora com Clarice e Hector para ir matando os soldados inimigos enquanto eu, Ariene e Nihage entramos no castelo para matar os que estiverem lá dentro. – Disse Tayrumi.

– Entendido. –Todos confirmam.

Tayrumi, Ariene e Nihage aproximam-se do castelo com cautela matando silenciosamente aqueles soldados que estavam no caminho.

– Vamos nos separar. – Disse Ariene.

Todos se separam seguindo caminhos diferentes.

Tayrumi foi na frente e se escondeu no canto de uma parede quando viu três soldados conversando. Ela respirou fundo e foi pra cima, cortando a cabeça de um dos soldados, outro veio para cima enquanto outro a segurou por trás a contendo, até que ela morde o braço daquele que a estava segurando fazendo com que a soltasse enfiando a espada na barriga daquele que estava a contra atacando. – E aí, agora só tem você, quer uma morte lenta ou uma morte rápida? Você escolhe! – Disse Tayrumi.

– Por favor, não me mate, eu lhe imploro. – Disse o soldado oficial, cuja vestimenta era da guilda Tauren.

Tayrumi não foi nada misericordiosa e o matou naquele instante.

[...]

Ariene estava no alto da torre do castelo, dependurada em uma corda de cabeça para baixo se preparando com sua besta nas mãos para disparar contra o monstro que estava logo em baixo. Com dois disparos seguidos ela o mata facilmente. Logo Nihage surge em baixo encontrando o monstro com as flechas em suas costas procurando Ariene, pois conhecia aquelas flechas e sabia que era dela.

– Ariene? Onde você está? – Pergunta Nihage.

– Eiii, psiu, fale baixo. Estou aqui em cima! – Reponde Ariene.

Nihage arregala os olhos e pergunta: – Como você foi parar aí, sua doida? *Risos*

Descendo da corda Ariene responde: – Vamos deixar isso para uma outra hora Nihage. *Sorri* – Vamos encontrar a Tayrumi e ajudar os outros com os monstros e soldados oficiais das guildas rivais.

– Ok. Vamos! – Disse Nihage.

Correndo pelo castelo, eles avistam Tayrumi encurralada com outros soldados a atacando e chegam atacando.

– Demoraram, heim! Eu já estava ficando preocupada com vocês. – Disse Tayrumi rindo.

– Não precisa se preocupar conosco, maninha! – Disse Ariene.

[...]

Enquanto isso lá fora...

Hector, Clarice e os soldados estavam e um confronto imenso contra os outros soldados oficiais das guildas rivais. Havia sangue para todos os lados, e bastante soldados já mortos. Mas ainda estava longe de acabar, pois eram muitos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...