História Shadow (Imagine Jeon Jungkook) - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys (bts)
Exibições 154
Palavras 2.292
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


ola amores, vim aqui agradecer mais uma vez pelo apoio de voces e espero que gostem
bjs

Capítulo 10 - Last This Is The Reality?


Fanfic / Fanfiction Shadow (Imagine Jeon Jungkook) - Capítulo 10 - Last This Is The Reality?

... tudo começa a clarear... mas antes de continuar, eu vou dizer o que aconteceu

Flashback on:

Ele se aproximava de mim devagar, e ao mesmo tempo me mostrava coisas, e que essas “coisas” me tocavam no fundo de meu espírito e alma, pois algumas delas me lembram de meu passado. Ele segura em suas mãos algemas, chicote e uma venda.

- ei! EI!

E tudo fica escuro... ele coloca a venda em meus olhos, prende minhas mãos nas algemas, me fazendo lembrar do momento das cintadas de Kookie, embora não tenha sido a muito tempo atrás me marcou muito (literalmente). A venda colocada sobre meus olhos me lembra de uma lembrança de quando eu tinha 13 anos, eu namorava (sim! To nem ai se eu era nova ou não, F-O-D-A-S-E) um garoto chamado Mateus, Mateus Di Saro, ele também era brasileiro, se mudou para a Coréia quando tinha mais ou menos uns 7 anos, falava fluente, como se já fosse de la, ele era branco, dos olhos verdes como esmeraldas, com cabelos castanhos. Nos conhecemos no colégio, éramos da mesma classe e sentávamos juntos, viramos próximos, depois amigos, e passando um tempo melhores amigos. Ate que um dia, fomos ao cinema...

Flashback on:

Eu e Mateus fomos ao cinema (pra variar), compramos pipoca e refrigerante tamanho grande, pra dividimos (idéia dele) porque ele diz que estava caro, mais okay, não se discuti com um Di Saro, ele vivia dizendo. Começamos a ver o filme e na metade do filme eu fiquei com sono, então acabei apoiando a cabeça no ombro dele.

-_ _ _- ele me chama

- diga!- falo ainda de olhos fechados encostada nele

- eu... eu quero te falar uma c-coisa, na verdade perguntar...

- diga logo homem- digo me levantando e olhando seria para o mesmo

- eu queria saber se você gostaria de namorar comigo?- ele disse abrindo uma caixinha onde tinha um cordão lindo: um coração de ouro, que estava partido no meio e que se colocasse um perto do outro formava um coração por inteiro, e em cada parte tinha nossa iniciais: (A: _ - significa sua inicial) _+M, ele era maravilhoso.

- sim! Eu quero!- ele abre aquele seu lindo sorriso, retira um dos cordões, o que havia a inicial dele, ele disse para usarmos a do outro para sempre nos lembrarmos e mostrar para as pessoas que éramos um casal.

Ele se aproxima de mim, colando nossas testas, eu já podia sentir sua respiração junto a minha, mas antes que ele fizesse qualquer coisa, qualquer pequeno movimento ele chega ao meu ouvido e diz: “- eu posso?... eu posso sentir seu gosto?” ele pergunta me fazendo arrepiar, eu acento ele vai aos poucos colando nossas bocas, seu beijo era tão bom, tão doce e viciante, a vontade de que eu tinha era de nunca mais parar, ele pede passagem e eu cedo, exploramos a boca um do outro, aprofundando cada vez mais o beijo, parecia que nós necessitávamos disso. Nos separamos por falta de ar. Colamos nossas testas mais uma vez, eu podia ouvir sua respiração um pouco ofegante, que se encontrava igual a minha.

Flashback off:

Depois daquele dia, nunca mais nos víamos como antes, aquela amizade de antes sumiu, ao invés de abraços nos encontros (no caso passeios mesmo) que fazíamos agora viraram beijos, e a cada dia eles se tornavam mais intensos e apaixonantes. Nossos pais sabiam que namorávamos pois, Mateus havia contado para seus pais, que o encorajaram a me pedir em namoro, mais antes de tudo ele teve uma conversa seria com meu pai, convencendo o mesmo, nem precisava falar com a minha mae porque era tudo que a mesma queria, então foi mais fácil. Mais eles ainda achavam que éramos crianças (em algumas situações) por causa de algumas brincadeiras que fazíamos, a brincadeira favorita que ele e eu sempre fazíamos era marco\polo, mas ao invés de fecharmos os olhos éramos vendados com uma venda, pois sempre tinha uma hora em que ele espiava ou que eu espiava, isso me marcou muito, pois depois do assassinato dos meus pais, ele sempre ia la em casa e ficava comigo, me ajudava a fazer meu almoço, me levava para a escola, me trazia em segurança, e quando o mesmo achava que era necessário ele ate dormia la em casa comigo (não pensem em merda, porque por incrível que pareça a gente nunca fez isso) (A: amoré, acho que é obvio, já que tu é virgem). E foi assim todos os dias, nos 2 anos depois que meus pais foram assassinados. E ainda na semana do meu aniversario de 16 anos, três dias depois... ele... ele foi assassinado brutalmente. Quando eu recebi essa noticia fiquei em estado de choque, entrei em depressão e minha única solução para sair dali e daquele sofrimento todo era me matar, mas me mantive forte para realizar o desejo de meus pais e para não abandonar Zeus... MEU DEUS! ZEUS! CARALHO, EU SOU MUITO BURRA! EU DEIXEI ESSE CACHORRO EM CASA! FUDEO! NÃO! OK CALMA, CALMA, respira, isso... calma!, meu sofrimento parece que nunca vai ter fim, quando eu penso que finalmente tudo as coisas só pioram. E o chicote... ele será uma nova lembrança, pois serei ferida novamente, essas lembranças formam o ciclo do passado (venda), presente (algemas) futuro (chicote).

Quando Hobi começou com as chicotadas, que eram direcionadas as minhas costas já marcadas, ele ria e me xingava de tudo que é nome, dizendo que eu sempre seria castigada por ele se pisasse na bola, qualquer errinho bobo e eu seria sempre castigada. Ele disse que se eu gritasse seria pior, então eu tentava conter o grito, mas liberava lagrimas. Quando ele acabou, eu podia sentir o sangue escorrer pelas minhas costas, ele retira minha venda, mais ainda me deixa algemada, passa uma de suas mãos delicadamente sobre minhas costas me fazendo gemer baixo de dor, ele se senta na minha frente, olhei para sua mao direita, ela sem encontrava com dois dedos cheios de sangue, que provavelmente ele deve ter pego na hora em que passou uma de suas mãos em minhas costas. Ele sorriu malicioso, e levou aos seus lábios os dedos ensangüentados, “sugando” todo o sangue de suas mãos.

- você é nojento- ouso dizer

Ele ri mas não responde, se aproxima de mim, desliza sua mao esquerda em meu rosto, me fazendo olhar para o outro lado tentando impedir que ele não me tocasse mais, minha tentativa falhou, ele puxou meu queixo e disse.

- você pode ate ser uma vadia, mais vai aprender a me amar por bem ou por mal, e ainda vai gostar- dito isso ele da um tapa na minha cara, me fazendo deitar na cama de tão forte que foi.

Ele se levanta, veste suas roupas, diz: “- posso não ter sentido a sensação de estar dentro de você hoje, mas não se esqueça de que vamos casar, e eu vou ter tempo de sobra pra fazer isso, so espere. Ate mais amor” dito ele sai rindo deixando a porta aberta. Olho para o relógio que tinha no quarto e vejo que são 19:00, acabei adormecendo, estava muito fraca, não havia comido e aquelas chibatadas acabaram comigo.

-----quebra de tempo-----

Acordei com o desespero de algum ser que não parava de me chacoalhar. Abro meus olhos devagar, olho para o lado e vejo Yoongi, o que esta criatura esta fazendo aqui?

- até que enfim, você acordou, tu quase me matou de susto porra- ele diz limpando a cara que estava toda suada

- o que você está fazendo no meu quarto? Você há viu o horário? São 21:00 da noite e eu to cansada- falo sem me mover

- ta na hora da janta... quer dizer, quase passando a hora de jantar, e o Hoseok saiu para resolver um negocio la com outros mafiosos, e ele disse que não quer o Tae e o Kookie perto de você, e tipo eu sou o mais próximo dele depois do Kookie, só que eles não estão tendo uma relação muito boa, então ele me pediu pra vir aqui para te chamar para comer, ai eu venho aqui 20: 30 para acordar tu, mais você não acordava, ai minha primeira opção era jogar um balde d’agua em tu, mais o Seok ia me matar, então depois de tanto tempo te chamado eu achei que estivesse morta.

- e como você chegou a essa conclusa?

- depois de todo esforço para te acordar, eu olhei para suas costas e para a cama, que estão ensangüentadas, ai eu pensei que você tivesse se matado, ai entrei em pânico.

-ho! Você se preocupou comigo!- digo sorrindo

- não, não é por isso, é que se você tivesse se matado o Hoseok iria me matar, então eu também estaria fudido.

- há vai se foder filha da puta- digo e taco outro travesseiro que se encontrava do outro lado da cama nele, fazendo o mesmo rir

Nós descemos, chegando la, todos nos esperavam para comer, havia uma mulher que estava sentada ao lado de Jungkook, acho que ela é a Lee Yuki. Ela me olha de cima a baixo descendo as escadas.

- quem é essa?- ela pergunta- é a nova empregada ou o novo brinquedinho de vocês?- ela pergunta sarcasticamente

Se controla ___, ela é uma puta, não vale apena perder tempo com pessoas como ela, se segura, depois você fala tudo o que quiser na cara dela...

- não! Essa é a ___, futura noiva de Jeon Hoseok- Jin fala já fazendo seu prato

- então foi por essa dai que eu fiquei sentada aqui durante quase 1 hora, esfomeada?- ela pergunta se fazendo de vitima

- cala a boca Lee Yuki, deixa de drama- Jungkook diz levando seu garfo já com comida até sua boca.

Eu me sentei no meio de Jin e Yoongi, e Jungkook sentou-se a minha frente com Taehyung a sua direita e a Yuki a sua esquerda. A janta estava realmente boa, comemos Ja Jang Myon: macarrão com molho preto meio adocicado, e Bur Go Gi: carne de contra filé fatiada e temperada com molho adocicado, e eu confesso ele foi um dos melhores pratos que eu já comi aqui durante esses anos, ou a pessoa é muito boa na cozinha ou a comida que já é espetacular. Após terminar meu jantar, me levantei agradeci e levei meu prato para a cozinha para lava-lo. Enquanto lavava, alguém entra na cozinha, eu não me importei em saber quem era, continuei concentrada no que estava fazendo. Ate que sinto braços me envolvendo, me arrepio toda, essa mesma pessoa me vira, e quando me deparo vejo Jungkook segurando minha cintura.

- o-o que v-voce esta fazendo K-Kookie? Não podemos fazer isso, você tem noiva e eu também- falo a ultima parte olhando para o chão e desanimada

- eu sei, mais como você sabe nosso casamento é no final desse mês, ou seja, sexta-feira que vem... e eu queria poder pelo menos sentir seu gostinho ao menos uma vez antes que eu a perca para sempre...- ele diz olhando fixamente em meus olhos

- eu... acho melhor não Kookie, é perigoso, alguém pode nos pegar

- relaxa, eu sou cuidadoso, por favor _ _ _!- ele diz fazendo biquinho

- tudo bem!- eu digo sorrindo

- YES!- ele diz em voz alta pulando e comemorando me fazendo ri, ele se aproxima de meu ouvido e diz- mais tarde, tipo umas 23:30, eu vou no seu quarto para a gente brincar um pouquinho, então deixa a porta destrancada, ate mais tarde doce.

Ele se despede de mim com um beijo rápido, mas mesmo assim intenso. Ate que não é uma má idéia, minha primeira vez vai ser pelo menos com alguém que eu amo de verdade, espera... eu estou amando? De novo? Eu sei que o amor é lindo e tals, mas, eu já perdi um amor no passado, e vou perder o Kookie depois, e eu não quero sofrer de novo... esqueci isso ___, vai curtir pelo menos uma vez na sua vida! Jungkook vai no seu quarto mais tarde, voces vão se “conhecer” (A: termo bíblico) e você vai gostar. Enquanto pensava nisso, um sorriso brotou em meu rosto, terminei a limpeza, quando sai da cozinha, vi Jungkook sentado em seu lugar, bêbedo um pouco de vinho, trocamos olhares rápidos, ele me mandou uma piscadela e eu sorri de lado para o mesmo. Subi as escadas em direção ao meu quarto, entrei no mesmo, me direcionei ao banheiro, onde tomei um belo de um banho quente. Sai do box e me arrumei toda, coloque uma lingerie azul marinho, muito lindo, e por cima um roupão de seda azul marinho também, passei uma maquiagem escura mais não muito pesada e um batom com cor vinho, muito lindo, pintei meus cabelos deixando os mesmo sedosos. Fui ver o horário, eram 23: 27, corri para a mesinha que tinha do lado da minha cama e achei umas velas, acendi uma e apaguei as luzes, deixando apenas as luz da vela iluminar o quarto. Nesse mesmo instante, alguém abre a porta. Era Jungkook, ele estava lindo, apenas de roupão e por baixo seu box, de longe já podia ver seu volume.

- nossa, você ta tão linda... ou melhor tão sexy...- ele diz se aproximando

- você também...- digo me sentando na cama em uma posição que deixou o mesmo exitado.

- vamos começar doce?- ele pergunta retirando seu roupão chegando cada vez, mais perto.

- vamos...

Ao dizer isso uma parte de mim tinha sumido, a parte de menina boazinha e controlada havia sumido, surgindo assim a garota má e “descontrolada”. Eu fico pensando ISSO É A REALIDADE?


Notas Finais


ate o proximo cap...
bjs no kokoro


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...