História ShadowElements - Interativa - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Exibições 30
Palavras 1.090
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Ficção Científica, Luta, Mistério, Romance e Novela, Super Power, Violência

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Oi gente! Eu queria avisar que a história dessa personagem eu vou dividir em três partes! Mas espero que gostem da Ki. Obrigada especial a criadora da personagem >3<
Espero que gostem
>.<

Capítulo 3 - Hiroshima Nagaki - part one


Fanfic / Fanfiction ShadowElements - Interativa - Capítulo 3 - Hiroshima Nagaki - part one

 Era um sábado, Hiro estava sentada à mesa desenhando e fazendo origamis com alguns papeis coloridos. Sua mãe tinha acabado de chegar em casa, estava pendurando o casaco no cabide e deixando sua bolsa no sofá. Ela foi se aproximando de Hiro com um pacote quadrado. Dentro dele tinha um bolo de chocolate com morango, o favorito de Hiro. Hoje era aniversário da Hiro, por isso sua mãe tinha trazido um bolo. Ela estava fazendo cinco anos.

- Ki. Ki. Filha, posso acender a vela?

- Ah, sim, só espera um pouquinho.

- No que você estava pensando? Porque a única coisa que não estava fazendo era me ouvir. (perguntou suavemente)

- Eu queria que o papai estivesse aqui.

- Filha... Você sabe que ele não pode.

Ela olhou para Hiro e viu que ela estava cabisbaixa, com uma expressão de tristeza, então ela teve uma grande idéia.

- Eu sei o que vai te alegrar!

Ela se levantou rápido e foi até um armário velho que tínhamos dentro de casa. Tirou de lá um pacote branco com bolhinhas rosas estampadas. Entregou a Hiro com um grande sorriso na cara.

- Tcharam!! Eu estava voltando do trabalho quando comprei. Quando eu coloquei os olhos, eu sabia que você ia adorar. Vamos, abra!

Abrindo o pacote Hiro começou a abrir um sorriso, um dos mais bonitos da terra, mas ainda estava surpresa. Logo, viu um extenso conjunto de lápis de cor.

- Como... Como você sabia que eu queria isso?

- Ora, nas poucas vezes que nós saímos de casa eu notei uma coisa. Você sempre parava na frente daquela loja e olhava esse conjunto. Eu sou sua mãe, sabia?

Ela nem tinha notado que ficava parada na frente daquela loja. Mas, sua mãe a conhecia direitinho, mesmo não tendo muito tempo para aproveitar com a filha. Quando tinha um dia de folga passava todo o tempo com Hiro tentando compensar pelo tempo que não estava lá, prestando muita atenção no comportamento e personalidade dela.

A menininha dava pulos de felicidade. A mãe estava feliz enquanto Hiro estivesse. Quase se esquecendo de agradecer, a garotinha de um abraço apertado e um beijo em sua mãe e disse:

- Obrigada! Obrigada, mamãe!

Depois disso acenderam as velhinhas que estavam em cima do bolo e com todas as suas forças Hiro assoprou as chamas desejando que um dia seu pai pudesse aproveitar aquele momento também.

Dois anos depois...

Hiro frequenta uma escola para crianças super dotadas. No momento eles estavam estudando biotecnologia. Hoje sua turma iria visitar a empresa NaturalBeauty&Co, e o dono dela, o Sr. Richard Greenfield iria apresentar a empresa ele mesmo. Ela queria muito visitar aquela empresa, mas não com sua turma, porque eles não ficariam quietos e ela odiava lugares barulhentos. Acho que seu interesse pela matéria superava isso. O ônibus chegou ao local, as professoras foram na frente guiando os alunos. Quando entraram todos olharam em volta, tinha muita movimentação, mas era incrível. Hiro não conseguia imaginar o quanto podia aprender ali. Ela só viu um homem alto se aproximar. Ele hesitou quando a viu, mas continuou a caminhar mantendo a postura.

- Bom dia, crianças.

- Bom dia. (responderam todos os alunos)

- Meu nome é Richard Greenfield. Sou dono desta empresa, e hoje irei apresentá- la a vocês. Espero que vocês escutem tudo.

Ele piscou pra os alunos e esperou a professora dar as orientações. E saíram dali. Passaram por lugares incríveis: sedes de pesquisa, laboratórios e muitas outras instalações. O que Hiro achou mais estranho foi que o Sr. Greenfield ficou a encarando todo o tempo. No final eles iam escrever um relatório, todas as crianças sentaram no chão, Hiro também. Logo, sentiu algo tocando ela. Virou repentinamente e viu sua professora.

- Nagaki? Você estava me ouvindo? Eu fique chamando o seu nome por quase um minuto!

- Não. Desculpe-me, senhora.

Ela estava concentrada em dar o seu melhor na escola para os esforços de sua mãe valerem a pena. E não gostava nem um pouco de estar com tanta gente a sua volta, o que queria mesmo era ficar sozinha.

 - Sr. Greenfield quer falar com você. Separadamente.

- Por quê?

- Não disse o motivo. Ele deve ter reconhecido sua inteligência.

- Eu tenho que ir?

- Bem, talvez você aprenda mais alguma coisa nunca se sabe.

Ela não queria ir, mas ao mesmo tempo queria, pois se ela fosse, realmente, poderia aprender mais alguma coisa, entretanto estava com medo do homem. Caminhando bem devagar ela foi à sala indicada pela professora e bateu na porta.

- Pode entrar.

Bem devagar ela abriu a porta. Ao abrir viu o homem sentado em sua cadeira e novamente estava encarando ela.

- A professora me disse que o senhor queria falar comigo. Eu fiz alguma coisa que não devia?

- Não, não. Você não fez nada de errado. Eu só queria fazer umas perguntas.

Surpresa, ela foi sentando na cadeira em frente a ele, olhando estranhamente para ele.

- Pode fazer.

- Vamos começar com as apresentações. Qual é o seu nome? O meu creio que já saiba.

Estranhou a pergunta, mas respondeu.

- Hiroshima Nagaki, senhor.

Ele fez uma pausa, e com toda a paciência perguntou:

- Nagaki... Sua mãe se chama Hana?

- Sim, senhor. Por que pergunta?

Ignorando a pergunta de Hiro ele continuou:

- Quantos anos você tem, Hiro?

Ela estava ficando confusa e não estava gostando daquelas perguntas. Por que ele queria saber aquilo? Mas, mesmo assim continuou respondendo.

- Sete.

 Ele mudou de expressão, de surpreso para muito sério. Depois Sr. Greenfield pegou um pedaço de papel e começou a escrever alguma coisa. Ela conseguiu ver algumas coisas, como: “Olá, Hana. Faz nove anos que não nos vemos, não é?”. O resto do bilhete ela não conseguiu ver, pois ele escrevia muito rápido no final do bilhete ele assinou, parou de escrever e disse:

- Entregue isso à sua mãe, por favor. Obrigada por me dar um pouquinho de seu tempo, Hiro.

- O senhor a conhece? Eu digo minha mãe.

- Nós...

Quando ele ia começar a frase alguém bateu na porta. Pediu licença. Hiro reconheceu a voz. Era sua professora. Ela entrou se desculpou com o Sr. Greenfield, porque alguns dos meninos haviam quebrado uma estátua. Ele falou que não tinha problema nenhum que arrumaria isso e que já era hora de irem. Despediram- se e foram direto para o ônibus, onde a turma se encontrava. Quando chegou a casa deu a carta à sua mãe.


Notas Finais


O que será que acontecerá? O que tem na carta? Digam ai nos comentários o que vocês acham. Espero realmente que tenham gostado da Ki-chan e até o próximo capítulo.
Beijo da Fox >.<


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...