História Shadows of my heart - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Visualizações 8
Palavras 1.615
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá novamente sz
Como foi o feriado de vocês?
Eu esqueci de apresentar a protagonista no capítulo anterior
mals
Então vou apresentar aqui mesmo
Nome dela é Julie Brooke, atualmente tem 15 anos
Cabelos castanhos e olhos azuis.
Usa óculos fundo de garrafa e eu acho que só...

Capítulo 2 - Despedida


Eu não disse nada apenas fui em direção a frente da sala. Se tem uma coisa que eu odeio é apresentações de trabalho, eles sempre arrumam algum motivo para me atrapalhar e zombar da minha cara, além de ficar fazendo perguntas aleatórias para me provocar.

Quando estava chegando lá senti algo em minha perna e quando percebi eu já estava no chão, duas vezes no mesmo dia, realmente hoje o mundo estava contra mim.

-Terremoto - Debrah gritou ao fundo da sala.

-Acho que alguém está precisando aumentar o grau do óculos -   Ambre comentou arrancando risadas da metade da sala.

Me levantei e fingi que nada havia acontecido, abri o cartaz sem olha-lo, sempre que eu olhava me confundia mais e esquecia minhas falas.

 -B-bom dia o meu t-trabalho será sobre- Eu não conseguia parar de gaguejar, algumas pessoas riam muito alto do meu nervosismo.

- O quanto você é estranha? - Ambre disse alto roubando a atenção de todos.

-No próximo vai ser sobre o seu tamanho- Debrah completou.

Com receio eu virei meu trabalho em minha direção para ver o que eles haviam desta vez, meu trabalho foi trocado por outro, no lugar daquele havia um com várias fotos minhas, algumas rabiscadas, outras apontando todos os meus defeitos. Aquilo foi a gota d'água, não contive minhas lágrimas.

Eu não podia permanecer naquele lugar, eu não queria ficar mais nenhum segundo vendo todos me zombarem, sem mais nem menos sai correndo pela porta da sala e fui em direção ao clube a saída da escola.

 Ouvi alguém gritar meu nome mas não virei para trás para descobrir quem era, corri o mais rápido que pude até chegar em minha casa. Entrei em casa e fui direto ao meu quarto e chorei até adormecer. 

Acordei com alguém me balançando, abri os olhos lentamente quando vi que era minha mãe um sorriso formou em meu rosto e eu sem pensar duas vezes pulei em seus braços abraçando-a.

-Mãe que saudade -Apertei mais o abraço.

-Eu consegui uma folga para poder te ver querida.

Minha mãe nunca foi muito presente em minha vida, seu trabalho não permite a ela ficar muito tempo em casa mas sempre que pode ela vem me ver e ficar me mimando o tempo todo. Apesar de ser militar como meu pai, ela não era tão rígida.

-O que acha de comer pizza hoje no jantar? - Ela disse com um grande sorriso no rosto enquanto acariciava meus cabelos.

-É tudo que eu preciso no momento- Soltei uma risada tímida.

Ela se afastou e saiu de meu quarto para comprar o nosso jantar. Eu fiquei alguns minutos sentada em minha cama relembrando o que havia acontecido hoje de manhã, aquilo doía em me coração, eu só queria que tudo isso acabasse. Me levantei e fui até a gaveta da minha cômoda, lá procurei minha caxinha onde guardava minhas lâminas, peguei uma e fui até meu banheiro. Esperei a banheira encher e assim que estava cheia eu entrei, a água estava totalmente fria o que fez eu tremer um pouco quando entrei.

Fiquei alguns instantes olhando meus pulsos, cada corte significava algum problema de minha vida e o quanto eu era fraca por não enfrenta-los. 

Posicionei a lâmina em cima de meu pulso e em movimentos rápidos comecei a me cortar, o sangue escorria pelo meu braço e caia na água, logo a banheira estava toda vermelha. A cada corte era um pequeno alívio em minha alma, era como se os meus problemas sumissem aos poucos.

Depois de mais alguns cortes  resolvi sair de lá, me vesti novamente e  fui para o quarto onde fiquei esperando a minha mãe chegar.

Ouvi algumas batidas na porta, fui animadamente pensando que era minha mãe, quando o vi meu corpo todo estremeceu.

-Acho que me deve uma explicão 

Ele puxou seu cinto começou se aproximar de mim.

-M-me desculpe pai eu não fiz por mal.

-Eu não te criei para me desrespeitar daquela forma- Ele virou um tapa em meu rosto.

Eu caí no chão por causa da força do tapa que ele me deu, a partir daí ele começou a me bater com a cinta, algumas vezes ele me dava alguns chutes na barriga.

 Eu já estava sem força até que ouvi a porta se abrir bruscamente.

-Phillip pare por favor- Ela segurou seu braço e o puxou para trás.

-Você tem sorte que sua mãe chegou, agora pense duas vezes antes de desrespeitar seu pai.

Ele saiu do quarto batendo a porta com força, eu não conseguia me mexer, o meu corpo todo doía. Minha mãe com muita dificuldade me colocou sentada na cama e tirou minha blusa para cuidar os meus ferimentos.

-Você não devia provoca-lo, olha o estado que você está.

Eu não disse nada apenas concordei com a cabeça e esperei minha mãe terminar os curativos.

-Eu prometo que vou acabar com o seu sofrimento minha filha- Escorria algumas lágrimas de seus olhos- estou me esforçando.

-Eu sei mãe - Limpei as lágrimas de seus olhos.

-Ainda está com fome? - Afirmei com a cabeça - Então vou lá pegar seu pedaço de pizza.

Depois de alguns minutos ela voltou com meu pedaço de pizza e eu comi rapidamente. Ela se deitou ao meu lado e eu dormi em seus braços.

Quebra no tempo - segunda-feira

Fazia dois dias que meu pai havia me batido, meus machucados estavam menos doloridos mas eu ainda sentia algumas dores quando eu andava, o que dificultava algumas atividades diárias.

 Com um pouco de dificuldade me vesti, escovei os dentes e arrumei meus cabelos. Depois de ter feito tudo eu desci ao encontro de minha mãe, ela havia conseguido uns dias de folga para cuidar de mim.

-Vamos? - Chamei a atenção dela que estava voltada a televisão.

-Sim querida- Ela se levantou, desligou a televisão e fomos juntas até seu carro-  Está melhor?

-Algumas partes ainda doí mas estou melhor- Eu sorri para tranqüiliza-la. 

Após alguns minutos chegamos em frente a escola.

-Até logo mãe- Dei um beijo em sua bochecha e a mesma retribuiu com um beijo em minha testa.

-Boa aula querida- Ela acenou e eu acenei de volta.

Fui até meu armário pegar meus matériais para a primeira aula, até que eu sinto alguém puxar meu ombro e me jogar contra os armários.

-Olha aqui o que o seu showzinho me causou -Ela me mostrou um papel de advertência -Se você ficasse quieta.

 Ambre me jogou no chão e começou a me chutar, logo depois todas as suas fiéis amigas estavam me batendo também.

-Saia de perto dela- Ken puxou e jogou ela para longe de mim.

-Quem você pensa que é? -Ela o olhou com raiva.

-Alguém que está preste a te bater- Ele se levantou e foi pra cima dela, a mesma saiu correndo de medo- Você está bem Julie?

-Um pouco - Tossi um pouco devido a minha fraqueza.Ken me levou até enfremaria onde ele cuidou de mim.

A briga com Ambre me fez ganhar um olho roxo que eu teria que explicar ao meu pai. O resto da aula eu passei na enfermaria descansando.

Voltei em casa e expliquei tudo que havia ocorrido aos meus pais.

-Você é mesmo um desgosto para a nossa família -Ele me deu um tapa no meu rosto- Vá para o seu quarto agora.

 Sem pensar duas vezes corri para o meu quarto chorando e esperando minha mãe vir me acolher. Depois de meia hora ela apareceu junto de meu pai.

-Filha eu e seu pai conversamos -Ele interrompeu.

-Você vai para uma escola militar, lá você irá aprender a se denfender e quem sabe trazer orgulho a sua família.

Não consegui evitar minhas lágrimas, eu teria que despedir do meu melhor amigo, como eu viveria sem seus conselhos, eu me sentia tão bem ao seu lado, tão protegida. Passei a noite em claro apenas pensando em como eu teria que despedir de Ken.

Quando amanheceu eu me troquei e fui até o colégio sem ânimo algum. Quando cheguei encontrei Ken no clube jardinagem.

-Ju você está melhor? - Ele começou a mexer em minha cabeça vendo todos os meus machucados, ele fica tão fofo quando está preocupado.

-Estou sim obrigada mas eu tenho que falar sério com você, quero que fique com isso - Entreguei o meu colar a ele

-N-nosso colar de casamento -Ele corou e sorriu para mim- Porque está me entregando isso? 

-É para você sempre se lembrar de mim -As lágrimas já escorriam pelos meus olhos.

-Você v-vai embora?- Eu concordei com a cabeça e nos abraçamos fortemente.

Flashback on

Eu e Ken estavamos brincando de pega pega no parque que tinha perto de nossa casa. Eu estava escondia atrás da árvore até que sinto alguém tocar em meu ombro.

-Está com você - Ken saiu correndo e rindo da minha cara.

Como todo fim de tarde nos fomos até a sorveteria da esquina, todos os dias eu pegava o sorvete de chocolate e Ken o de morango.

-Espera ai que eu já volto- Ele entrou em um mercadinho ali perto e depois de um tempinho voltou com duas balas na mão.

-Comprei uma para você- Ele me entregou- Uma veio um apito e a outra um anel.

-Esse anel não é aquela coisa que as pessoas usam quando se casam- Eu disse enquanto ele me mostrava o anel e o apito.

-Juju vamos casar? - Ele disse com um grande sorriso no rosto.

-Vamos - Eu respondi animada.

-Juju você aceita ser minha amiga para sempre?- Ele me entregou o anel.

-Sim e você?

-Também, juro de dedinho -Juntamos nossos dedos.

Flashback off

-Eu não queria ir mas meu pai me obrigou- Nos dois choravamos juntos

-Vou sentir muito a sua falta- Ele me abraçou mais forte

Depois de muito tempo nos separamos, eu tinha que ir para casa terminar de arrumar tudo.

-Adeus Ken vou sentir sua falta - Eu disse limpando umalágrima que ameaçava cair

-Isso não é um adeus Ju, é apenas um até logo

Nos abraçamos uma última vez e cada um foi para seu lado.



Notas Finais


Obrigada por ler até aqui sz
Desculpe os erros ortográficos

Frase de hoje:
" A vida me ensinou a dizer adeus às pessoas que amo, sem tirá-las do meu coração"

Músicas:
Broken-Lund
4U- Blackbear

(Sim hoje estou na bad)
Até o próximo cap
Bjs neon


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...