História Shame - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias TWICE
Personagens Chaeyoung, Dahyun, Jihyo, Jungyeon, Mina, Momo, Nayeon, Personagens Originais, Sana, Tzuyu
Tags Chaeyoung, Choki, Dahyun, Jeongyeon, Jihyo, Mina, Momo, Nayeon, Samo, Sana, Temmaisshipp, Twice, Tzuyu
Visualizações 33
Palavras 2.912
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Escolar, Famí­lia, FemmeSlash, Festa, Fluffy, Romance e Novela, Shoujo-Ai, Yuri
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu nem sei como se pronuncia esse nome no capítulo de hoje... Eu peguei da Internet minha gente.

Não postei capítulo para essa fanfic apenas dois dias, então please, não me matem ainda.

Paciência para aqueles que estão pensando "Porra, 3k de palavras man" Eu também tenho que ler isso tudo junto com vocês, então... Vamos dar uma forcinha.

Ah, dei um passo arriscado para com o enredo, mas está de acordo com o plot, então, desculpem qualquer coisa.

Boa leitura, Chokilates \(0.0)/
(Que merda é essa?)

Capítulo 3 - A filha do Ibrahimovic


Fanfic / Fanfiction Shame - Capítulo 3 - A filha do Ibrahimovic

ㅡ Vocês viram a garota nova? ㅡ perguntava uma aluna na fila ao lado logo um pouco atrás. Franzi o cenho ainda olhando para meu mangá, porém prestando um pouco a mais de atenção na conversa sem querer.


ㅡ Aquela loira que estava andando com a supervisora? ㅡ perguntou a outra.


ㅡ Hm! ㅡ afirmou a primeira. ㅡ Ela é tão bonita… ㅡ suspirou provavelmente se apoiando em algum lugar pensando na menina que estava falando.


ㅡ Ah ㅡ prolongou sonhadora. ㅡ Espero que ela fique aqui para eu poder olhar para aquela cara todo dia de manhã.


ㅡ Mas só temos aulas nos dias da semana.


ㅡ Sábado e domingo também são dias da semana sua tonta.


ㅡ ‘Tá, mas não tem aula esses dias, besta.


ㅡ Quê se dane, eu quero é ver a beleza dela todos os dias que eu puder.


Revirei os olhos e tentei me focar na leitura, mas era difícil pois elas estavam próximas e conversavam um pouco alto.


ㅡ De quem vocês estão comentando, meninas? ㅡ chegou uma terceira.


ㅡ Da arroba, querida. ㅡ respondeu a segunda.


ㅡ Tenho vontade de sentar enquanto ela anda pelo corredor. ㅡ admitiu a primeira.


ㅡ Está andando de boas e tropeça na rainha ㅡ começou a simular a segunda. ㅡ “Ops! Desculpa, acho que te dei um sentada”.


As meninas riram. Que idiotice.


ㅡ Adoraria usar como cadeira. Ficaria a aula todinha sem me levantar. ㅡ foi a primeira.


ㅡ Sem se levantar por ter virado aleijada pela arroba, né flor. ㅡ terceira.


ㅡ Caramba ㅡ riram elas.


Bufei e enfiei a cara no meu mangá.


ㅡ Deus, se tu existe, faz esses entulhos fecharem a boca. ㅡ resmunguei abafado.


ㅡ Bom dia, garotas. ㅡ chegou a professora.


ㅡ AMÉM! Sempre soube que Deus existia! ㅡ minha comemoração foi um pouco mais alta do que eu pensava que seria, isso atraiu a atenção de algumas pessoas, mas eu relevei e tentei assobiar baixinho para pensarem que não tinha sido eu. Eu não sei assobiar, então eu só fiz um bico e usei a minha voz fininha.


ㅡ Minatozaki? ㅡ chamou a professora Liu.


ㅡ Sim, Senhorita Liu? ㅡ voltei minha atenção para ela.


ㅡ Poderia me fazer o favor de encher meus pilotos? ㅡ perguntou Amber, a professora. ㅡ Eu passei pela secretaria, mas acabei esquecendo.


ㅡ Ah, claro que sim. ㅡ concordei e me levantei pegando seus pilotos de sua mão e indo para fora de sala a caminho da secretaria.


ㅡ Obrigada, meu anjo.


Via ao longe, a tal supervisora pelos corredores e mostrando a escola para a mesma menina de hoje cedo, a Momo. Talvez aquelas perebentas estivessem falando dela lá na sala. Relevei. Meu assunto é outro.


Ao chegar na secretaria, fui atendida por Sooyoung. Eu estava mesmo querendo dar um leve papo com ela.


ㅡ Oh, soube que você vai abandonar o emprego e virar atriz. ㅡ brinquei com a notícia.


ㅡ Ué, quem falou isso para você?


ㅡ Um porco rosa.


ㅡ A Tiffany?


ㅡ … Um porco rosa. ㅡ repeti fazendo a mais velha deixar um leve riso. Tão linda. ㅡ Mas é verdade?


ㅡ Não é tão sério assim. ㅡ admitiu ela. ㅡ O pai da sua amiga, Im Nayeon, viu que tenho um dom e que sou bonita para ficar apenas escondida em uma secretaria.


ㅡ Ele deu em cima de você? ㅡ perguntei incrédula.


ㅡ Não, Sana ㅡ ela riu. ㅡ Bom, eu espero que não.


ㅡ Eu também espero que não. ㅡ estreitei os olhos a olhando e isso a fez rir.


ㅡ Você sabe que eu gosto de moças e não de rapazes, não é? ㅡ ergui as sobrancelhas.


ㅡ Como eu não saberia? Um cheiro de couro desses bicho. ㅡ brinquei com o termo de “sapatão”.


ㅡ Me respeita, menina. ㅡ ela continuou a rir e depois me entregou os pilotos já cheios. ㅡ Aproveitando que você está aqui… Quando voltar para a sua sala, manda um “oi” para a Amber para mim? ㅡ ela piscou abaixando um pouco a cabeça. ㅡ caramba que mulherão.


ㅡ A-ah, claro. ㅡ peguei os pilotos que ela me estendia e saí dali. Sooyoung é realmente muito linda para ficar só mexendo em um computador na secretaria. Só de imaginar o olhar dela, eu fico só o pão que Judas comeu na última Ceia.


Voltando para a sala, entrei os pilotos da professora tomboy e percebi a turma um pouco estranha. Só então percebi que a cadeira dos fundos estava ocupada. Não era perto de onde eu sento, mas eu percebi a diferença.


ㅡ Ah, Minatozaki, aquela é a nova aluna. A nova colega de classe. ㅡ indicou Amber para Momo. Eu não esperava que ela iria vir para a mesma sala que a minha. Agora estou me sentindo seguida a manhã inteira pela menina. Primeiro na janela assim que acordei, depois, na rua pegando uma carona com seu avô… Na mesma escola e agora, na mesma sala. Não sei se ela está se sentindo da mesma forma, mas espero que ela não ache que seja eu que estou lhe seguindo.


ㅡ Ah, sim… ㅡ virei minha atenção para a senhorita Liu e dei-lhe o recado da Sooyoung antes que esquecesse. ㅡ A senhorita Soo lhe mandou uma saudação. ㅡ lhe disse e ela levantou as sobrancelhas como se estivesse surpresa. Não era segredo que Amber fosse admirada tão arduamente, mas ela tratava todo mundo igualmente, com a exceção de uma das professoras, mas deixaremos isso em off. Me direcionei para a novata ㅡ Dou-lhe as boas vindas. ㅡ falei ainda perto da professora e em seguida, fui para a minha carteira me aquietando de vez nela.


A aula enfim, teve seu início. Eu anotava tudo o que a Liu colocava na lousa e às vezes, acrescentava algumas anotações em minha agenda com o que ela explicava. Tinha que ficar ainda mais atenta à ela, pois sua matéria era o justo inglês ao qual eu tenho um tanto de dificuldade.


Acho que meu problema, é por conta de que o inglês oriental e o inglês ocidental têm pronúncias diferentes. Acho que tanto um quanto o outro, estão certos, basta saber interpretar.



Bem, foi assim que eu conheci a Hirai. Foi assim que tivemos nossos primeiros contatos. De manhã cedo, ela acordava às seis em ponto, mexia no celular por cinco minutos e após isso, iria fazer o que mais ela deveria fazer antes de sair para à escola com o avô às seis e quarenta e cinco. Eu e a Nayeon nunca mais entramos naquele automóvel novamente, pois nós havíamos combinado de sair antes para evitar de sermos avistadas pelo idoso; Deste modo, sabíamos que tínhamos também nos livrado de muitas conversas constrangedoras. Era assustador como nosso vizinho nos observava, mas talvez ele não fizesse aquilo por mal.


Alguns meses se passavam e era sempre a mesma rotina. Momo ficara popular por conta de sua beleza e personalidade. Ela se encaixava com seu grupo de amigos e algumas vezes eu a via passando pelo corredor, ela até chegava a me ver, mas me ignorava como se não me conhecesse. Ela não precisava lembrar de uma nerd que se foca nos estudos.



Eu estava de volta para aquela mesa de bar, limpava para deixá-la brilhando como catarro na parede.


ㅡ O que planeja fazer, Minatozaki? ㅡ perguntava Nayeon me fazendo voltar para a terra e desviando meus pensamentos dos meses que se passaram.


ㅡ Uh? ㅡ levantei a sobrancelha para ela mostrando que eu não estava prestando atenção no que ela falava antes.


ㅡ Digo, você tem notas ótimas e é como se fosse a melhor aluna da escola. ㅡ disse ela secando um copo de vidro. Chaeyoung estava do outro lado da bancada e olhava para ela para prestar atenção no que a mais velha dizia. ㅡ Você só precisa achar um cara decente para casar e ter seu emprego.


ㅡ Verdade, no terceiro ano, tem uns dois garotos que gosta de você. ㅡ falou Chaeng agora olhando para mim.


ㅡ Um cara para casar?... ㅡ fiz uma cara de azedo desviando e voltando a passar o pano sob a bancada.


ㅡ É ué… Você não era a “hétero” do rolê? ㅡ questionou a mais velha guardando o copo no espaço abaixo.


ㅡ Quê? Eu nunca fui hétero, Nayeonnie. ㅡ falei lhe olhando com o cenho franzido.


ㅡ Fica quieta, Sabá, você nunca pegou nenhuma menina. ㅡ Chaenggie revirou os olhos.


ㅡ E você? Já beijou alguma? ㅡ rebati.


ㅡ Sai do chão que agora é briga de camundongos! ㅡ a unnie brincou conosco.


ㅡ Ava… ㅡ debochei.


ㅡ Ué, você está irritada? ㅡ perguntou Chaeyoung apoiando a cabeça na mão.


ㅡ Não, eu não estou.


ㅡ Foi por causa que começamos a falar sobre sexualidade, Sana-ya? Isso te deixa sensível? ㅡ Nayeon continuou brincando.


ㅡ Aff, não. ㅡ disse eu terminando meu serviço. ㅡ Acho que estou só ficando tensa.


ㅡ Tensa com o que, ué? ㅡ a Son me olhou.


Apenas suspirei. Não, eu não tinha muitos motivos para ficar tensa, pois era esforçada, mantinha boas notas, tinha um emprego por mais que eu não gostasse do que era e não estava mal de saúde.


ㅡ Acho que você deveria pegar alguém. ㅡ comentou Im seriamente e pegou uma bebida servindo um rapaz qualquer.


ㅡ Hm, vai que dá certo… Ela até é bonitinha, não é Nay? ㅡ revirei os olhos para o que a menor falara.


ㅡ O que estraga é esse nariz que parece uma seta apontada para baixo.


ㅡ Filhote do Billy da Cartoon Network. ㅡ A Son me vaiava e a Nayeon entrou na brincadeira também.


ㅡ Gonzo dos Muppets.


ㅡ Gargamel dos Smurfs.


ㅡ Mr. Meany do Pica Pau.


ㅡ Lula Molusco


ㅡ Dick Vigarista.


ㅡ Dá pra parar? ㅡ pedi.


ㅡ Claro, mas só depois que tu ajeitar esse caroço aí. ㅡ disse Chaeyoung.


ㅡ Deixa que eu faço, é só esperar uma garrafa secar que eu quebro na ‘venta dela.


ㅡ Credo, ela vai ficar parecendo o Red Skull!


ㅡ Valdemar. ㅡ Nayeon corrigiu a menor.


ㅡ É Voldemort e não Valdemar, sua anta! ㅡ berrou Chaeyoung.


ㅡ Foda-se, se eu quiser, eu chamo de Wingardium Leviosa que você não vai poder fazer nada. ㅡ a tomboy fez uma expressão de tédio.


Balancei a cabeça negativamente com um sorriso alinhado nos lábios. Era uma dor de cabeça essas duas juntas, porém, era a melhor companhia que eu poderia pedir.


ㅡ Agora vem cá, Sana-ya, vamos ver seus ângulos. ㅡ Chamou a unnie querendo que eu me aproximasse ainda mais.


ㅡ Eu mesma não, sai pra lá, Bob Esponja.


ㅡ Único ângulo que ela tem é o que você falou, a seta pra baixo. ㅡ falou a Son rindo.


ㅡ Deixa de ser medrosa, Sana. Com um nariz assim você pode ganhar um papel para fazer o Santos do Programa do Ratinho.


ㅡ Você ganha quanto por mês para me gongar diariamente? ㅡ perguntei.


ㅡ Isso não importa, o que importa é que você fique quieta quando eu fizer a plástica nesse Monte Everest,  porque se não der certo, Você vai ficar parecida com o Caveira Vermelha da Marvel.


ㅡ Red Skull, unnie!!! ㅡ Son a corrigiu.


ㅡ Foda-se ele também. Sana ficará mais horrível que o fruto do amor entre o Exterminador do Futuro e o Fofão.


ㅡ Vocês bem que poderiam ficar quietas no nosso período de trabalho. ㅡ pedi.


ㅡ Eu nem trabalho aqui. ㅡ Chaeng se defendeu.


ㅡ Estou me referindo mais a Nayeon,meu anjo. ㅡ falei olhando para a menor.


Nayeon balançou a cabeça e ficou observando as pessoas da pista de dança enquanto não vinha nenhum cliente.


Chaeyoung que estava mais próxima de Nayeon, saiu de seu lugar e veio para uma cadeira mais perto de mim.


ㅡ Sana-ya, poderia me ajudar em uma coisinha básica? ㅡ perguntou a menor falando mais próxima de mim para que Nayeon não ouça.


ㅡ Credo, Chaeyoung. ㅡ fiz cara de reprovação.


ㅡ O que foi, unnie? ㅡ ela levantou as sobrancelhas.


ㅡ Que mal hálito do caramba, bebê. ㅡ reclamei e ela tentou sentir o próprio hálito. ㅡ Está pior que os pum da Nayeonnie quando come filé a parmegiana acompanhado de Guaraná São José.


ㅡ Credo, unnie…


ㅡ Pega, isso vai ajudar a acalmar esse pântano do Shrek. ㅡ tirei no bolso direito uma embalagem de Trident sabor hortelã, por apenas 1,50 R$ - Tem que fazer o comercial para os patrocinadores - e dei um para ela.


ㅡ Obrigada… ㅡ ela colocou na boca.


ㅡ Agora fale o que você queria falar.


ㅡ Ah, é… Eu estava pensando em falar com a crush da Nay.


ㅡ Como assim? ㅡ franzi o cenho.


ㅡ Hm… Queria fazer uma cartinha e enviar pra ela como anônimo, e na carta, estaria um local para elas se encontrarem.


ㅡ Daí você chamaria a Nay para ir para esse tal lugar mas acabaria furando com ela para ficar só elas duas? ㅡ questionei.


ㅡ Sim. ㅡ afirmou com a cabeça também.


ㅡ Isso não vai dar certo.


ㅡ Por que não?


ㅡ Porque a Nayeonnie, do jeito que é, assim que ver a menina, vai ficar toda nervosa e vai embora.


ㅡ Mas e se eu disser que é para comer algo que ela gosta?


Comecei a rir.


ㅡ Você quis dizer… Comer a Mina? ㅡ perguntei em tom de riso.


ㅡ Unnie, sua pervertida! ㅡ Chaeng me deu um tapa no braço.


ㅡ Aí! Calma filhote de Smurf, você é pequena mas tem força, Chaenggie. ㅡ fiz beiço.


ㅡ Bem feito.


ㅡ Mas de qualquer forma, a Mina não presta, meu bem. Acha mesmo que ela iria gastar gasolina por causa de um bilhetinho?


ㅡ Mas e se fosse algo do interesse dela? ㅡ perguntou ingênua.


ㅡ Você não a conhece para saber dos interesses dela, Chaenggie. E outra, ela iria carregar a tropinha dela. Aquilo é que nem formiga que onde vai um, os outros seguem.


ㅡ Sana… ㅡ chamou Nayeon é olhamos para ela que ainda se mantivera olhando para um ponto na pista de dança. ㅡ Aquela não é a nossa vizinha? ㅡ indicou com o queixo.


ㅡ A Hirai? ㅡ perguntei.


ㅡ Hirai Momo? A famosinha da escola?


ㅡ Ela mesma. ㅡ Nayeon franziu o cenho e nós olhamos para o mesmo lugar que ela a procura de onde a menina referida estava.


ㅡ O que ela está fazendo aqui? ㅡ perguntou Chaeyoung. ㅡ Achei que tivesse uns dezesseis anos.


ㅡ Você também não tem idade para estar aqui, mas mesmo assim entrou, Chaeng. ㅡ falei.


ㅡ Ah, ela está com os “amiguinhos” populares da escola. ㅡ disse a Nay.


ㅡ Já estou prevendo a merda… ㅡ Chaeng passou a mão pelos cabelos dizendo. ㅡ Ela está vindo pra cá.


ㅡ O QUE??? ㅡ arregalei os olhos e me abaixei indo rapidamente para debaixo do balcão.


ㅡ Votz… Que porra é essa, Sana? ㅡ a unnie estranhou minha reação.


ㅡ Olha a boca, porra, a Chaeyoung está aqui! ㅡ a Son indicou a si mesma e Nayeon revirou os olhos.


ㅡ E aí, meninas. ㅡ não era a voz da Momo, mas sim de uma de suas amigas.


ㅡ O-o-oi, Mina… ㅡ Nayeon gaguejou. Balancei a cabeça e me condenei por ter sido a logo aquela menina para ser atendida. ㅡ O-o que d-deseja t-t-tomar? ㅡ as pernas da Nay tremiam mais que máquina de lavar e tive que segurar o riso. Só faltava ela soltar o mijão na minha cara.


ㅡ Qual é a variedade de bebidas daqui?


ㅡ Vocês nunca vieram aqui? ㅡ perguntou a Son.


ㅡ Hm... Não, não, estamos aproveitando para dar uma explorada. ㅡ disse Momo. Provavelmente eram só elas duas ali, tirei minha prova disto quando encontrei um lugar liso que espelhava o lugar em que estavam, mas o jogo de luz da boate não ajudava muito. ㅡ Hoje a festa vai ser das grandes. Começaremos aqui e depois vamos para a minha casa. Os funcionários da loja de bebidas perto da minha casa, conhecem meus avós, e eles não gostariam de saber sobre o que estamos fazendo quando não estão em casa. Além disso, a Mina quer me ensinar quais são as boas bebidas. Vamos fazer uma introdução aqui.


Vi pelo reflexo que a Myoui concordava com a cabeça como se achasse a maioral dali. Não acredito que a Nay foi logo gamar nessa aí. Olhei para cima e vi uma Im Nayeon sedenta babar pela crush.


ㅡ Aff… ㅡ murmurei baixo.


ㅡ Err, mas vocês sabem que não são vendidas as garrafas ass- ㅡ Chaeyoung começou a falar mais a Nay a interrompeu.


ㅡ Calada, pirralha… ㅡ A mais velha repreendeu a menor e voltou a sorrir forçado para não se cagar ali mesmo na presença da Mina.


ㅡ Ah, se for assim, tem um “cardápio” básico bem ali. ㅡ Chaenggie indicou para as bebidas na parede atrás de Nayeon. Levei a mão a boca para não rir em pensar que talvez a Son esteja se indicando em direção a Nayeon, a fazendo assim, como cardápio de modo indireto.


ㅡ Certo… ㅡ A Myoui se curvou sob o balcão colocando os cotovelos neste e acho que estreitou os olhos para ver melhor. ㅡ Bacardi 151… Hm... Vodka Devil Springs e Sunset Rum. Me dê cinco garrafas de cada, o galera vai trazer mais, então não precisamos comprar tantas.


ㅡ Hm… T-tem certeza q-que vai querer todas essas? São um p-pouco pesadas. ㅡ Nem preciso falar que foi a Nayeon que disse isso.


ㅡ Claro, temos um tempo até chegar na casa dos avós da Momo. ㅡ a voz da Myoui era maligna. Ela estava armando alguma. ㅡ Apenas separe as bebidas, pois vamos querer tudo no ponto quando nós formos embora. Os rapazes vão chegar logo logo. ㅡ Mina deixou uma nota de valor em cima do balcão arrastando para debaixo da mão da Nayeon, cujo, mesma que seguiu a ação da mais nova com o olhar. ㅡ Bom trabalho. ㅡ desejou e foi embora. Relaxei os ombros aliviada e soltei o ar encostando a cabeça na parte de trás do balcão, pois ali era fechado.


ㅡ Santa God Jihyo…


ㅡ Okay, agora sai daí, filha do Ibrahimovic.


Notas Finais


Ibr... alguma coisa, é um jogador de futebol que tem um nariz grande.

Levem na zoeira gente, please!

Minayeon? Hm...

Continua? Vocês decidem.

Jya ne?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...