História Shape Of You - Camren - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Personagens Originais
Tags Camren, Comedia, Drama, Romance
Visualizações 636
Palavras 1.103
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura hehe

Capítulo 23 - Capitulo 23


P.O.V  Lauren

Na hora que chegamos no térreo a minha boca foi parar no chão com a imagem da minha frente, eu nem acreditava no que via. Uma paciente está a beira de cometer um suicídio mas não é qualquer  paciente e sim uma garotinha de 10 anos que mal sabe direito sobre essas coisas, eu estava incrédula com aquilo. Bea Miller não sabe direito sobre a sua vida e a Camila tem um enorme carinho por ela, então imagina a seguinte imagem a minha frente.

 Camila caiu de joelhos no chão com a cara banhada em choro vendo a sua pequena paciente a beira de cair. Meu coração doeu com aquilo, eu realmente nunca vi a doutora chorando daquele jeito, é de partir o coração. Chamei por ela mas nada dizia, apenas chorava chamando pela pequena que não dava a mínima apenas olhava para o horizonte. Os guardas estão parados esperando por alguma reação, nem eles sabiam o que fazer. Dei pequenos passos parando ao lado daquela latina que não tinha forças para se levantar.

- Camila? – Chamei mas não obtive respostas – Se acalme, nada vai acontecer.

- N-não deixa a Bea...pular- Soluçou – Por favor.

- Se acalme amor – Dessa eu vez eu sussurrei – Nada de mal vai acontecer.

Me afastei da latina deixando-a em prantos ali naquele chão, era hora de eu agir já que ninguém mais conseguia. Olhei para todos os lados vendo todo mundo parado em choque, realmente é uma triste realidade. Onde já se viu uma garotinha querendo cometer um suicídio, ela é tão inteligente para a sua idade. Caminhei em passos lentos, a cada passo que eu dava era uma lufada de ar que eu soltava. Minhas mãos tremiam, meu corpo suava frio e o ar ia se acabando de mim, é como se eu me visse no lugar de Bea Miller. É tipo uma representação, eu comecei a ficar fraca mas quando dei mais um passo ela finalmente se pronunciou.

- Não chegue perto de mim!

- Bea – A chamei parando no lugar – Você não é assim, não pode fazer isso.

- Me de uma razão para eu não fazer isso – Eu ainda não tinha visto o seu rosto apenas via suas costas e a sua voz embargada – Eu estou cansada dessa merda toda.

- Não é só você que está cansada, eu também estou – Minha voz soava calma até – Estou cansada de saber que todos aponta o dedo e me criticam, as pessoas acham fácil fazer isso mas é difícil de ouvir o meu passado.

- As pessoas acham que sou uma garotinha boba, mas não sou.

- Isso é só um momento de fraqueza – Consegui dar mais um passo – Você não é boba, você é uma pessoa incrível.

- Como sabe? Você não me deixou chegar perto e muito menos falar com você – Bea acusou – Como sabe que sou incrível? Isso é uma grande mentira.

- Você é muito esperta para a sua idade porem está completamente errada nesse momento – Suspirei – Eu sou uma pessoa antissocial que não quer se socializar com ninguém mas eu sempre fico de olho nas pessoas, principalmente em você, eu vejo quando está sorrindo grande principalmente para a Camila. Aquela doutora te ama e te trata como filha, eu sei disso tudo.

- Eu adoro a Mila – Bea fungou – Ela é a melhor pessoa que eu conheci.

- Então deixa ela cuidar de você – Implorei – Não faça isso.

- Lauren me escute – Ela continuou de costas para mim – Você nunca vi me entender, não basta só ter a Mila em minha vida, porque eu quero mais quer isso. Eu quero ter uma família que realmente me ama.

- Você quer dizer...

- A minha família verdadeira não me ama.

Bea começou a chorar alto quando soltou aquilo, as lagrimas escorriam pelo meu rosto e eu não tinha como rebater aquilo. Foi como se algumas coisas passassem pela minha cabeça me deixando muda, ouvi passos e finalmente a Camila estava do meu lado. Seus olhos vermelhos ainda derramando lagrimas, seu corpo tremia. Eu queria abraça-la mas não podia, não na frente daqueles guardas e funcionários.

- Bea – Camila chamou e a pequena estremeceu – Todos passam por fases difíceis, eu já tive as minhas mas uma hora nós acaba esquecendo.

- Mas você não tem uma família que te odeia, eles te amam.

- Mas você esqueceu de uma coisa-  Camila foi firme – Eu te amo, eu sou a sua família.

- E-eu amo você Mila – Bea gaguejou – É que você realmente não me entende, você não fica 24h comigo para saber o que eu passo nessa clinica – A pequena revelou – Eu sofro no meu quarto, os funcionários me batem e vivem me sedando. Isso tudo piorou quando você começou a ficar mais em casa.

- COMO É? – Camila gritou sem acreditar, sorte que os guardas estavam afastados e não ouviram a loira dizer tudo aquilo.

- Eu juro que vou matar aqueles infelizes – Fechei minhas mãos em punhos – Me diga quem fez isso com você?

- Esqueça isso – Bea finalmente nos olhou.

- Bea por favor não faça isso, não pule – Camila se aproximou dela – Eu te amo muito, prometo que vou conseguir te tirar daqui e vou querer você como minha filha. Vou te dar amor como ninguém nunca fez, eu vou ser uma mãe que você sempre sonhou. Eu quero estar do seu lado em todos os momentos, seja os maus e os bens, como eu estou fazendo agora. Você só precisa ser forte o suficiente para esquecer todos os problemas e vir para os meus braços.

- É s-sério? – Bea arregalou os olhos começando a ficar feliz.

- Eu te amo minha princesa.

Pela primeira vez depois daquele drama, a Bea Miller sorriu largamente. Eu corri em sua direção pegando-a no colo para tirar daquela beirada antes que algo trágico aconteça. A pequena riu em meus braços, eu fiz uma coisa que não é muito de se ver eu fazendo. Eu apenas faço com a doutora, beijei a testa da loirinha que fechou os olhos aproveitando aquele contato. Então pousei ela no chão de frente para a latina que a agarrou num abraço firme e forte.

- Eu te amo mamãe – Miller sussurrou no ouvido da latina mas eu ouvi por estar perto – Eu confio em você.

- Obrigada por não ter pulado minha bebê, eu não aguentaria ficar sem você.

- Hey pequena – Acariciei os cabelos loiros – Eu estou com você do seu lado, sei que não sou uma pessoa boa mas eu vou me esforçar.

- Você é incrível. Obrigada por não me deixarem pular.


Notas Finais


Yaaay


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...