História Shattered (Vernon - Seventeen) - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Kim Mingyu, Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Personagens Originais, Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Wen Junhui "JUN", Xu Ming Hao "THE8"
Tags Hancheol, Hansol, Hansol Vernon, Imagine Vernon, Jeongcheol, Jeonghan, Jicheol, Jihan, Jihancheol, Joshua, Junhao, Meanie, Mingyu, Scoups, Seungcheol, Seungkwan, Soonhoon, Soonseok, Verkwan, Vernon, Wonwoo, Woozi
Exibições 108
Palavras 1.074
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


I want you to be my night ♪

Capítulo 10 - IX - I wanna be your morning baby


Fanfic / Fanfiction Shattered (Vernon - Seventeen) - Capítulo 10 - IX - I wanna be your morning baby

- N-não contem a ninguém – dizia entre soluços – Não quero ser conhecida como a coitadinha que teve uma vida difícil.

- Eu quero que confies em mim - afegava-me o cabelo – Já sabes como o Jeonghan é, mas, no que depender de mim, não vai soltar nem uma palavra. Prometo.

Vernon esticou-me o mindinho como forma de promessa, tal ato conseguiu fazer com que eu rasgasse um pequeno sorriso... Eram 5 da manhã, encontrávamo-nos sentados no meio do chão da sua sala escura devido a ainda não ter amanhecido.

Tinha passado as últimas horas a chorar nos seus braços. Graças a Deus Seungcheol tinha passado a noite fora, além de não querer que me visse naquele estado também não queria que fizesse presunções sobre mim e Hansol como da última vez...

Dirigi-me a Vernon sem pensar, permiti que me visse assim. Eu estava lentamente a voltar a um estado que apenas Kaya conhecera e a aproximação que começava a ter com Vernon deixava-me receosa. Tudo em mim doía, mas acabei por me habituar a isso. E se esta dor, de certa forma, fosse contagiosa para ele?

Lutei contra os meus pensamentos e finalmente apercebi-me da situação em que me encontrava. A face de Vernon estava a poucos centímetros da minha, observando os meus olhos húmidos. Conseguia ver todos os seus detalhes, não existia nem uma pequena imperfeição. A vergonha tomava agora conta de mim.

- Vem, tive uma ideia. - afirmou entusiamado, puxando-me para fora daquela casa.

Não fazia a mínima ideia para onde me levava, mas sentia-me segura. Sempre me senti segura com ele. Mesmo desde a primeira vez que o conheci, ao entrar no carro de um estranho num novo país.

Enfiou-me outra vez dentro desse mesmo carro e segurava a minha mão enquanto conduzia. O que é que este rapaz me estava a fazer? Havia um misto de sentimentos dentro de mim.

Algum tempo de depois comecei a sentir a brisa do mar, e, assim que parámos, olhei para Vernon com os olhos brilhantes. Devia de parecer uma criança...

- Achei que devíamos de observar o sol a nascer – não conseguia parar de sorrir.

- Antes de vir para a Coreia do Sul morava bem perto do mar, era uma das poucas coisas que me fazia sentir feliz. Eu deixava-me ir com a ondas... - caminhámos em direção da água.

- Sabes, és um pouco parecida com o oceano. - olhei para ele desconfiada – O fundo é escuro e poucos se aproximam, mas eu não tenho medo... Na superfície tanto pode estar calmo e apaixonar as pessoas como pode estar bravo e assustá-las... Eu devo ser louco, porque esse lado assustador é o que mais me fez ter vontade de proteger.

Senti-o a aproximar-se e afastei-me assustada. Fiquei sem saber o que dizer, o que sentir... O meu coração queria saltar do meu peito. Olhei fixamente para o mar e respirei fundo.

- Hansol... Obrigada... Por tudo.

Puxei-o pelo colarinho para um beijo, havia recusado o pensamento do quanto eu queria aquilo mas não podia mais enganar-me a mim própria.

Os nossos lábios tocavam-se suavemente entre sorrisos e risos. Separámo-nos, acariciou-me o rosto e eu peguei-lhe na mão de forma a que sentisse o meu coração a bater. Os nossos olhos reluzentes encontraram-se e Vernon voltou a beijar-me.

 

~❇~

 

Estava no auditório com Seungkwan, falávamos de coisas aleatórias, cantávamos, dançávamos... Se nos queríamos distrair e passar um bom momento era sem dúvida com ele.

 Alguns dias passaram desde aquele beijo, eu e Vernon apenas nos falámos como amigos entretanto. Contudo, pensava agora sobre a relação que ele e Seungkwan costumavam ter, ou ainda tinham..

- Porque é que estás a olhar para mim assim?

- Desculpa, nem reparei...

- Algo ocupa essa mente? - despenteou-me de forma carinhosa – Será o Hansol?

- Q-quê? - sentia o meu rosto a começar a aquecer.

- Emori, ele é o meu melhor amigo. O que tu não me contas ele faz questão disso! - prosseguiu imitando a voz de Vernon de uma forma ridícula – ''Não existem palavras para descrever o que senti com aquele beijo... É diferente beijar alguém só porque é atraente do que quando gostas realmente dessa pessoa.''

- Estás a inventar! - soltei uma gargalhada devido à imitação - Ultimamente ele anda a sair-se com cada uma...

- Juro-te que ele disse mesmo isso. O que é que queres? Apaixonou-se pela primeira vez... – deu um sorriso contido, o que me deixou um pouco preocupada – Como é andam por aí como se nada tivesse acontecido?

- Não sei, Seungkwan... É de uma forma estranha confortável. Há muita coisa na minha cabeça para além dele, e não o quero enrolar nas minhas complicações. Além disso, antes disto tudo o Woozi veio com uma conversa estranha que me fez pensar que gostava de mim. - oiço o toque da escola - Preciso de falar com ele, e não passa de hoje.

Despedi-me de Seungkwan e segui para as aulas. Tentava formular na minha cabeça como é que ia falar com Woozi mas por mais que planeasse não ia conseguir não magoá-lo... Ele era muito importante para mim, e era com quem mais me identificava.

O fim do dia chegou e segui para os dormitórios à procura do seu quarto. Encontrei a porta aberta e visualizei o pequeno no meio de papeis amachucados, à frente de um piano e ainda com um guitarra em cima.

Sentia-me tensa... Ganhei coragem, entrei e tossi para chamar a atenção.

- Emori! Já não te via à algum tempo... - tentou fazer algum espaço no meio daquela bagunça para que me sentasse.

- Digamos que a minha vida tornou-se numa confusão. Talvez não tão grande como a deste quarto!

- Bloqueio criativo... Escrevo uma letra para uma música mas logo apago.

Um silêncio constrangedor tomou conta daquele espaço, queria dizer alguma coisa mas nada saía da minha boca.

- Woozi...

- Espera. – fui interrompida com um beijo, porém, depressa se afastou – Ok, isto foi esquisito.

- Achas? - ambos rimos

- Foi como se tivesse beijado uma irmã...

Perdemo-nos no meio de gargalhadas. Felizmente não passou tudo de uma confusão na cabeça de Woozi.

Aquele momento que para muitos podia ter sido desagradável só reforçou mais a nossa amizade. Podíamos sempre pensar naquilo como uma história para contar, não tínhamos de nos sentir embaraçados. Um peso saiu de cima dos meus ombros e depressa voltámos a conversar como antes...


Notas Finais


Obrigada por todos os comentários <3 Muitas pessoas adicionaram à biblioteca mas não aos favoritos (?)
Espero que tenham gostado!
https://twitter.com/nefariousturtle


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...