História SHe - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Ally Brooks, Camila Cabello, Camren, Camreng!p, Dinah Jane Hansen, Fifth Harmony, Filhos, Lauren Jauregui, Laureng!p, Normani Hamilton, Norminah, Romance, Vercy
Exibições 166
Palavras 2.933
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Orange, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Desculpas pela demora, tem acontecido muitas coisas na família do meu primo e minha mãe que ajudar e aí tudo vira uma bola de neve que faz com que eu me meta na história e tenha que esbofetear alguém... enfim...

(2/2 part 1) a parte 2 ficou grande aí não terminei ainda e como eu não gosto de deixar ninguém esperando eu vou postar agora.

obs: O cap de BiTe vai sair no sábado por que estou tentando escrever ele, eu teria terminado mas sofri de bloqueio criativo.

Capítulo 6 - SHe 06


Fanfic / Fanfiction SHe - Capítulo 6 - SHe 06

Pov - Lauren


Eu e Camila estávamos na sala com a criança que estavam brincando com os presentes que Megan e Camila trouxeram para a minha sobrinha ou melhor nossa. Estranho né?

Até que perguntei pra ela se ela não queria ir ajudar nossas amigas e ela fitou meus olhos intensamente que senti um arrepio, quando ela desceu o olhar para minha boca senti vontade de beijar aquela boca linda dela.

Fiquei só na vontade mesmo por que isso não iria acontecer, depois de alguns segundos ela aceitou e fomos até a cozinha.

- Lauren me ajuda um pouquinho aqui e Amor arruma a mesa pra nós?

Disse assim que entramos na cozinha, Dinah assentiu tirando o avental e deixando em cima da banca, Dinah beijou o pescoço de Maní e cochichou algo fazendo a sorrir e logo deixou um tapinha na nádega direita da morena.

- Você quem manda, Amor!

Disse toda sorridente para a morena que sorria toda corada, meu olhar foi rapidamente para Camila que sorria com a cena. Fui até Maní e começamos a conversar coisas bacias de trabalho, família e o furo de Vero. Veronica disse que não poderia ir por que estava em um rolo, ou seja, rabi de saia. Enquanto eu picava alguns tomates, ou melhor tentava picar. Meus olhos estavam em uma certa latina do outro lado da bancada que pegava algum pratos no armário de cima, ela se esticou toda para pegar. Eu poderia ir ajudar mas a visão da bunda dela naquela calça jeans branca a deixava muito gostosa, e aquele cropped me proporcionava uma visão de sua cintura.

Deus por que tão gossstosa? Com quantos S for preciso.

- Conseguí!

Disse assim que pegou alguns pratos e foi puxada por Dinah para a sala de jantar. Acho que fiquei um pouco excitada com aquela cena e isso que ela não fez nada além de ficar de costas pra mim.

De costas pra mim!

Isso era um perigo para uma mera mortal como eu que não transa a meses.

- Será que dá pra parar de secar a Camila? cara de pau.

Olhei para Maní que tinha uma expressão de quem iria rir mas se segurou e logo me bateu com o pano de pratos que tinha no ombro.

- Não posso fazer nada, já viu aquela traseira é de matar.

Falei enquanto voltava a picar os tomates e Maní gargalhou, ela estava fazendo macarrão e eu estava picando os ingredientes para o molho.

- Eu pude ver as trocas de olhares de vocês e aquilo é intenso.

- Nem me fala.

Ficamos em silêncio por um tempo e agilizamos algumas coisas, Maní queria fazer macarrão com almôndegas e isso iria demorar, mas ela queria era conversar mesmo.

- Vai chamar ela pra sair?

- Claro, só que primeiro tenho que fazer ela confiar em mim.

- Isso é verdade, Dinah me contou o que Mila passou com o ex-namorado. Eu criei uma raiva desse cretino que nem sei o que faria se o visse, pra falar a verdade eu não faria nada porque nunca vi uma foto dele.

Maní falou com tanta raiva que até passou ela pra mim. Queria eu ter a conhecido naquela época, tenho certeza que hoje teríamos filhos lindo e ainda encomendando os próximos. Neguei com a cabeça e voltei a realidade.

- Nem me fala, mas a Dinah conhece o sujeito?

- Sim, mas ela nunca mostrou por que Camila a proibiu de mostrar a cara do idiota. Você acredita que ele não quis nem conhecer a menina e ainda disse que a filha não é dele.

Idiota, como não vai gostar de uma daquela bonequinha, ela é tão fofa do jeitinho dela. Ela até parece comigo quando tive nessa fase de skates.

- Megan é tão linda. Lembra quando comecei a praticar skate? Você e Vero também tentaram mas só eu peguei o jeito?

Maní gargalhou e já imaginei o que ela iria dizer.

- Você tinha um Crush louco na Suzanna, a garota radical. Cara o que te fez entrar naquela piscina?

Ela disse com um sorriso enorme no rosto. Naquela época eu não tinha coragem de chegar nas garotas, mas depois do short molhado na aula de natação tudo mudou e isso era legal para um lado e ruim para outro. Eu queria dar uns pegas na Suzanna más teria que fazer ela me notar. 

E assim eu comecei a fazer uma manobras legais que chamou atenção de algunas pessoas, eu me empolguei e comecei a fazer coisa mais impossíveis até que numa dessas eu fiz um 360 no ar e o skate voou dos meus pés fazendo eu cair na piscina, mas até aí tudo bem mas quando senti um puta golpe no meio das minhas pernas. O skate tinha voltado de Marte e acertou meu saco em cheio, até falei fino pelo resto da tarde.

- Não posso olhar para uma piscina vazia e um skate que meus saco volta a doer.

Ela gargalhou ainda mais, olhei pra mesma que mexia a panela.

- O engraçado foi o jeito que você andava, parecia que estava andando em cima de ovos, cada passo era calculado ou seja, você estava literalmente caminhando em cima de ovos.

Olhei pra ela e gargalhei também, e o pior foi que quando olhei no espelho em casa estava com o lado esquerdo roxo.

- O engraçado foi quando a Amy disse que queria fazer uma massagem em você no vestiário.

Ela disse assim que eu tomei um gole de vinho, irá ser o primeiro e o último gole por que estava dirigindo e com criança abordo. Assim que a ouvi quase cuspi o vinho. Amy... Primeira grude que eu fugia, depois dei uns pegas e recebi a primeira chupada.

- Para Maní, nunca me senti tão idiota como naquele dia.

- Repete o que você fez, eu sempre vou rir disso por mais que seja idiota.

Neguei com a cabeça era um pouco vergonhoso, mas Maní começou a insistir.

- Ok.

Falei já rindo e limpando as mãos no pano de pratos. Fui até a parede como se estivesse arrumando meu membros dentro da cueca e virei assim que alguém estivesse atrás de mim, a cena veio em minha mente e comecei a imitar a cena.

- Nossa Jauregui, isso tudo é de verdade mesmo?

Amy era uma das líderes de torcida bem assanhadas do colégio e isso me dava até medo, imagina se ela me estrupa aqui no banheiro?

- O...ooi Amy!

Gaguejei e coloquei minha mão na frente do meu amigo para que ela olhasse pra mim e não para meu amigo, mas isso fez ela se aproximar de mim e encarar aqueles olhos verdes claros.

- Fique com dó de ver você toda dolorida ontem.

Ela colocou as mãos em meu abdômen e começou a morder o labio e chegou bem perto e cheirou meu pescoço, gelei quando as mãos dela começaram a se mover na região do abdômen até a borda da minha cueca.

- Dios... Faz isso não, amiga... olha eu tenho que ir tá?

Falei nervosa e com o bichinho lá em baixo querendo se assanhar, tentei me afastar e senti ela puxar o cos da minha cueca e enfiou a mão la dentro pegando meu membro que estava sendo tocado por outras mãos que não fosse as minhas.

Então comecei a chorar, sim a chorar tipo nenem mesmo, de soluçar e... Pensei que ela  irá embora.

- Por favor, não faz isso não Amy... Eu não posso... Por mais... que você... Eu não gosto de... Aí...

A garota arregalou os olhos e tirou a mão de dentro da minha cueca e ficou me encarnado.

- Eu só queria te fazer uma massagem Laur... Vem cá, coloca esse roupas e me conta o que foi. Te levo pra sua casa e cuido de você.

Essa foi a pior idéia que tive na vida, a garota me levou em casa e ficou a metade da tarde me alisando.

- Você foi muito idiota de fazer isso, em vez de fugir, você chorou.

Maní gargalhou pela milésima vez enquanto eu imitava a Amy me alisando, a garota fez quase de tudo pra me chupar e eu tentando de todo os jeitos sair daquele sinuca de bico e nem meus pais estavam em casa e muito menos Chris que na época estava estudando de tarde.

- Eu pensei que se chorasse ela iria ir embora ou sei lá.

- Mas isso foi até bom pra você, por que depois disso vocês se pegaram no corredor e no vestiário. Credo tive que fazer assistir muito filme de terror para esquecer a cena dela chupando você no reservado.

- Fazer o que eu nunca tinha sido chupada na vida e nós estávamos ficando depois o acontecido. E você entrou lá por que quis.

Maní fez cara incrédula, apagando o fogão e pegando uma travessa para colocar o macarrão.

- A maldita porta do reservado estava escancarada, infeliz.

Disse rindo e atirando o pano de pratos  em mim, gargalhamos e fomos arrumar a comida.


- Até que enfim!!!

Dinah disse quando coloquei a travessa de macarrão com almôndegas em cima da mesa e Maní trouxe uma salada.

- Estamos com fome!

Disse a pequena Cabello e recebendo um olhar de reprovação de Camila.

- La- La- La - Lasanha anha- anha -anha...

Sam começou a cantar e fazer uma daninha enquanto Megan negava com a cabeça e Annie ria e acompanhava minha filha.

- Não é lasanha! Agora vão lavar as mãos.

Quando falei que não era Lasanha as três pequena me encaravam como se eu tivesse falado algo espantoso.

- MÁS POR QUE?

Se formou um uníssono das três pequenas que me fizeram rir junto das outras mulheres.

O jantar se arrastou normal entre conversas do passado, tudo bem calculado para não chegar em detalhes desagradáveis, as pequenas comeram bastante, até me admirei de Sam estar comendo algo diferente que não seja lasanha. Essa menina e essa mania de comer nem que seja um mini pedaço que seja no almoço ou na janta.

- Você viu Meg que a Vicky vai entrar naquela aula de luta.

Minha atenção saiu das mulheres mais velhas que falavam de seus novos empregos, e foi para as duas pequenas que conversavam enquanto comiam.

- Eu ouvi ela dizer que vai ser karate, isso é maneiro e muito irado. Acho que vou pedir pra mamãe me colocar nessa escola ou academia.

Megan parecia muito empolgada com o que falava e minha filha parecia adorar a idéia, o que me deixou preocupada imagina se minha bonequinha, meu bebe, minha coisa fofa queira fazer algo do tipo, ela não vai fazer isso nem que ela chore pelo resto do mês.

- Eu também vou!

Arregalei os olhos assim que ouvi a voz tão conhecida por mim a oito anos, meus olhos foram para minha princesinha que parecia tranquila e a única coisa que poderia disser.

- NÃO!

Eu disse mas ao mesmo tempo Megan também falou e nós duas nos olhamos fazendo um careta e voltamos a encarar a pequena Benson-Jauregui que parecia assustada com nossa reação assim como Camila, Norminah e Annie que pararam de conversar e observar nós três.

- O que foi?

Camila olhou pra filha e depois pra mim. A pequena Cabello negou com a cabeça encarando minha filha ao meu lado.

- Você não vai fazer Karate, Sam!

Megan reprende minha Sam que fez a cara de incrédula colocou a mão na cintura, franziu o cenho levantado a sobrancelha esquerda é muito eu essa menina. Mordi o labio para não rir das duas que se encaravam ou melhor, Sam encarava Meg que só sabia comer parecía que não se importava com o que Sam iria dizer.

- Você não é minha mãe!

Falou brava cruzando os braços e fazendo  um bico, Norminah só observava do outro lado da mesa, Annie sentava perto das mães parecía mais interessada na comida do que no mundo a sua volta, Camila que sentava no mesmo lado que eu só que as meninas estavam em nosso meio.

A latina tentava entender o que acontecia, seu olhar buscou o meu e levantou as mãos em forma de o que estava acontecendo, eu sorri e fiz sinal para ela ouvir.

- Mas sou sua melhor amiga "barra" irmã, Lembra? Então eu posso opinar no que você pode fazer.

A pequena Cabello soltou os talheres no prato e fez aspas com as mãos quando se referiu a "brarra", fazendo Sam bufar. Meg me representa aí mulher e faz minha filha mudar de idéia pelo amor de Deus.

Imagina minha bebe chegar em casa banguela, com a canela quebrada, com o corpo roxo ou... Melhor nem pensar nisso.

- Sam, vou ser bem sincera. Você é muito princesa e eu sou mais selva, estou acostumada a me ralar e você? hm?

Deixei uma risada sair e junto de mim veio Dinah que parecia mais atenta na conversa.

- Camila, corta a Internet dessa crianças é muito filme que ela anda assistindo, da onde você tirou isso Meg? Selva?

Dinah chamou atenção de Camila e Megan que a encaravam, a pequena Cabello arregalou os olhos quando Dinah falou em cortar Internet.

- Não dá idéia tia Diii, mama é muito má, a senhora ainda incentiva. Tia Maní ajuda, eu?

Disse incrédula fazendo bico, a meu Deus que bico mais fofo, com certeza esse bico é igual ao de Camila. Jesus faça ser.

- Não vou me meter nos seus assuntos minha pequena skaitista.

Maní se manifestou e sorriu quando a menina negou e voltou seu olhar para sua mãe.

- Mamãe, acho que vamos conversar em casa mesmo. Mudando de assunto...

- Por que a Vicky não gosta quando eu fico junto de vocês? Ela disse que você é só dela e eu não entendi, você bem que podia dizer que a gente é tipo irmãs e fazer ela brincar comigo também eu gosto dela.

Minha filha ficou triste do nada e os olhinhos brilharam em lágrimas. Mas que porra esta acontecendo. Megan logo saltou da mesa e abraçou minha garotinha.

Quem é essa Vicky? Não gosto dessa garota. Nem a conheço e ela já é motivo de choro de Sam.

- Estou vendo que essa Vicky vai ser um problema.

Dinah disse levantando da mesa pegando os prato.

- Eu vou dizer pra ela que vou brincar só com você. Se ela não quiser brincar junto com a gente, ela que brinque sozinha.

Minha filha sorriu grande e abraçou Megan e logo uma Annie apareceu no abraço fazendo as três sorrirem.

- Vicky, é muito chata. Agora só nós vamos brincaaaar.

Annie disse toda eufórica fazendo a gente rir com tanta fofura.

As garotinhas foram para a sala entre risadas e brincadeira.

- Ajuda com a louça?

Camila perguntou enquanto juntava os pratos e eu os copos.

- Não precisa vocês são visita, podem ficar a vontade.

A o casal foi para cozinha para levar a louça ou melhor outra coisa por que assim que eu e Camila entramos na cozinha o casal Norminah estavam em um baijo tão intenso que nem viram que colocamos os últimos copos e pratos em cima da bancada.

Em um impulso eu peguei a mão de Camila e a puxei para a varanda que tinha na sala, as meninas estavam entretida com algo que passava na TV.

- Pelo que eu percebi essa tal de Vicky quer a Meg só pra ela enquanto sua filha quer as duas brincando com ela.

Camila quebrou o silêncio que nós fazíamos a alguns minutos.

- Vicky quer a atenção da sua filha só pra ela enquanto minha menina quer as duas.

Rimos por alguns segundos, olhei para a latina que tinha sua atenção nas luzes dos outros prédios da cidade. Morar na cobertura tem suas vantagens, a vista desse prédios era incrível de noite.

A lua estava tão linda e ainda tinha uma grande mulher ao meu lado isso parecia meio cliché, um casal, varanda, vista pra cidade e a lua para fazer o casal observar e ficar agarrados.

Camila tinha os pensamentos longe pude perceber por que eu cheguei bem perto dela e apoiando meus braços na proteção que tinha na varanda.

- É possível você gostar de alguém, querer aquele alguém e não fazer nada por que você tem medo de que você possa se machuque de novo?

Ela parecia bem longe em pensamentos quando fez essa pergunta que eu não respondi. Ela estava se referindo a si mesmo e isso me fez pensar um pouco, virei meus corpo de frente pra ela enquanto encarava o seu perfil.

- Você... Eu acho que ter medo é normal, mas você só vai saber se tentar. Esse alguém te faz bem?

Queria me aproximar dela de algum jeito, eu estava gostando dela de verdade e sonhar com Camila já era rotina. Me aproximei mais um pouco ficando perto o suficiente para ela perceber que eu estava querendo ela.

- E se eu der a chance e a pessoa quebrar meu coração? Eu me apaixonei uma vez e quando o Amei ele quebrou meu coração.

- Ninguém é igual a ele Camila, tem pessoas melhores que ele e você merece ser feliz com alguém.

Eu queria ser esse alguém, ter uma mulher dessa é um presente que você tem que cuidar pra vida toda. Camila era linda, tinha um bom coração, cuidava da filha com todo amor do mundo e isso me fazia gostar dela.

Toquei em sua mão que estava apoiada na proteção e a mesma me olhou com aqueles castanhos lindos, seus olhos pareciam úmidos e triste.

- E se...

- Não. Chega de "E se" apenas faça o que você quer, não deixe o passado tomar conta do seu futuro. Tem pessoas que merece ter a chance de fazer você feliz.

Eu estava tão envolvida naqueles olhos, não queria ver ela se sentir triste, pra baixo, lembrando de um passado que só lhe trouxe uma alegria que foi a filha. Queria tanto fazer ela sorrir de verdade, nesse pouco tempo que conversamos naquele hospital eu nunca a vi sorrir de verdade a não ser para sua filha. Megan era a sua fonte de felicidade e eu acho que isso ainda era pouco pra ela.


Notas Finais


Ateeee outro dia!!!

Não me odeiem e sim me amem! "que gay"

Besos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...