História She is a nice guy - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias Girls' Generation
Personagens Hyoyeon, Jessica, Seohyun, Sooyoung, Sunny, Taeyeon, Tiffany, Yoona, Yuri
Tags Girls' Generation, Hyoyeon, Jessica, Seohyun, Snsd, Sooyoung, Sunny, Taeny, Taeyeon, Tiffany, Yulsic, Yuri
Visualizações 439
Palavras 7.961
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Romance e Novela, Yuri
Avisos: Álcool
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


E é isso... -q
Brincadeira, negada! ASUHASUHSUAHUHSAHUSA

Sinceramente, eu me sinto como se estivesse cumprido uma missão muito difícil. Até porque, quando eu tive de dar um tempo nas minhas fics, todas elas, eu estava numa situação na qual era complicadíssima de retornar. Eu comecei a trabalhar, saí do trabalho, estudei, parei, trabalhei de novo, fiquei sem pc, me mudei... muitas coisas aconteceram, e nenhuma delas ajudava em nada sobre eu escrever essa fic, terminar, ou prolongar. Aconteceu uma época na qual eu achei que nunca mais retornaria ao Spirit. Sério! Eu achei que nem ia voltar mais aqui, e quando, por milagre, eu voltei pra cá... tomei um susto danado com a quantidade de atualizações das fics que eu acompanhava, e muita gente me mandando mensagem pra saber sobre as minhas e tal.. e pacientemente, eu respondi a todos com muito carinho e atenção. Também tentei reacompanhar as fics, algumas consegui, outras não... e outras as autoras até haviam desistido, ou estavam passando pro problemas na vida pessoal, como eu. Enfim... quando eu decidi voltar a escrever, tentar terminar tudo e não abandonar minhas fics, foi uma escolha difícil. E eu vim fazendo tudo o que pude pra escrever, não só pra SIANG, mas como pra Full Moon e Os sete mares -que ainda mais velha que SIANG- ... foi difícil, e difícil, mas minha decisão por hora, é de não abandonar nada que já tenho escrito, e que precisa de um fim aqui. Por tanto, continuarei.

Enfim, pessoal... vamos à leitura, que é o que importa. Lá em baixo, a gente se fala! <3

Capítulo 21 - Ela é um cara legal.


A tão esperada hora havia chegado. O avião estava sobre o céu da capital do Brasil, e enquanto ele taxiava sobrevoando o lugar, esperando a pista de voo ficar livre, as meninas viam pela janela como que era aquilo ali. E sinceramente... era mato pra tudo quanto é lado! Pelo menos de cima, a cidade parecia algo no meio do cerrado mesmo, muitas árvores, muito verde, e Yoona logo se lembrou de ter visto em algum programa de TV, que o Brasil era mesmo uma floresta intensa. Ela tava achando que o cerrado era a floresta amazônica. E não era só ela não, as meninas também estavam, exceto Seohyun, que tava tão fascinada pela viagem que desde quando ficara sabendo que iria, pesquisou praticamente tudo sobre o lugar. Inclusive o tipo de vegetação que encontrariam.

- Uau! Será se tem macaco de mais lá em baixo? – Yuri perguntou, toda curiosa.

- Sei lá, deve ter! – Yoongs concordou, com um sorriso bobo na cara. Finalmente estava em outro país.

Eram várias perguntas imbecis que aconteciam entre elas duas. Taeyeon, claro, não estava conseguindo nem se concentrar direito.

Quando o avião, por fim pousou em solo, Taeyeon pregou na poltrona. Todo mundo se levantando, e ela lá, sentada e quase morrendo. Jessica, que já havia levantado, teve que pegar na mão da amiga pra levantá-la, por fim. A cada passo pra fora da aeronave era uma expectativa diferente, e até mesmo quando saíra pro corredor de embarque.

- Meu Deus, que frio na barriga! – Sooyoung confessou. Ela estava com expectativa de ver Taeyeon e Tiffany se reencontrando depois de tudo.

Yoona puxou logo o celular, e mandou uma mensagem pra Tiffany, dizendo que já haviam chegado e que já era pra ela estar por lá mesmo, ou então a caminho.

- Acabei de avisar pra Tiffany que chegamos! – Avisou Yoongs, deixando Taeyeon agora ainda mais ansiosa.

A pobre da anã tava sentindo as pernas tremerem, um frio intenso na espinha, um nervosismo louco. Tanto que mal parava de estralar os dedos das mãos. Yuri tava com um sorriso enorme na cara, e Jessica, que estava abraçada a seu braço, tinha a cara normal. Embora estivesse bem pensativa por dentro, porque ela estava observando Taeyeon, e estava tendo suposições do que a amiga estava pensando e passando. Afinal, ela conhecia bem como a danshin ficava quando tinha crise de ansiedade.

Não demorou nada pro celular de Yoona tocar, e ela logo atendeu:

- Oi, Leleca! – Disse toda animada e feliz, enquanto caminhava junto das garotas, em direção a esteira, pra pegar as malas. - A gente tá seguindo o povo aqui!... Sim, tá tudo bem. Vamos só pegar nossas malas, e aí a gente desce... Aham, tá... O quê? Cê tá usando óculos escuros, e uma camisa branca?... Ah... tá bom! Ah! Tá de placa na mão também? Não? Ah sim... – Riu nesse momento, com alguma resposta vinda de Tiffany, e então despediu-se: - Até loguinho hein, espera a gente aí!

Assim que Yoona desligou, as meninas praticamente voaram em cima dela com perguntas:

- Ela já tá aqui? – Yuri perguntou.

- Ela ta mesmo usando branco? – Perguntou Sooyoung.

- E a placa, o que tá escrito na placa? – Perguntou Seo.

- A vagabunda tá de cabelo curto ou longo? – Jessica perguntou, de repente.

Aí as meninas se entreolharam, e olharam de novo pra Jessica, que deu de ombros e explicou:

- Quero saber, gente! O que foi? Eu quero voar nos cabelos dela, só isso... – Deu de ombros de novo, e depois olhou para as próprias unhas das mãos.

- Amor, nada de violência em público! – Yuri disse logo, pra evitar algum tipo de atrito. – E o mesmo vale pra você, Tae.

- Ah gente, relaxem...- Yoona falou de repente. – Não tem problema rolar barraco, o importante é que vamos nos reencontrar.

- Aí! Acho bom ninguém tretar não, hein. Levando em conta que a gente vai ter que ficar na casa dela e tal. Pega mal, e a gente não sabe português. – Sooyoung avisou foi logo, não tava afim de perder abrigo e tradução gratuita das coisas. Afinal, iriam passar uns dias ali, e era bom manter a convivência.

 Todas concordaram com aquele pequeno ponto de vista, menos Jessica. Mas ela ficou em silêncio, então pra não sobrar pra ela, resolveu que não tretaria mesmo. Afinal, tava morta de cansada e só queria dormir.

Quando pegaram as malas, caminharam então até a escada rolante na qual levava para o saguão do lugar. Havia muita gente ali, indo de um lado pro outro, indo viajar, voltando de viagem, deixando parentes, buscando parentes. E o que mais chamava a atenção nas meninas, era a diversidade de pessoas... tipo, o quão diferentes uma das outras elas eram! Pessoas magras, pessoas gordas, pessoas fortes de mais, malhadas de mais, baixas de mais, altas de mais... não era um padrão, como “soldadinhos” que tinham que seguir certa moda, ou padrão social, mesmo que exista sim os padrões sociais. Mas parece que as pessoas não se importavam tanto assim com isso, pelo menos não como os sul coreanos. Um outro pequeno ponto que elas perceberam, era que chamavam a atenção, mesmo que sem querer. Até porque né, um bando de lindas asiáticas seria impossível não perceber num aeroporto BR.

E apesar da forma admirada como se encontravam ali, pelo local, pelas pessoas e pelo fato de estarem curiosas de mais sem nem sequer terem saído do aeroporto ainda, ficaram um tanto quanto dispersas em suas observações. E de longe, foram vistas por um par de olhos castanhos já bastante conhecidos, porém, esses olhos estavam cobertos por um óculos escuro. Mas, de mais a mas, ainda as enxergava bem.

Tiffany ficou completamente apreensiva e nervosa. Estava feliz, claro, mas vira Taeyeon de longe. E puta merda, como Taeyeon tava linda! Ela parecia ainda mais linda do quê quando elas se conheceram, no começo do ano. Os cabelos curtos e negros agora, uma camisa bem linda na qual deixava seu abs, agora mais bonito, à mostra, calças jeans, tênis... ela parecia realmente diferente. E como era lindo ver a Taeyeon sem a roupa escolar, descobrir o real estilo dela... o coração de Tiffany estava à mil, quase lhe saindo pela boca. Parecia até um primeiro encontro com a crush da net.

Ai meu cu! Beu teus, que coisa mias linda que ta a minha TaeTae! Mano, foda-se... eu preciso dessa mulher pra mim agora, e sempre! Mano, se não for ela a minha princípa, eu não sei mais quem é”, pensava a nossa querida Fany, completamente abestada e apaixonada por uma Taeyeon que, até então, se encontrava distraída junto com as garotas, que ainda não haviam encontrado Fany por ali. O coração de Tiffany nunca esteve tão acelerado, e ao mesmo tempo anestesiado. Virou-se de costas para as meninas rapidamente, só pra tomar coragem pra se aproximar delas. Estava com saudade, mas estava com vergonha...

E foi então que algo bastante peculiar aconteceu.

Taeyeon, curiosa como estava, olhou ao redor pra ver mais de tudo ali, enquanto caminhava com as garotas. E então, seu olhar curioso foi bem no rumo no qual se encontrava Tiffany, que estava e de costas. E vendo aquela mulher parada, pele bem clara, cabelos longos e lindos que lhes caiam como cascatas castanhas pelas costas, Taeyeon desceu o olhar e... “É ela! EU NÃO ACREDITO, É ELA! É LELECO... OU MELHOR, É TIFFANY! EU RECONHEÇO AQUELA BUNDA EM QUALQUER LUGAR! EU... AI MEU DEUS!”, pensou a danshin, completamente nervosa. Estancou no lugar, e as garotas foram andando enquanto a deixavam para trás, sem sequer perceberem. 

Quando as meninas notaram que ela havia ficado para trás, se viraram para chamá-la, e logo viram Taeyeon se aproximando rapidamente delas. Porém, seus passos não pararam, e as pernas de Tae ficaram completamente desgovernadas, assim como o seu coração. Taeyeon começou a correr, correu e atravessou todo mundo, indo em direção a uma certa Leleca, que no mesmo instante virou-se de frente para as meninas.

A surpresa que Tiffany tivera ao ver Taeyeon correndo em sua direção foi tão grande, que seu coração pulava feito uma britadeira em seu peito. Ela vira como o desespero e a saudade movia sua danshin, ela reconhecia isso pelo olhar emocionado que Taeyeon tinha nos olhos lacrimejados, e o sorriso enorme em seus lábios. Tiffany jurava que podia ver sua amada vindo ao seu encontro em câmera lenta, ou até mesmo jurava que era um sonho. Mas não era. As pernas de Tiffany começaram a se mover também, e a fizeram dar uns quatro passos apressados à frente, alcançando Taeyeon em seus braços num abraço completamente forte quando seus corpos se chocaram. Um abraço apertado, um abraço no qual parecia que não teria fim. Seus corpos pareciam ter se fundido naquele atrito tão dolorosamente gostoso, e se encaixaram perfeitamente num calor tão conhecido, banhado de saudade e paixão. Seus corações agora batiam rapidamente, como um só, e sentiam suas almas serem preenchidas pouco a pouco com a presença da outra, como sempre sonharam para si desde o dia que houve a separação repentina e forçada. As lágrimas vieram aos olhos de Tiffany no mesmo instante, e não as conteve, e simplesmente começou a chorar, tamanha era a explosão de sentimentos em seu ser naquele instante. De longe, as meninas assistiam a cena, completamente abismadas e felizes pelo momento, e fortemente emocionadas também. Yoona puxou do bolso o celular o mais rápido que pode, assim que se lembrou que deveria estar filmando aquilo, e então começou a filmar, só porque tinha colocado o atalho da câmera bem na tela inicial.

Taeyeon e Tiffany estavam numa bolha só delas, onde só existiam apenas elas duas ali, uma nos braços da outra. E de repente, toda a dor de Taeyeon passou, e com essa dor foram embora as frustrações, a sensação de ter sido enganada, a vontade de matar Tiffany por tudo o que ela havia passado, e principalmente, a dúvida na qual lhe atormentara nas últimas horas. Sim. Com Tiffany em seus braços, Kim Taeyeon percebera que era louca por aquela mulher, independentemente dela ser Leo ou TIffany. Ela amava aquela pessoa, ela não podia viver sem ela... e ouvindo seus soluços, sentindo seu corpo quente ter leves espasmos devido ao choro, e sentindo o seu coração batendo forte também, Taeyeon a apertou no abraço de um jeito ainda mais protetor e carinhoso.

- Eu te odeio. – Taeyeon murmurou entre o próprio choro, pertinho da orelha direita de Tiffany.

Aquelas palavras congelaram o corpo de Tiffany, que começou a chorar ainda mais e sentira que deviera soltar Taeyeon. Então era fato, sua situação com a danshin estava completamente danificada. Mas por que ela ainda a abraçava tão gostoso assim, e por que ela estava chorando também?  E a resposta veio logo:

- Mas eu te amo mais ainda. – Taeyeon disse novamente, entre alguns leves soluços. E foi com certa dificuldade que ela separou-se de sua amada, e a olhou nos olhos.

Ver Tiffany chorando lhe cortou o coração, e um instinto forte brotou em seu peito. Soltou o corpo de Tiffany, levou as mãos até o rostinho molhado, agora um tanto quanto avermelhado, e tirou seus óculos. Aqueles olhos... castanhos escuro, tão lindos e cheios de brilho, agora mergulhados em lágrimas, ainda pareciam os mesmos. A saudade foi tão forte no peito de Tae, que ela não queria mais perder tempo. E Tiffany estava completamente encantada de paixão, de surpresa, e de felicidade por ter ouvido a sua TaeTae dizer que a ama.

- Eu... eu também te amo, TaeTae. Eu te amo muito! Eu te amo... nossa, como eu te amo... – Tiffany respondeu rapidamente, quando percebeu que tava calada tempo de mais olhando para sua amada, que lhe tirara os óculos escuros da face.

Taeyeon, que a encarava apaixonada e admirada com tamanha beleza, acabou esboçando um sorriso tão lindo e involuntário quando ouvira da boca de sua Tiffany que ela era amada por esta, que simplesmente acabou com a distância entre elas, e cobriu-lhe os lábios com um beijo cheio de saudade, um tanto quanto afoito, e cheio de paixão. Não estavam ligando se estavam em público, não estavam ligando pra absolutamente nada. E dessa vez, os braços de Tiffany foram parar ao redor do pescoço de Taeyeon, e os braços de Tae foram parar ao redor da cintura do corpo de Tiffany, numa unção tão perfeita e única, apesar da diferença mínima de altura que tinham uma da outra. Beijaram-se intensamente, com muito amor e saudade... o beijo foi bastante lento, e levemente demorado. As duas só pararam de se beijar quando ouviram um pigarro.

Quando separaram os lábios, Taeyeon e Tiffany levaram seus olhares em direção à dona do pigarro, e viram Yoona com o celular mirado nas duas.

- Eita chupada de beiço! – Sooyoung soltou essa pérola do jeito mias Hyo possível, o que causou risada nas demais. Mas o casal ficou super sem jeito.

Mas não se desgrudaram, claro.

- Ué, gente! Cadê a pancadaria? O UFC? O WWE?... Se bem que WWE é tudo encenação e tal... – Yoongs comentou, ainda filmando tudo. Ela realmente queria ver treta.

- Eu acho que não é prec... – Tiffany ia falando que não era preciso usar violência pra nada, quando foi cortada por Jessica.

- Se essa anã trouxa não der na tua cara, eu dou!

- SICA! – Yuri ficou alarmada, então se ajeitou por trás da namorada e a abraçou por trás, pela cintura, para que ela não saísse de perto de si e fosse direto no pescoço de Tiffany.

- Mas galera... – Nossa querida Leleca disse, de repente. – Eu acho que mereço uma boa duma porrada, a Jessica está certa. – Confessou, até porque né...

- Merece sim. – Taeyeon concordou plenamente, enquanto olhava Tiffany nos olhos, mas agora com certa raiva em seu semblante.

- Eu devo um pedido imenso de desculpas a vocês, e...

- Não vem com esse monólogo estudado não, Lel... Tiffany! – Taeyeon a cortou logo, mas não a soltava do abraço. – Você tem sorte de eu estar abraçada em você, querendo te beijar muito, ao invés de querer te matar. Você não faz ideia do quanto eu te odiei completamente nesses últimos meses! Você não tem noção do que você me fez passar, as dúvidas, a raiva, e a saudade. Ah... essa saudade quase me matou, Hwang! Saiba você, que se você fizer isso de novo comigo, de ir embora sem se despedir realmente de mim, ou de ir embora mesmo, seja lá pra onde for, e pretender nunca mais me ver, eu vou acabar com a tua raça! – A baixinha virou uma leoa! “Eita nóis”... ainda bem que Yoongs tava filmando.

Quando ela terminou de falar, Tiffany não teve outra reação, senão beijar a boca de Taeyeon novamente. Não haviam palavras pra expressar o que ela estava sentindo, então beijar novamente a sua amada lhe bastou. E pareceu ter aquietado e aquecido o coração de Tae também, que não demorou nada em se entregar ao beijo, e desculpar o seu amor.

As meninas assistiam tudo de camarote. Sooyoung estava emocionadíssima, tanto que foi um dos raros momentos em sua vida, que ela não tava pensando em comida. Mas tava segurando um pacotinho de biscoitos que lhe fora fornecido no voo. Yoona filmava tudo com um sorriso todo bobo nos lábios, admirada da forma como o amor era lindo... pensou em TALVEZ arranjar alguma namorada, ou alguém que fosse lhe amar tanto assim um dia. Jessica e Yuri estavam bem abraçadinhas vendo a cena romântica toda, embora suas reações fossem ligeiramente diferentes; Jessica estava desconfiada de Tiffany agora, mas por um lado estava feliz por ver o brilho voltar ao rostinho de Tae novamente; e Yuri estava feliz em rever Leleca, e vê-la atracada em sua danshin marrenta, como deveria de ser. Afinal, secretamente, Yuri sempre torcera para que Leleco e Taeyeon ficassem juntos, mas após toda a verdade, sentira que o couple tinha que ser real. Por isso fez tanta coisa para que as duas estivessem juntas novamente, e isso a encheu de determinação. Yuri sempre fora um poço de determinação. Seohyun olhava tudo bastante alegre, mas seu olhar revezava entre o casal, e Sooyoung... era difícil para a maknae não olhar para Sooyoung naquele instante. Ela não conseguia entender o motivo, mas Sooyoung parecia alguém tão especial emocionada daquele jeito, demonstrando sentir afeto pelas amigas na qual tornaram-se um casal bonito... isso mostrava que a shikshin não tinha só estômago em seu ser, tinha coração também, e com muitos bons sentimentos. Nessa linha de raciocínio, um sorriso sincero e admirado tomara de conta dos lábios de Seohyun, que agora encarava Sooyoung carinhosamente. 

Ao fim do beijo com Tae, Fany segurou o rostinho de sua amada com todo o carinho do mundo, e ainda com os lábios próximos aos dela, murmurou só pra ela ouvir:

- Não teve nada que me torturasse mais durante todos esses dias, do quê a saudade de você, e a ideia de ter te magoado. Eu sofri... eu sofri muito. Eu sofri pelas minhas escolhas, eu sofri por ter ido embora de uma vez e não ter te falado nada, e eu sofri mais ainda com a falta de você. Então... me perdoa? – Disse tudo que estava em seu coração naquele momento, entretanto, não era nem a metade que ela queria que Tae soubesse.

- Desde o momento que te beijei nesse lugar a primeira vez, te perdoei de tudo. – Taeyeon a respondeu com carinho e sinceridade que tinha em seu ser.

Aliás, a baixinha ainda estava completamente abismada com a beleza feminina de Tiffany. Aqueles cabelos lindos e tingidos de castanho, tão longos agora... o rosto estava mais fino, mais moldado. Olhos tão sinceros e puros, desenhados numa maquiagem leve tão graciosa, que dava vida à pele macia de sua garota. Sim, Taeyeon estava completamente apaixonada, e de novo.  Em seu ser, a vontade de conhecer tudo sobre Tiffany, crescia ainda mais. E então se deu conta de que finalmente estava livre da pequena chateação de ter que achar que Leleco era pai, e que tinha namorada no Brasil. Pelo visto, Fany não tinha namorada, tampouco poderia ser mãe.

- Lindo! – Uma voz masculina se fez presente ali, falando português, chamando bruscamente a atenção de todas as garotas no local, tirando cada qual de seu momento filme de sessão da tarde.

- Leo! – Tiffany reclamou logo em seguida, com o rapaz que se aproximava cada vez mias da turma.

Leo estava lá. O Leo verdadeiro, aquele que deveria ter ido ao colégio das garotas no começo do ano, mas que não foi por causa de um só motivo. E esse motivo estava justamente em seu colo naquele instante, com a mãozinha na boca, usando um babador, e uma roupinha fofa. A filha dele.

As meninas ficaram bastante surpresas, e Seohyun pode matar uma das suas maiores curiosidades dos últimos meses. Saber quem era o verdadeiro Leo.

Taeyeon olhou o rapaz e então franziu o cenho brevemente, tendo a impressão de já tê-lo visto em algum momento de sua vida. Jessica fez o mesmo, e quando se deram conta, as duas se entreolharam e depois olharam para Leo de novo.

- Ah! Então é ele! – Falaram em uníssono, o que acabou chamando a atenção das meninas. Menos de Leo, que não se deu o trabalho de “traduzir” mentalmente o que ali foi dito.

- O que tem o meu irmão? – Tiffany questionou, agora soltando o pescoço de sua danshin, pra segurar em sua mão.

- É uma longa história... – Jessica disse, já ficando cansada só pelo fato de imaginar ter que contar o papo todo pra Hwang.

- Sim, Fany-ah. Mas eu posso te contar mais tarde. – Taeyeon disse toda carinhosa. E o apelido novo que Tinffay ganhara, a fizera ficar toda derretida.

E então Taeyeon pode contemplar, finalmente, o eyesmile mais lindo do mundo. Seu coração quase saiu pela boca, e foi inevitável não roubar um beijinho daqueles lábios rosadinhos e bem desenhados.

- Então essas meninas aí é que são tuas amigas de lá? – Leo perguntou pra Tiffany, tomando sua atenção. Ele examinava as minas de modo animado, até.

- Sim, elas são. E vê se não vai ser um ogro com elas, hein!

- Relaxa, Fany. Eu sou um cara legal! – Ele disse, todo se gabando.

- Cara legal... nem te digo o que tu é, porque a criança tá perto. – Tiffany ralhou, já ficando um pouco ranzinza. Leo a deixava assim ultimamente.

Notando aquilo, Sooyoung a perguntou:

- O que ele disse?

- Disse pra mim relaxar quanto a vocês interagindo com ele, porque ele é um “cara legal”... – Tiffany a explicou, traduzindo brevemente o que o irmão preguiçoso havia dito.

Rapidamente Yoona se impôs, e disse para Leo:

- No, man! She is a nice guy! – Falou a ma grela em seu inglês duvidoso, se referindo à Tiffany. Mas Leo entendeu bem.

O rapaz logo fez uma analogia àquilo, e a risada foi inevitável de sua parte. Afinal, Tiffany era “um cara legal”.

Poderiam todos rirem que nem final de episódio de Peppa Pig, mas não foi o que rolou. Jessica não concordava com o termo, só porque tava de implicância com Tiffany. Porém, isso se dava ao fato dela ter estado de mal humor esse tempo todo, por não ter conseguido dormir bem durante a viagem. Yuri não entendeu bem o que Yoona disse, então demorou um tempinho pra ela dar uma risada sobre aquilo. Sooyoung não sorriu, porque tava com a boca cheia de biscoito, porque resolvera abrir o pacotinho de biscoito que havia pego no avião, só pra forrar o estômago. Taeyeon foi quem deu uma risadinha na hora, achando graça... afinal, ela concordava com aquelas palavras, parando pra pensar. Tiffany foi um cara durante algumas semanas, e foi um dos caras mais épicos que conhecera, sem nem fazer esforço algum. Tá que a gafe do besouro foi um escândalo bem idiota, mas num todo, Tiffany acabou proporcionando coisas bem legais a todo mundo daquela instituição.

- Meninas... – Leo disse em coreano, e isso espantou Tiffany completamente. Ela o encarou com os olhos arregalados, e com cara de “tu não vai fazer isso...”.

As meninas olharam para ele, e ficaram um tanto quanto surpresas em saber que ele também falava o idioma natal delas, mesmo que aparentemente, bem mal. E ele continuou:

- Eu não sou bom falando a língua de vocês, mas existe algo que eu quero pedir a vocês.

Tiffany já tava prestes a dar um tapa na nuca do cara, quando ele foi rápido o suficiente pra dizer:

- Quero que me contem tudo o que minha irmã passou lá na terra de vocês durante o tempo que ela teve por lá! Ela nunca me conta o que aconteceu direito, e eu fico bem curioso!

- Opa! – Disse Yoona, já ficando interessada. – Tem muita coisa, cara. Aliás, Fany foi o mito daquele colégio!

Tiffany fez um “shhhh” pra Yoona, só pra ela ficar calada. Afinal, ela não queria que Leo soubesse o que foi que ela viveu por lá, pelo menos não tão “profundamente”, ela seria motivo de chacota. Mais do quê já estava sendo. E ela conhecia Yoona bem o bastante pra saber que a magrela iria contar suas versões do modo mais maluco possível.

- Acho melhor a gente ir pro carro logo, porque eu arrumei meu cafofo pra vocês. – Tiffany desconversou rapidinho, sem dar chance de falarem nada. – É bem minúsculo por lá, mas é arrumado e tal. E a gente não vai ficar em BSB, vamos viajar para os estados próximos daqui, porque lá tem coisas bacanas pra fazer, em BSB só tem concurso público, shopping, trabalho, escravidão e vários nadas. Ninguém merece ter que ficar indo nos ministérios pra tirar foto em frente a prédio empoeirado... então é melhor fazer uma pequena viagem à lugares incríveis que tem aos arredores do Distrito.

- Opa! – Leo se animou completamente, quase que esqueceu da criança no colo.

- Nem se anima, Leonardo! – Ralhou Tiffany, já cortando as asinhas do irmão. – Eu vou com as meninas, e você vai ficar em BSB cuidando da tua filha, isso sim. E aliás, me dê ela aqui, e pegue as malas das meninas.

 Tiffany soltou a mão de Taeyeon, e depois chegou perto do irmão o suficiente pra pegar a sobrinha nos braços. Leo já tinha começado a reclamar e resmungar, mas ele não tinha muito como se defender, aliás, Tiffany disse que ele a devia favores por longos anos, depois do que ela teve que passar por conta dele. E ele fez o que ela disse, pegou as malas, e empurrou o carrinho de mala das meninas até o carro que estavam a usar. Aliás, um dos carros. Pois Tiffany havia pedido à irmã a Doblò dela emprestado, justamente pra poderem viajar pra fora de BSB no próximo dia. Então, acabou que as malas foram no carro de Leo, a bebê também foi com ele, porque a cadeirinha dela estava no carro do pai. As meninas foram com Tiffany, na Doblò, que acomodou todas elas facilmente.

- Olha, meu irmão é bem imbecil, gente... é só não dar corda pra ele, porque ele gosta de apostar, e gosta de fazer a gente passar por situações malucas. – Tiffany mandou a real pras garotas, enquanto dirigia.

- Pra quem te fez ficar do outro lado do mundo sozinha e se passando por homem, a gente até que te entende. – Yuri comentou, e as meninas concordaram rapidamente com ela.

- Jennyfer... – Jessica disse repentinamente, chamando atenção das garotas. – Fique sabendo você que eu to com raiva de ti.

Tiffany até entendera o lance dela estar com raiva, afinal. Mas não conseguia sacar o motivo dela tê-la chamado de Jennyfer. Olhou para trás pelo espelho retrovisor interno, diretamente para Jessica, que a olhava por ali também.

- Meu nome não é Jennyfer, é Tiffany. – A corrigiu com gentileza, e depois acabou sorrindo. Afinal, percebeu que ambos os nomes eram nomes de travesti. Continuou: – Você tem direito de estar com raiva de mim, Jessica. Afinal, todas vocês tem esse direito, mas vocês mesmo com raiva de mim, ou o que quer que for, vieram do outro lado do mundo para ter comigo. Então tratarei todas vocês com todo o carinho e amor que eu tiver aqui dentro de mim, porque vocês se tornaram especiais na minha vida. Não preciso de mais provas disso.

Aquelas palavras tão suaves, sinceras e gentis, atingiram o peito de Jessica de modo brutal. Sua expressão antes fechada, suavizou, dando espaço a algo completamente tranquilo, e de repente, ela não tinha mais nem o que argumentar de volta, nem o que ameaçar.

E Tiffany continuou:

- Pelo menos, agora vocês vão ter a oportunidade de me conhecer. Quem eu realmente sou, sem estar de garoto ou o que quer que for.

- Acho que isso vai ser bem divertido... – Yuri comentou animada. Depois voltou a olhar as coisas através da janela do carro.

- Leleca! – Yoongs falou de repente, tão animada quanto Yuri. – Qual sua cor favorita?

- ROSA! – Tiffany praticamente gritou, toda animada e já se abrindo feito uma flor.

- E lá vamos nós... – Murmurou Jessica, bem baixinho. Pelo visto, “Jennyfer” era mais chata do que ela esperava que fosse.

Seguiram uma breve viagem até a cidade satélite que Tiffany morava, e observaram tudo com atenção. O clima local era bem seco, mas nada que não incomodasse de mais as gringas. Quando subiram para o apartamento, a primeira que ralhou foi Jessica. Obviamente, né, gente?!

- Como é que a gente vai se ajeitar aqui? Se a Sooyoung se deita no chão, ela toma todo o espaço. Se ela fica em pé, tem que ficar encurvada, porque não cabe. Como você consegue viver nisso?

- Ah, Jessica! Para de ser ‘reclamona’, mulher! – Seohyun mesma reclamou com a amiga, até ela já tava ficando sem paciência. – O padrão asiático é bem menor que isso aqui, viu.

- É verdade, amor... e de mas a mais, a Fany disse que a gente vai dar uma sutil viajada por aí, não vamos ficar por aqui o tempo todo. – Yuri mencionou, toda paciente com a namorada.

Não demorou muito para que Leo chegasse ao “apertamento” da irmã, com as malas das garotas. Porém, ele tava uns quinze minutos atrasado, e Tiffany ficou meio desconfiada. As meninas acharam isso um tanto quanto estranho, até porque ele tinha saído na frente delas, era pra ele já estar esperando elas chegarem pra lhes entregar as malas. Mas durante todo esse tempo de espera, Fany explicou para elas que talvez o irmão tenha ido deixar a filha na casa dele, pra poder subir com as bagagens sem ter que deixar a pequena no carro, ou alguém ter que ficá-la segurando. Mas ainda assim, para as meninas foi algo meio esquisito, até porque não eram pessoas que lidavam bem com o atraso.

- Demorei? – Leo perguntou, assim que subira com as duas primeiras bagagens. Eram as duas maiores, e ele tava aparentemente avermelhado. Sinal de que as malas estavam pesadas pra caramba.

- Demorou de mais! Leo, elas não são acostumadas com atrasos, cara! – Tiffany deu bronca no irmão, que deu de ombros e simplesmente a respondeu.

- Mas elas estão no Brasil, Fany. Aqui o atraso já virou até cultura. – Justificou o rapaz, deixou as malas na sala pequena, e continuou em coreano para que todas ali o ouvissem: - Viu, meninas? Desculpem o meu atraso, mas eu já aviso que atraso aqui no Brasil é uma espécie de cultura. Então nem fiquem nervosas se caso vocês peçam algo pra alguém, e essa pessoa só fizer dez minutos depois e tal.

- Mas isso não é desrespeitoso? Tipo, deixar alguém esperando muito... – Seohyun questionou, e as meninas ficaram observando em silêncio, pois portavam a mesma dúvida que a maknae.

- Aqui no Brasil é normal, Seo. – Tiffany quem explicara dessa vez. – Lá na Coreia, eu tinha que me esforçar muito pra estar nos lugares no tempo certo, e as vezes atém e atrasava um pouco, mesmo sem querer. Quando to aqui no Brasil, não preciso me preocupar muito com pontualidade, desde que eu chegue em, no máximo, dez minutos de atraso no lugar.

As meninas prestaram atenção nesse detalhe esquisito dos brasileiros, aliás, um dos detalhes esquisitos. O outro, só Sooyoung achou que havia percebido, mas para a sua surpresa, não era a única:

- Hey! – Yoona disse de repente, apontando para os pés de Leo. – Você tá calçado, cara... não vai tirar os sapatos?

- Pra quê? Se eu vou subir e descer direto. – Ele disse, como se fosse normal. – Aqui a gente não tira sapato pra entrar em casa não, mulher!

- Ah é, esse é outro detalhe. Se você fizer isso na maioria das casas dos brasileiros, vão te achar bem esquisita. Ou vão dizer pra você se calçar, pra não pegar resfriado. – Fany comentou, e as meninas fizeram um “oohh” coletivo, como quem estivessem entendendo as peculiaridades do Brasil. E Fany continuou: - Mas aqui em casa eu tiro os sapatos, eu gosto de manter isso comigo. Leo é que tem mania de entrar com essas botas de pedreiro dele aqui, e caga meu piso todinho! Já disse que ele é quem vai limpar isso aqui.

- Para de ser fresca! – Remendou  o rapaz, enquanto tornava a sair do apartamento pra pegar as outras malas no carro.

As meninas foram logo se acomodando, e tudo quanto era pergunta sobre curiosidades do local, Fany as respondia prontamente. Tava achando divertido pra caramba ver as meninas ficarem deveras curiosas a cada revelação e explicação, suas caras eram impagáveis. Porém, o sentimento que mais prevalecia no coração de Tiffany, era a “surrealidade”. Parecia surreal de mais! As garotas que conhecera no começo do ano, estarem ali na sala de seu pequeno apartamento, conversando, interagindo, se acomodando ali para passarem uns dias consigo. E ao mais louco, o que Tiffany mais estava tentando lidar até agora, além da alegria intensa no peito, era o fato de que Kim Taeyeon estava ali também, em sua casa, ao seu lado, junto dela como um pequeno filhotinho recém-chegado no qual só confia em seu novo tutor. Era incrível e ao mesmo tempo muito fora da realidade de sua vidinha monótona.

Enquanto encarava as garotas, principalmente sua TaeTae, Tiffany sentiu seu peito se encher de uma alegria indescritível. Ali estavam pessoas que vieram do outro lado do mundo para ter consigo, para saber mais dos motivos pelos quais a levaram a fazer o que fez. Eram pessoas que, desde o começo, ela pensava em evitar... até porque a regra pessoal dela era “não fale com ninguém, não faça amizade, e isso tudo vai passar rápido”. Mas sabemos que não foi bem assim, e o que aconteceu acabou por ser ao contrário.

Tiffany olhou para Yuri e se lembrou do momento que a conheceu, quando esbarrou nela. E naquele instante, ela notara que a morena estava a usar um boné em sua cabeça, e era o mesmo boné que Tiffany estava usando naquele fatídico dia, no primeiro dia no colégio. Yuri nunca mais a devolvera, e ela também não fazia questão. Aquele boné deveria ter se tornado algo importante para a morena, algo que pra ela mesma não significava nada além de disfarce. Sorriu ao se lembrar de como conhecera Yoona também, que sempre fora meio rockeira e maluquinha, mas notara que o teor de “escuridão” havia saído da magrela, parecia estar usando roupas mais normais do quê antes. Talvez ela só usasse algo mais darkness no colégio, pra passar algum tipo de visão mais marrenta dela mesma, pra ter respeito. Ela sabia que Yoona era medrosa, engraçada e bem geek, na verdade. E Seohyun? Seohyun parecia mais integrada às coisas, e viera mesmo não tendo tanta intimidade assim, mas Fany levou em conta de que talvez ela quisesse ser muito próxima, então trabalharia em ser próxima da maknae para serem boas amigas. Sooyoung? Bem, ela sabia como era Sooyoung. Essa tem o coração do mesmo tamanho do estômago! E por mais que Jessica estivesse ranzinza, Fany sabia que ela jamais viria senão fosse para um acerto de contas final. Estava disposta a ter o acerto de contas com a Jung, porém, logo após ela dormir e descansar numa boa.

E falar em descanso!

- Meninas! – Tiffany disse de repente. – Eu peguei uns colchões mesmo, dos melhores pra vocês, porém, meu irmão já deve estar trazendo. Mas vai dar tudo certo, porque só vamos passar duas noites aqui, de resto vamos viajar juntas. Afinal, seria maldade da minha parte ficar aqui com vocês, nesse lugar apertado, e no tédio que é BSB.

- Ah, mas eu achei aqui tão bonitinho... – Yuri mencionou brevemente, porque de fato, havia gostado da estrutura daquela cidade, pelo que havia visto ao chegar.

- E é! Aqui é bem bonitinho, e confortável, comparado a alguns outros lugares. E violência tem em todo canto do Brasil e do mundo, mas no Brasil tem de sobra, então a gente por aqui tá acostumado. – Fany explicou de novo, e nesse momento o interfone tocou. Enquanto ia atendê-lo, ali pertinho pois o lugar não era grande, continuou a falar para as garotas brevemente: - Mas aqui em BSB, apesar de ser legal de morar e tal, quem é de sair muito de casa pra se divertir de mais, não tem muita opção. É por isso que a gente vai viajar, porque o povo daqui vive no Goiás, ou em Minas.

As meninas ouviram atentamente, e só não puderam fazer mais questionamentos, porque Tiffany estava ao interfone agora, abrindo para Leo. Não demorou muito e o bocó subiu com um colchão, e já bem cansado:

- Olha, foram todas as malas... agora os colchões, eu vou ter que pedir ajuda... – Reclamou o rapaz, esbaforido.

- Para de ser dramático, Leo! – Tiffany ralhou, dando um tapa sutil no braço do irmão. – Você deveria carregar era o Gominho todos os dias nas costas, só pra me pagar metade do que eu já fiz por ti!

Tiffany só usou a gay Gominho como referência de peso, porque ela realmente é um tanto quanto avantajada. E também, porque ela queria que Leo compadecesse no inferno, ou em algo cabuloso antes do inferno chegar. Ela tinha perdido a vontade de querer matá-lo, pelo simples fato de ter pensado bem e te chegado na conclusão de que tê-lo por perto como escravo, seria melhor que qualquer coisa. Esse pensamento veio a calhar, principalmente quando Yoona avisara sobre a viagem.

Mas, nossa querida Leleca, como tem coração bom, ajudou o irmão com os colchões. E horas mais tarde, quando as meninas se arrumaram melhor no apertamento e tal, houve a fila para o banho e mais mil descobrimentos sobre banheiros brasileiros, e tudo à volta delas, tiveram que lanchar. A hora favorita de Sooyoung, e um pouco de sacrifício pra Fany, que teve que fazer o rango de geral. Não que ela fosse uma boa cozinheira, porém, ela sabia se virar sozinha desde sempre, pelo visto. E seu rango nem era assim tão bom, pelo menos melhor do que as comidas do Giraffas era.

Fez o bife cebolado, arroz branco à moda brasileira; famoso arroz com óleo, e alho. E fez batatas fritas, e feijão. Sooyoung ficou maravilhada com o cheiro gostoso que toda aquela comida tinha, e exalava pelo pequeno apartamento. Aliás, ela não foi a única. Yoona tava quase babando feito um cão com raiva.

- Mano, que cheiro bom! – Disse a jacaroa, se chegando pra perto da pequena cozinha de Fany. – O que é?

- É bife acebolado com arroz, feijão e batata frita. Eu já terminei aqui de fritar as batatas, então se vocês quiserem ir se adiantando pra comer, podem ir chegando. – Tiffany respondeu numa boa, enquanto desligava a última boca acesa do fogão.

- Caramba, ó! Parece muita coisa... Sooyoung vai ficar louca do cu!

- E falar nela, onde é que ela tá?- Fany olhou por de trás de Yoona, e vira apenas as outras garotas na sala, conversando. Aliás, Jessica e Yuri conversavam tranquilamente, e Seohyun estava olhando a vista através da janela, enquanto Taeyeon estava ao celular, teclando.

- Ela tá no banho, mas ela nem queria ir. Disse que queria cheirar a comida mais um pouco. – Yoona respondeu numa boa, enquanto pegava uma batatinha recém saída da panela, que estava dentro de um prato com várias outras, e forrado com papel toalha pra sugar o óleo.

- Então acho bom esperar por ela, já que vocês sempre esperam pra servir o rango. Aqui no Brasil a regra é: chegou primeiro comeu, chegou tarde fica só com os restos, mas caso tenha vó ou mãe por perto, elas sempre guardam um pouco pra você. Se meu irmão tivesse aqui, a pobre da Sooyoung ia tá perdida. – Fany comentou naturalmente, enquanto Yoona ficava de cara com aquela informação a mais.

- Cara, os brasileiros são esquisitos... meio mal educados. – Disse a magrela, averiguando tudo num todo.

- O que a gente tem de mal educado e perturbado, a gente tem recepção e gentileza.

- É verdade... as pessoas pareciam bem receptivas, desde que chegamos aqui lá por São Paulo.

- E aê turma, o que há aqui? – Yuri chegou de repente, na pequena cozinha. Tinha um sorrizinho fofo nos lábios, e uma namorada abraçada nela. – Cheiro bom, hein!

Naquele mesmo instante, ouviram a porta do banheiro abrir, e de lá saiu uma Sooyoung já arrumada, com roupas de casa.

- OPA, BEM NA HORA!

- Agora sim, vamos comer! – Tiffany disse numa boa, já indo pegar os pratos.

Com a ajuda das meninas, a mesa fora posta. Uma mesa bem simples, pequena, quatro lugares... quem não comeu nela, comeu no sofá mesmo, e a conversa rolou direto. Taeyeon ficou o tempo todo ao lado de Tiffany, e vice e versa. E as meninas nunca provaram comida tão saborosa antes em suas vidas! Sooyoung quase morre de emoção, e repetiu umas mil vezes que a viagem já tava começando a valer a pena pra valer. E Seohyun se prontificava a todo instante, de colocar mais comida para Sooyoung, ou de cuidar dela. Era bem fofo.

Naquele mesmo dia, mais à noite, saíram, de fato, para conhecer a famosa explanada e outras coisas de BSB. É tão basicamente pequeno, que dá pra conhecer tudo num dia só... e isso agoniava Fany, por isso que ela ia levar as meninas para Caldas Novas, porque lá tinha umas piscinas legais, uns hotéis bacanas.

Mas bem.... num todo, entre conversas e fotos, curiosidades e histórias locais, as coisas foram ficando esclarecidas e cada vez mais apaziguadas entre elas, de tal forma que nem Jessica, que depois do almoço curtiu uma soneca pesada à estilo “brasileira” e tudo, desistira de dar na cara de Tiffany. Tamanha era a tranquilidade e amizade na qual se encontravam, que já se chamavam por “Sica” e “Fany”. Isso foi algo que alegrara bastante Taeyeon e Yuri, até porque ninguém ali queria treta. E falar nesse climão de paz, ate Yoona tava em paz com Taeyeon e Jessica, conversava bastante com Seohyun e Sooyoung, tirava fotos, filmava tudo e ficava tentando pronunciar o nome correto das coisas que aprendia, e era bem cômico. A parte boa de estar do outro lado do mundo, para Taeyeon, era poder estar junto de sua amada numa boa, sem correr o risco de parentes, amigos e os próprios pais verem algo suspeito, e o mesmo valia para Kwon e Jung, cujo as famílias ainda não tinham conhecimento de seu relacionamento. E por elas, não teriam tão cedo.

Quando voltaram ao “apertamento” de Fany, conversaram mais, ficaram até tarde vendo coisas na TV sem entender nada, mas achavam bacana verem alguns programas locais. E por fim, arrumaram seus colchões –foram três colchões espaçosos – pela sala mesmo, e foram dormir numa boa, afinal, os colchões eram confortáveis pra cacete. E dormir no chão numa época de calor é melhor que ficar fritando na cama. Mas a “divisão de soneca” ficou mias ou menos assim: Tiffany e Taeyeon, na cama da primeira; Jessica e Yuri, num colchão; Yoona e Seohyun num outro; e Sooyoung ficou com um só pra ela, num cantinho “isolado” das demais, por causa de seu bruxismo. Que por sorte, não atrapalhou a noite de ninguém.

Tiffany nunca em sua vida, após conhecer Taeyeon, pensara que dormiria ao lado de sua amada. O cheiro de Taeyeon, a presença dela, o calor, o corpo, o toque... parecia tudo tão surreal, que ela mal conseguia pregar os olhos. Estava virada de frente pra baixinha, enquanto a admirava em silêncio. Tocou-lhe o rosto com tamanha delicadeza e carinho, deslizando logo em seguida as costas do indicador na pele macia do rosto da danshin, e admirava sua beleza infantil... parecia um anjo, esculpido com cuidado e carinho. Aproximou-se ainda mais, e quando estava perto o bastante, os olhos de Taeyeon se abriram bem de vagar, e então ela vira sua linda Tiffany a admirá-la, e sentira a carícia gostosa em seu rosto. Um sorriso leve curvou seus lábios delicados e rosados, e um suspiro suave lhe escapou, apaixonado e involuntário. Tae nunca pensou que fosse se sentir assim quanto a alguém em sua vida, principalmente quanto a uma mulher. Nem com Baekhyun, que apesar dos pesares, fora alguém que ela gostou por longos anos, não se sentira nesse estado.

Tiffany Hwang tinha o seu coração, tinha o seu amor, e sua admiração. Uma mulher maravilhosa, esforçada, inteligente e completamente carinhosa. E foi então que Taeyeon percebera que Tiffany não era diferente de Leo, o “cara” que ela conhecera na Coreia do Sul. Tiffany sempre foi ela mesma, sempre foi transparente, sempre quis que ela a notasse... bem lá no fundo. Tae deu um sorrisinho fofo e sapeca, e aproximou-se de Fany o suficiente pra selar os lábios dela de um jeito demorado e apaixonado, e assim que afastou os lábios dos de sua amada, confessou baixinho, só pra ela ouvir:

- Sabe de uma coisa? Você até que é um cara legal.

Aquilo fez com que Tiffany sorrisse, achando graça daquele "título" repentino. Ela de cara não tinha nada, absolutamente nada. Mas palavras novamente não foram suficiente para expressar nada, senão mais um selar de lábios, mas agora num beijo completamente apaixonado e demorado, vindo de Tiffany, não de Leo. Talvez, só talvez, o “Leleco” dentro da Fany também estivesse com saudade de sua danshin, e estava aproveitando junto.

 

Os dias que se passaram foram completamente malucos, cheios de situações bizarras nas quais houve até mesmo a volta do “mustache místico” de Sooyoung, quando fora procurar uma mochila na qual Seohyun havia perdido num hotel onde estavam, em Caldas. Claro que a mochila nem perdida foi, Seo é quem havia esquecido onde tinha deixado, e fora encontrada novamente. Também ocorreu o fatídico fato da bebedeira repentina de Yoongs, que só não saiu chamando urubu de meu loiro por aí, porque as meninas se apressaram em tentar curar a bebedeira dela, afinal, ninguém disse que cachaça era parecida com o famoso Soju da coreba. Talvez tenha sido a melhor viagem para elas, afinal, não pararam quietas em um só lugar, e muitas outras maluquices aconteceram, e em destinos diferentes pelo centro-oeste... e por mais que o final da viagem pudesse vim chegando pouco a pouco, o futuro do nosso amado TaeNy já estava completamente reservado. Pertenciam uma à outra, e o fato da distância gigante estar entre elas daqui a alguns dias não estava às incomodando, uma vez que Tiffany prometera à sua amada que, seus esforços seriam somente para voltar à Coreia do Sul. Ela iria fazê-lo, e ela iria ter com Taeyeon novamente, e ela iria estar com ela por tempo indeterminado. E a saudade? Ah.. a saudade é só um reles detalhe para quem se ama de verdade.  Paro amor, nada... absolutamente NADA é impossível.

Agora... pra alguém que começou nessa mutreta toda caindo de paraquedas na desgraça, se ferrando do outro lado do mundo, fingindo ser um macho –que no final das contas era mais afeminado do quê ela própria -  Tiffany ficou bem, hein! Até a mulher de sua vida ela encontrou. Porém, mal sabia ela que, do outro lado do mundo, em certo colégio interno, estava um grupo de funcionários do local, incluso Sra.Roz. E esse pequeno grupo estava assistindo algo “histórico” acontecer naquele colégio.

Estava sendo erguida uma estátua muito bem esculpida de um certo cara maneiro, “engomadinho”, de cabelos de cogumelo, e com um belo de um eyesmile; bem no centro do chafariz principal do pátio externo. E ao pé da estátua, estava escrito: Em memória do “Leleco da galera”, Hwang Tiffany, aquela que fez toda uma diferença em nossas vidas.

Agora o motivo da Sra.Roz ter feito uma paspalhagem dessas ninguém sabe, mas reza a lenda de que depois que Leleco vazou de lá, deixado para trás toda uma saga de loucuras e farsas “stelf”, ele virou mito, igual aquele garoto desaparecido do Acre, que voltou e tudo não passou de um marketing pro livro fuleiro dele. No caso de Leleco, isso era pura mitagem mesmo.

Porém... as tramoias jamais terão fim. Nem os planos, tampouco situações inusitadamente imbecis. Porque Tiffany Hwang irá retornar à Coreia do Sul, pois é lá que seu futuro promissor está a lhe aguardar, ao lado da sua mais linda e corajosa príncipa anã!

E como nossa querida Leleca pensa sempre após toda essa experiência louca, como filosofia de vida: “Num todo, tudo se consegue quando você se torna um cara legal. Ou melhor, uma pessoa legal”.


Notas Finais


Primeiramente, eu gostaria de fazer um sincero e profundo agradecimento. É, isso aí! Eu quero agradecer, do fundo do meu coração maluco, todos vocês... sim, cada um de vocês, meus leitores. Leitores presentes, leitores que só leem essa minha fic, leitores fantasmas, ou até mesmo aqueles poucos leitores nos quais converso e respondo com carinho nas minhas mensagens. Muito obrigada, de coração e sinceridade. Obrigada por lerem tudo isso até aqui, obrigada por terem favoritado essa fic, obrigada pela incrível paciência que cada um de vocês tiveram para esperar que esse final acontecesse... obrigada. Se não fosse por vocês, eu jamais teria voltado aqui e terminado isso. Vocês não sabe o jeito no qual eu ficava triste e frustrada, quando nas inúmeras vezes que eu tentava escrever pra vocês mais um capítulo, não dava certo e eu apagava... ou quando dava certo em algum ponto, eu perdia o capítulo, tinha que formatar e tal... eram pequenas coisas assim que mais me desmotivava a voltar. Mas eu sempre me lembrava de cada um de vocês, me lembrava dos comentários, e dos puxões de orelha, então eu sempre insistia... insisti tanto, pouco a pouco, que agora to aqui agradecendo vocês todos, toda bocó e emocionada -q sim, estol, mas abafem o caso. u.u UHSUHSAUHSAHUSA
Vocês todos são especias pra mim. Nuca duvidem disso.
E o fim dessa fic, é um presente meu à todos vocês!
Eu poderia ter escrito mais coisas? Poderia. Poderia ter feito mais capítulos? Poderia. Mas não tive como, não tenho mais tempo por agora, infelizmente. E esse final aqui, essa vitória pessoal conquistada, foi fruto de um tremendo esforço meu. E me perdoem muito, se não foi o final que a maioria de vocês esperavam, ou se faltou algo, ou se tem algo escrito errado, ou se foi corrido de mais... me perdoem! x.x Eu fiz o meu melhor.
Mas... não fiquem bolados com nada, pois não vou deixar essa conta aqui no Spirit, também vou lutar pelas minhas outras duas fics que precisam de final, e tenho projetos futuros pra uma nova fic. Eu quero continuar escrevendo sempre, porque escrever é minha maior válvula de escape, é tudo o que amo fazer na vida. E ter vocês acompanhando minha escrita, é um presente maravilhoso... quando vocês comentam, me alegra tanto o coração, que parece que ganhei um presente! AHSUAHUSUHASUHASUHAS
São coisas bobas pra vocês, reles comentários... mas pra mim é uma pequena vitória.
Por tanto, espero que gostem. Pois essa fic, agora é um presente meu pra vocês.
Só tenho a agradecer. Obrigada. <3

Agora... MANO, TINHA QUE TER UM MEMORIAL DO MITO, É?! ATÉ PORQUE... PUTA MERTA, LELECO É LELECO. AGORA TÁ ETERNIZADO! LOL
ASUHSAUHUSAHUHSAUHSAUHSAUHSAUH


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...