História She is Gone - Capítulo 1


Escrita por: ~ e ~manuuubooks

Postado
Categorias Originais
Tags Maya, Romance, Tyler
Visualizações 15
Palavras 915
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Romance e Novela

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Olá, leitores(as)! Aqui está o primeiro capítulo de “She is Gone”, e gostaria de agradecer a minha amiga Mariana Frollini por me deixar usar sua conta para a postagem de minha história.
Observações:

➕Essa história é 100% de minha autoria, assim como seus personagens e situações.
➕Plágio é crime.
➕Não colocarei fotos de capa que mostrem os rostos dos personagens, vocês os imaginam como quiserem.
➕Revisei o capítulo, mas desculpem-me qualquer erro ortográfico.
➕Se você gostar da história, pode deixar seu comentário!
➕Estou aberta para críticas e sugestões.

Boa leitura! Beijos!
Ciça💕.

Capítulo 1 - Um acontecimento muito clichê


Fanfic / Fanfiction She is Gone - Capítulo 1 - Um acontecimento muito clichê


TYLER’S POINT OF VIEW 
          Fazia pouco mais de meia hora que tínhamos descido do avião e já podia sentir o cheiro de poluição que a cidade de São Paulo emanava. 
          Havíamos saído de Gramado, minha cidade natal, um local com pouquíssima poluição. Com o tempo, segundo minha mãe, me acostumaria com a sensação dos olhos queimando e um calor fora do normal.
          Meu pai fora o motivo dessa indesejada mudança. Ele estava desempregado a um bom tempo, então aceitou de primeira o cargo de contador que lhe foi oferecido em uma grande empresa de São Paulo.
          Eu gostava da minha cidade. Era tudo mais calmo e eu tinha meus amigos de lá.
          Minha mãe aceitou numa boa, feliz  pelo meu pai. Já eu e minha irmã não levamos isso como uma vantagem. Minha irmã teve que deixar o namorado, e por isso mal fala com meu pai. Eu estou fazendo de tudo para voltar para Gramado, porque por mim, nunca teríamos vindo para São Paulo.
         Fomos para nossa nova casa, que não era longe da escola que iria estudar, e decidimos quem ficaria com cada quarto. Minha irmã pegou o maior e logo se trancou lá dentro, começando a chorar lembrando de seu ex.
          Já era bem tarde, então resolvi arrumar minhas coisas para o dia seguinte: meu primeiro dia de aula em uma nova escola.
          Tomei um banho e deixei minha roupa esticada em cima da cama: uma calça jeans escura, uma camiseta branca e uma camisa xadrez por cima. Logo após isso, programei o despertador e fui dormir.

MAYA’S POINT OF VIEW 
         Incríveis! Essa é a palavra que posso usar para descrever minhas férias. Viajei com meu namorado Dylan e minhas amigas para uma praia maravilhosa. Todos os dias foram de muito sol e super divertidos. 
           Alguns amigos de Dylan viajaram conosco e jogamos várias partidas (humilhantes para os meninos, pois percebi que jogo muito mais que eles) de futebol. Enquanto eu jogava, Emma e  Cristina pegaram bastante sol e agora vamos começar as aulas com uma corzinha a mais.
          Cheguei em casa hoje pela tarde e já deixei tudo arrumado para amanhã: escolhi uma calça jeans clara, uma blusa cropped branca e meu tênis da adidas superstar. Eu não era aquele tipo de menina patricinha e gostava de usar roupas que me permitissem jogar futebol no pátio com os meninos depois da aula.
          Quando me deitei para finalmente dormir, ouvi os gritos de meus pais. Todo dia eles discutiam. Já havia se tornado uma rotina para mim. Por mais que eu falasse para minha mãe que se ela estivesse infeliz, eles podiam se separar, ela insistia em dizer que estava tudo bem.  
            Em meio a esses pensamentos, acabei adormecendo.

TYLER’S POINT OF VIEW 
          Primeiro dia de aula em uma escola nova onde você não conhece absolutamente  ninguém. Tem como isso ficar pior? 
          Logo que acordei, tomei banho, coloquei minha roupa e fui a pé para a escola, já que não era longe.
          Ao chegar, me surpreendi com o tamanho daquele lugar: um enorme pátio com muitos alunos conversando, duas quadras de basquete, um campo enorme de futebol e dava para ver que dentro era ainda maior.
            Entrei pela porta principal e vi um corredor cheio de armários, cada um numerado com o número sorteado para o aluno. Minha tarefa agora era encontrar o armário 567.
             As pessoas olhavam para mim como se eu fosse um ser de outro planeta por dois motivos: eu era o único que não estava em algum grupo e devia estar com uma cara de assustado.
            Ignorei as observações e continuei andando e olhando de um lado para o outro à procura de meu armário.
             O sinal tocou e todos foram para suas respectivas salas, me deixando mais uma vez, perdido.
             Peguei meu telefone e continuei meu caminho, procurando no aparelho o número da diretora que minha mãe havia me passado para tirar qualquer  dúvida.
            Acabei trombando com uma menina, muito bonita por sinal, que carregava vários livros andando apressada. Ela tinha uma estatura mediana e uns olhos verdes que chamavam muita a atenção. Seus livros caíram no chão e ao mesmo tempo nos abaixamos para apanha-los. 
           Em um gesto rápido ela levantou e me deixou pegar os livros sozinho no chão. Olhei para ela com uma interrogação no rosto, e a mesma sorriu sapeca.

MAYA’S POINT OF VIEW
           Acordei muito sonolenta na manhã de segunda-feira, porém, tinha quase certeza de que estava esquecendo de algo. Sentei-me e continuei tentando lembrar.
— Filha, já está pronta?- disse minha mãe, batendo na porta—Você não quer se atrasar para seu primeiro dia, quer?
     Foi aí que dei um pulo lembrei-me do que tinha que fazer hoje. Tomei um banho voado e corri em direção ao carro, onde minha mãe já me esperava.
          O caminho foi rápido, de aproximadamente quinze minutos. Porém, quando cheguei, o sinal já havia tocado e os corredores pareciam vazios. 
           Corri apressada em direção a minha sala quando, de repente, trombei com um garoto e todos os meus livros voaram no chão.
            Quando ia me abaixar para pegá-los, ele também o fez. Levantei-me rapidamente e o vi me encarando com a testa franzida enquanto pegava os livros no chão. Sorri.
            Foi aí que percebi que ele era lindo! Seus olhos eram castanhos, porém, muito penetrantes e seu cabelo loiro tinha um corte que o deixava ainda mais bonito.
          Parei de observá-lo quando o vi me entregando os livros. Antes de pegá-los eu disse:
— Isso é muito clichê!
 


Notas Finais


Bom, gente, foi isso! Espero que tenham gostado!

Avisos:

⭐️Eu estudo em uma escola muito difícil e por isso não terei tempo de postar todos os dias.
⭐️Postarei o máximo que conseguir por semana.
⭐️Se essa história fizer sucesso,terá a segunda temporada e se transformará em um livro!
⭐️Se você gostou, por favor, favorite e deixe seu comentário para saber se devo continuar.

Obrigado pela leitura! Beijos,
Ciça💕.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...