História She n' Herself - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Girls' Generation
Personagens Hyoyeon, Jessica, Seohyun, Sooyoung, Sunny, Taeyeon, Tiffany, Yoona, Yuri
Tags Taeny
Visualizações 59
Palavras 4.067
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ecchi, Fantasia, Ficção, Mistério, Orange, Romance e Novela, Sobrenatural, Terror e Horror, Violência, Yuri
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Como prometido, aqui está o comeback da fic.
Me sentindo muito GFRIEND, fez comeback ontem e fez hoje de novo huehuehue

Antes de tudo - já vou esculachar mesmo - Se tiver algum erro, culpem a @fersonoda ela é a Beta reader u.u
Deus, eu não sei o que comentar aqui mesmo, vai.

Boa leitura.

Capítulo 2 - Into the New World


Tiffany estava um caco, um lixo, só os trapos.

Sua ansiedade não a permitira de dormir durante o vôo, das dezessete horas de viagem, ela passou doze acordada e somente no final conseguiu dormir para logo após ser despertada por uma comissária de bordo indicando o final da viagem. A Hwang mal sabia onde estava e quando se situou agradeceu com seu coreano carregado de sotaque e saiu as pressas do avião, quase beijando o chão da Coréia tamanha felicidade de não estar mais voando.

 Esperou, esperou e esperou na esteira suas malas, mas infelizmente suas bagagens não chegaram junto com ela, confirmando a suspeita da americana de que o azar era seu melhor amigo. Estava prestes a mandar uma mensagem para sua tia, mas não foi necessário:

- Stephanie? – se virou assustada e viu então o mesmo sorriso de seu pai, somente por isso reconheceu sua tia ali. Um sorriso igual ao da mulher enfeitou as expressões aborrecidas da garota que deu um abraço forte em sua tia – Nossa você cresceu tanto! Está tão diferente desde...

A última vez que as duas se viram foi no funeral da mãe de Tiffany e aparentemente aquele assunto era muito delicado para a mulher. Morte é muito complicado para todos em geral, não mais para a americana que apenas fez um sinal de “deixa pra lá” sacudindo as mãos. Depois de tanto chorar, prometeu a si mesma que sempre que fosse se lembrar de sua mãe iria sorrir pelos momentos bons e não derramar mais lágrimas pelos ruins.

- Você também tia! Seu cabelo está muito bonito com esse corte.

- Obrigada, linda. Onde estão suas malas? Sua prima provavelmente deve estar morrendo de fome em casa – riu brincalhona, Tiffany a acompanhou.

- Elas não chegaram ainda, estava indo perguntar agora para alguém. Pelo menos você pode me ajudar, coreano ainda não é meu forte...

A mulher sorriu e concordou com um aceno de cabeça.

Pendências resolvidas, as duas Hwang foram de taxi até a casa da mais velha, a americana recebendo questionamentos sobre sua família o tempo inteiro e respondendo com o maior bom humor que poderia responder.

Tiffany era uma garota extremamente alegre apesar das controvérsias da vida e isso cativava cada ser humano a sua volta, como se ela fosse um imã de energias positivas e amigos.

Teria que passar três dias na casa de sua tia ajeitando a papelada para se mudar de vez para o dormitório da faculdade onde iria cursar artes cênicas, nesse meio tempo esperava conseguir conversar com sua prima dois anos mais nova. Ambas conversavam bastante por mensagem e as vezes até mesmo por vídeo chamada, mas desde que a mais nova mudou de escola, mal trocavam mensagens, ela sempre estava ocupada com algo relacionado aos estudos.

- Espero que não esteja fazendo nada inapropriado, SinB – Tiffany disse ao bater na porta de sua prima delicadamente. Havia deixado suas malas no quarto de hóspedes e foi para ali só para anunciar sua presença.

O que ela ouviu foi um barulho de coisas caindo, ou melhor... pessoas caindo. Também escutou duas vozes distintas, ambas femininas. A mais velha pensou que talvez a prima estivesse com visitas e que era melhor ir conversar com ela mais tarde, mas assim que se virou para voltar ao seu quarto escutou a porta abrindo e sorriu para a prima mais nova que tinha um brilho nos olhos.

- Tiffany! – gritou animada se jogando em um abraço desajeitado, a mais velha conseguiu se equilibrar a tempo de uma tragédia acontecer e arriscar suas unhas. – Eu não acredito que você está mesmo aqui!

- Nem eu – afastou-se assumindo uma expressão de irritação como puro teatro – Aparentemente eu tiver que vir para o outro lado do planeta pra conseguir falar contigo de novo. – a expressão de culpa que cruzou a face da Hwang mais nova fez Tiffany gargalhar, ela era uma boa atriz, as vezes. – Eu to brincando. Certamente se me ignora tanto agora tem um motivo, Beagle.

- Yah, vem... Eu vou te apresentar o principal motivo.

A americana foi arrastada por sua prima para dentro do quarto e se deparou com uma menina branca, alta, de cabelos negros e franja. Franziu a sobrancelha em confusão e já estava preparada para começar mais um show de drama do tipo “você me trocou” quando sua prima foi para frente da menina, tomando o lugar entre seus braços de forma extremamente carinhosa. Um sorriso enfeitou os olhos da Hwang mais velha ao perceber que finalmente sua prima tinha encontrado alguém.

- Oi – a garota falou tímida e educada, curvando a cabeça lentamente, pois fora impedida de curvar-se corretamente pela Hwang mais nova em seus braços.

- Oh my God! – soltou feliz, quase como um gritinho e batendo palminhas no lugar – Você desencalhou Eunbi!

A cara de emburrada que SinB assumiu fez tanto a menina, quanto Tiffany gargalharem, a Hwang mais nova não se privou de dar um tapa no braço da prima pela brincadeira. A americana já tinha sentido que sua prima não era totalmente hetero e ficou feliz em ter contado que ela própria passa muito longe da heterossexualidade, porque ela sentia que era só por conta disso que sua prima lhe revelou a namorada.

- Gostei da sua prima.

- Eu sei – revirou os olhos – Tiffany, essa é minha namorada, Yerin. Yennie essa coisa é minha prima mais velha, Stephanie.

- Que vaca. – a mais velha falou quando sua prima disse seu nome. Preferia Tiffany a Stephanie.

- Me ama.

- Convencida você, hein. Quem está te influenciando assim, Eunbi? – Tiffany sentou na cama da prima de qualquer jeito e cruzou as pernas feito uma criança, em seus pés um par de meias rosa, da mesma cor que suas unhas que mais pareciam garras.

- Acho que é minha culpa... Ela ta passando muito tempo comigo e com as meninas...

Tiffany não se surpreendeu com a sentença da menina, já imaginava pelo grude das duas na sua frente. Só não iria separar porque achava fofo, mas se passassem dos limites ela iria se meter no meio mesmo porque é bonita demais pra servir de vela.

- Meninas? Você fez amizades também?

- Sim... Quatro amigas. Estudamos na mesma sala e não somos o único casalzinho...

O resto do dia se passou com as três conversando, Tiffany contou sobre o ensino médio que havia acabado de terminar e as duas contavam sobre suas vidas, principalmente Yerin que começou a falar com orgulho de tudo sobre si e isso serviu para a Hwang mais velha aprovar de vez o romance entre as duas. SinB era uma trouxa apaixonada e assim também era Yerin. Contaram que na última semana tinham feito um trabalho escolar que consistia em uma apresentação de dança e depois de muita insistência da americana, elas a fizeram novamente.

Quando estava se sentindo cansada demais a americana foi para o quarto hibernar.

O final de semana passou e Tiffany o perdeu completamente resolvendo a papelada para se mudar de vez para o dormitório, decidiu dividir o quarto para ter mais dinheiro e comprar coisas para si mesma, seu pai lhe enviaria a quantia necessário para uma estadia confortável uma vez que seus irmãos mais velhos já estavam trabalhando e cuidando financeiramente da própria vida. Segunda-feira foi o dia que seus tios a ajudaram a levar as malas para o campus. Despediu-se com muito pesar de sua prima – que já estava pronta com o uniforme escolar – e prometeu que voltaria em breve.

Na diretoria ela viu os quartos disponíveis e decidiu que iria dividir o dormitório com uma menina chamada Sooyoung, torceu para a garota ser pelo menos simpática, o que ela não esperava era que a garota para além de ser simpática – eufemismo -, ela também cozinhava e cursava gastronomia. Assim que – com muita dificuldade devido às infinitas escadas – alcançou a porta de seu quarto, já sentiu o famoso cheiro de Pizza e quase chorou de felicidade quando conferiu e viu que era ali mesmo que iria ficar. Não ligou para o fato de sua colega de quarto estar fazendo pizza antes das 11 horas, por que para ela própria, pizza não tinha hora.

- Com licença? – perguntou tímida a Hwang. – Aqui é onde vive... Choi Soo Young?

Quando não obteve respostas, ela foi em direção a mini cozinha ali, achando uma mulher extremamente magra e alta fazendo algum tipo de dança satânica – na visão da Hwang, pois na verdade a mulher tentava dançar Chandelier da Sia – com a mão suja de farinha e headset na cabeça. Tudo piorou quando chegou o refrão e a moça começou a cantar junto de maneira infeliz, mas muito engraçada. A Hwang iniciou uma gargalhada muda, batendo palmas e foi aí que a mulher se virou para ela. Contrariando as leis de timidez existentes na sociedade, sorriu e puxou – com a mão cheia de farinha, vale ressaltar – Tiffany para a cozinha também.

- Experimenta – falou Soo Young colocando uma colher na boca da Hwang. A americana quase gemeu em satisfação ao experimentar aquele molho – O que achou?

- É muito bom, meu Deus.

- Acha que falta alguma coisa?

- Está perfeito...? – deu ênfase no final da frase para lembrar a outra que ainda não tinham sido apresentadas.

- Choi Soo Young, mas pode me chamar de melhor pessoa que você vai conhecer na vida, ou só de Soo – sorriu divertida.

Gostei dela...

- Tiffany Hwang, por favor... Eu nem te conheço e já te amo. Pra que isso tudo? – apontou a quantidade exagerada de molho na panela e de massa pelo balcão.

- Eu gostaria de dizer que é pra te dar boas vindas, mas na verdade seria só uma desculpa. Estou com vontade de comer pizza mesmo – voltou a se concentrar no molho borbulhante no fogão.

- Mas não tem muita comida não?

- Nunca tem muita comida quando se trata de mim. – virou a cabeça e piscou para Tiffany, a americana só se fez rir.

Definitivamente ela é a melhor colega de quarto que a Hwang poderia ter.

- Eu vou arrumar minhas coisas, você quer ajuda?

Soo Young olhou para as mãos da americana e levantou a sobrancelha em confusão. Como ela esperava ajudar em algo que tem que colocar a mão na massa se todo o seu corpo exalava a palavra “patricinha”? Bem, aparentemente aparências enganam e foi por isso que a mais alta fez um aceno com a cabeça.

- Quero, se puder cortar a calabresa pra mim eu agradeço, mas lava as mãos antes. – Tiffany assentiu obedecendo as instruções.

 》《

A americana só iria efetivamente ir para a faculdade no dia seguinte, então daria tempo de arrumar suas coisas e conhecer um pouco mais de sua colega de quarto.

Por volta das nove horas da noite, Tiffany se lembrou da promessa que havia feito de ligar para o pai assim que chegasse ao lugar definitivo. Foi uma conversa rápida porque a americana havia se esquecido do fuso horário de dezessete horas de diferença e que o pai provavelmente estava mais dormindo do que acordado.

A americana abraçou seu travesseiro e soltou um muxoxo chateado pelo sentimento de saudade que lhe invadia o peito. Não estava triste a ponto de chorar, mas seu coração pesava do mesmo jeito. Não imaginava que a saudade seria seu pior problema, bem que seu pai falou que iria ser difícil aguentar, ele sempre estava certo. Com esse pensamento ela decidiu que precisava fazer alguma coisa para tirar o pessimismo da cabeça.

Para felicidade da Hwang, nesse momento Choi entrou pela porta do quarto toda animada e apontando na direção de Tiffany.

- Você vai se arrumar agora! Acabei de saber de uma festa open bar e não aceito não como resposta.

- Claro que não vou dizer não, estou cogitando a possibilidade de te dar um beijo por estar me tirando do tédio. – a americana se sentou na cama encarando a menina com seu típico sorriso nos olhos e uma expressão maliciosa.

- Credo. Eu gosto de macho – disse Soo Young fazendo uma careta antes de arrancar Tiffany da cama e empurrar em direção ao banheiro – Vai tomar seu banho, sapatilha.

Durante a conversa que tiveram no almoço, Tiffany contou sua sexualidade, mas somente porque a shikshin estava contando uma história sobre o bonde amigas dela, e uma em especifico que fazia de tudo para seduzir as garotas. Pessoas de mente fechada não andam com o povo do vale – como Soo dizia – e muito menos falavam com tanto carinho assim deles.

- Mas e a minha roupa?

- Eu escolho pra você, prometo que não vou tarar suas peças íntimas.

A gargalhada muda de Tiffany foi a última coisa que Soo Young viu antes de fechar a porta e se virar para procurar a roupa da americana. Descobriu aquela tarde o quanto Tiffany tinha obsessão pela cor rosa e decidiu que iria escolher algo, qualquer coisa, que não tivesse rosa.

Acabou por escolher uma roupa fresca e sensual - na medida certa – para a americana usar e torceu para que Tiffany se divertisse aquela noite, como ela própria iria se divertir procurando um certo boy.


「• • •」


 - Jessica, qual a probabilidade de eu aparecer nessa festa sem meu próprio consentimento? – Taeyeon perguntou sozinha sentada em um banco que ficava perto da capela do campus.

Jessica se materializou ao seu lado feito fumaça negra. Taeyeon apenas olhou de relance para seus scapins negros da mulher, preto era uma cor que Jessica usava recorrentemente. A ruiva sempre respondia com “para manter o clichê humano” quando era questionada sobre a paleta de cores escuras que escolhia. No momento, ela vestia uma calça social e um terno negro muito bem cortado, tudo na cor preta.

- Eu diria que de cem por cento, faz algum tempo desde que saiu para caçar, deve estar com fome – a Jung olhou para a morena que tinha os cabelos presos com uma caneta e vestia moletons excessivamente grandes – Eu também vou.

- Não tem medo de se mostrar?

- Não vai acontecer nada e outra, me deixaram aparecer para te vigiar, evitar que exponha a sua natureza.

Taeyeon concordou e suspirou antes se levantar, Jessica a acompanhou.

- Pelos menos vai tirar sua aura?

- Mas é claro! Como espera que eu apareça em uma festa com uma aura que fazem as pessoas quererem se matar? – sorriu – Eu não me importo, na verdade é meu trabalho. – deu de ombros.

Taeyeon fez uma careta e apertou o passo para não ser vista falando “sozinha” fora de seu quarto. Já a achavam louca demais por ser anti-social.

- Às vezes eu não acredito o quanto você é cruel.

- Eu sou a morte, fique feliz que sou um amorzinho com você e, aliás, vai logo trocar, quanto mais cedo você perde a consciência, mais cedo você também perde. Não vou conseguir me manter aqui por muito tempo.

- Só espero não acordar vestida feita prostituta com alguém nu do meu lado e sangue para todos os lados – se arrepiou só com o pensamento, mas tratou de esquecer aquilo quando as escadas surgiram em sua frente – Por favor, não deixe que isso aconteça, Sica.

Jessica suspirou e mordeu o lábio inferior. Ela era proibida de interferir no que a garota fazia, suas únicas funções eram impedir que a menina sucumbisse à escuridão e limpar a sujeira que deixava para trás. Não reclamava de forma alguma, o que Taeyeon deixava para trás em suas mortes era a força que Jessica tinha e antes da Kim aparecer em sua vida ela era decididamente mais fraca.

- Você sabe que eu não posso...

- Você sabe o quanto eu estou esgotada, me pare antes que eu finalize, só por hoje, eu sei que depende de mim para ficar forte também, mas, por favor... – seus olhos encheram de lágrimas. Taeyeon segurou o impulso de abraçar a mulher em sua frente simplesmente porque sabia que seria impossível.

Jessica Jung não podia ser tocada, ela tecnicamente nem nessa dimensão estava, não agora.

- Você sabe que eu vou me ferrar muito com Lilith né?

Taeyeon nada disse. De forma alguma queria que Jessica se ferrasse por sua culpa e sabia que os castigos para ela eram muito piores, tampouco queria ter a morte de mais alguém na consciência. Ela estava em um dilema entre seu bem estar ou o de Jessica e altruísta do jeito que era já tinha a resposta.

Taeyeon se virou para Jessica antes de entrar na porta e suspirou:

- Deixa pra lá.

 》《

Jessica sabia que Taeyeon já não era a mesma quando a morena entrou pela porta da frente da casa de festas. Primeiro por conta de suas roupas. Taeyeon não era de usar vestidos e saltos, ainda mais provocantes como os que usava aquele momento, todavia não era isso que dava certeza de fato que ela não era ela.

Seus olhos davam.

Os olhos de Taeyeon eram negros e recentemente transmitiam constantemente um ar melancólico, mas naquele momento seus olhos estavam azuis. Um azul claro, sensual e também faminto. Sorriu levemente ao constatar que a morena andava em sua direção com passos decididos e com um sorriso malicioso nos lábios – característica óbvia dessa Taeyeon.

- Olha só quem surpreendeu – Jessica disse fazendo questão de olhar a Kim de cima a baixo – Está sexy e dessa vez não parece uma prostituta – bateu palmas levemente.

Kim revirou os olhos e sorriu maliciosamente.

- É mais fácil conseguir as coisas vestida de prostituta.

- E o que mudou?

- Hoje eu quero me divertir, brincar um pouco com a comida – sorriu, antes de se virar para o barman e pedir um drink caro qualquer – Sabe o quanto é fácil levar alguém para a cama.

- Eu sei, eu fui uma.

Taeyeon sorriu com a lembrança e piscou para a ruiva.

- Você não foi fácil

- E mesmo assim conseguiu.

- E só não repito hoje porque estou com muita fome – pegou a bebida do homem e agradeceu sorrindo provocativa para ele – Quero uma mulher essa noite, te vejo depois Jessica.

Ela acompanhou a mulher com o olhar. Viu quando Taeyeon pegou o soju de um rapaz e o tomou por completo antes de ir em direção a um grupo de meninas com a taça em mãos para oferecer a alguma delas. Jessica suspirou e mordeu o lábio sentindo pena do que poderia acontecer com Taeyeon no dia seguinte, teria trabalho e teria que consolar a garota novamente.

Era sempre assim quando ela ia caçar.

 

「• • •」


- Você não vai me abandonar não é Soo? – Tiffany disse assim que avistaram a casa de festas no final da rua.

Eram onze horas e já tinham pessoas bêbadas fazendo idiotices na entrada, sendo que não fazia nem uma hora desde que a festa estava rolando.

A americana havia se surpreendido com o senso de moda da estudante de gastronomia – veja bem, quando a Hwang entrou em seu quarto a mulher trajava pijamas de hambúrguer – e isso fez a mais alta ganhar um ponto com a garota. Tiffany usava um cropped preto e um short da mesma cor, devido ao leve frio que Seoul proporcionava a mais alta havia pegado uma camisa jeans de mangas que iam até a coxa da garota. Aquela era uma das duas camisas favoritas e só por usá-las já havia adorado o look – mesmo que sentisse falta de alguma coisa rosa. Para complementar Choi lhe emprestou botas de cano alto que lhe cobriam até o joelho.

Estava gata, segundo a shikshin, mas ainda não era o suficiente para mudar sua sexualidade, havia acrescentado logo depois para provocar a americana.

- Claro que vou, eu vou caçar meu macho.

- E me deixar sozinha sem que eu conheça ninguém? Como você é cruel.

Soo Young olhou para Tiffany procurando algum traço de chateação e mesmo não encontrando acrescentou:

- Vou te apresentar aquela amiga minha, a que eu disse que era lésbica também – Tiffany estava pronta para abrir a boca, mas a mais alta levantou a mão antes – Não que isso importe muito, sei que não se conhecem e tal, mas ela meio que tem noção do povo LGBT daqui para você não sair investindo errado, tem gente que se irrita por pouca coisa.

- Mas quem disse que eu quero ficar com alguém? – exclamou como se fosse um absurdo.

Tiffany não queria ir para a festa para sair acompanhada, apesar de querer se livrar de frustrações sexuais. Ela era do tipo que se relaciona com pessoas romanticamente, para depois ver a relação sexual. Estava indo mais para dançar e beber um pouco, até porque teria aula no dia seguinte.

- Ah, mas você vai querer. – disse rindo enquanto desviava de um par de bêbados falando coisas sem sentido. Tiffany ficou com nojo ao sentir o cheiro de álcool do lugar, mas não falou nada.

- Que absurdo! Eu não sou assim.

Soo Young riu.

- Relaxa, vai ser divertido.

 》《

Sooyoung estava errada, aquilo não era divertido para Tiffany. A americana foi simplesmente arremessada na direção de uma morena chamada Yuri e a partir daí foi deixada sozinha com seu grupo de amigas. Yuri era realmente legal, mas estava interessada em uma mulher perto do bar e a americana não queria impedir a garota de ir lá conversar com a ruiva.

Ela detestava ser um peso nas costas dos outros e se sentia exatamente desse jeito. Todas as garotas estavam conversando sobre assuntos e piadas internas, as vezes tentam puxar Tiffany para a conversa, mas a garota se sentia totalmente perdida.

- Eu acho que vou para casa – murmurou depois de cerca de uma hora de festa para uma baixinha loira amiga de Yuri. A música estava alta, mas onde elas estavam era longe das caixas de som, por isso a voz de Tiffany foi escutada.

A garota olhou na direção dela e franziu a sobrancelha confusa:

- Mas já, você nem se divertiu!

- Eu sei, mas é que não conheço ninguém e não quero ficar parada olhando para o nada.

- Não seja por isso, vem – Sunny deixou sua garrafa de soju com uma menina do seu lado e saiu arrastando Tiffany para a pista de dança. – Vamos dançar.

Foi durante o caminho que Tiffany se esbarrou com uma mulher mais baixa que ela. Martini foi derramado sobre a desconhecida, molhando o vestido que por sorte era negro. A Hwang imediatamente assumiu uma expressão culpada e quando iria abrir a boca para se desculpar, a estranha lhe impediu:

- Não olha pra onde anda garota? – Seu tom de voz foi seco como o deserto, mas não pareceu o suficiente – Por acaso tem problema de visão?

Mas é claro que Tiffany não iria deixar barato. Olhou bem nos olhos azuis da desconhecida antes de soltar a mão de Sunny. Sim, ela tinha ficado irritada com aquilo, ninguém tinha o direito de falar daquele jeito com ela. Se essa desconhecida não tinha educação, ela também não teria.

- Eu já iria pedir desculpa, sua escrota, mas pelo visto você não percebeu.

Os olhos da mulher se tornaram brilhantes de uma forma quase impossível humanamente. Tiffany sentiu o ar lhe faltar e o mundo ao seu redor girar antes de apagar completamente, restando somente o azul em seu campo de visão. Foram poucos segundos, mas pareceram horas e quando ela pareceu acordar daquilo, a mulher estava quase a beijando.

A raiva que subiu pelo sistema de Tiffany foi tanta que não pensou duas vezes antes de empurrar a desconhecida para trás e lhe dar um tapa no rosto.

Quem ela pensa que é?

- Você é louca? Como acha que pode sair me beijando assim? – vociferou Tiffany irritada, pronta para dar um chilique na festa. A mulher estava com uma expressão surpresa, mas tão rápido quando apareceu em seu rosto, aquela expressão sumiu, dando lugar a um olhar irritado. – Responde!

A mulher novamente deixou seus olhos brilharem, mas dessa vez Tiffany não sentiu nada, ao invés disso ficou mais irritada ainda, como se fosse possível. Suas mãos se fecharam em punho e ela estava prestes a gritar novamente com aquela... estúpida, mas antes que pudesse abrir a boca a garota deu um passo para frente puxando a americana com uma força desnecessária pelo pulso e colando o corpo do da Hwang.

- Por que não funciona com você?


Notas Finais


E aí? O que acharam? Comentem e me deem seu feedback.
Sentiram alguma semelhança na parte da SinB, hein, hein? Panfletagem gratuita de Sunshine da @jamunnie
Espero que - algumas - dúvidas tenham sido esclarecidas, porque meu amor... Essa fic vai ser mais confusa do que a minha vida amorosa.
Acho que é só isso, até o próximo capítulo butterflys.
Beijo da piranha :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...