História She Wolf - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Bruxas, Lobisomens, Lobos, Luta, Magia, Originais, Romance, Selvagens, Sobrenatural, Transmorphos, Vampiros, Violencia
Exibições 136
Palavras 1.290
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Shounen, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olá novamente! Quanto tempo hem! (quarta feira eu postei *-*) Saudades me mim? *Acho que na verdade da história, não? Hahah ♥
Então...62 FAVORITOS? 50 COMENTÁRIOS? Gente, vocês são fodas e eu amo vocês ♥♥♥

Capítulo 18 - Capítulo XVIII


Fanfic / Fanfiction She Wolf - Capítulo 18 - Capítulo XVIII

Nessas últimas semanas que se passaram, foram uma completa bagunça em minha vida. Vinicius Wolv completou seus 20 anos – DEUSES! Sou dois anos mais nova que ele! – e se tornou agora o nosso Alpha oficialmente, Noah continua sendo o meu irmão que amo...até demais, Becca e Kyle começaram a namorar, e eu e Niles, bem, estamos amigos, eu apenas estou dando uma chance a ele, para ver onde vamos dar. E é claro que Noah e Vinicius estão se corroendo de ciúmes, mas não posso fazer nada, é a MINHA vida afinal das contas, não sou uma boneca na qual eles ditam o que devo e não devo fazer. Ohh, quase me esqueço, completei meus 18 anos dia 20 de fevereiro...é, as coisas andam rápidas, até demais para meu gosto.

Vou admitir, se eu não fosse tão cabeça dura antes, eu nunca iria perceber o quão atencioso Niles é. Ele até tentou me pedir em namoro, mas não aceitei. Disse que a nossa amizade colorida – sem sexo ok? – está bem e que não estou preparada psicologicamente para namorar.

Ainda trabalho como sua secretária pessoal...e até volte e meia gerencio a Book & Coffee. Meus pais estão felizes por mim, por eu melhorar do meu decaimento ao fundo do posso quando Juliano voltou, e até agradeceram pessoalmente Niles por isso. Me lembro claramente deste dia, ele me chamou para sair, e ele me buscou em casa com seus carro – que é igual ao meu – e me esperou na sala. Foi engraçado, ele como humano não pode sentir cheiro de emoções, e como eu posso...a sala estava infectada de ciúmes e ódio, se meus pais não estivessem junto de Niles, os meninos já teriam arrancado a cabeça dele e pendurado no portão de casa. Niles me perguntou o porquê tinha tanta gente em casa, falei a verdade, meus pais pediram isso. Ele ficou muito assustado ao saber dos lobisomens...muito mesmo. Minha loba não parava de rir um segundo se quer. O pior foi quando ele meu viu transformar...Niles desmaiou.

Isso foi duas semanas depois de começarmos a sair...e como já se passaram dois meses depois disso, essa minha habilidade já ficou comum para ele.

 

-Você sabe que não gosto de filmes de terror Niles!

Nós estávamos em uma locadora, e Niles havia me puxado para a sessão de terror.

-O que você quer assistir meu amor?

-Não me chame assim, eu não aceitei nada seu trouxa! – eu brincava com ele. – Mas, respondendo, que tal ação?

-Romance?

-Meloso demais.

-Qual de ação?

-Gosto do Agente 47...

-Assistimos semana passada! – Niles gesticulava freneticamente rindo.

-Ok, escolhe um desde que não seja terror!

-Nem Carrie?

-SIM! Carrie sim!

Eu pulava para tentar alcançar o filme na última prateleira, a pessoa que estava me acompanhando, me observava rindo a minha desgraça eu parei o que estava fazendo, dei uns tapas e voltei a tarefa difícil que estava fazendo. Senti Niles se aproximar de mim por trás, me agarrando, sua mão esquerda me segurar pela cintura a direita pegar filme. Um frio percorreu por minha espinha ao sentir o membro de Niles em meu bumbum.

-M-Mais algum?

-Vamos ver os de ação...e quem sabe talvez um pornô para esquentar. – ele sussurrava me fazendo arrepiar.

Eu tentei negar a sua ultima opção, mas falhamente, consegui, e o mais próximo da negação foi mexer a cabeça. Ele riu de mim e roubou um selinho de mim. Escolhemos mais uns três filmes, pagamos e voltamos para o trabalho, já que ele havia me buscado do colégio de manhã e em seguida íamos almoçar para trabalhar à tarde. Nós paramos naquela padariazinha que eu aceitei sair com ele na primeira vez, lá também servia almoço, e era muito bom. Eu escolhi meu prato e Niles o seu, ele foi ao balcão fazer os nossos pedidos e voltou com um sorriso brincalhão dançando em seus lábios.

-Você vai aprontar alguma Niles!

-Não posso fazer brincadeirinhas com você, Jelly arrancaria minha cabeça.

-Adoraria fazer isso, boa ideia, vou até anotar! – minha voz ficou mais rouca, e meus olhos azuis ficaram amarelos ouro.

Ele apenas riu junto de mim, e dentro de minha mente, Jelly apreciava as palavras que pronunciara. Comemos em silêncio, sentindo de vez em quando, uma perna de Niles acariciar a minha, apenas ria disso.

Nada de pegadinha.

Voltamos ao trabalho.

Nada de pegadinha.

Fomos para sua casa.

Nada de pegadinha.

Assistimos um dos três filmes.

Nada de pegadinha.

Eu comecei a ficar inquieta, aguardando a pegadinha de Niles vir. Mas nada acontecia. Escutei a barriga de Niles roncar, e ele decidiu pedir um fast food para comermos, e Mc’Donalds foi a solução.

-Niles, o que você está aprontando? – eu me endireitei em seu sofá, ficando de frente para encará-lo.

-Nada Angel, eu disse que não ia aprontar nada.

-Você vai aprontar alguma coisa sim! Eu te vi conversando com meus pais hoje antes de buscar em casa para me levar ao colégio! E depois que pediu o almoço, você e a senhora que te atendeu ficaram com um sorrisinho bobo no rosto!

-Você fica linda assim desconfiada.

Niles me puxou para si e me beijou com delicadeza mas voracidade, como se necessitasse de meu beijo a tempos. Somente paramos assim que a campainha tocou, tanto eu quanto Niles estávamos descabelados e ofegantes, a camiseta social de Niles estava aberta e minha regata branca estava amassada. Assim que abrimos a porta, o carinha me encarou com malícia, mas um belo de um soco de Niles logo retirou o sorriso. O cara cambaleou para trás e protestando, Niles apenas pegou nossa comida e jogou o dinheiro no cara.

-Nunca mexa com a namorada dos outros cara!

A porta quase caiu com a força de Niles ao fechá-la. Eu comecei a rir loucamente, recebi um olhar fuzilador em troca, mas isso só me fez rir mais.

Assim que me acalmei, comemos em silêncio, mas fui interrompida quando deixei cair refri em mim, e neste momento, a campainha tocou.

-Vai se limpar que eu vejo quem é.

Assenti e fui ao banheiro, não consegui identificar a voz já que eu estava no segundo andar, e no quarto de Niles, que é o mais afastado de tudo, o último do corredor para ser mais exata. Assim que me limpei e troquei de roupa, peguei minha mochila de desci as escadas, e quando vi quem era, minha loba de imediato ficou sedenta de ódio e sangue.

Eu estava tomada de raiva, e uma palavra errada da pessoa, eu mataria tanto ela quanto Niles. Eu respirei fundo e ergui a cabeça, dando-me toda a razão do mundo para ter meu ego no máximo neste exato momento.

-Niles, já vou embora. Não deu dois minutos que saio apenas para me limpar e você está literalmente fazendo sexo com a Luana. Não vou atrapalhar vocês dois.

Ela estava completamente nua, e Niles somente com a sua camisa social aberta. Eu estremeci com a cena e caminhei para fora daquela casa.

-Não sabia que estava aqui Angel, quer vir se juntar a nós dois? Adoraria te comer também já faz um tempão! Sabia que te acho gostosa e tenho uma fantasia sexual com você?

“Ela não disse isso Angel!”

-Disse!

Eu rosnei alto e caminhei pela floresta.

Deu apenas cinco minutos caminhando por um atalho na floresta. Pela cidade, daria mais de dez minutos. Assim que cheguei em casa, todos me encaravam de olhos esbugalhados, curiosos e surpresos. Posso dizer que até se encolheram por causa da minha raiva que emanava de mim. Subi as escadas com passos pesados, larguei minha mochila num canto e retirei minhas roupas, e desci as escadas novamente.

-Onde vai nua Angel? – minha mãe perguntou assim que alcancei a porta.

-Caçar para não matar alguém.


Notas Finais


OHHH TRETAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA
Gente, acho que a partir de agora, as coisas vão ficar tensas...
Me lembro de alguém comentar no jornal do Niles que ele não era homem de se jogar fora e que ele era O perfeito do harém de Angel...mas depois dessa, pessoinha que comentou aquilo que não me lembro...SE PRONUNCIE DEPOIS DESSA! Hahahah
Ai como adoro deixar as pessoas magoarem Angel e ela se lascar ♥
E gente, vamos conhecer essa louca da Luana?
Link jornal Luana Larson:
https://spiritfanfics.com/perfil/kellyspronk/jornal/she-wolf--luana-larson-6740517


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...