História She Wolf - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Bruxas, Lobisomens, Lobos, Luta, Magia, Originais, Romance, Selvagens, Sobrenatural, Transmorphos, Vampiros, Violencia
Exibições 201
Palavras 1.525
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Ficção, Hentai, Luta, Magia, Romance e Novela, Shounen, Sobrenatural, Violência
Avisos: Álcool, Canibalismo, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


OLHA EU AQUI DE NOVO!
Não era maratona de três dias? Então, já chegamos no último :( mas para recompensar, é capítulo especial
♥3♥

Capítulo 26 - Capítulo XXVI


Fanfic / Fanfiction She Wolf - Capítulo 26 - Capítulo XXVI

Vinicius Wolv

Eu já estava começando a ficar com raiva. Sempre que era para acontecer algo entre eu e Angel, algo atrapalhava. Minha vida estava indo tão bem, mas Noah morreu, e ela ficou inconsolável. Depois disso, eu a ajudei e ainda a ajudo a recuperar o trauma. Sim, admito, eu morro de ciúmes da relação que eles tinham, mas também tenho em mente que, eu também posso ter isso algum dia uma relação com ela. Mas como o destino adora ferrar com a vida da minha garota, ele decidiu fazer com que ela descobrisse que o carinha que ela quase namorou, foi quem matou o seu grande amigo, e pior, ele queria e quer matar a sua família e a mim também.

Eu pensava em todas as minhas responsabilidades que comecei a assumir no inicio do ano, quando completei meus 20 anos. Nunca vi meu avô tão feliz assim, bem, só quando ele soube que minha mãe estava grávida, e que seu neto era um homem, e quase me esqueço, sua felicidade foi ainda maior quando eu nasci, ohh, não posso esquecer que ele era feliz em me ver crescer, escutar a minha palavra ser Ductor, – palavra meio difícil para um bebê não? – eu começar a andar, minha primeira transformação e até mesmo a minha primeira e única paixão, chamada Angel. Sim, eu sei, ele ficou também muito feliz quando soube a alguns meses atrás, que ganharia uma neta, Mellanie, ela ainda é um bebê, dois anos de idade,e surpreendentemente, nasceu no mesmo dia que Angel, 20 de fevereiro.

Eu estava abraçado com minha garota, quando ela se afastou de mim e se levantou...para pegar um chocolate dentro de um cofre secreto?! Ok, eu amo uma garota estranha, mas estranhamente linda. Amo cada defeito dela, e admito isso sim. Sem medo.

Resolvi brincar com ela, então puxei suas pernas para ela cair, mas não pensei direito e ela caiu em cima de meu colo e emitiu um gemido alto...isso me deixou excitado. Ela me encarou profundamente com seus olhos azuis iguais a gelo. Não resisti e a puxei para um beijo. Assim que as coisas começaram a esquentar, a campainha tocou, e tanto eu quanto Angel, nos encolhemos de medo, não era susto pelo o que fazíamos. Foi medo do que estava do lado de fora.

Ductor.

Angel estava agarrada a mim, tremendo, sentindo pela primeira vez na vida, ser dominada, e olha, nem eu consigo essa façanha direito. Eu sussurrei em seu ouvido que tudo estava bem e a puxei para mais perto, em seguida descemos as escadas e ela foi para a cozinha enquanto eu abria a porta para meu avô.

-Vinicius! – logo seu sorriso apareceu e deixou de lado sua dominância.

-Robbert Wolv! – eu retribui o sorriso e o abracei.

Fazia muito tempo em que não o via, então, saudades são palavras fracas para o que estava sentido. E você deve estar se perguntando: Vinicius Wolv! Você é sentimental assim?!

SIM, EU SOU! AO MENOS EU TENHO CORAÇÃO!

 

Ele havia amado minha garota, com um pedido meu, ele deixou de exalar dominância, e com isso, Angel conseguiu mostrar o quão meiga e gentil que é, e isso só o fez a amar ainda mais. Todos da alcateia já haviam chegado, menos Tristan que passaria a noite fora e Mike, o que me estranhou, já que ele trabalhava como professor de luta, então, já a essa hora da noite – 23:00 – ele já deveria estar aqui.

Angel estava na cozinha com minha priminha Mellanie no colo, brincando. Quem diria que minha garota se daria bem com crianças!

“Acho porque ela é uma criança também.” – meu lobo brincou.

Meus tios, Tom e Sally, mais meus pais, Kelly e Josh, conversavam animadamente com Kat e Sage, os pais de Angel. Meus lobos, que consistia agora somente em Nathaniel que estava aqui, preparava doces para minhas garotas. Eu e meu avô, observávamos tudo, contentes com nossos impérios. Ele já estava com seus 1566 anos, e eu, apenas 20, eu tinha muito caminho a percorrer ainda, como ele. E meu Ductor, era meu espelho de vida.

 

No dia seguinte, eu ainda estranhava a falta de Mike, mas deixei isso de lado, ele volte e meia, não voltava pois, ‘dava aula particular’ para uma de suas alunas. Tristan, por outro lado, ele havia me ligado, disse que encontrou o amor de sua vida, e esperaria mais um tempo, para que ela se tornasse parte da alcateia. Nathaniel, nunca esteve tão feliz por receber tantos elogios sobre sua comida, ele quase se enfiava na lata de lixo da cozinha quando o Ductor se aproximava para parabenizar sobre sua comida favorita que Nath preparava com perfeição.

Nunca estive tão feliz, minha alcateia era pequena, quem sabe, com Luana seremos 9 lobos novamente? Mas isso não se compara com meu avô, que comanda toda a região da América, e então, podemos dizer que ele tem países cheios de lobos.

Sim, eu sei, sou muito orgulhoso e quero cada vez mais para mim, mas isso está no meu sangue,não nego que parte desse desejo seja por causa da dominância, mas...ter mais é poder, não?

Eu acordei com Angel se mexendo em meus braços, dormi no quarto dela mais a Mell. Eu sorri e beijei minha linda namorada.

“Ela não é nada sua.”

Você sempre tirando minha alegria lobo. – respondi com o rosto sério.

-Logo cedo e já com essa cara séria? – Angel perguntou com seu rosto me analisando.

-Conflitos entre mim e lobo.

Ele riu e voltou a deitar sua cabeça em meu peito.

-E não sou sua namorada. – ela falou de repente.

-Como... – minha frase morreu no inicio, me lembrei de nossa ‘conexão’.

-Bom dia casal. – meu avô bateu e entrou no quarto, rindo. Angel corou e eu gelei. – Posso entrar?

-Ohh, sim. – Angel disse descontraída e se sentou na cama, ajeitando Mellanie deitada em seu colo e eu me sentei também.

-Descobri somente de olhar para vocês, o motivo da conexão. – Robbert disse calmamente.

-C-Como assim só de olhar? – ela gaguejou e se ajeitou na cama.

Meu avô sorriu e apontou com o queixo para a cama onde estávamos, Angel de inicio se sentiu constrangida, e para confortá-la, segurei sua mão com carinho.

-Vocês são tão unidos que até parecem que são um casal. Mas não são? – ele tombou a cabeça de lado com curiosidade, finalmente soltando a pergunta que se fazia desde que nos viu juntos.

-Quem sabe algum dia desses.

Eu fiquei muito surpreso.

 

Eu não respondi.

 

Mellanie não respondeu.

 

Meu avô não respondeu.

 

 

 

 

Angel respondeu.

 

Senti meu coração parar de funcionar por um momento de tanta alegria. Ela estava brincando comigo?

-Quem sabe um dia? – ela frisou por telepatia.

Assim que olhei para ela, seus olhos azuis gelo estavam com um brilho que nunca vi antes e seu sorriso, era sincero. Ainda atônito, olhei para meu avô, que ria de minha cara.

-Bem, acho que isso responde a pergunta de vocês. – Wolv disse por fim, quebrando o silêncio que ficou constrangedor até mesmo para mim.

-M-Mas como assim vô? – eu disse antes que ele se levantasse e saísse.

-Vocês criaram uma união forte, igualmente à acasalados, isso ninguém quebra, ao menos que um desista do outro e comece uma nova relação. Essa união que digo, é como um laço invisível, ninguém vê, ninguém sente... uma metáfora, então, existem casos onde um casal é tão unido, que cria essa corrente mesmo antes de se acasalar, que é o caso de vocês, mas, existem casos onde, o casal só tem essa conexão, depois de casarem e acasalarem.

 

 

Nós tivemos um almoço em família, tudo estava correndo bem, até Kelly, minha tia, derrubar ‘acidentalmente’ todo o suco em Angel e ainda brigar com ela. Desde que ela chegou, minha tia não gostou nem um pouquinho da aproximação de Mellanie com minha namorada. Então, agora, ela anda aprontando de tudo para deixar minha garota mal.

-Olha Kelly! Eu acho que o problema aqui é você! Pare de implicar com minha namorada, ela não te fez nada para você fazer isso com ela. – eu soquei a mesa e percebi que estava em pé assim que me joguei na cadeira novamente.

-Vini, está tudo bem. – Angel disse calmamente, mas percebi seu olho piscando involuntariamente de raiva.

Ela jogou sua toalha na mesa e saiu batendo os pés. Meu avô olhou tão severamente para Kelly que ela só não se encolheu mais por não ter espaço. Olhei para Ductor e ele entendeu que eu sairia da mesa para correr até minha garota.

Andei pela casa inteira e não encontrei. Fui para o lado de fora, e também nada de Angel. Eu farejei no ar o cheiro de canela dela, assim que meu nariz encontrou seu perfume, meu senso de localização deduziu que ela não estava muito longe. Caminhei alguns metros até chegar do lado de fora do portão e me deparar com minha namorada estática, sem movimento algum. Ela olhava fixamente para a pequena depressão no acostamento do outro lado da rua. Assim que caminhei e parei ao lado dela, achei algo caído entre o mato alto banhado em sangue.

O corpo de Mike.


Notas Finais


Como nesse capítulo chegou personagens novos, então, vamos retornar a ter jornais ♥ E decidi começar pelos pais de Vini...
Link jornal Josh & Kelly Wolv:
https://spiritfanfics.com/perfil/kellyspronk/jornal/she-wolf--josh-kelly-wolv-7124903


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...