História Sheng Nu - Capítulo 5


Escrita por: ß

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Abo, Gabriela Eu Te Amooooo, Hopega, Menção Jikook, Menção Namjin, Sobi, Sope, Yoonseok
Exibições 608
Palavras 1.568
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


oi, gente ♥
achei que não conseguiria escrever hoje, mas saiu UAHIAJS espero que gostem!
gabi, te amo e fecha essas abas sz

Capítulo 5 - Aconchego


 

Aconchego;

aquilo que Hoseok estava começando a sentir.

 

 

— O que está achando de Miyo até agora?

— É um bom reino. Bem mais frio do que Ilarya, mas pudera. Está até mesmo em nosso nome. Em nossa língua antiga, Ilarya significa...

Campos do Sol. Depois daquela noite que conversamos, eu pesquisei um pouco sobre seu reino natal.

Um sorriso admirado abriu-se no rosto de Hoseok. — E o que achou do que descobriu?

Vendo o sorriso de seu marido, Yoongi também se permitiu sorrir fechado, porém doce. — Muito interessante. Ouvi dizer que o outono de lá é o mais bonito. Quando as coisas aqui estiverem devidamente estabilizadas, nós visitaremos seu irmão e então você poderá me mostrar seu reino. Claro, se quiser.

Hoseok apertou um pouco mais o aperto que já fazia antes na pele coberta por um grosso casaco do mais velho. Seu braço esquerdo estava engajado ao direito deles e ambos andavam assim, aproveitando do calor um do outro – o inverno do reino já havia se instalado – e também da companhia.

Min Woozi havia mandado organizar uma confraternização entre os nobres para que o casal real pudesse ser apresentado também aos mais altos escalões – e tudo era muito mais sofisticado do que havia sido o encontro com os plebeus, naturalmente. A pequena festa acontecia nos jardins do castelo e o frio havia se tornado intenso.

Hoseok nunca havia sentido tanto frio quanto sentira naquela manhã. Como ele mesmo havia dito, Ilarya era o campo do Sol – mesmo seu inverno não chegava a ser de fato gelado. Taehyung, quando viu seu senhor pela primeira vez naquele dia, desesperou-se por tê-lo visto pálido e levemente azul. Alguns casacos e um tempo perto da lareira foram o suficiente para devolver-lhe sua cor natural.

O casal real já estava ali há algumas horas e depois de muitas, muitas conversas com todos aqueles nobres, eles agora podiam aproveitar um tempo a sós (bem, isso era o que Hoseok achava. Se dependesse de Min Chaerin, ambos continuariam tendo que servir os nobres até altas horas da noite, mas Yoongi não hesitou em fazer sua presença ficar um tanto mais intimidadora para os demais de modo que não foram mais incomodados).

O ômega, por sinal, surpreendeu-se ao ver o jardim tão colorido que havia amado ainda mais belo. Eram as flores raras do reino dos Min, afinal; elas continuavam com suas cores, mas agora uma camada de gelo cristalino envolvia todas as pétalas, folhas e caules, de modo que pareciam estar envoltas numa película protetora que à luz incandescente das tochas, fazia com que as cores parecessem mais vibrantes. Mesas estavam espalhadas pelo jardim, assim como as próprias pessoas. Pelo que o ruivo percebera, todas elas moravam no castelo. À medida que as conhecia, sentia-se mais acuado e oprimido – os olhares tortos que a maior parte delas lançava para si era desconfortável. Todos sabiam que Jung – sim, muitos também o chamaram pelo nome de solteiro – Hoseok era um sheng nu.

Até mesmo as “boas ômegas” que Min Chaerin havia citado estavam lá, ignorando a presença do rei mais novo para tentar jogar algum charme em Yoongi, este que sempre esquivava de qualquer investida de forma não tão gentil. Foi com muita surpresa que Hoseok percebeu que seu marido não era o mesmo com os outros em relação ao tratamento que havia recebido até ali.

Se Yoongi estivesse conversando com alguém de forma pacífica, sem nenhuma provocação velada ou algo do tipo, então ele era muito educado, embora não tão cortês. Se por acaso a outra pessoa o criticasse por ter se casado com Hoseok, então ele poderia até mesmo usar de rudeza – e num caso extremo em que um dos alfas da corte, já bêbado, fez um comentário nada decente sobre Hoseok, o rei não se esforçou para controlar sua presença que intimidou o outro no mesmo instante. Ao mesmo tempo que ficava grato, o Min mais novo também se sentiu um pouco amedrontado – e se Yoongi fosse autoritário e rude daquele jeito todo o tempo e só estivesse fingindo para si?

Tais pensamentos foram embora agora que estavam sozinhos, caminhando calmamente pelo jardim, um pouco afastados da movimentação, e o moreno se mostrava novamente gentil, calmo e com sorrisos tão doces.

— Tenho certeza que Namjoon nos receberá bem — garantiu. — Pelo que vi de Miyo, mesmo o frio deixa as coisas muito bonitas. Taehyung me mostrou a biblioteca, então, eu também andei lendo um pouco. Terra da lua, certo?

O mais velho confirmou com um meneio de cabeça, seu sorriso mostrando também um pouco de sua surpresa. — Isso mesmo. Chamaram-na assim porque em nossa última noite de inverno, nossa lua se torna diferente e não pode ser vista em outros reinos próximos daqui.

— Diferente como?

— Quando a última noite chegar, eu lhe mostrarei.

Hoseok sorriu com o tom brincalhão do mais velho. — Não se esqueça, não quero esperar todas as outras estações depois.

Continuaram andando e conversando e Hoseok não percebeu quando Yoongi o afastou ainda mais do jardim. Quando deu por si, ambos andavam pela trilha também florida que contornava o castelo e os levaria até...

— O lago? — perguntou interessado. Taehyung já havia lhe dito aonde aquele caminho daria.

— O lago — confirmou com um riso baixo ao perceber a curiosidade na voz de seu marido. — Você já foi lá? À noite, é muito bonito.

E era. O lago não era muito grande, mas Yoongi lhe garantiu que seu tamanho relativamente pequeno era apenas impressão. Era cercado pela grama e a poucos metros da água havia uma árvore grande com copas vistosas e verdes – a única planta que não parecia ter aquela camada de gelo.

— Imaginei que a água estaria congelada — comentou, observando o movimento quase inexistente das águas.

— Esse lugar foi abençoado por nossa deusa. A água não congela, assim como essa árvore. Perto dela é até mesmo mais quente.

Aquilo pareceu interessar o ruivo ainda mais, já que puxou o menor para perto da árvore de forma afobada, causando-lhe novamente um riso. Hoseok constatou com renovada surpresa que, sim, era um tantinho mais aconchegante perto do tronco grosso da árvore que não parecia ser a morada de pequeninho animal algum. Suas raízes estavam bem escondidas debaixo da terra e seu tronco grosso revelava muita saúde.

Ambos sabiam que deveriam voltar logo para a pequena festa e por isso queriam aproveitar aquele momento de quase silêncio – quase, uma vez que a música tocada ainda era ouvida. Pelo visto, o povo – em geral – de Miyo apetecia-se mais com celebrações durante a noite.

Yoongi sentou-se na grama e encostou-se ao tronco da árvore, logo estendendo um braço – que levou consigo um pouco de sua capa quentinha – para que Hoseok se acomodasse ali, algo que o ruivo fez sem demora. Logo estava aninhado ao corpo do alfa, este lhe cobrindo, sentindo seu cheiro cítrico mesmo com todos aqueles panos sobre sua pele.

Ficaram em silêncio por algum tempo. A lua era refletida nas águas do lago que paradas, assemelhavam-se a um espelho. Contudo, a natureza inquieta do ômega não lhe permitiu ficar assim por muito tempo.

— Você parece diferente.

— Diferente como?

— Eu quis dizer... Falando com eles e falando comigo. Me pareceu diferente.

— Ah — Yoongi riu. — Você é meu marido, eles são as pessoas que eu preciso aturar por conta de questões burocráticas. Deve ter percebido que eu não faço questão de ser educado com alguns deles.

— Percebi, sim.

— Não é por mal, não pense assim de mim. Conheço-os todos há muitos anos e lhe garanto que eu era um menino muito gentil.

Sob o tom divertido do alfa, Hoseok apertou com um pouquinho mais de força seu ombro – estava apoiado sobre o corpo menor que o seu abraçando-o com apenas um braço – e sorriu.

— Mas aquelas ômegas, por exemplo, que tentaram lhe rebaixar ou ficaram em cima de mim... Gentileza não cabe a elas, me entende?

— Fico feliz, então, que sua gentileza caiba a mim. Você fica realmente assustador com aquele jeito frio.

Desta vez, ambos riram. — Como eu poderia ser rude com você?

Hoseok ergueu-se, tendo seu olhar capturado pelos olhos afiados do alfa, sorrindo fracamente quando ele fez o mesmo. Yoongi abaixou um pouco o rosto, roçando seu nariz ao alheio, que sorriu mais aberto em frente ao gesto – nenhum dos dois sentia a ponta de seus narizes pelo frio, mas fora adorável para o ômega de qualquer maneira. E então, virando o corpo de forma mais conveniente para o mais novo, Yoongi acariciou seu rosto com a ponta dos dedos e se permitiu tomar os lábios um pouquinho azulados para si num selar leve.

Hoseok fechou os olhos enquanto sentia seu coração querer saltar do peito – não se admiraria se o outro Min pudesse ouvi-lo batendo. Sua mão que antes estava sobre o ombro alheio vagou até sua nuca, aproveitando do quentinho que havia ali, já que o local era protegido pelas roupas. O toque dos lábios era superficial, quase infantil, e talvez o ruivo fosse grato por isso. O movimento lento dos lábios frios sobre os seus, as mãos que lhe acarinhavam o rosto e o traziam para mais perto, a sensação morna que se arrastou por seu corpo de forma tão rápida...

Hoseok poderia jurar jamais ter sentido sensação como aquela. E se tivesse que aturar os nobres inconvenientes que agora fariam parte de seu cotidiano por aquilo, por Yoongi, por seus esforços e por Miyo e Ilarya, então ele faria.

 


Notas Finais


ALOOOO
eu to morrendo de vergonha por postar sem ter respondido os comentários dos últimos capítulos, me desculpem;; eu ia fazendo tudo ontem e hoje, mas ontem eu passei o dia e a noite ocupada e hoje eu fiquei ajudando a mãe da minha melhor amiga numas coisas, então só deu tempo de escrever e fazer as coisas aqui de casa. eu juro que vou tentando adiantar até a semana que vem TuT
desculpem-me também por qualquer erro! se puderem me avisar de algum, vou ser grata, tb.
GABI, ESPERO QUE VOCÊ TENHA GOSTADO, MOZÃOOOOO
http://www.twitter.com/min_word
beijos e até fds que vem \õ


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...