História SHE'S A MONSTER (IMAGINE- Yugyeom) - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Got7, Zico
Personagens BamBam, Jackson, JB, J-hope, Jimin, Jin, Jinyoung, Jungkook, Mark, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V, Youngjae, Yugyeom, Zico
Visualizações 26
Palavras 1.825
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


vortei... espero que gostem boa leitura!!

Capítulo 7 - Bultaurone


Fanfic / Fanfiction SHE'S A MONSTER (IMAGINE- Yugyeom) - Capítulo 7 - Bultaurone

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨CONTINUAÇÃO¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

 

Yugyeom on

Está quase se completando uma semana que estamos nessa enrascada, se é que essa situação têm adjetivos para classifica-la. Desde que aquele velho, o pai da Kristeen “pediu” para que fizéssemos esse “trabalho” pra ele, eu não consigo parar de pensar em como estamos tendo a cara de pau de ficar na casa de alguém que “temos” que tirar a vida, me sinto terrivelmente incomodado, eu nunca fiz isso, e realmente não sei se irei ter tamanha coragem. Por um momento, veio em minha mente o seu rosto branquinho, e seus olhos verdes, me vejo sorrindo involuntariamente. Sensação um pouco estranha.

 

- no que tanto pensa em Yugyeom? – fui tirado dos meus devaneios quando Jackson sentou se ao meu lado na grama do jardim da casa da pessoa, cujo protagoniza os meus pensamentos nem um pouco confortáveis.

 

-como nós iremos fazer isso com alguém que não fez nada pra gente? – falo já não aguentando minha indignação, nós não somos monstros, e isso é muito errado. Por um momento sou encarado pelo mais velho que me passava um sentimento de compreensão.

 

- eu também não concordo com essa ideia maluca, e acho que estamos acabando com as nossas vidas, seguindo esse plano. – fiquei pensando em como nossas vidas se transformaram em tão pouco tempo, éramos uma gang de rua, que por incrível que pareça, não bagunçávamos, o máximo que conseguíamos fazer era uma típica pichação em muros privados. Mas isso? Isso já é demais pra nós.

- se pudéssemos fazer alguma coisa... – falo implorando a Deus uma solução. Encaro o seu que está visivelmente nublado, alertando a vinda de uma possível tempestade.

 -  talvez a gente possa fazer algo. – rapidamente encaro o ser que talvez possa ter a solução em mãos, bom pelo menos nos pensamentos. – e se eu e você, -- ele dá uma pausa e olha pros lados – tirasse ela daqui, antes deles fazerem o serviço? – fico sem entender.

- como assim, como faremos isso? – eu realmente não sei onde ele quer chegar com isso, mas espero que chegue em uma solução um tanto quanto apropriada.

- simples, faremos com que o Jaebum, aceite a ideia de explodir essa casa, com ela dentro. – tá... por essa eu não esperava, como ele pensou nisso? parece que não era só eu que pensava contra toda essa situação.

- será que ele aceitaria essa sugestão? E como faríamos para tira-la da casa? – o pergunto sem ter a menor ideia das respostas, e como ele conseguiu pensar nisso?

- olha... – ele suspira – eu assim como você, não gostei da ideia de que teremos que... tirar a vida de uma pessoa, então desde que chegamos aqui eu tive que pensar em algo, daí isso veio em minha mente. ­– realmente, Jackson sempre foi uns dos mais sensatos, e ainda não sei como eu não pensei que ele também estaria contra esse plano.

-  mas pensa comigo... se eles quiserem algum tipo de prova? Digo... e se ele quiser as cinzas da Kristeen? – isso sim seria um problema, já que temos que pensar, vamos pensar em tudo.

-  sei que é errado, mas... eu já pensei nisso ­– ele me responde, olhando pro nada.

-  e o que você pensou? – pergunto curioso.

-  lembra da minha ex namorada? – o loiro vira pra mim, sorrindo um pouco indiferente.

- a Silene? ­– pergunto, lembrando da garota que realmente fez o Jackson feliz.

- não... ela não... a Lisa. – seu semblante muda, deixando visível a raiva e a mágoa que o mais velho ainda guarda da Lisa. Lisa... a garota mais insuportável que existe, não aguentava tê-la por perto quando tínhamos nossas sociais entre amigos íntimos. Ela era claramente oferecida, e todos tinham percebido isso no começo do namoro deles, menos o Jackson, que se mostrava cegamente apaixonado, pela garota cujo mais tarde o traiu. – então... por um segundo eu pensei em coloca-la no lugar da Kristeen, quando essa casa estivesse pegando fogo. – me espanto com tamanha atrocidade. Ele mantem uma feição tranquila, como se aquilo que ele acabara de dizer, fosse normal. Sei da raiva existente que ele sento por ele, mas isso é homicídio.

 -  como pode pensar em algo tão doentio assim? Eu esperava mais de você hyung. – meu tom de voz, não era o mesmo, eu estava alterado.

-  acorda! – me repreendeu – só temos duas escolhas... a Lisa ou... a Kristeen. Eu já fiz a minha escolha. – seu olhar era sombrio, mas por um lado ele tem razão.

-  só está fazendo isso por vingança? ­– o encaro.

-  também, mas a Kristeen parece sofrer na mão daquele pai desgraçado. – confesso que agora ele está coberto de razão.

-  e como funcionaria esse seu plano? -- o pergunto, arrancando um sorriso de ladino dele que percebeu a minha escolha.

 

 

 [888]

 

Depois de tudo explicado o Hyung sai de perto de mim, e foi pra dentro de casa. Começou a chover e eu entrei na casa pois não queria me molhar. Ficamos o dia todo, sem fazer nada. O Jaebum disse que iria procurar o tal documento, e o Jackson o acompanhou, acho que ele está colocando seu plano em prática.

O Zico ligou pra kristeen mas não demorou muito.

E agora estou eu em um dos quartos de hospedes, pensando em como vamos sair dessa.

 

 

KRISTEEN ON

 

Cheguei no hotel depois de uma pequena mas muito chata corrida num taxi, vou direto pro elevador, dispensando qualquer contato possível com as pessoas que ainda haviam na entrada.

Aperto o botão do andar do meu quarto e espero, pensando em como vou fazer pra me livrar daqueles moleques na minha casa. Por mais que eu “confie” no Zico, a história de que eles estão fugindo do meu pai, não está bem contada.

Saio do elevador assim que o mesmo se abre, tendo uma surpresa logo em seguida.

O homem alto que estava a minha frente agora sorri abertamente, transparecendo sua alegria em me ver.

-  Boa noite senhorita Kristeen! – seu olhar penetrante mostra mais do que devia.

-  boa noite SeokJin. – o cumprimento com um sorriso que convence qualquer um.

-  estava malhando? – pergunta olhando pra minhas roupas.

- acho que precisava... -- o respondo simplista, e ele novamente fita o meu corpo.

-  você me parece não precisar disso, seu corpo é tão... lindo, com todo o respeito senhorita. – seu olhar com um toque de malicia, paira sobre meu corpo chegando ao meu rosto.

-  galanteador.... Funciona com todas, ou eu sou sua primeira experiência em campo? -- sorrio sendo seguida pelo mais velho.

-  você tem um ótimo senso de humor – o encaro – que tal me acompanhar até o meu quarto pra podermos ter uma conversa mais agradável? -- sorrio, ao ver sua intensão, seus olhos não saem do meu corpo.

-  sinto muito, mas estou muito cansada, preciso de um banho e uma ótima noite de sono, então se me der licença irei pro meu quarto. -- começo a caminhar, mas sou impedida por SeokJin, que agora segura bem o meu braço.

-  posso te acompanhar? – sua pergunta, me fez tombar um pouco a cabeça pro lado, quem ele pensa que é? Está tarde e eu não quero matar outra pessoa.

- Claro! Até porque você não faria nada de mal, contra mim, certo? – pergunto olhando em seus olhos.

-  obvio que não. – ele sorri – vamos? – saio sendo seguida pelo maior, chego na porta e respiro fundo.

Abro a mesma, e entro no quarto, indo em direção a minha mala.

- ­então... o que você faz? – Jin pergunta sentando-se na cama.

MATO PESSOAS

- sou publicitaria, vim pro Japão resolver um probleminha da empresa com uma filial, mas tudo já foi resolvido. – o respondo enquanto abro a minha mala.

- entendi. – seu celular apita, sinalizando uma mensagem. – droga! ­–pragueja – desculpa, mas meu chefe precisa de mim. – ele se aproxima – da próxima conversaremos mais. – seu sorriso é realmente lindo.

- espero lhe encontrar de novo. – sorrio, ele abre a porta e logo vai embora.

Separo uma roupa para o banho, entro no banheiro, e tomo um banho relaxante.

Assim que termino me deito na cama, e durmo.

 

 

Acordo no outro dia e vou direto me arrumar, quero voltar pra casa.

 

 

                                               [888]

 

 

Depois de algumas horas me encontro em casa novamente. Pago o taxi, e entro em casa, não encontro ninguém, devem estar dormindo ainda. Sigo pro meu quarto, e encontro o Zico saindo do banheiro com apenas uma toalha enrolada na cintura.

- Kris! Já está de volta... – encaro seu tronco desnudo, me hipnotizando, não consigo o responder, só o encaro, como um lobo encara sua presa. – gosta tanto do que vê? – encaro o seu rosto ainda úmido, as gotículas de agua, descendo pelo seu maxilar, me deixam extremamente excitada.

-  sabe que gosto... Mas do que isso, eu adoro ­– caminho até ele, deixo minha mala no canto, junto com minha bolsa. Tiro minha blusa, e o beijo.

Sua boca de encontro com a minha, me faz sentir sensações maravilhosamente indescritíveis, sinto me preenchida, com sua língua dançando na minha boca.

Levo minha mão até seus cabelos molhados, os puxando um uma determinada força, fazendo o maior tombar sua cabeça para o lado, deixando seu pescoço a mercê dos meus carinhos. Mordo sua pele, o fazendo arrepiar. Gosto de sentir o cheiro desse homem.

Ele me joga na cama, separando o nosso ósculo, seu sorriso, é branco e fascinante, assim como os seus olhos que agora transbordam luxuria.

Ele sobe por cima de mim, e me encara por instantes antes de me beijar novamente. Nos separamos por ter alguém batendo na nossa porta.

-  Zico... preciso falar com você... posso entrar? – a voz grossa atravessa a porta fechada.

Homem que estava em cima de mim agora resmunga alguma coisa e se levanta.

- pode entrar. – falo impaciente por ter sido interrompida num momento tão bom.

A pessoa logo abre a porta, me levanto e o olho, vejo seu nervosismo ao ver que estou sem camisa.

-  fala o que você quer Jackson. – diz Zico o encarando. Ele respira um pouco e depois encara o maior.

-  é que hoje uma garota vem me visitar, eu queria saber se teria algum problema. – parece que ele está nervoso.

-  por mim tudo bem. – falo simplista. Estão sendo folgados demais.

- era só isso? – Zico o pergunta arqueando uma sobrancelha.

-  sim... desculpa atrapalhar, eu não sabia que tinha voltado. – fala olhando pra mim.

- eu vou pro meu quarto, tenho que descansar um pouco. – falo olhando pro Zico, vendo seu rostinho de pidão implorando para que eu fique no cômodo.

 

Saio do quarto e caminho até o meu, entro no mesmo, respirando fundo. Vou em direção ao closet e separo uma roupa- moletom e shorts curto- direciono-me ao banheiro.

Depois de um banho relaxante me deito na cama, rezando pra que essa dor de cabeça que insiste em me importunar passe o mais rápido possível.


Notas Finais


foi isso espero que gostem.
perfil: @Park_Symin

bjs da Symin


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...