História She's back - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Exibições 52
Palavras 4.835
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Boa leitura..,

Capítulo 34 - Última parada


26 de janeiro de 2016

Pov Camila

Sabe quando você está com uma pessoa mas, parece que ela está totalmente aérea? Você conversa com ela normalmente e ela até tenta dar seu melhor para manter a conversa, mas parece que tudo o que ela quer é passar um tempo com você, e aproveitar aquele momento como se fosse o último… Lauren estava deste jeito durante está semana. Nossa formatura foi incrível, nós nos divertimos muito! Saber que finalmente nós havíamos terminado o ensino médio era quase alucinador! E ainda saber que Alejandro havia finalmente conseguido “recuperar”, todo o dinheiro e que a empresa estava finalmente progredindo novamente era maravilhoso! Todos os materiais haviam sido pagos por ele. Finalmente parecia que as coisas estavam se ajeitando pouco há pouco.

Mas, Lauren ainda não havia progredido em relação à Jauregui Company… Eu havia falado com ela sobre pedir dinheiro para Alejandro, eu sei o quão ruim ele foi no passado mas, por algum motivo parecia que agora ele havia mudado. E, sinceramente? Eu estava muito feliz com isso. Porque eu sabia que se eu pedisse para ele, com toda certeza ele daria o dinheiro que Lauren necessitava para a empresa voltar pouco há pouco no eixo, pois a mesma tinha potencial para isto. Mas, por algum motivo Lauren não aceitou de modo algum que eu pedisse para ele. Confesso que aquilo me deixou muito triste, pois mesmo que Lauren por algum motivo estava feliz ao meu lado, eu sabia que ela também estava muito preocupada. Mas eu não achava que eram preocupações somente da empresa… Havia algo a mais que ela não queria contar.

Normani e Dinah, brigaram e se separaram na semana retrasada… Mas, logo após a formatura que teve na escola, elas decidiram fazer uma viagem juntas para ver se ainda havia chances para elas. Tenho que admitir que achei aquilo muito lindo, pois só confirmava o amor que uma sentia pela outra e que queriam de todo jeito ficar juntas.

As aulas de Ally já haviam começado na faculdade. Ela estava fazendo pedagogia, e confesso que aquilo combinava com a mesma. Ela tinha paciência para lidar com os pequenos, tinha um jeito único e amável de lidar com todos à sua volta e, quando se falava em criança a mesma abria um largo sorriso. Ally não podia ver uma criança ou bebê na rua que seu eu interior, já se manifestava e tínhamos que segurar a mesma para não ir até la como uma completa estranha para pedir para segurar o filho de outras pessoas que a mesma mal conhecia.

Lucy resolveu “desaparecer”, a mesma disse que precisava de um tempo só para ela antes das aulas finalmente voltarem, e nós todas concordamos com ela.

Já eu e Lauren estávamos “tranquilas”, digamos assim. Pois nossas aulas só começariam em fevereiro. Mas, mesmo assim Lauren não conseguia ficar tranquila por causa da empresa. Eu sempre ia até la para dar uma mãozinha para ela. Ou somente ficava la observando a mesma enquanto ela falava com várias pessoas no telefone. Confesso que ver Lauren daquele jeito era extremamente sexy. A mesma ficava com um ar de empresária, de superioridade.

E, neste mesmo momento eu estava saindo do elevador para ir até a sala da Morena dos olhos verdes mais lindos que alguém já viu nesse mundo!

Pov Lauren

Os assuntos da Jauregui Company eram extremamente cansativos, mas por algum motivo todo o cansaço valia à pena quando finalmente algumas pessoas alugavam ou compravam algumas casas. Eu me sentia extremamente feliz quando isso acontecia!

Eu estava sentada na cadeira de couro preta que meu pai tanto gostava – não era para menos, a cadeira era extremamente confortável -, e logo ouço a porta da minha sala se abrir. Quando levanto os olhos para fitar a pessoa – já sabendo quem seria -, pois só ela entrava desta maneira sem ao menos bater, na porta.

Camila! Minha Camz, tão linda como sempre. Meu semblante de concentração literalmente caiu na mesma hora, para deixar espaço para um sorriso estampado em meus lábios. Ela estava com uma calça jeans de lavagem branca, sua blusa cropped preta colada em seu corpo valorizando a cintura da mesma. O cabelo jogado de lado e em seu rosto somente um lindo sorriso que me deixava boba! Camila conseguia ficar linda com ou sem maquiagem, era incrível! Pois poucas garotas naquela idade conseguiam ficar sem usar maquiagem e mesmo assim ficarem lindas, como Camila ficava.

- Oi Jauregui. - Ela disse andando em minha direção.

- Olá Cabello. - Falei no mesmo tom.

Camila fechou as persianas e trancou a porta. Confesso que aquilo me fez sorrir de canto. Ver Camila Cabello caminhando em minha direção e logo empurrando a cadeira para enfim se sentar em meu colo era alucinante!

Ela sorriu maliciosamente e, vagarosamente tirou a mexa de cabelo que havia em meu rosto. Passou os dedos levemente por meu braço me causando arrepios, minha respiração estava começando a acelerar. Nossos olhares não se desgrudaram um só segundo, Camila me fitava de uma forma tão sexy e intensa. Eu senti seus lábios extremamente macios irem de encontro com a pele do meu pescoço em um beijo molhado. No mesmo instante, minha mão foi até sua coxa e apertou firme a região – o que causou um gemido baixo saindo pelos lábios da Latina -, ela sorriu maliciosa e tomou meus lábios em um beijo rápido e ao mesmo tempo lento. Nossas línguas estavam em uma bela sincronia, o beijo da Camila era tão bom, me fazia sentir sensações tão fortes. Minha intimidade logo começou a latejar, Camila sabia muito bem como estava me deixando, e mesmo assim não parou um só segundo de distribuir beijos em meu pescoço.

- Você está muito ocupada, Jauregui? Eu posso voltar depois… - Ela disse em um tom extremamente sexy. Deus! Quando Camila queria me fazer ficar em um tesão extremo ela conseguia.

E como conseguia.

- Pra você? Jamais. - Falei subindo com a mão por suas costas.

E, no mesmo instante em que eu ia abrir o botão da calça da mesma, o telefone toca. Nos tirando de uma transe.

Camila me fuzilou com os olhos e apenas deu de ombros.

- É rápido. - Falei pegando o telefone em mãos e recebendo a notícia de que os empresários que eu marquei horário há algumas semanas atrás finalmente estavam me esperando na sala de reuniões.

Fitei Camila que ainda estava sentada em meu colo, ela estava tão linda com os cabelos um pouco bagunçados e os lábios inchados.

- Camz… - Comecei a falar mas, fui interrompida pela mesma.

- É importante? - Ela perguntou.

Apenas balancei a cabeça em confirmação.

- Mas eu posso remarcar para amanhã ou mais tarde é só… - Falei pegando o telefone mas, Camila arrancou o mesmo das minhas mãos.

- Se é importante, então pode ir Lo. Eu vou ficar aqui te esperando.

- Mas…

- Mas, nada Lolo. Você vai fazer o que tem que fazer e eu vou, estar aqui. Esperando por você, certo? - Ela disse me dando um selinho demorado.

- Certo…

Falei me levantando quando ela saiu do meu colo. Camila se sentou no sofá que havia por lá e tirou o celular do bolso. Eu fitei a mesma enquanto caminhava em direção a porta.

- Hey… - Falei e Camila me olhou em curiosidade. - Eu amo você. - Falei e um largo sorriso surgir nos lábios da mesma.

Eu amava o poder e significado que aquelas três palavras tinham para Camila. A mesma sempre abria um sorriso envergonhado e ao mesmo tempo feliz quando eu falava aquilo para ela. Assim como acontecia comigo sempre que ela falava aquilo.

- Eu também amo você. - Camila disse sorrindo com os olhos castanhos brilhando.

2 de fevereiro de 2016

Pov Narradora

O sol brilhava la fora, e o céu estava em um azul totalmente claro. Com apenas algumas nuvens que se formavam em desenhos pela imensidão. Lauren estava na sacada do quarto de Camila, sentada na cadeira que havia por lá, apenas observando tudo.

Incrivelmente, Lauren finalmente havia se levantado primeiro que a Latina naquele dia, porém não só naquele mas, em como muitos outros. A Morena apenas ficava deitada acordada, ou ficava sentada na sacada ou observava tudo pela sua janela de seu quarto. Isso sempre acontecia quando ou ela ia dormir na casa da Camila ou a Camila ia dormir na casa da mesma.

A Latina finalmente se levantou e caminhou graciosamente até a Morena que estava com o queixo apoiado no joelho, suas pernas estavam em cima da cadeira. Ver Lauren logo pela manhã com o rosto sem nenhum resquício de maquiagem era incrivelmente lindo! Sua respiração estava calma e a mesma continha um semblante sereno, porém muito pensativo. Era assim que Lauren se comportava desde a conversa com Alejandro. A Morena pensava em várias maneiras possíveis de poder reverter a situação que estava prestes a acontecer, Lauren sabia que Alejandro iria, pedir à qualquer momento para que a mesma deixasse Camila seguir sua vida. Quando o mesmo mal sabia que a vida de Camila era estar ao lado de Lauren. O homem realmente acreditava que tudo aquilo era somente uma “fase”, e que Camila logo iria se “curar”, se Lauren não estivesse mais presente em sua vida.

- Acordada logo cedo, de novo? - Camila perguntara com a voz rouca perto do ouvido de Lauren.

O coração da Morena se encheu de alegria naquele momento, era como se nada no mundo importasse mais quando a mesma ouvia a voz rouca de Camila perto de si e, melhor ainda! Sentir seu calor.

- Sim, não consegui dormir mais…

- Acordou que horas? - Camila perguntou sentando no colo da Morena, que logo tratou de envolver a cintura da Latina com seus braços.

- Faz uma hora mais ou menos… - Lauren falou pensativa.

- E por que não me acordou?

- Gosto de ver você dormindo. - Lauren disse dando de ombros sorrindo.

- Invejosa! Essa frase é minha! - Camila disse dando um leve tapa no ombro da mesma.

- Não é mais! - A Morena dando de língua. - Agora você que é a dorminhoca que fica dormindo até mais tarde.

- Não tenho culpa que você perde o sono do nada, por motivos desconhecidos por mim.

- Têm sim! Quem acha que fica rodeando meus pensamentos à noite toda? Mesmo estando perto de mim. - Lauren disse em um tom acursador fitando a Latina que sorriu de canto.

- RUN, bom mesmo que seja eu. - Camila disse seria, fazendo Lauren explodir em uma gargalhada. - Endoidou, é?

- Srta. Convencida, quem disse que é você? - Lauren perguntou em ironia o que fez Camila fuzilar a Morena.

- HAHA, muito engraçada você, né Jauregui? - Camila perguntou revirando os olhos.

- Boba, você sabe muito bem que é você. - Lauren disse puxando Camila e distribuindo um beijo em seus lábios.

- Sei mesmo, RUN. - Camila disse convencida.

- Você realmente vai ficar falando “RUN”, em cada frase agora né? - Lauren perguntou revirando os olhos.

- Vou mesmo, RUN.

- Boba. - Lauren disse abraçando a Latina.

4 de fevereiro de 2016 – Jauregui Company

Pov Lauren

Tudo é questão de aprendizagem. Você só precisa de um tempo para conseguir aprender tudo o que quiser, com bastante esforço e vontade. Digo isso, pois estou tralhando muito duro para que as coisas prossigam na empresa. Meu pai vez ou outra, vem até aqui para ver como vão indo as coisas e opina em muitas coisas que tenho de melhorar mas, sempre ele joga logo um elogio. O que confesso que faz meu ego subir la em cima. Ele estava fazendo a quimioterapia mas, isso não significava que ele estava se curando. Pelo contrário, até parecia que ele estava pior, começou a ter perda de peso, febre, fraqueza, fadiga entre outros… O câncer Linfoma (tumor maligno) é uma doença rara. O sistema linfático é a rede de combate a doenças do corpo. Inclui os gânglios linfáticos, o baço, o timo e a medula óssea. Na maioria dos casos, a causa do linfoma não é conhecida.

Era horrível ver meu pai daquele jeito e não poder fazer nada à não ser comandar a empresa. Os gastos do hospital não estavam tão altos, pois meu pai sempre foi um grande amigo do médico de la que felizmente conseguiu um enorme desconto para nós.

- Com licença Srta. Jauregui, Alejandro Cabello está aqui. Mando voltar mais tarde ou… - A secretária entra em minha sala e quando eu ouço aquele nome meu corpo todo gela no mesmo instante.

Respirando fundo eu respondi.

- Peça…

- Para entrar? - A voz de Alejandro se faz presente no ambiente.

- Senhor devo pedir para esperar la fora, a Srta. Jauregui ainda não permitiu a sua entrada. - Jaqueline, falou com uma pose autoritária.

- P-pode deixar. - Falei e ela apenas assentiu com a cabeça.

- Vejam só… Até secretária ela tem. - Alejandro disse em ironia (como sempre).

- O que veio fazer aqui? - Perguntei sem paciência.

- Não é óbvio?

- Tenho que confessar que não. - Falei dando de ombros.

- Não vai me convidar para sentar? - Ele perguntou caminhando em minha direção.

- Sinta-se, a vontade…

- Bom… - Ele disse se sentando em uma das cadeiras à minha frente. - Como você já deve saber ou não, vim pedir para que você termine absolutamente TUDO, o que tem com Camila antes do dia 6, que no caso vai cair no sábado. Daqui há dois dias.- Ele falou e eu pude sentir meu coração se apertar dentro do peito.

- Mas… as aulas dela só vão começar na terça… - Falei não conseguindo respirar normalmente, só de pensar na ideia de fazer aquilo, em que eu teria que sacrificar a minha felicidade para que Camila conseguisse seguir em frente, para que ela consiga ter um futuro! Doía mas, ao mesmo tempo era recompensador.

- Sim, mas ela irá, viajar no sábado para conhecer a cidade e tudo mais. Para se alojar corretamente em Yale... - Alejandro disse dando de ombros. - Espero que você ainda irá, cumprir com sua palavra, você não vai dar para trás logo agora, não é? Jauregui… Sabe muito bem que…

- Não comece com suas ameaças, por favor! Estou cheia disto. Eu dei minha palavra e como você cumpriu a sua eu tenho obrigação de cumprir a minha, não é? Mesmo que eu não te deva absolutamente NADA! - Esbraveje para o mesmo que sorriu de lado por ver o jeito que conseguia me deixar brava com facilidade.

- Me deve sim, eu estou dando tudo para Camila, Sinuhe e Sofia.

- Não faz mais que a sua obrigação!

- Bom, acho melhor combinarmos como às coisas vão acontecer… Hoje você vai começar a se afastar da Camila irá, ficar seca com ela, estranha sabe? E então sexta você irá, terminar definitivamente com ela. Sábado ela vai partir, rumo há uma nova vida! Sem preocupações de namoro ou qualquer outra besteira.

- Você não pode decidir qual será o destino dela, sabe que ela vai sofrer muito.

- Porque ela “acha”, que ama você? Mas, no fundo ela não ama… Tudo isto é uma ilusão. - Ele disse e eu juro que meu sangue ferveu naquele momento!

- Você é que não sabe de absolutamente NADA! Não tem consciência do amor que sentimos uma pela outra.

- Espero que tenha ficado absolutamente tudo claro e extremamente nítido pra você. - Alejandro disse me fitando nos olhos. - Você entendeu como as coisas vão funcionar?

- Você não vai me dizer como eu devo me comportar com ela. Saiba que eu vou ser a pessoa mais amável e gentil que você já conheceu na sua vida com Camila nesses últimos dias que tenho com ela. Quero aproveitar cada segundo vendo ela feliz! Mesmo que cada vez que ela sorrir, eu pense que nunca mais vou poder ver o lindo sorriso dela novamente. - Falei pensativa, eu simplesmente amava o lindo sorriso da Camz, era tão lindo! Me fazia ficar extremamente feliz.

- Sabe? Acho que posso contribuir para os custos do hospital em que seu pai está. Na verdade posso até pagar tudo! Claro, só se você terminar tudo o que tem com Camila de uma forma… um tanto dolorosa… Para que ela te esqueça mais rápido. Ou até mesmo posso embolsar uma boa quantia na empresa para que progrida, mas claro se você quiser vendê-la, digo mais uma vez que vou ser o primeiro na fila.

Como ele podia ser tão cínico e inescrupuloso? Eu simplesmente tinha raiva e nojo do “ser humano”, horrível que Alejandro era.

- Meu pai não precisa do seu dinheiro para conseguir bancar os custos do hospital, e nem eu preciso para a empresa progredir. Eu vou conseguir transformar está empresa em há mais conhecida de TODO o mundo, sem a sua “ajuda”, e escuta o que eu lhe digo, jamais, está empresa vai, estar em suas mãos.

- Okay… Você quem sabe. - Ele disse dando de ombros se levantando e caminhando até a porta. - Terminamos por aqui. Lembre-se bem do que eu disse. Até sexta… você tem até sexta Jauregui.

- Você já disse isto.

- Caso você trate Camila do jeito que você mesma falou, sabe que ela vai sofrer mais ainda, não é? Porque ela vai sentir sua falta por um tempo, vai achar que “precisa”, de você. Ela vai relembrar desses últimos momentos e vai chorar a noite inteira. E na minha opinião, acho que você não quer vê-la chorando, ou quer?

- Não, claro que não.

- Pois então. Siga meu conselho, termine com ela, de uma forma um tanto dolorosa, pois ela irá, conseguir arrancar você do peito dela com uma certa facilidade.

- Ela até pode fazer isso. Mas, jamais eu vou esquecê-la, eu te prometo que vou terminar mas, nunca vou esquecer tudo o que tive com Camila. Ela foi e é a minha vida, eu a amo tanto! E por este fato, é que vou querer que ela siga em frente, que ela tenha um futuro! Mesmo que eu não esteja neste futuro…

- Fez a escolha certa, garota.

Foi tudo o que Alejandro disse antes de sair porta afora.

Tudo o que eu queria era que aquilo acabasse, que Alejandro fosse embora e deixa-se as coisas como estavam. Camila ao meu lado, me fazendo extremamente feliz! Eu amo tanto está garota, céus! E então eu mesma me pergunto, até onde deveríamos ir em nome do amor verdadeiro?;

Sorri de canto ao lembrar da frase do livro.

Aquela frase às vezes latejava em minha cabeça, até onde deveríamos ir em nome do amor? Até onde…

Pov Michael Jauregui

- Lauren? Filha… onde estava? Chegou tarde… - Perguntei para a mesma que apenas respirou fundo, seu semblante parecia triste. Na verdade, tudo o que se podia ver nos olhos da mesma eram tristeza!

- Estava com a Camz, pai. - Lauren disse quase em um sussurro.

- Querida, o que houve? Vem, vamos até o escritório. - Falei segurando na mão de minha filha que apenas me acompanhou.

Quando chegamos até la, caminhei em passos lentos até chegar na bancada e encher um copo com água.

- Tome, você vai melhorar. - Falei entregando o copo em suas mãos.

Minha menina parecia tão triste naquele momento, mal parecia que havia voltado de um passeio com Camila.

- Quer me contar o que houve?

- Eu sei que… sei que deveria ter contado isso antes, pai. Mas é que eu realmente não aguento ficar sem conversar sobre isso com alguém! - Ela disse nervosa.

- Hey, eu estou aqui, ok? Pode me contar tudo o que quiser filha. - Falei me sentando ao seu lado no sofá.

- Tudo começou quando Alejandro voltou…

Lauren começou a contar e, quando a mesma terminou de contar, era como se uma súbita raiva tivesse surgido em meu peito. Saber que Alejandro estava ameaçando minha filha novamente era horrível! Me enchia de raiva. Raiva pelo homem querer tirar uma das únicas felicidades da minha filha, raiva por ele estar, chantageando ela de todas as formas. Como? Como poderia existir alguém tão terrível assim no mundo? Eu realmente não entendo nem nunca entendi o porquê das pessoas terem tanta raiva pelos homossexuais. Eles realmente são julgados por amar outro ser humano do mesmo sexo! Deus, como podem? Julgar e abusar de alguém somente por amar…

- Filha, eu tenho que conversar com este homem, ou temos que chamar a polícia pra ele!

- Não adianta pai. Ele é esperto, sabe como se livrar das coisas.

- Eu não quero que você passe por isso, Lauren. Não quero que você deixe de ser feliz, não quero que deixe Camila. Porque… ela te faz feliz filha! Te faz feliz como ninguém mais faz. Não quero que você desista do amor de vocês só porque este homem está ameaçando você.

- Você não entende pai… Ele cumpriu com a palavra dele e, sei que vai continuar cumprindo. Portanto eu tenho que cumprir com a minha. Afinal, ela iria, sofrer de qualquer jeito, pois nós duas estaríamos longe uma da outra. Nossos encontros se tornariam raros, até chegar o momento em que nós não estivéssemos mais felizes juntas.

- Não diga bobagem filha. Você não deve nada para este homem. Absolutamente nada!

Lauren parecia tão derrotada, realmente parecia que ela já havia terminado com Camila pelo jeito em que estava.

- Se você estava com ela, então por que está tão triste? - Perguntei franzindo o cenho em confusão.

- Porque ver ela sorrindo o dia inteiro é encantador! Me deixe incrivelmente alegre! Estar com ela nos braços, poder beijá-la e tudo mais, poder sair e andar por aí. Mas, quando chega a hora de dizer até logo, dói sabe? Pois eu sei que esse simples até logo, vai se tornar um adeus logo, logo.

Lauren parecia decidida e eu realmente sabia que não teria nada que eu pudesse fazer para salvar o relacionamento das duas. Não no estado em que eu estava.

- E quando você pretende terminar com ela?

- Amanhã… Quero preparar uma coisa especial para ela, pai. O que você acha? - Eu pude ver pela primeira vez um brilho no olhar de Lauren, um brilho de felicidade.

- Que tal no final de tudo, você preparar um jantar surpresa pra ela filha? Soube que Camila gosta um pouco de surpresas. E cá entre nós, você sabe fazer uma bela surpresa quando quer.

- Me parece uma ótima ideia, pai! E obrigado. - Ela disse envergonhada.

- Por nada My little girl.

Naquele instante, um sorriso nasceu nos lábios de Lauren. Pela primeira vez um sorriso um tanto triste surgiu nos lábios dela. O que fez meu coração se alegrar, ver Lauren triste do jeito que estava era quase como se estivessem arrancando meu coração!

- Eu te amo, pai. Obrigada por me ouvir, eu realmente precisava disso. - Ela disse respirando fundo e soltando o ar por entre os lábios.

- Sabe que sempre que precisar, eu vou, estar aqui, não é?

- Sei sim papai.

5 de fevereiro de 2016

Pov Narradora

Medo, com toda certeza era a palavra adequada para Lauren naquele dia inteiro. A mesma havia acordado bem cedo para ir a empresa e deixar tudo pronto para que ela pudesse passar o resto do dia ao lado de Camila. A Morena sentia medo por saber que não veria mais a Latina. Medo por não poder ver o lindo sorriso que a mesma lhe proporcionava. E principalmente, medo por ter que renunciar ao amor da sua vida.

Muitas pessoas falariam que Lauren algum dia iria, encontrar alguém que ocupasse o lugar de Camila na vida dela mas, só a Morena que realmente entendia o que o simples nome ou toque de Camila, causava nela.

E não, não era um amor passageiro que logo, logo iria, se decepar por inteiro. Lauren sabia que era um amor verdadeiro. Camila havia ocupado um lugar no coração da mesma que ninguém, definitivamente ninguém conseguiria ocupar novamente. Disso a Morena tinha certeza.

- Gosto quando a gente vem pra cá. Este lugar me dá uma sensação tão boa. - Camila disse com um sorriso canteiro no rosto, fitando o horizonte no qual o sol dali a poucos minutos iria se pôr.

Elas estavam no Sunset Park, aproveitando o restante do dia um tanto cheio que tiveram.

- Também gosto. - Lauren disse massageando a mão direita de Camila.

A Morena estava extremamente pensativa e tensa, saber que no final daquela noite, Camila não seria mais dela, a deixava extremamente preocupada e com medo.

- Quero te levar em um lugar, amor. - Lauren disse se levantando.

- Mas eu queria ver o sol se pôr, Lo… É tão lindo. - Camila disse fazendo bico.

- Ok, se você quer… - Lauren disse sorrindo e se sentando ao lado de Camila novamente.

A mesma queria fazer de tudo para que Camila se sentisse completa naquele dia. As duas foram à lugares que nunca tinham ido antes, visitaram galerias de artes mas, por algum motivo, Lauren realmente se encantou com uma em especial. E não deixou de comentar isto com Camila que explicara detalhe por detalhe sobre algumas imagens ou pinturas que a Morena não entendia muito bem.

Pov Camila

Naquela tarde, tudo parecia um tanto diferente. Lauren e eu fomos à lugares especiais para nós, visitamos vários lugares que eu nem ao menos me lembrava em que rua se encontrava e confesso que ficava completamente incrédula quando eu observava aonde nós estávamos. Era simplesmente maravilhoso o jeito como Lauren escolheu cada lugar em seus mínimos detalhes. Porém, a mesma a todo momento parecia um pouco aérea, com medo de alguma coisa. Sim, em quase duas semanas a mesma tem agido deste jeito mas, naquela tarde ela parecia ainda mais! E mesmo quando eu perguntava o que estava acontecendo, ela simplesmente sorria e mudava de assunto.

A galeria de artes em que visitamos, continha artes e várias outras coisas incríveis! Eu realmente fiquei chocada com todas as coisas que haviam por lá. E eu com toda certeza poderia deixar anotado aquele dia como um dos melhores da minha vida. Pois eu visitei lugares que sentia saudades e lugares que eu nunca havia visitado na minha vida, e ainda por cima, com a pessoa que eu amo! Lauren, a morena dos olhos verdes cintilantes que tanto me atraem. Podem se passar anos mas, aqueles lindos olhos nunca perderão a graça. É quase cômico o controle que Lauren tem sobre mim quando ela me fita de uma forma tão intensa que até parece que todo sangue que há em meu corpo, se evapora instantaneamente.

- Eu te amo, Camz. - Lauren disse em um sussurro perto da minha orelha.

Um largo sorriso se formou em meus lábios no mesmo instante. Ouvir aquelas palavras vindas por outras pessoas era legal mas, ouvir aquelas palavras vindas por Lauren era melhor ainda!

- Eu sei amor, você já disse isso umas cem vezes só hoje. E eu também amo você. - Falei dando um pequeno beijo em sua bochecha.

- Eu amo você, cento e uma agora. - Ela disse me arrancando um largo sorriso.

- Boba.

- Você acha que se algum dia algo vier a nos separar, nós ainda podemos nos encontrar por aí, Camz? Você acha que você ainda vai me amar depois de muito tempo, mesmo eu estando perto ou não? - Lauren perguntou e eu pude sentir medo na voz dela.

- Sim amor. Eu realmente acho que podemos encontrar o caminho de volta uma para outra. Mesmo se algo vier a nos acontecer mas, por que está me perguntando isso?

- Não é nada. Só curiosidade. - Ela disse dando de ombros e logo em seguida o sol começou a se pôr no horizonte.

As cores primárias se misturavam no céu. Por algum motivo, aquele dia estava diferente. Tudo nele estava diferente para ser mais clara. Desde os lugares em que visitamos até a mudança de Lauren, o jeito como ela se comportava. Tudo, simplesmente tudo estava um tanto diferente. Sei que mudanças são essenciais em nossa vida mas, algo estava me dizendo que alguma coisa ruim iria, acontecer ainda hoje. Eu só não sei o que…

- Se quiser, podemos ir agora. - Falei depois de alguns minutos.

O céu já estava quase negro, uma linda e brilhante lua se formava naquela imensidão. O vento gélido pouca há pouco se fazia presente no local.

- Podemos sim, amor. - Lauren disse se levantando.

- Para onde vamos? - Perguntei me levantando e seguindo a mesma até seu carro de mãos dadas.

- Para nossa última parada…

Aj



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...