História She's Thunderstorms - Capítulo 14


Escrita por: ~

Visualizações 82
Palavras 1.195
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


ATENÇÃO AQUI.
Fui advertida em outro site porque escrevi um aviso pra explicar pra vocês que estou sem computador, e quase não consigo emprestar computador a noite, que era o horário que eu sempre escrevia. Eu sei que fiz um tempo pras postagens, mas por enquanto não tá dando. Estou continuando o capitulo anterior ao especial dia dos namorados da Rachel e Malcolm, só pra história não se perder, mas eu irei fazer bonus com outros casais.

Capítulo 14 - 014: wet classes.


Minutos depois, a campainha tocou diferente dessa vez.  Apoiei minhas mãos no peito de Percy e me impulsionei pra trás, com toda a minha força de vontade.

— Você ouviu isso? – Olhei Percy e ele parecia um pouco alarmado.

— Você acha que foi alguma coisa importante? – Ele franziu a testa e mesmo preocupada não pude deixar de notar o inchaço no seu lábio inferior, e sua pele mais quente que o normal e os cabelos ainda  mais rebeldes. Meu eu interior gritou feliz por ter sido a causadora disso.

— Eu acho melhor a gente ir lá fora olhar. –  Eu disse praticamente corri pra fora do banheiro, se não o fizesse não conseguiria sair dali tão cedo. Percy apareceu um minuto depois, estava mais comportado, mas ainda estava um pouco ofegante como eu.

A mesma campainha tocou mais uma vez e com esse som os irrigadores do teto estouraram, pulei assustada e olhei sem entender, Percy compartilhava o mesmo olhar que o meu, apesar de parecer amar aquela bagunça com água.

Corremos até o corredor principal onde havia um aglomerado de alunos saindo pela porta, o que era estranho já que a campainha de saída havia tocado antes disso tudo.

— Eu sempre perco as coisas que acontecem nessa escola. – Percy resmungou.

— Você se arrependeu então? – Não pude deixar de alfinetar ele, que sorriu pra mim e deu uma piscadela.

— Com certeza não. – Percy me puxou pra ele na hora que mais um irrigador estourou em cima de mim.

 - O que será que... – Comecei a perguntar quando Hazel veio corredor de volta para o corredor. A multidão tinha diminuído, mas ainda assim Hazel se espremeu entre um grupo de jogadores para entrar.

— VOCÊS ESTÃO AQUI AINDA? – Ela gritou exasperada.

— Não sabemos o que aconteceu. – Eu confessei. – Aconteceu algum problema com os irrigadores ou algo assim?

— Não, o boato foi que aconteceu algum inicio de incêndio na escola. – Hazel apontou pro teto. – Então essas belezinhas foram disparadas.

— O incêndio deve ter começado no banheiro. – Clarisse apareceu atrás de Hazel sorrindo para nós de um jeito malicioso.

Pelo que parecia não tinha sido algo grave, já que todos pareciam tranquilos sobre o incêndio em si, mas tudo estava ensopado, isso incluía eu. 

— Você é uma idiota. – Bufei, mas ao meu lado, Percy rio e o olhei de modo acusador. – Até você?

— Melhor sairmos, ok? – Hazel não esperou resposta, saiu me puxando pelo cotovelo até passar pelos portões de ferro verde.

Todos os alunos estavam parados no estacionamento, todos os com o olhar preocupado para a água que escorria pelas portas.

— Qual a chance desse estrago ser do Leo? – Hazel comentou baixinho. Eu dei de ombros.

— Acho que são grandes. – Clarisse confessou. Percy olhou ao redor, curioso.

— Onde está o resto? – Ele passou a mão no cabelo, parecia ansioso.

— Não consegui falar com ninguém desde que a segunda campainha tocou. – Hazel disse sem olhar na minha direção, seu rosto estava meio sombrio e triste. – Não acredito que seja tão fácil assim reformar essa escola.

Ninguém teve coragem de dizer que  Hazel estava certa, era por isso que todos estavam preocupados, a escola antiga de muitos alunos foi demolida ano passado e agora outra escola apresenta graves problemas. Agora tudo fez sentido, as aulas diminuídas, reuniões todo o tempo, como se fosse mais seguro para os alunos estarem próximo da saída de emergência.

— OLHA ALI O LEO! – Percy pareceu aliviado, levantou o braço para acenar e logo que Leo o viu, correu em nossa direção.

— Ei! – Leo deu um abraço em Percy e nos beijou na bochecha. – Que bagunça né?

Leo parecia frustrado,  mas ainda  assim sorriu e se virou para olhar a escola também.

— Voce viu os outros? – Clarisse perguntou colocando  a mão no ombro de Leo.

— Passei o tempo todo ocupado hoje, sinto muito. – Leo deu de ombros e Clarisse olhou para mim de um jeito que dizia “ok, tem algo errado aqui”, assenti.

Os alunos começaram a dispersar, talvez percebendo que não teríamos explicação alguma naquela hora, o diretor havia sumido da escola e  ninguém mais pareceu preocupado com fato de centenas de alunos terem perdido seus livros e materiais.

Uma buzina diferente tocou e de imediato soube que era a van do Will.

— Acho que esse é a mensagem de fogo da nova geração. – eu disse e Leo riu, havia esperança afinal.

A van estava estacionada próximo a curva de saída, todos os outros estavam lá sentados conversando baixo. Charles tinha a mesma expressão que Leo e Percy tinham no rosto. Mais alguns passos e estávamos todos juntos, Percy abraçou Charles e acenou para o resto.

Thalia veio até mim e me deu um beijo na bochecha. Silena estava sentada no banco da frente da van que estava com a porta aberta, ela jogou um beijo pra mim, Will estava ao seu lado. Nico estava do lado de Luke e Frank conversando sobre algum jogo rpg de deuses.

— Então... – Eu comecei a dizer alto, todos se viraram pra mim. – Eu tenho certeza que Charles, Leo e Percy tem algo pra nos dizer.

O silencio se instalou. Clarisse bufou.

— Está bem obvio que aconteceu alguma coisa e eu preciso saber.  – Ela cruzou os braços.

Chris apareceu na janela da van com a cara amassada, ele sorriu pra Clarisse que lhe mandou uma piscadela. Logo ele estava prestando atenção também.

— Eu acho que já passamos tempo demais escondendo isso. – Charles se virou para Percy e Leo. – Agora não faz mais diferença.

— Escondendo o que? – Nico perguntou, seus cabelos dançavam por causa do vento.

— A escola... – Percy tossiu. – A escola não está em boas condições tem um tempo.

— Então o diretor nos pediu ajuda. – Leo completou. – Já que Percy, Charles e eu já fizemos alguns bicos. E o papai aqui entende de eletricidade.

— Mas sem recurso, as coisas são mais complicadas. – Charles rodeou o braço ao redor de Silena que havia acabado de chegar ao seu lado. – Então fizemos o que conseguimos, remendando canos, fios, cadeiras e mesas.

— Mas como vemos não foi o suficiente. – Percy concluiu. Todos ficaram mais um momento em silêncio, até que eu explodi.

— Como o diretor não nos conta uma coisa desse tipo? – O sangue fervia nas minhas veias. – Talvez ele só fosse mandar um email minutos antes da escola ser demolida pra ser feito um shopping.

— A gente precisa fazer alguma coisa. – Thalia suspirou.

— Não vamos ficar sem escola.- Hazel assentiu.

— Vai demorar meses pra ficar pronto, a reforma. – Chris comentou e todos olharam desaminados. – Se a reforma for feita pela escola.

— E há uma outra opção? – Luke perguntou e meu sorriu se alargou.

— Você nem imagina. – Minha cabeça fervilhava de ideias.

— Não acredito que você está pensando o mesmo que eu. – Percy me olhou sorrindo como se sua cabeça fosse explodir de tantos pensamentos.

— O que vocês estão pensando? – Leo perguntou. – Eu sinto um pouco de medo dessa dupla dinâmica.

— Estamos pensando em fazer uma vaquinha e reformar a escola, nós mesmos. – Percy disse e ergueu a mão em um hi-five, eu me inclinei e bati na mão dele.

— Você acabou de ler meus pensamentos. – Me virei para o resto da turma. – O que vocês acham?

E de repente todos sorriam feito loucos.


Notas Finais


O computador que estou usando pra postar esse capitulo é um pé no saco, tem mal acentos. Então me perdoem, eu não quero abandonar vocês e é por isso que estou fazendo de tudo para postar mesmo que demore. Eu sei que o capitulo foi curto, sinto muito por isso.computador que estou usando pra postar esse capitulo é um pé no saco, tem mal acentos. Então me perdoem, eu não quero abandonar vocês e é por isso que estou fazendo de tudo para postar mesmo que demore. Eu sei que o capitulo foi curto, sinto muito por isso.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...