História Shh, Unnie! - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook
Tags Bts, Colegial, Handjob, Jikook Fem, Jikook!female, Jimin!fem, Jungkook!fem, Kookmin, One-shot, Orange, Public, Yuri
Visualizações 190
Palavras 1.015
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Ecchi, Escolar, FemmeSlash, Orange, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Yuri
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


É meu primeiro orange. Eu tô é orgulhosa, Jikook fem é tão difícil de achar, estou contribuindo para essa dlç de casal. Amém JKK!Fem

Capítulo 1 - Jimin precisa de uma mãozinha


Jungkook era uma aluna aplicada. Adorava perder horas passando um trabalho já impecável a limpo, grifando textos, pesquisando além do que o professor pedia. Era totalmente o contrário de Jimin, coitada, tão desorganizada. Nunca sabia onde estava o próprio lápis e perdia as apostilas com tanta facilidade que chegava a ser assustador.

A Jeon sempre estava lá para ajudar quando algo do tipo acontecia. A ruivinha era muito afobada e tinha a memória tão ruim quanto a de um peixe dourado, sorte era ter Jungkook para puxar sua orelha.

Era uma segunda a tarde, última aula do dia, quando a mãozinha pequena de Jimin cutucou Jungkook discretamente, aproveitando das cadeiras unidas lado a lado para a professora de inglês não ver que ela tinha se distraído da matéria na lousa outra vez.

A morena com um par de coques bem alinhados no topo da cabeça virou o rosto, quase imediatamente. Faltavam duas frases para terminar de traduzir o texto passado na lousa e então estaria livre para ajudar a namorada, mas não exitaria em o fazer antes.

Jimin estava corada, quase tanto quanto os fios vermelhos que caiam em cascata sobre o colo, cobrindo quase toda a camisa branca e azul cobalto do uniforme. Jungkook entendeu tudo quando viu as pernas bonitas – cobertas pela meia sete oitavos de gatinho que a Park ganhara de aniversário – cruzadas desconfortavelmente. Jimin estava excitada.

A morena arregalou os olhos, fitando o rostinho bonito da menor com preocupação mesmo quando a educadora avisou que teria de ir à uma reunião na diretoria. Jungkook cruzou as pernas também, elegantemente e quase imperceptível no silêncio predominante da sala. Todos estavam concentrados no texto, ninguém as notaria.

Calmamente para não chamar atenção, a Jeon bateu duas vezes na coxa farta num pedido para que Jimin afastasse as pernas, que logo foi atendido. As cadeiras eram fechadas na frente e na lateral direita, fazendo que as duas juntas criassem uma barreira que tornava impossível saber o que estava acontecendo com ambas das costelas para baixo.

Confiante e sem fitar a menor – não se controlaria se visse as bochechinhas rosadas novamente –, Jungkook escorregou a mão direita para a cintura da garota, enfiando-a pelo cós da saia azul e finalmente alcançando o lacinho da calcinha que ela usava. Daria tudo para ver qual era, mas não tinham tanto tempo, então apenas desceu o médio e o indicador até a intimidade da mais velha, que ofegou baixinho quando os dedos gelados de sua saeng afastaram o tecido branco – agora certamente transparente de tão molhado – para o lado e a tocaram onde a garota mais queria. Jungkook era muito boa naquilo, mal podia esperar.

A Jeon estava surpresa com o quão molhada Jimin estava. Ficou se perguntando como chegou a esse ponto e não se conteve em perguntar, baixinho, colocando a mão livre na frente da boca e chegando pertinho do ouvido dela.

– Como isso foi ficar assim, Unnie-Ah?

– Você! – respondeu, num grito sussurrado, típico de quem não podia falar alto, que mostrava como ela estava inconformada com aquilo – Com essa mania filha da puta de morder a caneta antes de escrever! Foi culpa sua!

Jungkook sorriu pequeno, nem um pouco abalada, esfregando o anelar no clitóris molhadinho como provocação, logo fazendo Jimin desistir de falar alguma coisa. Iria gemer alto de verdade se aquela pirralha maldita não fizesse o que tinha que fazer sem a provocar.

Jungkook deixou ainda um beijinho na orelha da menor, agora toda arrepiada, apertando a mesa com as mãos pequeninas de unhas decoradas e cuidadosamente pintadas de roxo. O anel cintilante na esquerda a fez sorrir. Jimin se recusava a usá-lo na direita, dizia que incomodava para escrever. Mas estavam longe de ser noivas, apesar da Jeon como canhota gostar muito de usar a aliança ali mesmo, como sua baixinha mandona queria.

Jungkook acariciou o pontinho por algum tempo, habilidosa. Para não gerar suspeitas, terminou o texto de qualquer jeito e fechou o fichário com rapidez, enquanto descia os dedos perigosamente até a entradinha molhada dela, piscando contra os dedos da maior.

Ah, sim, e ela também estava molhada agora.

Enfiou ambos os dedos sem demora, hipnotizada pela mordidinha que a menor deu no lábio inferior pintado de rosa – mesmo que não precisasse – para se controlar.

Merda, como queria ajoelhar-se na frente dela e fazer direito, do jeitinho que devia ser.

Se estivessem sozinhas, Jimin não teria mais nenhuma peça de roupa naquele corpo tão lindo que Jungkook amava tanto. Os cabelos ruivos cobririam os seios em formato de gota, pequenos e macios, mas não por muito tempo, pois logo a Jeon estaria os tomando nos lábios. Jimin iria exibir a cintura finíssima e o quadril largo acompanhado da bunda farta e das coxas grossas, só para provocar Jeongguk e ser prensada na parede. Ah sim, inventaria um trabalho para a mãe e fugiria para a casa da namorada, onde o irmão mais velho olharia as duas como quem já sabe de tudo mas não iria dizer nada. Talvez por isso Jungkook gostasse tanto de Yoongi.

Os dedos logo penetravam Jimin, encharcando-se antes mesmo da Jeon conseguir os posicionar do jeito que a Park gostava.

Jimin era um pimentãozinho, agora. Fitava a folha do caderno com o texto pela metade, mordendo o lábio e com os olhos delineados fortemente fechados, contava até mil para não fazer barulho.

Jungkook foi rápida. Moveu-se com força e confiança no interior quentinho e molhado, fazendo as pernas da menor tremerem e um arfar doce e quase miado deixar os lábios cor de rosa. Jimin queria tanto tanto beijá-la, soltar o cabelo negro e enroscar os dedinhos curtos por entre os fios macios. Queria tanto chegar lá, acabar logo com aquela tortura.

E foi com maestria que Jungkook apertou um pontinho dentro da Park que a fez derreter, derramando-se na destra da mais nova de uma única e intensa vez.

Jimin respirava fundo quando a Jeon tomou os dedos na boca, chupando-os bem a tempo da professora voltar a sala e começar a pedir os textos para corrigir.

Jimin levou bronca mais uma vez, mas nada tiraria aquele sorrisinho de seu rosto quando sabia o que iria fazer depois da escola.


Notas Finais


Bicho olha que eu até gostei.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...