História Shine a Light - 2 Temporada - Capítulo 70


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction
Tags Banda, Harry, Horan, Liam, Light, Louis, Malik, Musica, Niall, One Direction, Payne, Sal, Shine, Styles, Tomlinson, Zayn
Exibições 54
Palavras 3.107
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hey amores!
Tudo bem?
Espero que sim.
Vamos ao aniversário de Harry Styles? Então, let's go ;)

Adiantei uma boa parte da fic e estou mega feliz com isso.Mas não vou falar mais nada, porque vou acabar dando spoiler kkk.
Espero que gostem.

Obrigada por estarem aqui.

Bjão =* <3

P.S: Música-tema do cap está nas notas finais, caso queiram uma trilha ;)

Capítulo 70 - Nothing' On You


Fanfic / Fanfiction Shine a Light - 2 Temporada - Capítulo 70 - Nothing' On You

Harry’s POV

 

Ela me ligou exatamente a meia noite e três... E eu não quis atender.

Não quis porque queria que estivesse aqui me abraçando, beijando, sentindo o seu cheiro.

Não tinha ideia do que pedia quando desejei namorar alguém que morava longe. Sei que quando nos encontramos é mágico, mas quando não podemos nos ver é doloroso... Principalmente hoje. E por ser tão doloroso, optei por não ouvir sua voz. Sou um covarde mesmo!

Deixei meu celular no silencioso e tentei dormir, mas não conseguia. Lembrava de todos os preparativos para festa que Gem e Nick me repassaram. Paige deu alguns toques também, mas decidi não dizer a Amy para evitar atritos. Ela me ajudou como pode... Como eu queria que Amy me ajudasse, mas estava ocupada demais com suas coisas.

Não estou com raiva dela, mas sim da situação em que estamos. É frustrante querer que sua namorada esteja com você em um dia tão especial e ela não poder. Fechei os olhos e adormeci depois de remoer meus sentimentos pela enésima vez em dias.

 

Acordei sentindo um cheirinho bom vindo da cozinha e, sorrindo, já imaginei quem encontraria por lá. Peguei meu celular e o enfiei no bolso da calça de moletom.

- Hoje é o dia! – Cantarolou me abraçando – Parabéns, baby! Que Deus te dê muita saúde e muitas alegrias! Te amo demais!

- Obrigado, mãe.

- Nosso bebê está tão crescido! Parabéns, meu amor! Muitas felicidades, alegrias e saúde!

- Obrigado, vó. – Soltei-a e inspirei fundo – Hummm... Vou comer suas panquecas hoje?

- As melhores serão para você, querido! Sente-se.

- Pela primeira vez você duas não me desejaram um grande amor no meu aniversário. Por que? – Elas sempre faziam isso até o ano passado.

- Você já o encontrou, baby. E é linda! – Sorri sem vontade. Pequena... Pequena. – O que aconteceu?

- Nada, mãe. Estou bem. – Peguei o bule de chá e me servi.

- Harry, nós conhecemos cada cacho de seus cabelos e cada sorriso do seu rosto.

- Mamãe tem razão, H. Você parece estar tudo, menos bem.

- Queria que Amy estivesse aqui. – Mexia meu chá para não olhá-las nos olhos – É meu primeiro aniversário namorando com ela, mas...

- Meu amor! Ela deve estar tão chateada quanto você, acredite.

- Eu sei que está, vó. Me disse isso há uns dias quando conversamos com mais tempo. Mas mesmo assim estou chateado. – Sabia que ia levar uma bronca, mas disse mesmo assim – Ela me ligou hoje, nos primeiros minutos da madrugada.

- Oh, que amor de menina! – Os olhos de minha avó cintilaram ao me ouvi dizer isso. Tem um verdadeiro apego a minha namorada.

- Mas eu não a atendi.

- Por que fez isso, Harry?

- Eu estava chateado, mãe, e... Ouvir sua voz ia me doer mais.

- Mas, meu amor, ela só queria felicitar você. Já pensou no quanto deve ter doído nela essa rejeição?

- Eu não a rejeitei, vó.

- Pois foi isso que deu a entender.

- Ela não tem culpa da agenda lotada que tem, Harry. Se está difícil para você, também está sendo difícil para ela. Amy está se esforçando e crescendo tanto a cada dia que você deve sentir orgulho.

- Eu sinto. Mas também sinto a sua falta. – Esfreguei o rosto de frustração.

- Ela te enviou um presente. – Indicou a sala com a cabeça e fui até lá.

 

Havia um grande quadro embrulhado em papel verde. Ela sabe o quanto gosto de quadros, mas não sabia o que esperar até rasgar o embrulho. Era um quadro muito bem feito que mostrava metade do meu rosto. Minha avó e minha mãe ficaram fascinadas tanto quanto eu. Minha mãe indicou outro presente, que estava em cima da mesa; uma caixa média também embrulhada com papel verde. Dentro dela havia uma carta, que decidi ler depois de ver o que havia dentro. Era um casal abraçado, encostados ao lado de uma escada. O homem era maior que a mulher, quase a encobria com seu tamanho. Nenhum deles tinha face definida, mas eu não precisava disso para saber que éramos nós dois. Perto dos pés do casal estava a assinatura do meu sogro e de Dulce. Olhando o quadro, vi que a assinatura também era de sua tia.

- Que obras lindas! – Disse minha vó, encantada.

- Minha nora tem um ótimo gosto! Quem será que os fizeram?

- Meu sogro e sua irmã. – Entreguei a escultura em minhas mãos para minha avó ver de perto.

- Que talento tem aquela família! Estou maravilhada, Anne! Que primor!

- Realmente, mamãe. É de se encher os olhos! – Peguei a carta e comecei a lê-la enquanto conversavam.

 

“Feliz aniversário, meu amor!

Gostaria muito de estar contigo. Não só hoje, mas especialmente hoje.

Peço que me perdoe mais uma vez. Estar com você em seu dia especial era tudo o que mais queria. Digo de toda alma!

 

Como sempre, não sabia o que lhe dar de presente. Resolvi pensar mais uma vez em coisas simples com a ajuda da Alice.

Meu pai e minha tia fizeram as obras com muito carinho para você. Este é um presente de toda nossa família para dizermos o quanto é importante para nós.

Seu olhar ficou tão vivo no quadro que me recordei de quando nos olhamos pela primeira vez na sala da Direction’s House... Como sinto saudades de lá!

Mas, devo confessar que quase não lhe entrego “Os Apaixonados”, que é como meu pai chamou sua escultura. Ela é o físico de nosso primeiro beijo, que meu pai disse ter ficado sabendo por minha mãe, pois não lhe contei detalhes sobre isso.

Espero que tenha gostado tanto quanto eu.

 

Te desejo toda felicidade, saúde, alegrias e amor desse universo!

Obrigada por ser esse menino-homem que tanto amo!

Te amo demais, Hazz.

 

Sua Pequena

Amy”

 

Como não amá-la! Como não gostar dessas obras! Meu peito se alegrava e doía ao mesmo tempo de amor e saudade. Céus, como pode ser tão linda, Pequena?!

- Eu que te amo demais! – Sussurrei.

- Oh, baby! – Minha mãe me abraçou e me entregou a obra enquanto lhe entreguei a carta.

Fiquei olhando aquela escultura, revivendo aquele momento em que me senti em queda livre... E que continua assim todas as vezes em que a beijo. Lembrei do que estava escrito em meu inseparável anel e sorri. Poderia ficar aqui admirando a estátua o dia todo.

- Descobrimos qual o presente que ele mais gostou, mamãe. Mal pisca o olhando!

- Dou razão a ele, Anne. Ainda mais por lembrar os dois. É de uma delicadeza ímpar.

- Você deveria ligar para agradecer e, principalmente, se desculpar por não tê-la atendido ontem.

- Vou fazer isso agora mesmo.

Peguei o celular e vi 3 chamadas não atendidas de Amy. Havia 2 mensagens na caixa postal.

 

- Oi, amor. Acho que deve estar cansado por mexer com as coisas do seu aniversário. Mas... – Respirou fundo – Só queria te desejar tudo de mais bonito e de melhor nesse mundo. Que Deus abençoe você cada dia mais! Gostaria demais de estar com você e te dar um abraço muito forte e um beijo. – Sua voz parecia embargada e meu coração diminuiu – Aproveite bem o seu dia. Espero ver você logo. Te amo muito. Beijos.

 

Sua voz... Só de ouvi-la a saudade duplicava. Disquei seu número, mas entrou direto na caixa postal. Tentei mais algumas vezes e mesmo assim, nada.

- Deve estar indo para o Rio. Ela disse que iria bem cedo, não é?

- Sim. – Bufei – Vou tentar mais tarde. Tem outro recado.

 

- Parabéns, Harry! Tudo de melhor em sua vida. Vamos aproveitar muito hoje a noite, não é?! Hahah! Muitos beijos, gatinho! Até mais tarde.

 

- Quem é essa?

- Paige, vó.

- E ela vai a sua festa?

- Sim, eu a convidei. Ela está aqui e é minha vizinha. Seria indelicado não chamar.

- Indelicado foi seu pai ter vendido a casa pra ela.

- Mamãe! – Repreendeu a minha avó, mas sei que pensa o mesmo – Não vamos pensar nisso agora, e sim em que lugar você quer colocar suas obras.

 

Decidi deixar o quadro na sala e a escultura em meu quarto. Abri um espaço em um móvel perto do espelho e de minha cama para olhá-la sempre.

Alguns presentes foram chegando conforme o dia passava, além de ligações de minha família, amigos e do meu pai. Minha mãe e minha avó ficaram comigo por todo o dia. Não quiseram ir à festa por acharem “coisa de jovens”. Gem me mandou mensagem dizendo que estava verificando os últimos detalhes da festa com comidas e bebidas e que só me daria parabéns à noite.

Os caras me ligaram para me felicitar, cada um a sua maneira. Os amigos do Brasil também me mandaram mensagens em algumas horas do dia. Viv ligou dizendo que tinha que felicitar a “Rapunzel”... Ela e o irlandês se merecem! Diana me deixou mensagem por Skype e disse que seu irmão também me mandava felicitações... Sei!

Durante todo o dia tentei ligar para Amy, mas sempre dava caixa postal. Comecei a ficar preocupado e quando Babá me ligou para me dar os parabéns a questionei por não conseguir falar com Amy. Me disse que deve ter esquecido o celular desligado depois que chegaram ao Rio e que ela estava gravando no momento. Pedi apenas para que avisasse que eu liguei.

As horas passavam e minhas mulheres tentavam me distrair, Robin apareceu para me felicitar... E nada de Amy me ligar.

Depois que Robin, minha mãe e minha avó foram embora fui me arrumar para a festa. Olhei para o espelho e logo depois para a estátua ao seu lado.

“Por que não me atende, Pequena?”

Nick me mandou uma mensagem dizendo que estava no portão de casa. Decidi não dirigir, pois sabia que o que mais queria fazer hoje era beber. Fui até seu carro tentando ligar novamente para minha namorada, mas a voz eletrônica era a única coisa que ouvia.

- E aí, aniversariante! – Disse assim que fechei a porta do carro.

- Oi.

- Não me parece muito animado, cara. O que aconteceu?

- Amy não me atende. Tento ligar e só dá caixa postal.

- Mas, ela não está em turnê ou algo assim?

- Tinha uma entrevista no Rio hoje. Mas nunca deixa o celular desligado por tanto tempo. – Disse chateado, olhando para a janela – Acho que está me dando o troco.

- Como assim?

- Ela me ligou hoje de madrugada para me felicitar e eu não atendi.

- Isso é uma das coisas que nunca achei que você faria, já que dizia gostar dela. – Deu de ombro.

- Eu a amo. – Respondi sério.

- Então, por que não a atendeu?

- Porque eu sou um idiota. – Baguncei os cabelos com raiva – Fiquei chateado por ela não estar comigo hoje... E agora estou ainda mais porque ela não me atende.

- Hey, pode ser que ela esteja com problemas no celular ou algo do tipo. Logo vocês se acertam. Hoje é seu dia, cara! Esquece as coisas ruins e vamos comemorar! – Sorri miúdo o vendo aumentar o som do rádio e se empolgar... Como eu deveria estar.

 

Quando chegamos ao local já havia muitos fotógrafos. Nick entrou na frente enquanto cumprimentei alguns e pude ver Viv entre eles. Acenei com a cabeça e ela deu uma piscadela. Sentia muito por ela não poder entrar, mas me pediu isso. Está protegendo seu namoro da mídia o máximo que pode e Niall decidiu que ela está certa, que é melhor esperarem um tempo.

Tudo estava muito bem decorado, as mesas bem servidas, o bar cheio, a música explodindo em alto e bom som, garotas lindas... Mas não tinha ela. Cumprimentei aos poucos as pessoas com quem encontrava, peguei uma bebida e fui procurar minha irmã, mas não a encontrei. Logo Nialler apareceu e me abraçou.

- Heeey! Tudo de melhor, Harold!

- Valeu, irmão. Vi a Viv agora pouco lá fora.

- Sim – Olhou para os lados, se certificando que não nos gravavam ou algo do tipo – Está feliz por poder cobrir algo ‘nosso’. Mas, mais feliz por me ver, claro. – Sorriu, travesso.

- Disso eu não duvido!

- Mas você não me parece muito animado. Está assim pela Amy?

- Sim. Mas estou mais chateado comigo mesmo por não tê-la atendido quando me ligou hoje de madrugada.

- Deixe eu adivinhar: Não a atendeu porque queria que ela estivesse aqui. – Assenti e ele rolou os olhos – Você é um idiota! Espero que saiba disso. – Sorveu sua bebida.

- Eu sei. E agora é ela quem não atende. Tentei o dia todo e nada.

- Não é a cara dela deixar o celular desligado por tanto tempo. Deve ter acontecido algo.

- Quando conversei com Babá me disse que ela estava gravando e que deve ter esquecido de ligar o aparelho quando chegou.

- Pode ser que sim, já que Amy é distraída. Mas agora estou preocupado.

- Ela deve ter desligado para não falar comigo.  – Virei toda a bebida – Vou tentar mais uma vez.

- Vai lá. Nos encontramos depois.

 

Fui até o banheiro com mais um copo na mão. Tentei mais duas vezes e nada. Ela não quer falar comigo, é a única explicação. Virei o copo mais uma vez, sentindo o whisky queimar minha garganta.

“Se é assim que quer, então só falarei com você amanhã!”

E desliguei meu telefone. É o meu aniversário e vou aproveitar ela estando aqui ou não.

Assim que sai do banheiro e peguei mais um whisky quando fui abraçado sem prestar atenção em quem era.

- Parabéns, gatinho! Queria tanto te dar esse abraço!

- Obrigado, Paige.

- A festa está ótima! – Disse se distanciando bem pouco de mim.

- Está mesmo. Obrigado pela dica das luzes.

- Sempre que precisar. – Piscou levantando o copo – E onde está sua namorada? Não a vi ainda.

- Ela não veio. – Respondi amargo – Está com a agenda cheia no Brasil.

- Ah... Que chato! – Bebi em várias goladas, sem querer dar continuidade ao assunto – Eu tinha uma entrevista marcada para amanhã, mas a troquei para o próximo dia.

- Por que desmarcou?

- Para estar aqui, óbvio. – Passou a mão por meus braços e pela gola da minha camisa – Você é especial para mim, Harry. Não perderia sua festa por nada. – Beijou meu rosto devagar. Ela cancelou sua entrevista para vir e Amy...

- H! – Me assustei – Onde estava?

- Eu que te pergunto. Estava procurando você desde que cheguei. – Minha irmã deu apenas um aceno de cabeça a Paige, a ignorando depois completamente.

- Me desculpe. Mas demorei por uma boa causa. – Sorriu triunfante – Estava com o seu presente.

- Gem, já disse a você que não era para me trazer nada.

- Nem mesmo ela? – Quando saiu do meu campo de visão eu não sabia se estava alucinando ou se era real. Estava linda... Mais do que isso! Estava perfeita! Seu vestido rosa claro reluzia com miúdos pontos brilhantes até o joelho, o cabelo preso em algum tipo de coque e o rosto esboçava um miúdo sorriso. Meus pés se moveram sozinhos até seu encontro e meus olhos ainda se perguntavam se o que viam era certo. Toquei seus braços e comprovei que era real, muito real. Não me importava mais quem estava ali e quem via minha cara de bobo. Ela estava ali e era isso que me importava.

- Oi. – Disse sem jeito e eu a abracei como queria fazer há tempos. Depois de um instante, tomei seu rosto em minhas mãos.

- Mas... Como? Você disse que não podia vir.

- Cancelaram as entrevistas. Babá e eu ficamos até hoje de madrugada tentando comprar a passagem. – Olhou para frente um pouco preocupada e depois para mim – Fiz mal em vir? – Somente ri.

- Mal? Você é tudo o que eu queria hoje, Pequena! Desejei ver você, falar com você e te pedir desculpas por não te atender, te agradecer pelos presentes.

- Você gostou? – Seu sorriso de expectativa é tão lindo quanto os outros que tem.

- Eu amei! – Selei-a e aprofundei o beijo, ouvindo as comemorações ao nosso redor. Isso fez Amy se encolher e eu a trouxe mais próximo a mim – Muito obrigado, amor.

- Por nada! – Selei-a mais algumas vezes.

- Não acredito que está aqui! – Olhamos para frente e eu mal a soltei quando braços já a tomavam de mim – Por que não me disse? Que saudade de você!

- Eu também estava com muita saudade, Nialler.

- Cara! Que loucura! Esse aí parecia um bebê birrento sem você todos esses dias. Seu nível de carência superou o do Tommo. – Rimos – E por que não me avisou? Eu teria ido te buscar.

- E ia interditar o aeroporto! – Acarinhou seu rosto – Na verdade foi tudo inesperado. Cancelaram as entrevistas, depois não conseguia vôo e Babá e eu ficamos tentando até as 2hs da manhã. Quando consegui, liguei para a Gem e ela me disse para não dizer a ninguém.

- Queria fazer uma surpresinha para o meu irmãozinho. – Me abraçou e eu a acolhi – Gostou do presente?

- O melhor que eu poderia ganhar! Obrigado, Gem.

- Eu ia te desejar todo amor do mundo. Mas ele está aqui agora. – Olhou Amy com carinho – Então te desejo toda felicidade com esse amor.

- Vou chorar com essa declaração! – Nialler fez uma voz engasgada e trejeitos afeminados.

- Depois dizem que o gay sou eu! – Rimos.

- Vamos para a pista gente, que eu quero dançar a noite toda! – Disse minha irmã pegando Nialler pela mão e o levando.

 

Apresentei Amy aos meus amigos, entre eles Nick. Trocaram algumas conversas e pareceram simpatizar um com o outro. Levei-a para a pista e ficamos entre conversas, risos, danças, abraços e beijos.

Contratei uma daquelas máquinas que tiram fotos instantâneas e tirei várias com minha namorada, Nialler, Gem, entre outros amigos juntos e depois apenas com Amy. Quando a levei para a pista novamente a abraçava e a apertava junto a mim para ter certeza de que estava ali... E estava.

Em um momento da noite Oscar, meu amigo DJ, anunciou o bolo e todos cantaram Parabéns enquanto garçons levavam o bolo onde eu estava. Sempre achei esse momento dos Parabéns constrangedor, porque você nunca sabe o que fazer e para onde olhar. Mas quando vi minha garota um pouco mais afastada de mim cantando alegremente, sabia exatamente para onde olhar. Assim que terminaram, me curvei algumas vezes agradecendo e assoprei as velas, desejando passar mais aniversários com minha Pequena.


Notas Finais


https://www.youtube.com/watch?v=8PTDv_szmL0 B.o.B feat. Bruno Mars - Nothin' On You


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...