História Shingeki No Ghoul - Capítulo 23


Escrita por: ~

Postado
Categorias Shingeki no Kyojin (Attack on Titan), Tokyo Ghoul
Personagens Annie Leonhardt, Armin Arlert, Beast Titan, Connie Springer, Daz, Dot Pixis, Eld Jinn, Eren Jaeger, Erwin Smith, Gunther Schultz, Hange Zoë, Historia Reiss, Ian Dietrich, Jean Kirschtein, Keith Shadis, Levi Ackerman "Rivaille", Marco Bott, Mikasa Ackerman, Mike Zacharius, Oluo Bozado, Personagens Originais, Petra Ral, Reiner Braun, Rico Brzenska, Sasha Braus, Ymir
Tags Ackerman, Armin, Asamoah, Attack On Titan, Balas Q, Bikaku, Connie, Emerick, Emerick Asamoah, Eren, Ghoul, Homem Trans, Kagune, Kakugan, Kakuja, Koukaku, Kyojin, Kyokin, Levi, Lgbt, Mikasa, Mikasa Ackerman X Sasha Blouse, Mikasa X Sasha, Quinque, Representatividade, Representatividade Lgbt, Representatividade Negra, Representatividade Trans, Rinkaku, Rivaille, Sasha Braus, Shingeki, Shingeki No Kyojin, Tokyo, Tokyo Ghoul, Trans*, Transgênero, Transmasculino, Transsexual, Ukaku, Yaoi, Yuri
Exibições 54
Palavras 1.398
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Canibalismo, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Spoilers, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


alerta de conteúdo: spoilers, citação/banalização de suicídio

Capítulo 23 - Titã Dançante


Os olhos de Connie lembram uma criança traumatizada.
- Mas que merda, Emerick! – grita o rapaz – o que diabos você fez?!
- Você não ouviu? – retruco, insensível – “eu não posso falar nada”, “achei que era coisa da minha cabeça”. É por causa dele que estamos nessa agora – aponto para os titãs lá embaixo.
- Emerick está certo – concorda Mikasa. Parece que, aos poucos, sua raivinha de mim por eu não ser humano está passando – nós havíamos confiado que Erwin e seus homens iriam descobrir as possíveis identidades de outros aliados de Bertholdt, mas isso não aconteceu e resultou numa nova invasão. Matá-lo o mais rápido possível foi a decisão certa.
- Então porque ele não se transformou em titã? – questiona um dos homens do outro grupo, assustado.
- Eu sei lá? Tenho cara de vidente? A questão é que eu o VI – minto por saber que humanos não tem um olfato bom – naquele dia em Trost, quando o Titã Colossal apareceu e desapareceu, eu o VI, lá embaixo. Ah sim, mais uma notícia: Marco não está morto. Sim, pois é, comemorem – ironizo, perante as expressões chocadas dos meus companheiros do 104º esquadrão – ele ouviu Reiner e Bertholdt falando sobre suas “formas de titã”. Por isso, eles dois e Annie tentaram matá-lo. Por isso, ninguém achou o soldado que matou aqueles experimentos: era Annie, que depois apresentou o equipamento de Marco em vez do seu próprio. Foi meu irmão quem o salvou e agora Marco está escondido. Em vez de chorar pela morte desses caras, vão lá dar um beijo na boca do Marco depois, porque ele foi essencial para descobrir os traidores – finalizo o discurso, chegando até a fingir algum desprezo na palavra "traidores". "Deveria ter virado ator de teatro", penso, me controlando para não sorrir.

A expressão de choque de Sasha é a melhor. Ela e Mikasa realmente formam um casal fofo. Assim como Ymir e Christa. Não sei como essas duas últimas ainda não se casaram, inclusive.
- Gente, eu sei que a conversa tá boa, podemos por favor, nos concentrar no problema atual? – pergunta Ymir, olhando na borda da torre.
- Um lança-mísseis cairia bem agora – reflito, em voz alta.
- Lança-o quê? – pergunta um dos dois soldados restantes do outro grupo.
- Mas que merda! Merda! Merda! – parece que os acontecimentos da noite são demais para Connie. Estou quase cedendo à ideia de Armin, mesmo achando que já chamei atenção demais por hoje. Em pensamento, peço para Mikasa salvar o dia de uma vez.
- Como eu disse... – Armin, mais uma vez, me lançando um olhar de súplica – se alguém tiver uma carta na manga, por favor, use AGORA!
- Ai, tá bom, tá bom – Ymir replica – Connie, me dê aquela faca.
- Aqui – o garoto entrega uma faca de cozinha, com uma expressão confusa no rosto.
- Obrigada.
- Pra quê você precisa dela?
- Bem... pra lutar – Ymir dá de ombros e vai até Christa.
- Ymir? O que você vai fazer? – a loira parece aflita.
- Lembra daquela promessa que fizemos no nosso treinamento, nas montanhas nevadas? – pergunta a garota de pele escura – esqueça ela. Eu não tenho o direito de te dizer como viver sua própria vida. Então, considere como um pedido: viva de cabeça erguida – Christa parece tão confusa quanto todo o resto de nós.
- Eh? – a garota de pele escura salta pra fora da torre. “Lá se vai uma garota humana até que bem bonitinha”, penso, ao mesmo tempo que Christa grita para que ela espere. Todos os outros prendem a respiração e correm para a beira; eu, permaneço recostado perto da parede por onde empurrei Bertholdt.

Um rugido, com certeza não se trata de um rugido humano, invade o ar. Escuto sons de luta lá embaixo. “Pera, que diabos está acontecendo?”, me pergunto e me coloco de pé, correndo para me juntar aos outros.
- Você está brincando comigo... – escuto a voz de Connie – até Ymir... se transformou num titã...
- Ymir... – Christa sussurra.

De fato. O que vejo lá embaixo é um titã lutando contra os outros. Pequeno, se comparado a Eren: uns 7 metros no máximo. Mas igualmente furioso, e muito mais ágil. Parece dançar enquanto luta. Mas um titã de sete metros, lutando contra tantos maiores e menores... as chances não estão ao seu lado.
- Corrigindo – penso em voz alta – “lá se vai uma garota até que bem bonitinha, mas que se transforma num bicho feio pra caramba”. Não se iluda, Christa. Ela vai morrer.
- Cala a boca, Emerick – Connie alfineta. É inevitável sorrir diante do nariz que Mikasa torce pra mim.

Mas observando melhor, eu tenho que admitir: ela é dura na queda. Golpeia, escapa, esquiva, morde e soca de novo, sem se deixar ser pega. Opa, falei cedo demais: um dos titãs mordeu seu braço.
- Ymir! – chama Christa. Ela, Connie e os outros haviam se envolvido numa pequena discussão sobre o objetivo de Ymir, mas não prestei atenção alguma. A garota transformada lá embaixo parece perceber que a quantidade de titãs é demais para ela, e tenta escalar a torre de pedra de volta. Quando seu olhar e o de Christa se cruzam, no entanto, ela solta a estrutura.
- A situação dela não é boa – observo – Nanaba, os dois aí que eu não sei o nome, quanto vocês tem de gás?
- O meu acabou – um responde.
- Eu tenho um pouco – o outro.
- Eu, quase nada – Nanaba.
- Merda. Mikasa, Armin, o que acham?
- Eu não acho nada – replica Mikasa, indiferente.
- Acho que a hora é agora – Armin.
- NÃO MORRA, YMIR! NÃO MORRA EM UM LUGAR COMO ESSE! – grita Christa, em lágrimas, vendo sua querida esposa sendo imobilizada e atacada por diversos titãs, por todos os lados. A loira se levanta sobre a cerca da torre, e Connie a agarra pelo pulso – não aja como uma santinha, está me ouvindo?! Não me diga que você gosta tanto de nós que até morreria para nos salvar, sua idiota! Você é uma pessoa que valoriza a si mesma acima de tudo, não é?! Você é Ymir, a pessoa com a pior personalidade de todas, não se esqueça disso! Viva pra si mesma, então! Se você está planejando morrer para proteger essa torre, que essa torre vá pro inferno!!!

Ymir se desvencilha dos titãs ao seu redor e torna a escalar a estrutura; dessa vez, arrancando os tijolos da construção para projetá-los contra a face de seus inimigos – e nos desestabilizando aqui em cima.
- E-eei!
- Ela vai mesmo destruir a torre?!
- É isso aí, Ymir! – awn, que fofo, apoiando a namorada até quando ela está prestes a cometer suicídio e a levar todo mundo junto. O amor não é lindo?

Seu rosto aparece bem na nossa frente.
- Querem... viver... agarrem-se... em mim – diz uma versão bizarra da voz de Ymir, como se estivesse sendo dita através de um megafone estourado. Ninguém titubeia: todos se jogam sobre o corpo dela enquanto a torre se desfaz em pedaços, soterrando os vários titãs lá embaixo. Ymir passa rapidamente de um lado ao outro, fazendo a torre pender em direção aos titãs e se mantendo na parte de cima, onde não seremos atingidos... provavelmente.
- Não posso acreditar – Connie, observando o resultado da loucura de Ymir e Christa – ela fez com que eles fossem enterrados debaixo dos escombros...
- Que ideia arriscada...
- Pra mim, o mais impressionante é que nessa palhaçada toda só teve aquele comandante lá morto – me manifesto, cheio de indiferença – ah sim, e o Bertholdt. Mas ninguém liga pra ele.

É claro, logo os titãs começam a se livrar dos escombros e se por de pé.
- Acabe com eles, rápido! – não é preciso dizer duas vezes. Ymir se precipita sobre o mais próximo, mordendo sua nuca, mas logo em seguida é agarrada pelos cabelos e arremessada ao chão violentamente. Uma horda de titãs se junta sobre ela.
- Ajudem-na! – Nanaba, ativando o DMT imediatamente e executando o titã que a agarrara pelo cabelo. Não é preciso dizer duas vezes: com o pouco gás que tenho, costuro entre os titãs, cortando um a um e agradecendo por ter conseguido poupar o que me restava até esse momento.

O dia já está raiando quando, finalmente, Nanaba executa o último titã, um de quatro metros que estava prestes a se livrar dos escombros.


Notas Finais


tava vendo uma animação fan-made de Undertale agora há pouco daí só me vem na cabeça a Undyne gritando "YOU'RE GOING TO GIVE BACK THOSE SOULS"
então.......
IU GOIM TCHU GUIVE BEQUE DOS SOUS

PS: um pequeno aviso, num dos comentários há referências a acontecimentos do mangá, que leva a spoilers, então quem não gosta de spoilers, tome cuidado ao ler os comentários :v


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...