História Shooting Star - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Chanbaek, Hunhan, Kaisoo, Kristao, Sulay, Taoris, Xiuchen
Exibições 37
Palavras 2.421
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi pessoas bonitas e cheirosas, como vão vocês?
Aqui estamos com mais um capítulo!
E sim Bellatrix é um nome de uma estrela, eu nunca imaginaria, eu achava que era um nome inventado pela JK Rowling... Enfim, aproveitem a leitura.
Esperamos que gostem

Capítulo 9 - Bellatrix



-Do? – Sehun perguntava do outro lado da linha, havia decidido ligar para o amigo de longa data, precisava conversar com alguém.

Os dois estudaram juntos boa parte de suas vidas, além de que as famílias eram amigas, os Do donos de uma das maiores multinacionais do país, e os Oh, responsáveis por uma grande empresa publicitária, a qual realizava muitas das campanhas publicitárias, eram donos de muitas ações de grandes emissoras de televisão, o que de certa forma influenciará sua paixão pela atuação.

-Hora, se não é o maior galã de toda a Coréia, Sr. Oh. – responderá o outro com sarcasmo. – Quem é vivo sempre aparece.

-Eu sei que tenho sido um pouco ausente, mas é o trabalho. – falava em forma de pedido de desculpas.

-Sem essa, tenho acompanhado seu trabalho, só você para me fazer assistir dorama.

-Está muito ocupado agora? – perguntava um pouco receoso, seu amigo era agora um dos executivos da empresa da família.

-Pode falar, está na hora do almoço de qualquer forma...

-Ok, é que bem... não quero quero pareça que eu só te procuro quando preciso, mas é que, você é um dos meus amigos mais próximos, e eu precisava conversar com alguém. – Sehun suspirou do outro lado da linha.

-Tudo bem Sehun, como você disse nos somos amigos, o que houve? – perguntou o mais velho preocupado. Mesmo não se encontrando mais com tanta frequência, ainda nutriam toda aquela amizade construída durante toda a infância e adolescência.

-Eu sei que você é meio desligado quanto a vida amorosa, nunca foi muito apegado a relacionamentos, ou algo desse tipo. – começou com cautela, mas fora interrompido.

-Sehun... da pra você falar logo? Está me deixando nervoso, você traiu o Luhan foi isso? Nossa cara nunca pensei que você fosse capaz. – Kyungsoo falava de forma rápida, impaciente.

-NÃO! -exaltou-se quando ouviu a palavra “traição”. – Eu nunca faria com ele. – riu desconcertado. – É que ele anda meio distante.

-Distante...

-Sim, nem em casa ele para direito, eu até ligo para ele, mas ele parece nunca querer falar comigo. Eu queria um conselho. – Sehun explicou-se ao amigo, na tentativa de encontrar alguma solução.

-Vocês andaram discutindo muito nesse último período? -Kyungsoo indagou.

-Não. – Sehun negou de forma calma.

-Você deixou de transar com ele? – o mais velho perguntou sem cerimônia.

-O que? Não! Óbvio que não, só depois dessa distância. – o Oh respondeu a última parte um pouco triste.

-Sehun, você fez alguma merda? Foi isso? Disse que ele estava gordo?

-Não Kyungsoo, você não está ajudando, é sério. Tudo começou a ficar estranho depois do meu pedido de casamento.

-Ah! O pedido, você nem me retornou dizendo qual foi a resposta dele.

-Ele recusou Do, ele disse que era algo muito importante é que precisava de mais tempo. – Sehun tirou a dúvida do amigo que fez silêncio.

-Aish, será que ele achou que você foi apressado demais e está se sentindo pressionado?

-Não sei, eu já não sei mais o que fazer. – confessou frustrado.

-Conversa com ele, um relacionamento é regido por conversas entre o casal sabia? Já tentou isso? – Kyungsoo finalmente havia dado uma possível solução.

-Como conversar com alguém que faz questão de permanecer ausente durante todo o tempo Soo?- perguntou impaciente. – Ele... nós, nem parecemos viver mais embaixo do mesmo teto.

-Vá até o trabalho dele então. – respondeu simplista. – Faça isso hoje à tarde. Bem, se eu estivesse no seu lugar eu faria isso.

-Acho que farei isso. Obrigado por conversar comigo Soo. Desculpe tomar seu tempo.

-Para de falar assim, somos amigos. – Kyungsoo pedia bem humorado.

-Tchau, temos que marcar de nos encontrar. -Sehun se despedia com um sorriso no rosto.

-Tchau, temos mesmo. – Kyungsoo se despedia do amigo, feliz por ter conseguido supostamente o ajudar. - Bem até logo.

-Até. – respondeu o Oh encerrando a ligação.

♡♡♡♡

Luhan e Minseok estavam no balcão de atendimento conversando distraidamente, naquela tarde o movimento da cafeteria estava bem tranquilo, Jongin atendia as mesas, sem muita vontade, mas disse que dava conta sozinho, mas depois revezaria com Luhan.

Minseok e Luhan sempre mantiveram uma relação muito boa, as conversas que os dois mantinham sempre eram repletas de risadas altas, essa não era diferente, mesmo estando em ambiente de trabalho. Até que um cliente entrou, o que era perceptível graças ao sino que havia em cima da porta.

-Boa tarde. – cumprimentaram os dois simultaneamente sem prestar muita atenção em quem se tratava ainda com ar de divertimento.

O cliente era Sehun, para a surpresa de Luhan, seu rosto perderá todo o divertimento naquele mesmo instante, e até mesmo um pouco da cor. Ele podia perceber como Sehun metralhavam Minseok com os olhos, ele morria de ciúmes de Minseok junto de Luhan, e ver os dois conversando tão animadamente através da porta de vidro, antes de entrar na cafeteria não colaborava nada para o bom humor dele. Sehun se aproximou do balcão, tirando os olhos de Minseok para se dirigir a Luhan.

-Boa tarde. Luhan nós podemos conversar em particular. – ele pediu sério, sem desviar o olhar.

-Tudo bem. – respondeu igualmente serio. – Eu já voltou Minnie. -anunciou Luhan sorridente dando uma piscadela a Xiumin, enquanto dava a volta para sair de trás do balcão, este o sorrindo de volta.

-Pode ser lá fora? – Sehun indagou sem muita emoção na voz, quando Luhan já estava a sua frente.

-Como quiser.- Luhan respondeu o seguindo até a saída.

A rua estava bem vazia e o céu encoberto por nuvens, o deixando com uma tonalidade cinzenta. A expressão séria de Sehun preocupava Luhan. Sehun estava tão irritado, e estressado com a situação entre os dois, que até mesmo havia voltado a fumar, aproveitando estar na rua, tirou um cigarro do maço e o acendeu.

-Ei! Apaga isso Sehun! – Luhan pedia tentando sem sucesso tirar o cigarro das mãos do amado.

-Não. – respondeu seco, tragando o cigarro logo depois.

Naquele momento Luhan lançava a ele um olhar decepcionado, mas recheado de culpa, sabia o quanto Sehun havia lutado contra o vício, que matava a qualquer um aos poucos, Luhan tinha consciência de que aquela recaída era causada por si, pelo relacionamento ruim que ele estava proporcionando a Sehun.

-Aconteceu alguma coisa? – Luhan iniciou a conversa após alguns instantes, mesmo sem sentindo culpado, manteve o tom de voz indiferente.

-Me responde você. – Sehun rebateu mais uma vez seco, segurando o cigarro entre os dedos.

-Você se deu o trabalho de vir ate aqui só para isso? – Luhan perguntou de forma grossas. Doía em seu coração falar assim com o amado, ver a tristeza no seu olhar por conta da frieza que vinha o tratando.

-Não. -Sehun respondeu triste olhando nos olhos de Luhan, largando o cigarro no chão, mesmo não terminando de o fumar, e em seguida pisando em cima. – Sabe, quando eu propus que morássemos juntos a dois anos atrás e você aceitou, nossa, eu pensei que não podia me sentir mais feliz. – ele suspirou triste. – Mas ultimamente tenho tido a impressão que você esqueceu esse fato, que você tem uma casa e que divide comigo, seria bom você voltar lá mais vezes, sabe?

-Mas eu volto, é que você sempre esta dormindo. – Luhan tentava argumentar sem deixar seus sentimentos transparecerem.

-Luhan eu não te vejo em casa faz tanto tempo que às vezes penso que moro sozinho. – Sehun confessava de forma triste. Luhan sentia seu coração se despedaçar cada vez mais ao sentir tanta tristeza naquela voz.

-Não é muito tempo, ok? Deve fazer uma semana. – Luhan tentava transparecer indiferença na voz.

-Uma semana Luhan? Uma semana? – Sehun riu sem humor. -Não faz uma semana, nem nos fins de semana você para em casa direito. – era perceptível como Sehun se controlava para não alterar a voz.

-Então você veio até aqui para me pedir para voltar para casa? – Luhan levantou a sobrancelha e falava de forma indiferente, fazendo o pedido do amado parecer uma coisa ridícula.

-Você entende do que eu estou falando, olha é melhor nós conversamos em casa. – dizia Sehun, passando as mãos nos cabelos.

-Tá bem, prometo voltar mais cedo hoje. – anunciará Luhan, se afastando rapidamente sem se despedirem adentrando a loja.

♡♡♡♡

Algumas semana após Tao ser expulso da biblioteca, decidira voltar novamente, mas com o intuito de não causar confusão novamente, na semana anterior quando chegara em casa não conseguiu estudar, haviam distrações demais dentro daquele apartamento, até a parede parecia mais interessante que aquele assuntos que ele julgava como chatos e que deveria estudar.

Para sua infelicidade logo que entrará na biblioteca se deparou com Kris novamente, que o lançou um olhar digno de um assassino. Fazendo Tao se sentar propositalmente ao seu lado, só para poder o provocar.

-Oi. – Tao cumprimentara o maior com um sorriso sínico, receberá como resposta nada além do silêncio, mas mesmo assim continuou ali sentado ao lado dele durante a tarde inteira, mais desenhará figuras abstratas do que realmente estudou.

-Não acho que desenhos geométricos sem sentido, lhe ajudaram nessa matéria. – o mais alto quebrou o silêncio, com acidez na voz, naquela altura só havia os dois dentro da biblioteca.

-Obrigado pelo aconselhamento. – respondeu debochado. – É que se nada der certo, pretendo vender minha arte na praia, ou em alguma dessas praças de Seul, mas tudo depende do destino.

-É, talvez seja somente isso que lhe reste no final. – Kris comentou ácido, com um sorriso nos lábios.

-Nossa, sabe... -Tao procurava parecer pensativo propositalmente. -Já percebi que você é uma pessoa doce, tão doce que se melhorar azeda. Ou melhor talvez você já seja azedo.

-Eu realmente não me importo com sua opinião. – o mais alto respondeu calmamente.

-Grosso. – falou com um tom melódico na voz.

Continuaram a estudar, ao menos Kris voltará a estudar, após aquela pequena discussão, Tao continuava tentando se concentrar nos textos, mas desenhar lhe parecia mais interessante, até decidir ir embora.

-Foi maravilhoso passar essa tarde com você, mas infelizmente estou indo embora. – Tao quebrara o silêncio após algum tempo.

-Whatever. – Kris respondeu mal humorado.

-Ui, ele é bilíngue. – Tao falou zombeteiro se levando e saindo.

-Você. – Kris chamou com aumentando o tom da voz, fazendo Tao se virar.

-Sim?

-Pode vir aqui? Por favor. – o maior pedia calmamente.

-Por que eu deveria? – Tao perguntou levantando a sobrancelhas.

-Por favor. – Kris pediu bufando, fazendo Tao mudar de ideia e ir até ele.

-O que você quer? – Tao perguntou levantando novamente as sobrancelhas.

-Você tem dificuldade para se concentrar, certo? – o maior perguntou calmamente.

-Talvez... um pouco. – respondeu desconfiado. – Mas o que isso diz respeito a você?

-Diz respeito a mim a partir do momento em que você se senta ao meu lado a tarde inteira, e me desconcentração também. – Yifan explicou grosseiro.

-Não sabia eu minha presença te desconcertada tanto assim bonitão. – Tao falava sacana.

-Pelo amor. – falava revirando os olhos. – Olha, eu posso te ajudar a ter mais concentração nos estudos. Conheço técnicas para concentração.

-E por que você faria isso? – Tao indagou desconfiado.

-Porque aposto que você está precisando de nota em alguma matéria, e quanto antes você conseguir se recuperar, mais rápido você vai deixar de me perturbar. – Kris explicava.

-É, faz sentido. – Tao concordou, parecendo ponderar aquilo que o mais alto acabara de falar. - Como você sabe que eu preciso de nota em algo?

-Porque é óbvio, todo mundo vem para cá estudar quando precisa de nota em algo. – Kris respondeu de forma óbvia.

-Então o mesmo vale para você. – o moreno observou debochado.

-Não, meu caso é diferente, mas isso não vem ao caso. Então, vai querer minha ajuda ou não? – perguntava impaciente.

-Claro! – Tao exclamou, fazendo a pergunta que Kris fizera parecer a mais estúpida.

-Ótimo, então amanhã aqui, a tarde, estarei te esperando. – o mais alto definiu o encontro.

-Combinado então. – Tao concordou saindo novamente de perto do mais alto. – Ah! A propósito, meu nome é ZiTao, mas pode me chamar só de Tao. – se apresentou de longe.

-Kris. – respondeu.

-Até amanhã Kris. – Tao se despedia.

-Até. – se despediu voltando sua atenção para os livros.

♡♡♡♡

Ao voltar para a loja passou direto pelo balcão, deixando para trás um Minseok confuso, e posteriormente pela cozinha onde Jongdae nem perceberá sua presença, graças a concentração que depositava na sua função, e foi direto para o banheiro dos funcionários, sabia que não ia conseguir se conter durante muito tempo, ele precisava chorar, era evidente que Sehun sofria tanto quanto ele por conta do afastamento repentino.

Depois de alguns minutos ouviu alguém bater na porta, era Minseok.

-Luhan, está tudo bem?

Luhan podia sentir a preocupação do amigo na voz. Mas preferiu não responder continuou chorando.

-Luhan. -Minseok chamou mais uma vez preocupado.

Então Luhan decidiu abrir a porta e deixar o amigo o confortar.

-Luhan, aconteceu alguma coisa? – indagava Minseok preocupado alisando as costas do amigo em um abraço quase maternal. -O Sehun te fez alguma coisa?

-Está tudo bem Minnie, são só problemas no relacionamento. – Luhan falava com o rosto escondido no pescoço do amigo.

Minseok preferiu não fazer mais perguntas, só continuou a abraçar o amigo, até sentir este mais calmo, não o obrigaria a contar nada que não quisesse. Depois de alguns minutos, e de Luhan lavar o rosto, sentaram-se em uma das bancadas de confeiteiro, Minseok deu a Luhan um copo de água, na tentativa de o ajudar a se acalmar.

- Você quer ir pra casa mais cedo. – Minseok perguntou para um Luhan já mais calmo, mas ainda com um rosto inchado proveniente do choro.

-Nada disso! Vou ficar até meu expediente terminar. – Luhan afirmou determinado.

-Tudo bem então, se você diz, vou voltar para o caixa. – anunciou passando por seu amante que lhe lançou um olhar de dúvida, como se perguntasse o que havia acontecido, deu lhe uma piscadela, e saiu.

♡♡♡♡

Como havia prometido naquele dia Luhan voltará mais cedo para casa, não ficou até o café fechar, ou foi ao observatório, foi direto para casa. De volta ao apartamento 505, ele já estava ciente de que aquela conversa mencionada mais cedo não seria nada fácil, e sabia que não podia deixar transparecer seu sofrimento, não importasse o que podia vir a acontecer, ele tinha que fingir indiferença a respeito do distanciamento.

Luhan chegou até o seu apartamento, abriu a porta, não pronunciou uma palavra anunciando sua chegada. Sehun estava esparramados no sofá jogando video game, desviará o olhar para Luhan, que passou direto na sala, fingindo não notar sua existência. Tomou banho na tentativa de se acalmar e pensar um pouco, se trocou e voltou a sala, se sentando no outro sofá ao lado de Sehun.


Notas Finais


Até semana que vem!
Estou enviando o capítulo pelo tablet, então não sei como vai ficar a formação, se ficar mais ruim, me perdoem desde já, mas assim que possível eu mudo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...