História Shooting star - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Chanbaek, Hunhan, Kaisoo, Kristao, Sulay, Taoris, Xiuchen
Exibições 19
Palavras 2.625
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Lemon, Mistério, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oi pessoas bonitas e cheirosas, como vão vocês?
Aqui estamos com mais um capítulo!
E sim Bellatrix é um nome de uma estrela, eu nunca imaginaria, eu achava que era um nome inventado pela JK Rowling... Enfim, aproveitem a leitura.
Esperamos que gostem

Capítulo 9 - Bellatrix


 

Minseok se encontrava no sofá de seu apartamento, deitado com a cabeça apoiada nas coxas de Jongdae enquanto assistiam a um filme qualquer. 

- O que o Lu tinha hoje à tarde? – Jongdae perguntou tirando Minseok de seus devaneios. 

- Eu não sei, ele disse que está no tendo problemas no relacionamento com o Sehun. – respondeu sério. 

-Acho que ninguém está livre disso. – Jongdae observou distraído. 

-É, nem as estrelas da televisão. 

-Sim. Espero que eles fiquem! Bem logo. 

-Eu também. – disse se levantando. – Eu já volto. – Minseok disse pegando o celular e indo em direção a cozinha. 

♡♡♡♡

-Estou aqui... - pronunciou-se Luhan.  

-Oi. E eu percebi quando você passou por mim fingindo que não me viu.- Sehun respondeu em um tom triste, jogando o controle de qualquer maneira em cima do sofá. – Pensei que tivesse esquecido o caminho. – ele disse se aproximando de Luhan, tentando o beijar, mas Luhan virou o rosto o fazendo beijar sua bochecha.  

-Eu precisava tomar banho, me desculpe. – Luhan se explicou com um sorriso mínimo, como era tentadora aquela aproximação, somada a saudade que sentia.- Você sabe, nossos horários não tem se encontrado ultimamente. – pronunciava as palavras com total indiferença.  

-Você tem estado diferente ultimamente, não são só os horários, eu fiz algo errado? – Sehun perguntava preocupado enquanto se sentava mais perto do amado.  

-Você? Na... – mas foi interrompido, seu celular estava tocando . – Já volto. – anunciou se levando rapidamente, com medo de Sehun o impedir de atender, e aquela aproximação entre os dois não estava colaborando com a pose que Luhan planejava manter. O celular estava na mesa da cozinha, onde costumava deixar sempre que chegava do trabalho, podendo sentir os olhos de Sehun o acompanhar.  

Olhou o identificador e era Minseok, com certeza estava preocupado com ele após toda aquela choradeira durante a tarde.  

-Oi Min. – Luhan atendeu.  

-Oi Luhan, como você esta? – Minseok estava claramente preocupado, pela entonação.  

-Ah, eu estou bem, não precisa ficar preocupado Min, eu sei me cuidar. – Luhan não conseguiu deixar de sorrir ao notar a preocupação do amigo.  

-Você tem certeza?  

-Sim. – Luhan respondeu soltando uma risadinha.  

-Se você diz. Não o deixe te fazer chorar novamente. – Minseok advertia.  

-Eu não vou deixar. – Luhan respondeu sorrindo, Minseok não sabia de toda a história, então ele acreditava que Sehun era uma mau namorado.  

-Ate amanhã no trabalho. Boa noite. Fique bem. – Minseok se despedia.  

-Ate amanhã Min, fique bem também. Boa noite. – Luhan respondeu ainda sustentando um pequeno sorriso.  

Ao voltar para sala Sehun ainda permanência no mesmo lugar com uma expressão não muito feliz.  

-Quem era? – Sehun perguntava sério, fitando-o.  

-Era o Minseok.  

-Ah, o Minseok? O que ele queria? – Sehun não parecia muito feliz.  

-Não é da sua conta. OK? Coisas do trabalho. – Luhan respondeu bufando.  

-Ah claro... Trabalho. Agora eu entendo porque tantas noites fora, chegando tarde. Não sabia que prestava favores sexuais a seu patrão Luhan. – Sehun falava sarcástico, era evidente o ciúmes que sentia. – Não sabia que tinha essa parte no seu contrato.  

- Você esta insinuando, que eu tenho uma caso com o Minseok? – Luhan perguntava incrédulo.  

-Não. Favores sexuais, não são definidos como um caso não é mesmo? – Sehun respondeu com pura ironia. – Mas já explicaria toda essa sua ausência repentina ultimamente, explicaria todo o tempo que passa naquele maldito Observatório, que eu duvido que tenha mesmo estado lá alguma vez, explica também minhas ligações que você nunca atende, ou quando nunca pode falar comigo por estar em um momento importuno.  

-Sehun, você esta prestando atenção no que esta dizendo? – Luhan não queria acreditar que estava sendo acusado de traição, nunca seria capaz disso.  

-Como eu fui trouxa, não esperava isso de você, nossa eu sou um completo imbecil. Agora eu entendo todo esse seu comportamento repentinamente mudado, toda essa distância.- ele continou falando como se não tivesse ouvido a pergunta de Luhan, enquanto o passava as mãos nos cabelos. – Você acha que eu nunca percebi o jeito que ele olha pra você? Eu devia saber, que você não passa de só mais um, só mais um qualq... – o som surdo da colisão da mão de Luhan ao seu rosto, o fez se calar, ele parecia surpreso, tão surpreso quanto Luhan, não esperava isso vindo dele, e nem ele esperava um dia agredir aquele que mais amava, ele automaticamente se arrependeu do ato, a reação de Sehun foi levar os dedos até o local onde haviam as marcas vermelhas dos dedos de Luhan.  

-Nós estamos juntos a três anos e eu nunca cheguei perto de nenhum outro homem. Não sou obrigado a ficar ouvindo você me comparando com as vadias que você costumava sair, por causa desse seus ciúmes estúpidos. – Luhan falava rápido e sentia seus olhos arderem e se enchendo de lágrimas, mas não se permitiria chorar ali na frente dele.  

O jovem o deixou na sala ampla do apartamento do casal, estava determinado a acabar logo com aquele relacionamento, mas estava sendo terrivelmente difícil, ele ainda amava tanto a Sehun, e toda aquela confusão só o deixou mais triste e ainda havia o arrependimento, ele queria pedir desculpas por estar fazendo o amado passar por tudo aquilo, por ter lhe batido, era tão claro que não era o único sofrendo, queria o abraçar forte e se desculpar, mas não podia.  

Foi até o quarto que divida com Sehun pegou seu travesseiro e suas cobertas e foi em direção de um dos quartos de hóspedes que haviam no apartamento, não estava disposto a dividir a cama com Sehun naquela noite, as coisas já estavam ruins o suficiente e a tendência era piorar. Chegando ao quarto de hóspedes deitou-se, se encolheu e permitiu-se finalmente chorar até o momento em que pegou no sono.  

Após Luhan deixa-lo na sala sozinho, Sehun se sentou no sofá e escondeu o rosto nas próprias mãos, não podia acreditar que o ciúmes o cegou a tal ponto de até mesmo acusar o amado de traição sabia que ele nunca seria capaz de tal ato, mas toda aquela ausência, não existiam muitas justificativas, durante alguns minutos ficou pensando nas últimas ações e pensando no que poderia ter causado a mudança repentina no comportamento de Luhan, não haviam muitas, aparentemente. Então decidiu em pedir desculpas e tentar conversar mais uma vez, não deixaria o seu relacionamento ir assim por água abaixo, procurou Luhan no quarto do casal mas não o encontrou, até que ouviu soluços de um dos quartos de hóspedes, se aproximou da porta pensando em entrar, mas achou melhor não, às vezes as pessoas precisam de espaço para pensar e ele sabia que havia a grande possibilidade de Luhan estar com raiva dele naquele momento, então decidiu deixa-lo sozinho com suas próprias lágrimas. Tentaria conversar mais uma vez na manhã seguinte.  

   ♡♡♡♡

Jongin esperava ansiosamente por Kyungsoo na porta da universidade, estava parado ali já haviam aproximadamente 10 minutos o mais velho havia marcado consigo que o encontraria ali, para poderem ir a um lugar mais íntimo. Esperou e esperou, até o carro luxuoso conhecido estacionar a sua frente a loucos metros, tratando logo de entrar ali. 

-Oi. – cumprimentou aquele que dirigia. 

-Olá. – respondeu outro sem ao menos olhar nos seus olhos. – Então, hoje vamos para meu apartamento, tudo bem? 

-Tudo bem. – responderá o mais novo com aquele sorriso tipicamente apaixonado, mesmo tendo certeza que para o mais velho ele não passasse de uma transa fixa. 

O percurso foi silencioso, os dois não se conheciam o bastante para manterem algum tipo de conversa, não conheciam os gostos um do outro e nem mesmo o meio social que os dois conviviam era o mesmo, o ambiente acadêmico não era nem de longe parecido com o ambiente profissional ou com o bares e boates caras que o Do frequentava. 

Não era a primeira vez que Jongin se encontrava naquele hall de entrada já havia estado ali mais outras vezes desde que começará a transar com o mais velho. Assim que a porta se fechará atrás de si o moreno prensou o mais velho procurando saciar seu desejo sem pensar duas vezes, e assim foi feito naquela noite, satisfaçam seus desejos carnais como já haviam feito antes. Mas para o moreno não eram só desejos carnais, havia mais que isso, havia uma espécie de paixão, quase adolescente devida sua pouca idade e imaturidade. Quando os dois já se encontravam com a respiração entre cortada procurando saciar os pulmões de ar e com seus corpos orvalhados de suar, e o Do entre os braços de Jongin, quase sendo levados pela exaustão, o moreno decidiu que era o momento certo para deixar o mais velho sabendo de seus sentimentos. 

-Eu te amo. – o mais novo disse passando as mãos nos cabelos curtos e negros de seu amante, que soltou uma risada. 

-Não seja tolo Jongin, ama nada, nem me conhecer direito você conhece. – foi direto. – A gente só transa regularmente, e nada mais. 

-Não é assim Soo. – o mais novo disse tirando o mais velho de entre seus braços procurando olhar em seus olhos. – Eu penso em você todos os dias, quase a todo momento. 

-Como você pode amar alguém que nem ao menos conhece Jongin? A gente nem mantém um diálogo, você me fode sem parar durante algum tempo, daí a gente dorme, toma banho e você vai embora. Não tem amor, tem desejo, e apenas isso. 

-Não é assim para mim Kyungsoo. Eu te amo, amo de verdade. – respondeu sentido. 

-Não ama, você está confundindo tesão com amor. 

-Você não pode saber mais dos meus próprios sentimentos do que eu mesmo Kyungsoo. – enrugava a testa devida à irritação, e se distanciava do mais velho, saindo da cama que antes dividia com o mais velho, mesmo exausto por conta do sexo, decidiu que era melhor vestir-se e ir embora. 

-Onde vai?  

-Vou embora. – responderá mal humorado. 

-Não, fica, eu gosto do calor do seu corpo na minha cama. – pedia despudorado. 

-É só disso que você gosta não é mesmo Soo? – perguntava magoado já vestindo as calças. – Pois então procure outro para te dar calor. – pegou a blusa que também se encontrava no chão e foi embora. 

♡♡♡♡

Luhan acordou naquela manhã péssimo, não podia estar se sentindo pior, não podia estar se sentindo mais infeliz, parte da tristeza que sentia enquanto chorava havia se tornado ódio, naquele momento ele dúvida se estrelas eram mesmo impossibilitadas de deixar de amar aqueles que escolheram para amar por toda a sua existência, começou a pensar que Chanyeol tinha razão ao odiar todos os humanos daquela forma, talvez eles não passassem mesmo de criaturas horríveis, nunca se sentiu tão tolo em toda sua vida. Quando se olhou no espelho notou que nem mesmo o brilho dos cabelos existia mais, nunca esteve mais pálido em toda a sua vida. Mesmo naquele estado deplorável não deixaria de ir trabalhar, tomou um banho e foi comer qualquer coisa antes de sair de casa.  

Deleitava-se de todo aquele silêncio que habitava o apartamento naquela manhã, nunca agradecerá tanto por só ouvir o barulho do trânsito da cidade e nada mais, se sentia tranquilo naquele momento, comia distraidamente até perceber que Sehun o observava.  

-Bom dia. – Sehun disse.  

Luhan nem desviou o olhar ou respondeu qualquer coisa continuou comendo.  

-Você esta bem? Parece cansado, não acha melhor ficar em casa hoje? – havia preocupação na voz do mais alto.  

-É assim que vadias acordam de manhã. – respondeu de forma ácida.- Mas você já deve saber, aposto que esteve com muitas.  

-Luhan, me desculpe...  

-Você me comparou com as pessoas sujas que costumava sair antes de me conhecer. – Luhan falava magoado.- Você sabe que eu nunca te trairia. – Luhan lançava um olhar magoado para Sehun.  

-Me perdoa, eu não estava pensando direito.  

-Você sabia que eu era virgem quando a gente começou a namorar? Sabia que você foi meu primeiro? Talvez isso não signifique nada pra você, já que eu sou como uma de suas antigas vadias. – Luhan ainda o olhava magoado e ele desviou o olhar. – Acho que Chanyeol estava mesmo certo no fim das contas. – Luhan suspirou e se levantou.  

-O que ele tem haver com nosso relacionamento?  

-Não interessa.- Luhan respondeu passando direto por Sehun.  

-A gente pode conversar? – indagou Sehun.  

-Eu estou indo trabalhar. – Luhan respondeu seco. – E eu não tenho nada para conversar com você, já deixou tudo bem claro pra mim ontem.  

-Por favor.  

-Sabe Sehun, aquela discussão, ridícula de ontem me deixou muitas coisas claras.  

-Do que você esta falando?- Sehun olhava curioso para Luhan.  

-Eu percebi que nosso relacionamento não tem futuro.-Luhan pode ver a dor nos olhos de Sehun.- Pois você não confia em mim, não confia no que eu sinto por você, e talvez não confie nem mesmo no que você sente por mim.  

-Não diga isso. – Sehun respondeu de forma dolorosa.  

-Eu estou saindo.- Luhan disse suspirando, enquanto se dirigia para o banheiro, quando passou de volta pela sala Sehun estava sentado em uma das cadeiras da mesa.  

-A gente pode conversar quando você voltar do trabalho? -Sehun perguntava triste.  

-É, talvez... tchau. – ele respondeu de qualquer jeito e saiu. 

  ♡♡♡♡

Era uma típica manhã de sexta quando na cafeteria, assim que Luhan deu de cara com uma Kai não muito diferente dele, sem muita vontade de trabalhar, com tristeza nos olhos.  

-Bom dia Jongin.- Luhan cumprimentou.  

-Bom dia Lu. – ele respondeu sem desviar o olhar do que estava fazendo. Não haveria aula naquela manhã, então decidiu ir trabalhar, era melhor trabalhar do que continuar em casa, pensando no que havia acontecido entre ele e Kyungsoo.  

-Como vai? Não parece muito animado. - Luhan comentou, eram colegas de trabalho a algum tempo, e com junto disso vinha aquele sentimento que te faz passar a se importar com o bem estar das pessoas. 

-Olha quem fala. - Jongin rebateu com um sorriso forçado. - Umas coisas não muito agradáveis aconteceram. - O mais novo comentou. 

-Entendo, bem espero que você consiga resolvê-las.  

-Esse é o ponto, não depende só de mim sabe, não fui eu quem errei. - Jongin soltou um suspiro cansado. - Ou talvez tenha sido. - disse a ultima parte em um sussurro, fazendo Luhan franzir o cenho, uma vez que não fazia ideia do que o outro falava. 

-Ahn... 

-Sabe como é né? Às vezes está na nossa cara que as coisas tem tudo para dar errado, mas a gente mesmo assim insiste em fazer dar certo, e não fim... bem, no fim a gente acaba machucado. - Jongin fitava o chão com seus olhos tristes, como se fosse a coisa mais interessante do mundo. 

-Sei... - Luhan realmente não fazia ideia do que o outro falava. 

-Mas a gente tem que seguir me frente não é mesmo? A gente não pode deixar abater. - o mais novo voltara a sorrir mesmo sem vontade. 

-Você tem razão. 

-Então, você também não parece muito bem, o que houve? 

-Mais ou menos isso que você disse, é difícil fazer a vida tomar o rumo que nós gostaríamos quando isso não depende só de nós. - Luhan observava. 

-Sim...  

-Eu concordo que temos que seguir em frente, mas isso é bem difícil às vezes. 

-E como... - outro suspiro cansado. - Falando em seguir em frente, hoje vai ter uma festa, você gostaria de ir? Eu vou com meu amigo do apartamento, chama o seu namorado também. 

-Não sei... não sei, se devo... - Luhan parecia receoso. 

-Você é jovem Luhan, vai ser divertido. 

-É! Você tem razão, acho que devemos ir. Mas acredito que o Sehun não vá querer ir, ele anda um pouco cansado. 

-Tudo bem, eu passo na sua casa para te buscar. - Jongin sabia onde Luhan morava pois já haviam ido embora caminhando juntos diversas vezes. 

-Combinado então.

 


Notas Finais


Até semana que vem!
Estou enviando o capítulo pelo tablet, então não sei como vai ficar a formação, se ficar mais ruim, me perdoe desde já, mas assim que possível eu mudo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...