História Shouldn't I Love You? - Capítulo 29


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jimin, Jungkook, Personagens Originais
Tags A/o/b, Jikook, Namjin, Vkook
Exibições 99
Palavras 1.459
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Científica, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Estupro, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiiiiiuuu!
Pessoas!
Obrigada pelos favoritos!
Serião.
Bom.... Para matar a saudade. Vai ter mais um depois!
😘😘😘😘😘😘😘😘😘

Capítulo 29 - Is it True? - Bônus


Fanfic / Fanfiction Shouldn't I Love You? - Capítulo 29 - Is it True? - Bônus

Kim TaeHyung On

- Omma! Appa! — A voz grossa do meu Adur, tirou-me a pouca concentração que tinha pelo do livro que eu lia, era sobre cirurgias no estômago.
- O que foi, HyungWon-Ah? — Perguntei-lhe. Não. Gritei. Ele estava em seu quarto e eu estava na sala com Jungkook, na nossa casa nova. Jungkook havia decorado-a com muito amor. Era um verdadeiro lar, de felicidade e amor. Jungkook estava sentado ao meu lado tentando alcançar o meu rosto. Alcançar com os seus lábios.
- Aish! Caí fora. — Reclamei para si, pois ele vinha fazendo aquilo quase todos os dias, mesmo sabendo que eu não queira.
- Tae... — Chamou-me manhoso.
- O que? — Perguntei já estressado. - Você está no cio, por acaso?
- Não... Mas eu quero fazer... — Eu também queria. Mas não deixaria passar tão facilmente.
- Não, Jungkook! Eu estou de greve, e já disse mais de mil vezes, sem sexo por um mês! — Voltei a atenção ao livro.
- Por quê? Diz-me! — Pediu.
- Omma! — Tiraram-me a atenção novamente.
- O que! Quer falar comigo venha aqui. Estou ocupada. — Indaguei. Era tão bom ter um filho, eu podia falar como eu quiser. E finalmente eu podia dizer “Ya! Vai dormir, seu punheteiro!”. Era isso o que eu sempre ouvia da minha querida Omma.
- Aish! — Ouvi-o reclamar e em seguida, os seus passos fortes descerem as escadas e chegarem até a minha beira.
- O que foi, sweetie? — Peguntou Jungkook, gozando de HyungWon.
- Aish. Appa. Eu sou Ômega, mas não sou uma menina.
- Mas você reclama como uma. — Eu disse.
- Quem será que eu puxei? — Peguntou debochado.
- Ya. Ya. Ya. Não irrite a sua Omma. — Olhou-me como quem diz “Me perdoa agora?” - O que foi, Adur?
- Eu fui convidado para uma festa. Sábado, amanhã. Eu vou e não sei que horas eu vou voltar.
- Perae. Você vai à uma festa? — Indaguei.
- Sim. — Respondeu curto e grosso.

- “Ah... A adolescência...”

- Finalmente! — Levantei-me do sofá animado. - Eu estava ficando preocupada. Já comecei a pensar que era deixado de lado pelos seus colegas.
- Omma. Eu sou muito social. — Olhei-o desconfiado.
- Sei. Sei. Você nunca recebeu um convite para ir numa festa.
- Omma. Primeiro. Não se mandam convites na minha geração, mandam-se mensagens. Segundo. Eu sou convidado à ir. Mas eu simplesmente não quero.
- Adur, admita. Eu também era assim na sua idade. A minha adolescência foi mais eu e os livros de matemática. — Jungkook tentou confortá-lo.
- Appa. Omma! Vocês realmente não acreditam em mim.
- Okay, Adur. Digamos que eu acredite em você. Por que de tão repente, você resolveu ir à uma dessas “tantas” festas que você foi convidado?
- Urgggg.... — As suas bochechas ficaram vermelhas como um tomate.
- Eiiiiiii! Não me diga... É uma menininha, que lhe convidou?
- Aish. Nada a vê. Eu não gosto dela. — Eu e Jungkook rimos de lado, pois ele havia contado sem nem mesmo perceber. Olhava-nos como se não houvesse acabado de dizer que estava apaixonado.
- Eu nem perguntei nada... Aiiiummmm! — Apertei as suas bochechas fortemente.
- Omma... Dói. — Soltei-as.
- Adur, eu vou lhe ajudar a conquistá-la. Assim como eu fiz com a sua Omma.
- Primeiro! Eu não gosto dela. Segundo! Omma é um homem! Como você quer que eu conquiste uma garota com as táticas que você usou com um homem! — Ele já tinha começado a gritar.
- Aigoo... Não grite tanto, HyungWon-Ah. Assim os meus tímpanos não vão durar até os 45 anos. — Avisei-o.
- Ya! TaeHyungie. Eu tenho 45 anos! Não fale como se eu fosse eu velho. — Jungkook reclamou, dessa vez comigo.
- Appa. Você não é mais jovem. — Disse HyungWon e eu soltei uma piscadela.
- Pelo menos eu não sou um virjão! — Jungkook falou já estressado.
- Ya. Ya. Parem os dois. HyungWon, não ligue para o que o seu Appa disse. Você tem que fazer essas coisas quando se sentir pronto. — Virei-me para Jungkook. - Você também. Não ligue para o que o seu filho disse. Você é velho de certeza.
- Aish...

— O mesmo saiu andando até a escada e subiu os degraus rapidamente.
- Appa. Eu sou o adolescente, esse é o meu papel. — Disse HyungWon, brincando.
- Deixa ele. — Sentei-o no sofá e logo sentei-me ao seu lado. - Então... Como ela é?
- Aish.... Eu realmente não sei disfarçar, não é?
- Exatamente, você não sabe disfarçar nem um pouco. Mas fala...
- Ahhhh. — A legítima cara de apaixonado. - Uhum.... Sim. Obrigada por me dizer.
- Okay. Okay. Eu vou dizer. Quando eu conheci ela no começo do ano, ela era muito séria. Não falava com ninguém. Estava sempre com os fones no ouvido... Mas então... Nós, um dia, fomos ter uma aula no laboratório de ciências. Ela era a minha dupla.... Ah.... Eu vi ela sorrindo pela primeira vez.... Ela é tão linda... Aquele sorriso.... Os os olhos dela são bem pequenos... Ela também não é muito alta, não chega nem no meu ombro... Mas pra mim, ela é a mais bonita... E depois eu descobri que nós gostamos das mesmas bandas... Ahhhhhh.... Ela é perfeita.
- Aiiiummmm, Adurrrr... Você é mesmo um fofo. — Apertei mais uma vez as suas bochechas.
- Ommaaa... Dói de novo. — Soltei-as.
- Desculpa... Mas você já se declarou?
- Aihh... Nem me fala. Eu agora mal consigo fazer contato visual.
- Sério... Bom... Mas você não conversa com ela?
- Eu converso, mas o nosso diálogo é lateral. — Falou apontando para o lado esquerdo da sala enquanto olhava para frente.
- Como assim?
- Ue. Nós falamos enquanto andamos, então não nos olhamos diretamente...
- Filho! Contato visual é muito importante!Bom... Eu acho que você deve, primeiro, acabar com essa falta de contato visual. Os olhos são o espelho da alma. Se você realmente a vê como uma pessoa querida, ela com certeza vai perceber através do seu olhar. Talvez você nem precise se declarar.
- Okay, Omma. Eu vou tentar olhá-la... Aish.... Mas é difícil... Quando eu paro no sorriso, eu não consigo ir mais que isso...
- Adur. Você não gosta dela?
- Sim.
- Eu sei que você é Ômega, mas tenha um pouco de atitude também. Você ainda é um homem. Não importa se é Ômega, Alfa ou Beta. Não importa quem der o primeiro passo... Desde que seja com amor.
- Aiiiummmm... Omma! Você é tão fofa, também! — Ele abraçou-me.
- Eu sei, Adur. Quem você acha que puxou, hein?
- Omma. Omma. Omma.
- Então... Eu vou para a aula da tarde.
- Okay. Vai lá. Estude bem.
- Sim, Omma.

— Beijou-me a bochecha e andou até a porta de frente. Acenou como despedida e saiu.
- Aigoooo... O meu filho cresceu...

— Após perceber como HyungWon estava crescido, voltei a ler, dessa vez com muita atenção.

No dia seguinte

- Omma! Omma! Cadê aquela camisa preta dizendo “Music is the answer”? — Andei até o seu quarto.
- Tá lavando. Você não usava mesmo.
- Aigoooooooo! Eu ia usar hoje!
- Ahhhhhhhhhh... Desculpa.
- E agora? Eu não sei o que vestir. Já são 18:30.
- Calma, Adur. Eu vou lhe ajudar.
- Não precisa, Omma. Você não é muito um exemplo de pessoa na moda. E você não sabe a moda jovem.
- Ya. Eu também fui jovem.
- Eu sei... Desculpa. Eu vou arrumar alguma coisa para vestir.

15 minutos depois

— Eu estava me preparando para sair de casa e ir ao hospital onde trabalhava.
- HyungWon-Ah! Venha rápido!

— Ele desceu.
- Omooooooooo! Você realmente veio de mim?

— Ele estava lindo. Ele lembrava-me muito Jungkook. Na aparência eles era muito parecidos, mas a personalidade era igual à minha.

- Vamos, Omma. Eu tenho que conquistar uma Alfa de cabelo castanho.
- Okay. Okay. Entra no carro, Adur.
- Sim.

— Levei-o à tal festa. Ele não me deixou entrar. Disse que seria vergonhoso.

— Fiz o meu caminho para o hospital. Foi a mesma rotina de trabalho. Eu tive uma cirurgia importante para fazer, era no estômago também. Eu me especializei nessa parte. Por quê? Bom, Jungkook... Levou um tiro, lembram-se? Então... Ele tem um problema de estômago. Eu ajudo-o nos médicos e muitas vezes sou eu a fazer as consultas. Eu amo muito ele. Mas... Estava chateado. Ele estava agindo estranho naqueles dias... Então eu achei algo no seu celular. Uma mensagem. Eu não sabia se ele ainda me amava.


Notas Finais


E aí, gostou?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...