História Show Me Love - Capítulo 50


Escrita por: ~

Postado
Categorias Antoine Griezmann, Cristiano Ronaldo, James Rodríguez, Kevin Trapp
Personagens Antoine Griezmann, Cristiano Ronaldo, James Rodríguez, Kevin Trapp, Personagens Originais
Visualizações 115
Palavras 4.856
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Esporte, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


E para não perder o costume, eu peço desculpas pela demora! Gente, sério, eu não queria ter que me despedir de Show Me Love, eu colocava culpa no tempo só para não ter que parar para escrever o último capítulo dessa fanfic. Eu escrevi com todo carinho e eu espero que vocês gostem... Eu não sou a melhor escritora, mas espero satisfazê-las ahahaha

E gente... Eu irei começar outra fanfic logo logo, mas estava pensando em fazer uns capítulos bônus de Show Me Love (nas notas finais explicarei como mais ou menos seriam esses capítulos bônus e vocês me dizem se aceitam ou não, ok?)

Enfim... Muito obrigada por todo suporte, cada uma de vocês que comentaram, favoritaram ou apenas acompanham saibam que todas são especiais para mim, porque é muito boa a sensação de saber que tem gente que gosta de ler o que eu escrevo 💋❤

E enquanto eu não posto... Vocês poderiam ir dar uma olhadinha nas fanfics da maravilhosa ~Zucreidistyles. Garanto que vocês irão gostar ;)

Bom... Boa leitura e espero que gostem. Até a próxima fanfic ❤

Capítulo 50 - Show Me Love


Fanfic / Fanfiction Show Me Love - Capítulo 50 - Show Me Love

 

SUMMER’S POV

- Eu aceito. – disse Kevin com um olhar sorridente.

E foi aí que a minha ficha caiu de vez. Eu estava me casando com Kevin e, repentinamente, meu coração foi invadido por um sentimento estranho. Um sentimento de insatisfação, culpa e vários outros sentimentos que me pudessem fazer ficar psicologicamente desconfortável.

Fechei os olhos sentindo lágrimas escorrerem pelo meu rosto, senti Kevin apertar minha mão, talvez, por ter notado meu choro enquanto o padre falava mais algumas coisas que eu não estava dando importância no momento, meu pensamento estava bem longe daqui. Ainda de olhos fechados, lembrei-me da minha última vez com James, sua voz começou a ecoar pela minha mente.

Flashback On

Flashback On

- Summer, volte aqui. Você não pode ir embora assim! – implorou James ao ver que eu estava me arrumando apressadamente para sair de seu quarto. Eu não acreditava que havia feito aquilo com ele.

- James, me desculpa, mas, por favor, esquece tudo isso que aconteceu aqui. Eu estava sem juízo. – falei com a voz falha vestindo minha roupa.

- Calma, vamos conversar... – pediu se levantando da cama.

- James, isso foi um erro. Olha... – falava – Eu vou me casar com o Kevin! Por favor, eu só peço que não conte nada sobre isso... – suspirei frustrada - Meu Deus, o que foi que eu fiz?! Isso claramente foi o maior erro da minha vida. – falei um tanto perdida. Eu estava perdida, mas, por incrível que pareça, nenhum sentimento de arrependimento me corroía. 

- Erro?! Summer, não está claro o suficiente que nós nos amamos? – perguntou James – Eu... Eu podia jurar que você voltara a ser tão minha... – dizia ele começando a chorar e aquilo simplesmente estava acabando comigo.

- Eu gosto muito de você, mas... – suspirei – Por favor, não faz assim, não chora. Me desculpa, não era minha intenção vir aqui e acabar assim, eu só queria e quero te ajudar. – declarei. Aquilo não deixava de ser verdadeiro, eu queria ajuda-lo...

- Pois não ajudou. – declarei seco – Isso que nós fizemos ainda está longe de ser o maior erro da sua vida. – concluiu ele e ficamos nos encarando por alguns segundo até eu achar que era melhor sair dali o mais rápido possível.

Beijá-lo e dar o ponta pé inicial para que tudo que aconteceu acontecesse foi uma ação que tive na tentativa de dar todo carinho que eu queria dar para ele naquele momento.

Mas agora eu estava perdida.

Flashback Off

Mesmo que eu tenha mil e um amores, nenhum deles poderá ser comparado ao seu, porque eu te amei, te amo e sempre te amarei.

- Nós não podemos nos casar. – declarei voltando a realidade e interrompendo o casamento.

- Summer, o que você tá falando? – perguntou Kevin e eu já podia escutar uns murmurinhos pela igreja.

- Kevin, eu não posso fazer isso com você. – respondi sentindo meus olhos lacrimejarem – Eu gosto muito de você, muito mesmo... Mas... 

- Padre, será que eu e ela poderíamos conversar em algum lugar reservado? – perguntou Kevin olhando para o padre e eu olhei para Maya, que estava totalmente pasma. Após o consentimento do padre, Kevin me puxou para uma salinha que ficava na lateral do altar e eu vi Maya vindo atrás, mas o alemão fez um gesto para que ela ficasse ali.

- Summer, me explica o que tá acontecendo?! – perguntou Kevin apreensivo.

- Kevin... – murmurei o encarando – Não podemos nos casar, porque...

- Alguém te disse alguma coisa? Olha, não é nada do que você está pensando!  – disse Kevin demonstrando um nervosismo fora do normal, mas não me importei muito com aquilo, eu queria resolver de uma vez por todas meus conflitos internos.

- Eu... O James... E... E-eu te traí. – declarei começando a chorar e ele me olhou um pouco surpreso, passou suas mãos pelo seu rosto e olhou para mim logo após de dar um suspiro.

- Summer...

- Kevin, me perdoa! Eu não queria ter feito isso com voc...

- Só se você também me perdoar... – disse o alemão coçando sua nuca e eu franzi o cenho. Estranhei aquilo, o que ele poderia ter feito? Vendo minha cara de confusa, Kevin começou a falar.

- Também houve traição de minha parte. – declarou ele e eu senti meu coração acelerar – Se trata de uma ex-namorada minha e... Eu não me orgulho muito disso. Pensei bem, você é uma garota incrível, não merecia o que eu fiz, mas agora, acho que estamos partilhando os mesmos sentimentos e eu estou disposto a te perdoar e ter uma vida ao seu lado. E você? – perguntou Kevin olhando em meus olhos. Fiquei alguns segundos calada até que resolvi falar.

- Eu te perdoo, claro, mas não vamos nos casar. – respondi um pouco atordoada com a declaração dele. Não havia me abalado tanto, eu até senti um “alívio” por não ser a única a ter “deslizado”, mas esse casamento não dependia disso.

- Qual é, Summer? Você também me traiu e com o James ainda mais! – dizia ele – Podemos superar isso, eu estou arrependido.

- Não se trata disso. Trata-se de eu não amar você como eu amo ele. – declarei – Eu tentei acreditar, Kevin, que você seria o melhor para mim. Não estou te menosprezando, só que... Quando a gente ama verdadeiramente alguém, o destino, de alguma forma, encontra um jeito de ligar esse amor. Eu não quero me casar com você hoje sabendo que eu desejo de uma forma incontrolável estar lá, com o James. – dizia chorando enquanto Kevin me observava atentamente – Eu te amo, mas não é como eu amo ele. Foi difícil para mim, tanto é que caí em si agora mesmo... Você acha que eu deixaria toda essa festa rolar para no final fazer isso? Foram nos últimos minutos naquele altar que eu notei que não ermos para estar ali. Eu espero que me perdoe. – falava esperando alguma reação dele, mas ele não dizia nada, até desviou o olhar de mim – Você é um homem incrível, eu desejo que seja muito feliz algum dia, mas não comigo...

MAYA’S POV

- O que aconteceu? – vi Griezmann se aproximar de mim enquanto eu descia a escadinha do altar.

- O que eu mais temia. – respondi.

Eu não sabia exatamente o que havia acontecido, mas imaginava e temia muito o que pudesse vir pela frente.

- Como assim? – perguntou Antoine.

- Esse casamento está correndo riscos. Talvez ele não aconteça. – sussurrei e o francês arregalou seus olhos surpreso.

- Maya... – escutei a voz de Cristiano se aproximar, ao olhá-lo vi que o português carregava um olhar ameaçador para o lado de Antoine – O que está acontecendo por aqui? – perguntou.

- Estamos falando sobre o que pode ter acontecido. – respondi rapidamente e senti Antoine rir fraco.

- E pensando que, se caso não rolar o casamento previsto, eu poderia pedir a Maya em casamento aqui mesmo e aproveitaríamos a cerimonia pronta para nos casarmos. – declarou Antoine em tom de deboche.

- Olha, se tu não parar com estas provocaçõezinhas, tu vais se ver comigo! – exclamou baixo o português olhando friamente para o francês.

- Ow, ow, ow! Vamos parar vocês dois, por favor! – pedi tentando acalmar. Os dois ficaram se encarando por alguns segundos até que Cristiano respirou fundo e voltou a falar normalmente.

- Enfim... Você sabe dizer o que está acontecendo? – perguntou o francês a respeito da pausa da cerimônia olhando para Cristiano – Isso tem dedo do James?

- Não sei, mas se tiver, não seria apenas o dedo dele, seria o corpo inteiro. Mesmo que indiretamente. – falou Cristiano e arfei ao vê-lo dar de ombros.

JAMES’S POV

Havia acabado de sair de um bar após ter me envolvido em uma briga e andava sem rumo pela famosa Gran Via. A avenida estava bem movimentada, senti o celular vibrar e ignorei, o celular persistiu em vibrar por muito tempo, olhei o visor e, ao constatar que se tratava de Cristiano, eu desliguei o aparelho e voltei a coloca-lo no bolso. Eu tinha certeza de que ele estava ligando para dizer que Summer havia se casado e que neste exato momento, ela e o Kevin estão saindo da igreja cobertos por uma chuva de arroz e prontos para serem felizes e casados. E eu não estava nenhum pouco a fim de escutar isso. Eu estava a poucos metros da igreja onde ocorria a cerimonia de casamento, não vou negar que pensei em ir acabar com tudo lá, mas de nada adiantaria, ela não me amava e agora deveria estar radiante ao lado do homem dos sonhos dela. Senti meus olhos lacrimejarem ao imaginar toda a cena, de imaginar que poderia ser eu que estaria ao lado da Summer, se eu não tivesse sido tão egoísta.

You should've known I love you

(Você não deveria saber que eu te amo)

Though I'll never say it too much

(Mas eu nunca vou falar demais)

Maybe you didn't get me

(Talvez, você não me entendeu)

Maybe I'll never know what I done

(Talvez, eu nunca saiba o que eu fiz)

 

Já ouvi dizer que na vida nós apenas amamos uma pessoa e só saberíamos disso quando um sentimento fora do comum nos invadisse, quando enxergássemos aquela pessoa como uma válvula de escape da realidade, quando ela aflorasse o teu lado bom, quando tu conversasse com Deus pedindo para ficar juntinho daquela pessoa até depois da morte. Receber o amor da Summer era como estar em um paraíso de sentimentos, onde eu me sentia seguro, feliz e totalmente completo. Era um sentimento novo para mim, apesar de eu já ter me relacionado com a Daniela. Mas... Eu jamais poderia comparar o sentimento que a Daniela teve por mim com o sentimento que a Summer teve por mim, era drasticamente diferente. E era algo tão indescritível que eu, que nunca havia recebido algo assim, não soube lidar e deixei que minha prepotência e egoísmo prevalecessem em meio a tudo isso. Tornando tudo que era completo, um tremendo vazio.

 

Now I'm lost in the distance

(Agora, estou perdido)

You're looking me like a stranger

(Você está olhando para mim como uma estranha)

Cause how it looks right now to me

(Porque isso é exatamente como parece para mim agora)

Is it you're scared of the danger

(É que você está com medo do perigo)

 

Agora eu tinha que aceitar todas essas consequências, mesmo que não sejam agradáveis para mim. Nunca haverá de ser agradável para mim. E eu me sinto mal por isso, porque eu deveria desejar, de todo coração, a felicidade da Summer, mesmo eu não sendo o escolhido dela. E até desejo, mas não de todo coração. Ah, qual é? Eu não posso ser hipócrita também. Uma parte dele ainda clama por ela, gritando pelo amor dela.

I could've shown you America

(Poderia te mostrar, América)

All the bright lights in the universe

(Poderia ter alcançado as alturas mais elevadas)

Could have reached, the highest heights

(Todas as luzes flamejantes no universo)

A different place, a different life

(Um lugar diferente, uma vida diferente)

Remember that night underneath the stars

(Lembra daquela noite na casa da praia)

For a minute I thought the world was ours

(Por um minuto eu pensei que o mundo era nosso)

All you had to do was show me love

(Tudo o que você tinha que fazer era me mostrar amor)

 

E eu só vim reparar que esse amor era tão único e que eu o estava perdendo quando ela começou a se tornar uma estranha para mim. Eu não a entendia mais, não conseguia decifrá-la como antes, eu não tinha mais o controle que eu gostava de ter. Nós nunca fomos o casal perfeito desde o começo, eu costumo pensar que tudo em nós era perfeitamente imperfeito. Eu pensava que podíamos ir além, porém eu não podia lutar por dois, por mais que eu tentasse, por mais que eu quisesse.

Yeah it's true you know, we're not perfect

(Sim, é verdade, você sabe, não somos perfeitos)

There's a fire inside of me

(Há um fogo dentro de mim)

It means I'll fight for the things that are worth it

(Isso significa que vou lutar pelas coisas que valem a pena)

If it makes me feel complete

(Se me faz sentir completo)

Cause I'm hitting rocks, and I'm taking shots

(Porque estou batendo nas rochas e estou me esforçando)

I'm prepared to lose everything I've got

(Estou preparado para perder tudo o que eu tenho)

 

O amor dela era o único que eu precisava e, sem ele, eu estava perdido. Eu me arrependia amargamente por todos os momentos que não consegui ser o suficiente para ela, por priorizar momentos insignificantes, por deixa-la de escanteio fazendo-a se sentir insuficiente. Eu a fiz se sentir inútil para mim, mas inútil era eu sem ela ao meu lado.

 

Now I'm lost in the distance

(Agora, estou perdido)

You're looking me like a stranger

(Você está olhando para mim como uma estranha)

Cause how it looks right now to me

(Porque isso é exatamente como parece para mim agora)

That nothing can save us

(Nada pode nos salvar)

 

SUMMER’S POV

Andava apressadamente pelas ruas após sair da igreja pela porta dos fundos, tomei cuidado para não ser notada pela imprensa que estava aos arredores da igreja, porém não passei despercebida pelas pessoas que estavam na rua, essas me olhavam torto por conta do vestido de noiva e da minha maquiagem totalmente borrada por conta do choro. Meus soluços eram frequentes, eu estava perdida, nervosa, eu não sabia o que poderia acontecer comigo a partir de agora.

I could've shown you America

(Poderia te mostrar, América)

All the bright lights in the universe

(Poderia ter alcançado as alturas mais elevadas)

Could have reached, the highest heights

(Todas as luzes flamejantes no universo)

A different place, a different life

(Um lugar diferente, uma vida diferente)

Remember that night underneath the stars

(Lembra daquela noite na casa da praia)

For a minute I thought the world was ours

(Por um minuto eu pensei que o mundo era nosso)

All you had to do was show me love

(Tudo o que você tinha que fazer era me mostrar amor)

 

Virei uma esquina e aproveitei para tirar meu sapato, era noite, a avenida estava um pouco movimentada, eu estava totalmente sem direção, estava atravessando a rua quando quase fui atropelada por um cara que aproveitou para soltar uma piadinha, inconsequentemente fiquei parada no meio da pista olhando para o carro, mas logo consegui chegar ao outro lado da rua.  Eu só queria ficar sozinha ou na companhia de alguém que pudesse acabar com toda aquela agonia que eu sentia, alguém que pudesse me tranquilizar. Esse alguém tinha nome, sobrenome e endereço, mas... Será que ele me queria? Mesmo depois de todas as vezes que eu o neguei?

-Summer?! – escutei aquela voz fazendo-me pensar que eu estava delirando. Mas não podia ser uma ilusão, avistei James um pouco mais a frente do ponto em que eu estava e meu coração bateu de uma forma que nenhum aparelho cardíaco pudesse contar sua frequência. E eu não estava exagerando.

Show me love, love

(Me mostre amor, amor)

Show me love, love

(Me mostre amor, amor)

Show me love, show me show me love

(Me mostre, me mostre amor)

Show me show me love

(Me mostre, me mostre amor)

Show me love

(Me mostre, me mostre amor)

Não tive outra reação senão correr em direção a ele, eu não sabia descrever a sensação de vê-lo ali, ele também andava em passos apressados para vir de encontro a mim e ali, naquele momento, eu senti que aquela era a minha melhor escolha.

- Me perdoa por ter feito tudo que fiz, eu te amo. Eu te amo muito! – falei apressadamente me jogando em seus braços quando finalmente estávamos próximos o suficiente.

James me abraçou fortemente sem falar nada, enterrou uma de suas mãos em meu cabelo e puxou levemente minha cabeça para que eu o olhasse. Ele me encarou por alguns segundos enquanto incontáveis lágrimas preenchiam meu rosto.

- O que aconteceu? – perguntou ele tentando enxugar minhas lágrimas.

- Eu até posso ter batido no peito declarando que não precisava mais de você, que não daríamos mais certo juntos, mas eu não consegui manter essa pose naquele altar... Eu tentei me enganar, mas... Eu fui feita para te amar, James Rodríguez. Só te amar. – declarei olhando fixamente para ele, podendo ver seus olhos marejados.

- Isso é sério? – perguntou ele mordendo os lábios e dedilhando os meus lábios.

- Isso é muito sério. – respondi – James, eu preciso de você de um jeito que... – tentava buscar palavras para explicar o que estava sentindo para ele, porém não conseguia e fui interrompida por James.

- Eu sei... Porque eu sinto isso da mesma forma. – declarou o colombiano aproximando seu rosto do meu pescoço.

- Então... Você me aceita de volta? – perguntei sentindo-o depositar um beijo na curvatura de meu pescoço.

- Só se você me der todo seu amor, todos os dias de sua vida. – disse ele e eu sorri puxando para um beijo cheio de urgência.

 I could've shown you America

(Poderia te mostrar, América)

All the bright lights in the universe

(Poderia ter alcançado as alturas mais elevadas)

Could have reached, the highest heights

(Todas as luzes flamejantes no universo)

A different place, a different life

(Um lugar diferente, uma vida diferente)

Remember that night underneath the stars

(Lembra daquela noite na casa da praia)

For a minute I thought the world was ours

(Por um minuto eu pensei que o mundo era nosso)

All you had to do was show me love

(Tudo o que você tinha que fazer era me mostrar amor)

 

-Eu vou tomar esse beijo como um “sim” para a minha condição. – disse James brincando ao finalizar o beijo e logo após nós sorrimos.

[...]

Um ano depois, final da Champions League (Real Madrid vs Barcelona)

- VAI JAMEEEEEEEEEEEEEES!!!!!! – eu gritei enquanto James se posicionava para cobrar um pênalti que poderia dar a vitória para o Real.

- Summer, cuidado para não enfartar! – exclamou Maya preocupada comigo.

- Você ainda não aprendeu que eu sou louca por futebol e por James Rodríguez? – falei sorrindo e olhei para Miguel e Salomé – Olhem, o papai vai fazer o gol agora! – avisei e segundos depois pude ver a bola que James chutara entrar certinha dentro da rede, James correu até seus parceiros de time e juntos todos comemoraram mais uma Champions League. Miguel e Salomé pulavam freneticamente enquanto eu gritava puxando Maya para um abraço, toda a torcida comemorava, era de arrepiar.

Esse com toda certeza era um dos dias mais felizes da minha vida, ver o meu time favorito conquistar um campeonato como esse nunca era demais, eu sempre sentia uma imensa felicidade ao ver tal conquista, ver a felicidade dos jogadores era contagiante, ver o sorriso do meu colombiano favorito era uma das melhores coisas da vida. Ah, e devo dizer que era muito muito bom ganhar do Barcelona.

-Paaaaaai! – Salomé e Miguel gritaram chamando a atenção do colombiano que estava radiante.

James se aproximou e nos chamou para dentro do campo, ele pegou o Miguel e a Salomé e logo depois me pegou. Vendo isso, Cristiano correu e fez o mesmo com Maya e Júnior. Miguel e Salomé fizeram a festa com seu pai, assim como Júnior, porém logo os dois garotos foram brincar com os filhos de outros jogadores e a garota ficou comigo. Eu e Maya havíamos planejado uma coisa, na verdade, ela tinha algo para contar e depois de muita conversa entramos em acordo e decidimos fazer isso aqui e agora.

- Cristiano... – disse Maya chamando sua atenção com um sorrisinho de canto. Ele ficou a olhando para que ela prosseguisse, James também prestava atenção. Maya tirou uma camisa pequenininha do Real Madrid, que tinha o nome e o numero do português. O mesmo franziu o cenho sem entender logo de primeira.

- Maya, o que isto significa, pelo amor de Deus, mulher?! – perguntou Cristiano e James me cutucou com um olhar surpreso. James já havia sacado a mensagem.

- Eu me segurei muito para não te contar logo... – dizia Maya começando a chorar.

- Vamos ter um filho? É isso? Tu estás grávida, meu amor? – perguntava o português começando a chorar e Maya afirmou com a cabeça, ganhando um abraço dele e eu até me emocionei junto. Era tão bom ver ela feliz novamente, ver que ela ganhou mais uma chance de ser mãe, ou melhor... Uma apenas não...

- Eu acho que você falou errado, Cris... Não se trata apenas de um... – falava tirando uma outra camisa pequena do meu bolso chamando a atenção dos quatro ali – Tratam-se de gêmeos e eu vou ser madrinha dos dois! – declarei  com um sorriso largo e erguendo a camisa.

- DOIS?! – gritou Cristiano com um sorriso de orelha a orelha – AMO-TE MUITO, MUITO, MUITO! – declarou erguendo Maya em seu colo.

James parabenizou Maya e Cristiano, o português saiu correndo pelo campo informando a todos que seria pai de gêmeos, aquele dia era, definitivamente, um dos dias mais maravilhosos que já vivi.

Logo começou a premiação deles, enquanto observávamos eles ganharem suas medalhas e posarem para fotos comemorando aquele titulo importantíssimo, eu toquei no ombro de Maya.

-Eu estou muito orgulhosa de você. – declarei a abraçando – Só tenho a agradecer por ter você como amiga.

- Summer, não me faça chorar a essa altura do campeonato. – disse Maya e rimos – Você sabe que é reciproco, eu estou tão feliz, eu nunca estive tão feliz. Todas as pessoas que eu amo estão bem e isso é tão gratificante para mim. Eu, mesmo em meio a tanta turbulência que passamos, sabia que um dia estaríamos aqui, eu nunca perdi a fé nisso. – disse ela e logo escutamos uma tosse forçada, era Salomé querendo nossa atenção.

- Você também vai me dar mais outro irmãozinho, não é? – perguntou Salomé com suas mãozinhas na cintura e eu caí na gargalhada com aquele jeitinho dela – E agora eu quero uma irmãzinha para poder cuidar!

- Claro que sim. Vamos cuidar dela juntas, ok? – respondi ainda sorrindo.

[...]

Eu sempre tive a certeza que amava o James, mas não posso negar o enorme carinho que cultivei pelo Kevin. Eu via no Kevin tudo o que eu idealizava em um homem, ele era simplesmente perfeito. Eu o via como uma solução para esquecer tudo que tive com o James. Tivemos momentos incríveis juntos e eu também aprendi muito com ele. Eu posso ter agido de um modo errôneo com ele, talvez precipitada demais, não sei... Só sei que Kevin era uma paixão, mas não o meu amor. Dias depois do casamento, o alemão fez um post em seu Instagram onde explicava de um modo breve o que aconteceu. Ele foi muito gentil no post, dizia não guardar rancor, que continuaríamos sendo amigos etc., porém, como nem tudo são flores e nada o que é mostrado para mídia é totalmente verdade, Kevin ficou sem falar comigo por meses. Eu também aproveitei para me pronunciar publicamente, recebi muitas mensagens ofensivas, porém vez ou outra lia comentários positivos e isso era o que importava. James me dava todo apoio possível e eu também, afinal, ele não ficou ileso dos comentários ofensivos. Com o tempo as coisas começaram a voltar ao normal, meus trabalhos estavam de vento em popa e foi aí que Kevin resolveu entrar em contato comigo. Seis meses depois de tudo. Só conseguimos nos ver após esses seis meses, onde finalmente pudemos conversar com calma e concordar que o nosso “não casamento” foi o melhor para ambos. Dias depois vi que o mesmo havia sido flagrado com uma garota, muito bonita por sinal, nas poucas vezes que conversamos desde então, ele dizia que estava muito feliz com essa mulher e eu não podia ficar melhor ouvindo aquilo. Kevin Trapp merecia ser muito feliz, senhoras e senhores.

Daniela. Bom, ela tentou infernizar a vida do James de todos os jeitos, principalmente depois que soube que eu desisti de me casar com Kevin para ficar com o James. Processos para cá, processos para lá, James acabou conseguindo a guarda total da Salomé, mas como era bonzinho, vez ou outra deixava a menina passar uns dias com Daniela. Agora ela parecia esquecer um pouco de atormentar o James, também seguia uma carreira de modelo e eu já esbarrei com ela em um evento, onde a mesma tentou pregar uma palavra de paz para mim a qual não me convenceu muito, sabe?

Ahhh! E a Maya... Além de ser mãe de gêmeos, ela vai publicar um livro a qual a mesma estava escrevendo há um tempinho e adivinha do que se trata o mesmo? Rum... O livro conta a história de uma brasileira e um colombiano, de um jogador e uma torcedora que depois se tornou sua empregada, de um amor que era dado como impossível. E aí, conseguiram adivinhar?

Ilha de San Andrés, Restaurante La Regatta – 01:30 PM

-Olha para cá, Summer! – pediu James enquanto eu comia e quando eu olhei ele havia tirado uma foto.

- James! – protestei e todos riram.

Estávamos de férias na Ilha de San Andrés, na Colômbia, esse lugar era perfeito, sem mais. James estava nos mostrando os melhores lugares deste maravilhoso paraíso e estávamos tendo dias incríveis aqui. As crianças estavam com Juana, irmã do James em Bogotá.

- Maya, pega essa câmera! – falei ainda comendo e vendo James tirar mais fotos minhas enquanto se acaba da dar risada junto com Maya.

- Eu acho que este rapaz tem que pegar a câmera e fazer uma foto nossa. – disse Cristiano olhando para o garçom do local que nos olhos com um olhar alegre – Tu podes fazer isso? – perguntou o português e o garçom afirmou. James deu a câmera para o garçom e nós quatro nos posicionamos para a foto.

[...]

- Essa viagem deveria ser feita por nós todos os anos. – comentou Maya após sairmos do restaurante e chegarmos à praia.

- Concordo... – falei observando a paisagem.

- Seria tipo um “ritual”. – comentou Cristiano.

- Poderíamos vir aqui todos os anos, trazer nossos filhos, depois nossos netos... Esse seria nosso lugar especial. – disse James.

- É um ótimo lugar para ser o “nosso lugar especial”. – falei sorrindo e abraçando o colombiano.

- A Colômbia só faz coisa linda. – declarou James com um ar engraçado.

- Ah , me poupe... Já basta o Cristiano. – murmurou Maya saindo de perto e todos riram.

- Mas eu só falo verdades, mulher! – brincou Cristiano sorrindo e correndo atrás dela.

Maya e Cristiano se afastaram, indo em direção ao mar, sorri vendo os dois se abraçarem e logo após se beijarem.

- Eu estou feliz por eles. – declarei sorrindo abobadamente.

- Eu também... E estou feliz por nós, pelo que nós nos tornamos e o que nós ainda nos tornaremos. – disse James me puxando para si pela cintura.

- E o que acha que ainda nos tornaremos? – perguntei.

- Você gosta deste lugar, né? – perguntou James não respondendo a minha pergunta.

- Uhum. – falei envolvendo meus braços em volta de seu pescoço.

- O que acha de nos casarmos aqui? – perguntou e meu coração deu um pulo.

- James, o que você...

- Meus papéis já estão prontos, podemos nos casar sem problemas agora. – explicou e eu estava surpresa com aquilo. Desde que voltamos, toda vez que tocávamos no assunto casamento, James dizia que tinha umas burocracias para serem resolvidas por conta de seu casamento anterior, eu até pensava que ele ficava querendo fugir disso, mas eu o amava tanto que não me importava com isso, já nos sentíamos casados mesmo assim.

- James, você tá falando sério? Vamos nos casar? – perguntei nervosa.

- Claro que estou! Eu não quero perder a mulher que me fez enxergar o valor de um amor verdadeiro. – declarou e eu sorri.

- Você nunca irá me perder, eu fui feita para te amar. – falei olhando em seus olhos.

- Eu nunca vou me cansar de receber o seu amor. E é por isso que quero me casar com você, nós teremos mais filhos, netos, bisnetos e se tivermos sorte veremos até nossos tataranetos. – riu – Eu quero envelhecer ao seu lado, olhar para trás e ver que minha vida valeu a pena. E só assim eu vou morrer em paz. – dizia ele e enquanto eu começava a querer chorar – Ei, não chora. – riu mais uma vez limpando as poucas lágrimas que caiam pelo meu rosto, percebi que seus olhos também estavam cheios de lágrimas – A nossa história ainda não vai acabar assim, o nosso amor irá durar até depois da morte. – disse e eu o puxei para um beijo.

Como explicar esse colombiano e o amor que eu sinto por ele? Eu precisaria de mil vidas e ainda assim não saberia explicar com exatidão o tamanho e a intensidade do meu amor por ele. Eu seria eternamente apaixonada por ele, assim como ele seria por mim, eu nunca cansaria de demonstrar o amor que eu sinto e sempre irei sentir por James Rodríguez.

 – E aí, garota brasileira, você aceita se casar comigo? 


Notas Finais


E é isso. Show Me love se encerra aqui... Gostaram??

Explicando como seria os capítulos bônus: Eu poderia fazer mais cinco capítulos especiais onde seria relatado algumas viagens dos personagens principais, etc. Cada capítulo seria em um país diferente, estão entendendo? E isso não iria afetar a história, pois nada seria drasticamente mudado, os casais já estão definidos (não iria ter mais cenas de novela mexicana ahahaha seria mais o divertimentos deles). Quero saber se vocês topam isso e qualquer duvida é só perguntar.

Besitoosssss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...