História ShumDario- Um voo para o céu - Capítulo 5


Escrita por: ~ e ~alepeglow

Postado
Categorias Shadowhunters
Visualizações 42
Palavras 1.084
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Festa, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi gente, demorei mas voltei.
Bem, eu fiz esse cap e ele ficou muito grande, então vai ser dividido em dois ou três ok?
Espero que gostem!
-Talli

Capítulo 5 - E o céu pegou fogo - Parte 1


Fanfic / Fanfiction ShumDario- Um voo para o céu - Capítulo 5 - E o céu pegou fogo - Parte 1

Eles haviam se beijado, era óbvio, os corpos estavam colados, as respirações de ambos descompassadas, e nenhum sinal de se separarem. Matt correu a mão pelas costas de Harry e firmou os dedos na nuca dele, agarrando os cabelos, com isso Harry soltou um suspiro e mordeu o lábio inferior do outro puxando de um jeito que Matt sentiu o estomago contrair, o que o fez contrair os próprios músculos do braço, grudando mais os corpos que não queriam se soltar. O atrito foi intensificado, e as mãos do asiático encontraram o pescoço de Matt, os lábios totalmente conectados, as línguas enroladas em uma dança sensual que arrancava suspiro de desejo dos dois, desejo esse que ficava cada vez mais evidentes em ambos membros levemente rígidos.
As coisas estavam saindo do controle e eles estavam adorando, mas ainda estavam em um avião, o que forçou ambos se separarem, ofegantes foi Matt quem afrouxou as mãos  que deslizaram gentilmente pelos braços de Harry, que afastou os lábios mas manteve o olhar nos olhos límpidos, ele tentou não sorrir mas foi inevitável, e foi acompanhado pelo homem que agora se impulsionava e dava alguns selinhos nos seus lábios. Muito contra a vontade Harry deixou o corpo cair ao lado de Matt mas antes que qualquer atitude pudesse ser tomada, um clima constrangedor tomou conta aquele momento, e ambos soltaram risadas sem graça, como dois adolescentes que se pegavam escondidos no armário do zelador do colégio. As respirações se acamaram, Matt sentiu sua mão ser tocada, olhou e viu as pontas dos dedos levemente entrelaçadas e sorriu, mas logo sentiu o corpo de Harry se afastar, e o homem se levantar.
-E-eu vou ao banheiro. -Harry disse um pouco envergonhado e Matt assentiu.

Harry sorriu doce para ele e como se se conhecessem há muito, ele tocou o rosto de Matt e se retirou para o banheiro, Matt sorriu e observou ele se movendo, se desvencilhando pelo leito. Nesse momento foi impossível os olhos dele não repousarem sobre o corpo de Harry, sobre tudo no quadril do homem que ostentava o seu volume, ele se levantou e sentou no seu leito, que ficava no corredor, e o observou agora andando pelo corredor, cada movimento das nádegas bem definidas e torneadas do homem. Matt mordeu o próprio lábio inferior em desejo, e sentiu a própria ereção fazer suas calças parecerem apertadas. Ele se endireitou para a frente tentando se controlar e respirou fundo.
Harry era um puta gostoso, tinha o rosto delicado de um anjo, mas o corpo pecador de um demônio. E o beijo dele era tão intenso que acendia Matt que agora lambia os lábios revivendo aquela sensação. Sua ereção ao invés de se controlar, apenas aumentava e ele estava louco pelos beijos daquele homem, e sedento por todo o resto que ele poderia lhe dar, e que agora eram mil possibilidades lhe tentando em sua mente.
O Moreno respirou fundo mais uma vez, e o cheiro do asiático ainda estava ali, ele bateu com as mãos espalmadas levemente nos joelhos, como quem se dar por vencido e levantou rapidamente. Como um tigre atrás da presa ele se lançou pelo corredor, a tempo de ver de longe Harry entrar pela porta do banheiro, e ele então correu com o máximo de elegância e descrição, e chegou a tempo de pôr o pé na porta e impedir que ela fosse trancada. O homem ali dentro olhou assustado e mais assustado ficou quando se sentiu empurrado para dentro, encontrou os olhos claros e suspirou com surpresa, mas também desejo. A porta foi fechada e Matt cravou os dedos na cintura do homem, pressionou o corpo contra o dele e o beijou novamente. O espaço do banheiro era pequeno, mas isso não era problema, quanto mais perto melhor. Harry que já estava totalmente entregue, empurrou Matt na parede estreita entre a porta e a privada, parede essa que quase não tinha espaço para as costas largas de Matt que já haviam sido notadas pelo outro, e agora tomavam conta de suas fantasias. Ele se projetou contra o corpo do homem encostado e o beijou, abandonando os lábios dele e descendo pelo pescoço, sugando com uma força que sabia que o deixaria marcado. Matt suspirou prazeroso, fechou os olhos e jogou a cabeça para trás apreciando a língua voraz que passeava aleatoriamente por seu pescoço, clavícula e orelha, ele agarrou Harry pela cintura e o pressionou contra si, chocando mais ainda suas ereções agora completamente rígida. Ambos gemeram, e agora era Matt quem atacava o pescoço daquela perdição, enquanto sentia seus cabelos serem puxados. Ele segurou firme o homem pela cintura e o levantou, o fazendo abrir as pernas e enlaçar a cintura dele, eles movimentavam os quadris e roçavam os membros já completamente desejoso.

-Senhor? Senhor está tudo bem? -Uma voz feminina vinha do lado de fora.-
Matt cerrou os olhos e amaldiçoou aquela mulher, colocou um Harry totalmente pálido e nervoso no chão, que o olhava um tanto assustado e envergonhado. Matt soltou um sorriso diabólico, arrumou as roupas e os cabelos e se lançou em direção a porta, Harry tentou o parar assustado e confuso, mas Matt apertou o braço dele e continuou, fez um sinal e Harry se pôs atrás da porta, ele então colocou a cabeça para fora, abrindo o mínimo possível.

-Senhor? O que está havendo? Eu vi o rapaz chinês entrar aqui, não se pode duas pessoas. -A mulher falou com um ar repreensivo, mas uma expressão cansada de quem já havia estado tantas vezes naquela situação

-Hã? Ah, claro... -Ele disse com a cara mais cínica possível- Desculpa o inconveniente, mas meu namorado teve uma crise de pânico, ele morre de medo de voar e esqueceu o remédio em casa, com a turbulência ele ficou muito mal e agora está vomitando. -Ele forçou a cara mais preocupada possível falando com a mulher enquanto Harry fitava de dentro do banheiro as costas dele de cima a baixo, principalmente a bunda.

-Ah senhor me-me desculpe mas...
-Eu entendo que não é o correto mas está de noite e todos estão dormindo, por favor, me deixa cuidar dele, e assim que ele parar de vomitar eu volto com ele para o leito, tudo bem?
-Tudo bem senhor, me desculpe, posso ajudar em algo?
-Nosso leito é o 102 e 103,  você pode preparar um sanduiche, algo assim? Assim que sair daqui ele vai precisar comer algo.
-Sim sim, sem problema.
-E assim ela se retirou-


Notas Finais


Gente então, eu to muito mal com muita coisa, hoje mesmo (na verdade ontem, é que eu to virada) eu fui diagnosticada com depressão então assim, ta sendo muito dificil pra mim escrever, e além disso eu to bem brochada com a historia mesmo, mesmo gostando e ja tendo ela bem formada, ta complicado mas vamos que vamos!...

espero que voces gostem, e comentem ai pra eu saber:) Ajuda muitão!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...