História Shut Up Flower Boy - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO, Exodus, Lu Han, Originais
Personagens Baekhyun, Chen, D.O, Kai, Kris Wu, Lay, Lu Han, Personagens Originais, Sehun, Suho, Tao, Xiumin
Tags Bts, Byun Baekhyun, Chanbaek, Crossover, Do Kyungsoo, Exo, History, Huhan, Kaihan, Kaisoo, Kim Jongin, Krishan, Kyungil, Layhun, Sebaek, Sekai, Wu Yifan, Zhang Yixing
Exibições 70
Palavras 1.461
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Ficção, Luta, Mistério, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Suicídio, Tortura, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


primeiramente queria pedir desculpas pela demora na atualização, tive um bloqueio de criatividade, e esse foi o maximo que eu consegui chegar, tentei fazer uma lemon ou algo assim, mas o que consegui fazer foi apenas insinuações, quem sabe no próximo capitulo tera em?? espero que gostem s2s2s2s

Capítulo 8 - Infinite


    "sometimes i wish my heart could stop just for a little bit but then i remember its no longer beating, i`m dead already."

 “ Você pode ir ao meu quarto buscar minha caixa com o infinito dentro? Ela está na parede oca do meu armário, depois venha e tire sua roupa, a quanto tempo não se diverte?”

não era um pedido, era uma ordem e pela felicidade esbanjada no rosto de Luhan, estava feliz em acatar, a coisa que o hyung mais gosta é de quando nos unimos pra ter uma conexão, o que é muito raro acontecer. Lu tinha completa consciência do que havia na caixa do infinito, não eram coisas boas, era como a caixa de pandora, só se divertiam com aqueles objetos quem se sentia confortável com a dor proporcionadas por tais coisas, a maioria ali dos objetos que Jongin insistia em chamar de peculiares não traziam nenhum tipo de prazer, eram mais usados pra punições quando Kai se sentia inspirado, mas eram usados apenas em Luhan, a causa da punição? Seria errado de apenas dizer que é por apenas ele existir? Provavelmente, já que minha família sempre foi acolhedora com Luhan, ele era o mais mimado de todos, era o oposto de hoje, era rebelde, era popular, tinha seus garotos, e o principal, tinha fama de puta, a caixa do infinito é em sua homenagem, em casa como eramos apenas nós tres, tinhamos coisas internas entre irmãos e apelidos era uma delas, jongin o nomiou de infinito por ter uma intensidade, por ser infinito, ele costumava dizer que Luhan era um deus, uma obra de arte, que todos deveriam venerá-lo e que ninguém deveria tê-lo, por ser mais velho ele tinha relevado aquelas palavras, achando que não eram sérias, até brincava com jongin aumentando seu ego “sim, eu sou um deus, sou o seu deus, você deve se espelhar em mim e em minhas atitudes,, serei sua obra de arte favorita, doce joginnie”. Hoje ele é apenas um garoto despedaçado e sem vida, as consequências de seu passado o levou a isso, de rebelde pra problemático, tudo graças a jongin.

     Jongin se levantou do chão enquanto eu continuava agachado naquele chão gelado. Tirou uma maço de cigarro aberto de dentro de seu bolso, o acendeu e deu uma tragada, colocou em minha boca pra que fizesse o mesmo, por mais que odiava ter que fazer aquilo, não hesitei. Detestava qualquer tipo de ato ilícito, principalmente quando ele fumava na minha frente, ou aos sábados quando ele trazia certas pessoas pra extrair cocaína e ficar doidão, ou quando ele me obrigava a ter as mesmas atitudes que a dele me empurrando uma garrafa de bebida alcóolica. Tuçi em rejeição a fumaça e ele sorriu tolamente, acariciando meus cabelos como um ser humano faz com um cachorro.


“Pequena inocencia, tão  frágil, tão sensivel”.- debocha apagando o cigarro de minha boca.


  Luhan voltara com a caixa de madeira na mão e a mando entregara a jongin que como pagamento despejou um beijo em sua testa.

- saia.

- o quê? Mas você...

- você achou que eu falava sério silly doll? Eu não quero provar do seu corpo pecaminoso nem tão cedo e além do mais Sehun falou pra não envolvê-lo, agora saia, não o quero aqui.

- Mas esse é meu quarto, quem deve sair é você.

- você está me desafiando?

Ele negou com a cabeça.

-então vá, antes que eu perca minha cabeça e a interprete de modo errado.

- eu vou, agora que eu lembrei de kris, eu irei.

- o que acabou de dizer?

- eu não sou um doente irmão, você que é, me faz tomar remédios que não são pra mim, na tentativa de me enlouquecer e me fazer esquecer de yifan, mas quem a gente ama fica na mente pra sempre, você pode se esquecer dos detalhes bobos dele, mas ele sempre vai estar na minha mente, e em meus sonhos ou em meus pesadelos, por que algo não quer que eu o apague de minhas memórias, afinal sem elas quem seria eu? Um morto vivo, e apesar de ser um garoto obediente, não sou capaz de te dar esse gostinho.

Jogin estava furioso por ouvir aquilo que ele se recusava a ouvir: a verdade. Fechava os punhos e abria pra não partir pra cima de Luhan, em outro momento ele faria, mas não nesse, esse era nosso momento e não de Lu. 

- silly doll, silly doll, não sou eu o irmão doente, doente é você, o único que se preza ao trabalho de  lembrar de um garoto que te despedaçou, que te dilacerou em um  piscar d olhos, ou você não se lembra da traição dele? das duas vadias que ele estava transando com o cara que disse que te amava enquanto uma estava tendo um episodio de overdose naquele hotel que ele te levava escondido já que eu nunca aprovei o romance de vocês dois?

- você é um mentiroso, um manipulador, kris me avisou que era tudo armação, mas eu não o confiei, porque você pregou peças em minha cabeça e eu sempre iria acreditar no meu irmão é claro, por que sabia que ele sempre me protegeria, as vezes me questiono se confiei na pessoa certa.

- ainda sou eu hyung, você pode confiar em mim, eu já te contei tantas vezes sobre a traiçao de kris porque sempre esquece e ai temos que passar por isso de novo, eu nunca mentiria pra você, não é Sehun?

FALSO: É o que define Jogin, suas palavras eram todas cheias de calúnia, e claro que eu não podia fazer nada, por que o que diabos como eu, um garoto frágil e sensível possa fazer contra um irmão sem escrulpos como ele? 
Pra Luhan, Kris é como um fruto proibido. O motivo de Luhan ser manipulado facilmente é pelo fato de dias depois da “traição” ele ter sofrido um acidente de carro na corrida ilegal e ter perdido lembranças, ou o que realmente aconteceu naquele quarto de hotel. E então qualquer coisa que Jongin contar ele vai acreditar, a não ser quando Kris desmente e Luhan consegue ter fragmentos de lembranças, jongin aproveitou disso e parou com o tratamento, por que ele não queria que Lu se lembrasse de certas coisas como por exemplo: de Lay ou de nossos antigos pais. Eu sabia exatamente o que havia ocorrido naquele hotel, mas eu não poderia contar a verdade, e se eu contasse Lu nunca me perdoaria por ter escondido a verdade dele.
Acabei deixando que Kai o envolvesse em nossos assuntos por não querer deixá-lo triste.

- eu não quero você com yifan, venha, fique conosco, vocês dois, já sabem o que eu quero, certo?

Sabemos sim Jongin, já estamos tão acostumados com você que só com um olhar sabemos o que temos que fazer. 

Lu se sentia inseguro, ele sempre teve vergonha do seu corpo, achava feio e tinha medo de que Jongin também tivesse, uma vez ele já me confessou que me invejava por não ter um abs definido que nem o meu. Eu odiava ter abs, se eu tivesse uma escolha, seria que nem ele. Enquanto Kai vasculhava em sua caixa, eu me despia e logo em seguida ajudava Lu.

- você é tão lindo, o seu corpo é de ouro, nâo tenha medo, não seja inseguro.


Totalmente despidos, com a caixa em suas mãos, ele a tira de lá um par de algemas, claro que seria isso, aquilo era seu objeto favorito, ele sempre as usava em suas apresentaçoes do clube.


Ele a algemou entre minha mão e a de Luhan e nos arrastou até aquele quarto que não devo dizer o nome. O local é como um club porém particular.

- Se ajoelhem e aguardem minhas instrunções. - nós fizemos como mandados lado a lado, confesso que estava aflito com tudo aquilo, ele nunca fez isso comigo, sempre foi sexo rápido ali, mas isso é o que acontece quando se rejeita Kim Jongin.
  
ele entrou no quarto.

1 minuto bastou pra ele voltar.

Com um negócio nada legal.

O que ele pretendia fazer com aquilo?

Nos assustar?

- a primeira pergunta que eu tenho é pra você sehunnie.
- agora que eu tenho vocês só pra mim, eu posso fazer o que eu bem entender, o que fará pra me impedir?

Simplesmente eu não faria nada, eu seria dele, faria o que quisesse, seria abusado e usado da maneira mais perversa e nojenta se ele quisesse, não teria mais nenhuma escapatória, o jogo começou e não teria uma forma de pará-lo. 


- vocês sabem o que é isso? - ele questiona com um sorriso sádico. Deixando o objeto na sua mão a amostra.

- um chicote. 

  


Notas Finais


então gente, como eu disse não sou muito boa nessas coisas não, farei o meu melhor no proximo capitulo, eu até contei um pouco da vida do luhan e da relaçao krishan, o que acharam??


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...