História Shy (Or Not) - Capítulo 11


Escrita por: ~ e ~ChewyHardCandy

Postado
Categorias Got7
Personagens BamBam, Jackson, JB, JR, Mark, Youngjae, Yugyeom
Tags Bottom!jaebum, Daddykink, É Noiz, Jackbam, Jaebum!baby, Jaebum!uke, Jaegyeom, Menção Jackbam, Sexting/texting, Side Jackbam, Top!yugyeom, Underage Jb, Yugbum, Yugbum Na Veia, Yugyeom!daddy, Yugyeom!seme
Exibições 96
Palavras 1.770
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar, Festa, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Self Inserction, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 11 - Bom dia


   Indescritivelmente maravilhosa era a sensação de acordar pela manhã com Jaebum em meus braços. Um sorriso estonteante adornava-me os lábios, minha alma transbordava serenidade e alegria.

      O calor que seu corpo transmitia era tão doce e confortável que fazia-me querer esquecer que era uma manhã de quarta feira e que dentro de algum tempo teria que me levantar para me arrumar, assim como meu lindo baby que teria uma manhã cheia de aulas.

      Jaebum mexeu-se na cama me tirando de meus devaneios, ele afastou-se um pouco de mim, mas logo após se aconchegou em meu corpo, apoiando sua cabeça em meu peitoral, apertando minha cintura e entrelaçando nossas pernas.

      Por um momento fiquei estático,  achando aquela aproximação repentina muito fofa, ele chegou a sussurrar meu nome entre o sono e resolvi assumir que estava sonhando comigo.

    Não conseguindo me conter, abracei-o firmemente colocando meu queixo em sua cabeça, sentia a maciez de seu cabelo xerozo, contra minha bochecha. Depositando naquele abraço, todo o amor e carinho que tinha por aquele ser tão perfeito.

    Jaebum reclamou baixinho por causa do aperto que lhe dificultava a respiração e o soltei, o que acabou resultando em minha cintura ser apertada com mais força. Toda a possessividade de meu menino transmitia-se agora, quando o seu inconsciente comandava seus atos.

     Jae estava tão fofo que peguei meu celular sobre o criado mudo tirando uma foto de nos dois abraçados, ele apertando-me na cintura com

   Uma carinha de anjo, e eu segurando-o pelos ombros e sorrindo para a câmera. A foto ficou tão fofa que coloquei como plano de fundo e mandei a foto por mensagem para o meu baby.

    Depois de mais algumas dezenas de fotos tiradas, coloquei o celular de lado para poder dormir com meu amado. Assim que relaxei, senti Jaebum se mexer, parecia ter acordado, pois levantou metade de seu corpo apoiando se em seus cotovelos.

     Parecia ter ficado algum tempo pensando em algo, mas logo após virou de costas colocando sua cabeça apoiada em meu braço e pressionando seu corpo contra o meu. Era como uma chave e fechadura, seu corpo encaixava-se perfeitamente no meu e destrancava todos os sentimentos bons que poderia sentir,  como por exemplo meu amor interminável por ele.

    Como não fez menção de se levantar para o dia corrido que provavelmente teria, Jaejae voltou a dormir. Como eu não poderia desperdiçar uma chance dessas, voltei a dormir com meu amado.

 

 

 

Acordei com a sensação de estar sendo observado, se JB realmente estivesse me observando dormir, iria aproveitar para fazer um aegyo discreto e ver qual seria sua reação.

   Fiz uma carinha um pouco emburrada como se estivesse sonhando com alguma coisa q não gostasse e ouvi uma risadinha baixa.

    Para incentivar suas reações soltei um baixo resmungo e cocei o nariz com as mãos fechadas, tentava imitar um gatinho. Como não obtive resposta, abri os olhos devagar como se acabasse de acordar.

     Deparei-me com algo que não pensava encontrar. Um Jaebum corado com uma expressão surpresa me filmando, não pensava que ele gostaria de ter um vídeo meu em sua galeria para rever quando quisesse.

    Quando ele percebeu que eu já tinha acordado e ele continuava me filmando, se atrapalhou corando mais ainda e deixando o celular escorregar de suas mãos. Deu uma risada sem graça e coçou a nuca. Soltei um sorriso e perguntei:

  - Por que parou de filmar?

  Ele fez uma expressão confusa e abriu e fechou a boca algumas vezes. Peguei o celular que residia no colchão e apontei a câmera para nos dois. Segurei seu queixo, guiando-o ate mim e dei-lhe um selinho demorado.

    Quando ele começou a mexer os lábios afastei- me olhei para o celular parando de gravar e disse:

  - Ficou um ótimo vídeo! Veja ele quando estiver sentindo minha falta.

   Logo peguei em sua cintura para lhe dar um beijo descente, com sua boca aberta em surpresa por minha espontaniedade, deslizei minha língua por sua cavidade quente e aconchegante entrelaçando nossos músculos molhados.

    O beijo era ávido, bebia daquela sensação maravilhosa e sabia que quanto mais provasse aquele gosto maravilhoso, mais difícil seria me manter distante dele.

    Mexia minha cabeça para o lado para tornar o beijo mais profundo enquanto encaixava minha perna entre as suas. Logo seus braços enrolam-se em meu pescoço, puxando meu rosto para mais perto.

    Jaebum tornava-se ofegante a cada segundo, então resolvi afastar-me para ele recuperar o fôlego, não sem antes puxar seu lábio inferior e dar vários selinhos em sua boca.

   Quando me afastei e o olhei nos olhos, ele não me olhava diretamente, parecia estar perdido em sensações. Sua boca levemente aberta puxava o ar rapidamente para seus pulmões. O lábio inferior mais avermelhado e inchado do que o superior me tentava a arrancar outro beijo de meu baby, mas eu precisava me controlar para não assustá-lo.

    Quando parte das sensações passou, ele pareceu perceber o que acabara de fazer e corou como um tomate, até suas orelhas chegaram a ficar vermelhas. Ri de sua fofura e beijei sua testa logo me levantando e pronunciando:

    - Tenho que tomar um banho, sairei daqui a pouco para preparar um café para nós.

     Ele pareceu ponderar por um tempo e logo sua expressão se iluminou mostrando que tinha tido alguma ideia que considerava genial, assim falando:

  - Posso ir com você?

     Quando a pergunta foi indagada, senti um arrepio percorrer todo o meu corpo e tratei de negar imediatamente. Quem sabe o que poderia acontecer caso eu visse sua pele sem imperfeições diante de meus olhos?

     Do jeito curioso que ele era, logo perguntou a justificativa:

     - E por que eu não posso ir? Você não gosta de mim? - apelou para o lado sentimental

    - QUE? De onde você tirou essa idéia? Eu gosto mais de você do que de tudo neste mundo - Respondi

    - Então por que eu não posso ir? -perguntou começando a se emburrar

     -olhe meu amor, o problema não é você. O problema é... o problema é... O chuveiro! Sim o chuveiro. Acontece que ele queimou e eu vou ter que usar a banheira. - respondi tentando convencê-lo

   - E desde quando isso é um problema- ele perguntou com a face retorcida em confusão - a sua banheira é maior que o chuveiro de qualquer jeito.

   - Sim, sim, é verdade mas não vai dar para usar o chuveiro. - eu disse indo correndo para o banheiro e trancando a porta logo apos entrar.

    JB começou a bater na porta e me chamar, o ouvi dizendo:

   -Abre essa porta! Desde quando isso é uma desculpa?! Yah! Eu também quero tomar banho. Ele disse emburrado, imagino que ele esteja com as bochechas infladas e o cenho franzido.

   -prometo que vou ir bem rápido, assim vai poder tomar seu banho!- disse torcendo para que ele não ficasse muito irritado.

    - Aish!-o ouvi dizendo e sair batendo os pés

    Soltei um longo suspiro e apoiei minha testa na porta. Seria difícil me controlar com seu corpo nu em minha frente, só de pensar na possibilidade sentia meu corpo esquentar e formigar.

   Despi-me e configurei o chuveiro para o desligado, a água fria me ajudaria a pensar com mais sanidade e a relaxar os músculos tensos. Tentei me livrar de qualquer imagem de Jaebum que me viesse na cabeça e passei a pensar em filhotes de cachorros, pois eram coisinha puras e inocentes.

    Quando acabei o banho percebi que havia me esquecido de levar uma muda de roupa para o banheiro. Enrolei uma toalha em meu quadril e abri a porta, JB estava deitado na cama

 Jogando algum joguinho em seu celular. Estava com as pernas relaxadas e levemente abertas, o short branco e a camiseta larga deixavam-lhe com um ar despojado assim como seu cabelo bagunçado.

    Suas coxas alvas estavam bem a mostra, pois o short de malha deixava boa parte do tecido acumulado perto de sua virilha e JB mordia seu lábio inferior concentrado no jogo. Uma bela visão eu diria.

    Limpei a garganta chamando-lhe a atenção e disse:

  - Eu já acabei o banho, pode entrar.

  - Aham, já vou... - Disse sem tirar os olhos da tela. Apenas me apressei em me vestir com uma jeans branca e um suéter de marca qualquer, aqueles presentes de Natal que a gente só usa uma vez a cada década. Assim que acabei de colocar as meias pulei na cama e tirei o aparelho eletrônico de suas mãos pequenas e macias.

  - Você já avisou à sua mãe que está aqui comigo? Não devia a preocupar está bom? - perguntei quando ele me encarou meio emburrado e com um bico lindo nos lábios, o qual tive que me esforçar muito para não morder.

  - Já avisei sim, não esquenta.

  - Ok, então que tal me dar mais alguns beijos antes do banho?

  - Não acho que preciso de seus carinhos pra tomar um simples banho- Respondeu parecendo um pouco chateado ou desconfiado. Não posso negar que fiquei surpreso com o modo de falar, será que eu já tinha assustado o garoto? Será que eu estava parecendo aqueles velhos ricos e tarados de filmes?

  - Ah! N-não é isso! Perdão, e-eu não tive a intenção de in-insinuar nada!- Disse meio

Gaguejando pelo nervosismo do pensamento de ele querer se afastar por eu estar indo rápido demais.

  - Ahahahaha que isso hyung, eu sei não se preocupe, só estava brincando um pouco com você- Disse e logo depois me deu um selo casto nos lábios e completou:

  - Você pensa demais...

  E logo saiu do quarto e se voltou ao banheiro, entrando e fechando a porta, logo depois ouvi o barulho da banheira se enchendo.

  Eu prometi a ele e a mim mesmo que provaria meu amor por ele, com isso também bolei algumas regras para mim mesmo, como por exemplo, não ficar muito em cima dele o tempo todo e deixar ele ter seu espaço e com os amigos também... Mesmo eles tendo uma intimidade um tanto incomum para apenas amigos.

  Para provar que eu me importo com o bem estar dele e com seus sentimentos, eu precisava ir com calma, sem insinuar nada a não ser alguns abraços aqui ou alguns beijinhos ali, pois afinal de contas, meu querido Jae ainda é menor de idade, portanto jamais poderia ter a audácia de pedir à ele mais do que ele pudesse.

  Parei de pensar naquilo assim que olhei as horas no relógio de pulso e me lembrei que eu disse que iria comprar o desjejum, portanto resolvi sair logo para que a mesa estivesse posta assim que Jaebum saísse do banho.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...