História Sick Love - Capítulo 35


Escrita por: ~ e ~debora

Postado
Categorias Justin Bieber
Tags Criminal, Justin Bieber
Visualizações 110
Palavras 3.332
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Drama (Tragédia), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


CHEGUEI CHEGANDO BAGUNÇANDO A ZORRA TODAAA
Então galerinha, espero que gostem desse cap, tive uma ajudinha de uma amiga pra escrever o hot pq eu sou uma negação nisso E PRA FICAR MELHOR A LEITURA, VCS COLOCAM NA MÚSICA "OR NAH- TY DOLLA $iNG" FICA MIL VEZES MELHOR, e eu vou deixar o link nas notas finais


BOA LEITURAAAA

Capítulo 35 - Or nah?


Fanfic / Fanfiction Sick Love - Capítulo 35 - Or nah?


JUSTIN BIEBER P.O.V 

Eu estava ciente, no momento em que pedi Alana em namoro, de que eu não poderia mais me envolver com nenhuma outra mulher, que não fosse ela. Mas eu também sabia que eu não conseguiria controlar as olhadas em, por exemplo, as gostosas praticamente seminuas que tinha nesse racha. 

Porém, mesmo sabendo que eu podia olhar (já que isso não é considerado traição) eu não queria. Eu só tinha olhos pra morena que dançava em cima daquela picape, eu não conseguia desgrudar os olhos dela. 

E ver um filho de uma puta batendo na sua bunda fez subir um nervoso tão grande que quando eu vi já tinha virado o soco na cara do fodido.

-SEU ARROMBADO! - gritei quando o derrubei no chão e comecei a chutar sua cara. Em segundos uma rodinha foi feita para apreciar nossa briga e os caras já estavam ao meu lado pedindo calma. O caralho. 

-Justin, vamos embora! - Alana apareceu do meu lado puxando meu braço mas eu dei um tranco e soquei a cara do desgraçado de novo. O cara cuspiu sangue mas mesmo assim soltou uma risada sarcástica. 

-Não sabia que essa gostosa era sua mina, ela é muito pro seu caminhaozinho. -Olhei incrédulo pro homem jogado no chão. Ele não tinha noção do perigo? Esmurrei sua cara de novo mas logo em seguida ele deu um chute no meu saco. Filho de uma puta. Me ajoelhei no chão enquanto massageava o local atingido, o velho aproveitou esse momento pra se jogar em cima de mim e me dar um murro, mas quando ia virar o segundo eu o joguei pro lado e antes de partir pra cima dele de novo senti braços me puxarem. 

-JUSTIN CHEGA! - Alana gritou na minha frente mas eu podia ver diversão nos seus olhos. Ela tava gostando então? Desgraçada. Ryan e Chris me seguravam enquanto eu tentava me soltar a todo custo, minha respiração estava acelerada e eu só queria matar aquele virjao. Um estranho segurava ele também mas o covarde nem fazia esforço pra se soltar. 

-REZA PRA NÃO CRUZAR COMIGO DE NOVO, PORQUE SE ISSO ACONTECER, VOCÊ É UM HOMEM MORTO. - Gritei e ele apenas mantinha uma expressão séria. - E ESTEJAM CIENTES QUEM MAIS NESSA PORRA ESTIVER SECANDO A MINHA NAMORADA. ELA É MINHA. - Vi vários homens engolirem em seco enquanto Alana apenas revirava os olhos mas tinha um sorriso no rosto ao olhar pras vadias que estavam presentes. 

ALANA HASTINGS P.O.V

Eu simplesmente não suportava quando Justin mostrava esse seu lado possessivo, minha vontade era de enfiar minha cara no asfalto com tanta vergonha que ele me fazia passar. Mas teve um lado bom nisso, Justin admitiu na frente daquelas pessoas que estavamos namorando. E sim, isso era algo que eu estava adorando, as vadias estavam tão decepcionadas, uma pena pra elas. 

Mas qual foi? Pra que tanto showzinho? Eu sabia me defender sozinha, e aliás... 

Fui até o cara que havia causado isso tudo, ele me olhava confuso mas deu um sorriso malicioso quando me aproximei. Pude perceber pela minha visão periférica Justin tentando se soltar mais uma vez, mas parou assim que virei um murro em sua cara (que ja estava toda destruída digasse de passagem). 

-Isso é por tentar abusar de uma garotinha indefesa. - Dei o meu sorriso mais falso. - O que eu estou dizendo? - Ri pelo nariz e soquei o outro lado do seu rosto. - Eu não sou nenhum pouco indefesa. -Encarei as pessoas que me olhavam incrédulas e admiradas e resolvi que era hora de acabar com aquela zorra. - O show acabou galera. - Elevei minha voz. - Circulando. 

E assim todos começaram a sair, me deixando somente com o pessoal e um Justin super descontrolado. Fui até ele e bufei quando vi um pequeno corte um pouco abaixo do seu olho. 

- Você não sabe se controlar, Justin Bieber? - Minha voz irradiava raiva. 

-Vamos embora. - Ele já tinha se soltado dos meninos e agora me puxava pela mão. 

-Eu não vou a lugar nenhum. - Ryan, Chris, Chaz, Alexia, Annie e Nath nos olhavam como se medissem toda a situação e pensassem em qual passo dar em seguida.  Justin respirou fundo e me encarou. 

-Eu preciso te levar em um lugar. Por favor. -CARALHO, ele pediu por favor? Assim eu até vou. Ele começou a me puxar de novo e pude ver Alexia dando um passo pra impedir mas eu apenas fiz um sinal com a mão pra ela ficar tranquila e ela assentiu. Com Justin eu sei lidar. 

Assim que entramos no carro Justin saiu cantando pneu e quando chegou na pista começou a acelerar o carro nervoso. 

- Vai acabar matando a gente. - Falei de braços cruzados e ele diminuiu a velocidade. 

-Você me irrita demais Alana, sério. 

-Você se irrita sozinho. Não tenho culpa de ti ser inseguro e dar esses ataques de ciúmes. -Ele tirou o olhar da estrada apenas pra me olhar incrédulo. 

- Um dia eu ainda vou te matar. 

- Não vai não.

- Vou sim. 

- Cala a boca. 

- Vai se foder. 

- Onde a gente ta indo? - Perguntei e ele abriu um sorriso malicioso, o carro começou a diminuir a velocidade e vi que estavamos parando em um motel. Nem no caralho. Ele me faz um papelão daqueles e já quer que eu abra as pernas??????? 

Justin desceu do carro e jogou as chaves para um manobrista. Ótimo, ele quer sexo? Eu também. Mas hoje quem vai estar no comando sou eu. 

Desci dos carros e Justin mais uma vez entrelaçou seus dedos nos meus, me induzindo a segui-lo até a recepção do local. Assim que a mulher nos viu me olhou de cima a baixo com aquela cara de nojenta. Tenha paciência Hastings. 

- A suíte master. - Justin disse e a mulher logo entregou as chaves ao loiro me dando uma última olhada. Fomos até o elevador e antes das portas se fecharem por completo lhe mandei um lindo dedo do meio e a entojada arregalou os olhos desviando o olhar. Gargalhei assim que as portas se fecharam. 

- Você é muito idiota, Hastings. 

- Ela me olhou torto. - Me defendi. 

- Que seja. - Justin veio até mim e me apertou na parede do elevador, subindo minhas pernas até que estivessem entrelaçadas em sua cintura. Suas mãos apertavam minha coxa enquanto ele atacava meus lábios. Sua língua começou a explorar cada centímetro da minha boca enquanto minhas mãos arranhavam sua nuca. As portas do elevador se abriram e eu pude ver um casal arregalar os olhos assim que entraram no mesmo. Me recompus rapidamente e Justin pegou minha mão me puxando pra fora dali (não sem antes dar uma piscada pro cara que ainda nos olhava como se fossemos de outro mundo), muito cu doce pro meu gosto, todo mundo vem aqui pra foder. 

Justin abriu a porta e nos deparamos com um quarto com luzes vermelhas e uma cama redonda com lençóis de seda. Do lado direito havia um som e do esquerdo uma televisão (quem vai num motel assistir televisão?), num canto daquele quarto havia uma banheira de hidromassagem e do outro lado havia uma porta que provavelmente dava no banheiro. De frente pra cama havia um pequeno palco redondo com um ferro de poli dance. Havia também umas prateleiras com todos os tipos de objetos sexuais que eu poderia imaginar. 

-Gostou? - Justin percebeu que eu olhava tudo atentamente. - A minha vontade de quebrar sua cara por se exibir pra aqueles machos é enorme. - Ele começou a vir em minha direção, cheirando o meu pescoço antes de sussurrar no meu ouvido. - Mas a minha vontade de te foder, é maior ainda.  - Só eu senti um duplo sentido nessa frase? 

Antes que eu pudesse raciocinar, Justin me jogou na cama e subiu em cima de mim, beijando meu pescoço e apertando minha bunda. Procurei seus lábios com urgência e assim que os achei, iniciei um beijo selvagem. Quando ele colocou a mão na minha jaqueta pronto pra tira-la do meu corpo eu segurei sua mão o impedindo. Justin me olhou confusa mas eu apenas inverti as posições ficando por cima. 

- Espera um pouco. - Disse perto do seu ouvido e vi seus pelos se eriçarem. Ri pelo nariz. 

Fui até a prateleira e percebi que ele acompanhava cada movimento meu. 

- Tira a camisa, Bieber. - Falei autoritária e ele deu um dos seus melhores sorrisos safados, obedecendo prontamente. Aproveitei que ele estava ocupado com isso e peguei uma algema sem que ele visse, e assim que me aproximei dele, ataquei seus lábios. Em questão de segundos eu tinha prendido seus pulsos nos ferros da cama. Justin parou o beijo me encarando com certa irritação. 

- Hastings... - Ele murmurou e eu coloquei meu indicador em seus lábios indicando que ele ficasse quieto. 

-Shiiu. - Desci meu dedo e fitei seus lábios. Aproximei minha boca da sua e dei uma mordida em seu lábio inferior. Seus olhos que antes eram mel, agora estavam escuros. Tirei suas calças sem desviar o olhar dos seus e deixei ele apenas com sua cueca boxer. 

Sai da cama e pude vê-lo arquear as sobrancelhas, lhe direcionei um sorriso malicioso enquanto tirava a jaqueta, depois a blusa, e por último, o short (já que eu já estava sem meus tênis a tempos).  Agora eu estava apenas com uma lingerie preta rendada e Justin mordia os lábios com força. 

-Me solta Alana...-Ele pediu mas eu apenas continuei com um sorriso safado na cara. Fui até o som e conectei meu celular no aparelho, colocando skin - Rihanna pra tocar no aparelho. 

Assim que as batidas começaram me direcionei pro poli dance que havia ali e Justin me olhava como se não acreditasse no que eu fosse fazer. 

The mood is set (huh huh)
So you already know what's next (uh huh, uh)
TV on blast turn it down, turn it down
Don't want it to clash when my body screamin' out now (ohhh)

Já estamos no clima (huh huh)
Então você já sabe o que vai acontecer (uh huh uh)
A TV está alta, pode desligar, pode desligar
Não quero interrupções enquanto o meu corpo grita agora (ohhh)

Eu apoiei minha mão direita no ferro e dei um giro ficando parando do lado direito do objeto. Tranquei minha perna esquerda e segurei com a mão direita, jogando meu cabelo pra um lado só e girando mais uma vez, peguei impulso e agora minhas duas pernas estavam em volta do mesmo, enquanto eu descia lentamente com minha intimidade roçando ali. 

O volume na cueca de Justin era perceptível até demais, e ele me olhava com desejo. Ele tentava se soltar das algemas a todo custo. 

I know you hearin' me (ohhhh)
          You got me moanin' now 

Eu sei que você pode ouvir (ohhhh)
          Você me deixou gemendo aqui

Fiquei de costas pra ele e lancei um olhar de vadia antes de morder meus lábios. 

-Filha da puta... - Ele murmurou com a voz falha.  

Go deep, imma throw it at cha can't catch it
     Don't hold back, you know I like it rough
    You know I'm feelin you huh,
    Know you likin' it huh

Vai fundo, eu vou te dar o que você não consegue pegar
 Não se segure, você sabe que eu gosto que  use a força 

Nesse momento Justin já tentava a todo custo se soltar do metal que o prendia, mas sem sucesso. 

Desci ainda de costas e subi lentamente com o ferro posicionado no meio do meu bumbum e isso foi a perdição do Bieber. 

Fui em sua direção e me sentei em seu colo. 

-Me solta, Alana, caralho! - Ele tentava encostar sua boca na minha mas eu apenas ia pra trás. 

- Paciência, amor. - Falei. 

 No heels, no shirt, no skirt

All I'm in is just skin

No jeans, take em' off

Wanna feel yo' skin

You a beast oh

You know that I like that (yo' skin)

Commere baby

All I wanna see you in is just skin

Oh oh, yo' skin

Oh oh, just skin

Oh oh, I'm lovin your skin, oh oh

Sem sapatos, sem blusa, sem saia

Somente a minha pele

Sem jeans, tire tudo

Quero sentir a sua pele

Você é selvagem (oh)

Você sabe que eu gosto disso (sua pele)

Venha aqui, querido

Tudo o que eu quero sentir é apenas sua pele

Oh oh, sua pele

Oh oh, apenas pele

Oh oh, estou adorando sua pele

Eu rebolava lentamente em cima d e seu membro e podia sentir sua ereção quase rasgando sua cueca. Aquilo também estava sendo uma tortura pra mim. 

Comecei a quicar levemente de acordo com as batidas da música e Justin não tinha mais reação. Eu estava fazendo um lap dance. 

JUSTIN BIEBER P.O.V

Alana Hastings era uma vadia do caralho gostosa pra porra, vê-la ali naquela porra de ferro me enlouqueceu de uma forma que eu não posso nem explicar. Seu corpo escultural naquela porra de lingerie deixava o volume dos seus seios fartos bem expostos aquelas pernas grossas agora rodeadas na minha cintura enquanto ela me fazia um lap, me proporcionavam uma sensação que eu nunca havia tido antes.  

- Me solta Alana... - Supliquei mais uma vez e ela apenas deu um leve sorriso antes de retirar minha boxer e abocanhar meu pau. Uma outra música começou a tocar mas a única coisa na qual eu me concentrava era na boca da morena fazendo um vai e vem em toda a extensão do meu membro. Suas mãos foram até meu pau começando a me estimular. A essa altura do campeonato eu não segurava mais meus gemidos. Desgraçada. 

-Alana, porra. -Ela não parou, pelo contrário, sua língua rodeou toda a cabecinha do meu pau e ela logo continuou o mesmo processo anterior. Eu já sentia minhas veias engrossarem e provavelmente ela também, já que seus movimentos ficaram mais rápidos e só pararam até que a última gota do meu gozo estivessem dentro de sua boca.

- Seu gosto é delicioso, amor. - Ela sussurrou no meu ouvido com aquela cara de vadia. Eu não aguentava mais. 

- Alana, quando você me soltar eu vou te foder até você ficar toda dolorida. - Ela mordeu os labios de novo. Essa vadia sabe o quanto isso me faz perder os sentidos? Eu nunca estive tão submisso a alguém, principalmente na hora do sexo. 

- Eu tô afim de fumar. - Ela foi até sua jaqueta tirando um cigarro de maconha já bolado e um esqueiro do bolso. Após acender o mesmo ela veio em minha direção e deu uma tragada, soltando toda a fumaça no meu rosto. 

- Você tá me provocando

- Quer se soltar Bieber? - Debochada do caralho, apenas assenti. - Se você conseguir pegar a chave com a boca, eu te solto. - Ela abaixou seu olhar até seus seios e pude ver uma pequena chave prateada presa no meio do seu sutiã. Essa desgraçada é boa pra caralho. Sorri malicioso e ela se aproximou de mim. 

Dei um pequeno beijo na extensão do seu peito esquerdo e dei uma leve mordida ali, vendo-a fechar os olhos aprovando minha ação. Lambi toda aquela área que não estava coberta pelo sutiã e fui em direção a chave, pegando a mesma com a boca e lançando um olhar vitorioso pra morena a minha frente. 

Antes de abrir a porra da algema, ela deu mais uma tragada naquela maconha e só assim, abriu aquela joça. 

Por ironia do destino, assim que o fez, começou a tocar Or nah - The Weeknd, ty dolla $ing. 

Peguei o cigarro de sua mão e puxei levemente, colocando minha outra mão na nuca de Alana e aproximando meu rosto do seu. Ela abriu a boca sabendo o que vinha a seguir. 

Soltei toda a fumaça dentro da sua boca antes de puxa-la pra um beijo. Ela se sentou no meu colo e pegou o cigarro da minha mão dando uma tragada e em seguida apagando aquela porra. 

Eu estava drogado, e não digo pela maconha, eu dei apenas um trago. 

Estou falando de outra droga. Alana Hastings. 

Joguei ela na cama com certa brutalidade e ela abriu um sorriso safado. Dei um tapa em sua bunda escutando um gemido reprimido em seus lábios. 

I'ma smoke this joint then I'ma break you off

Eu vou fumar essa maconha e depois eu te pego de jeito

Tirei seu sutiã e sua calcinha numa velocidade absurda já que eu estava desesperado por isso. 

 All these tattoos in my skin, they turn you on
Lotta smoking, drinking, that's the shit I'm on

Todas essas tatuagens em minha pele, te excitam
Muita maconha, bebidas, é disso que eu gosto

Nesse momento Alana passou suas unhas pelo meu peitoral contornando minhas tatuagens antes de me olhar e morder seu lábio inferior. De novo. Essa filha da puta conseguia me excitar com uma facilidade do caralho. 

Do you like the way I flick my tongue or nah?
You can ride my face until you drip in cum
Can you lick the tip then throat the dick or nah?
Can you let me stretch that pussy out or nah?

Você gosta do jeito que eu mexo minha língua, ou não? Você pode cavalgar na minha cara até você gozar Você pode lamber a cabecinha e então engolir o pinto ou não? Você pode me deixar arregaçar essa buceta, ou não?

Eu estava atiçado pra caralho e a letra dessa música não ajudava muito. Alana apenas me olhava atentamente vendo o que eu iria fazer. Ela queria aquilo. Eu também. 

Desci toda a extensão do seu corpo depositando beijos em casa parte do mesmo, antes de chegar em sua vagina. 

- Tão molhada... - Sussurrei mas ela ouviu já que murmurou algo que não pude entender. 

Enfiei um dedo em sua entrada vendo-a se contorcer na cama, em seguida enfiei mais um e comecei a meter meus dedos rapidamente escutando-a gemer descontroladamente. 

-Jus..tin. - Suas mãos foram em direção ao meu cabelo onde ela puxava alguns fios levemente. 

Sem mais delongas minha boca foi de encontro com sua intimidade, tirei meus dedos e penetrei minha língua ali. 

- Porra. - Ela gemeu. 

Com meus dedos, comecei a estimular seu clitóris.

Pussy so good, I had to save that shit for later 

Took her to the kitchen, fucked her right there on the table

Buceta tão gostosa, eu tive que guardar ela pra mais tarde 

Levei ela pra cozinha, fodi ela ali mesmo na mesa

Alana se contorcia em meus dedos mas eu não parei de penetrar minha língua até sentir seu gosto em minha boca. 

- Desgraçado. - Ela relaxou na cama. 

Levei meus dedos até sua boca. 

-Sente seu gosto, amor. - Ela chupou meus dedos lentamente sem desviar seu olhar do meu. - Gostosa do caralho. - Coloquei ela de quatro e sem avisar, comecei a penetrar nela.  

Would you ride for a nigga or nah?  

Would you die for a nigga or nah? 

Would you lie to a nigga or nah? 

Oh Nahh 

 Can you really take dick or nah? 

Can I bring another bitch or nah? 

Is you with this shits or nah? 

Oh Nahh, Oh Nahh

A única coisa que se ouvia naquele quarto era a música tocando tornando tudo muito mais excitante, e claro nossos gemidos. 

-Awn Justi..n - Caralho, até seus gemidos eram excitantes. Tem algo nessa mulher que não é? 

Coloquei ela deitada normal e voltei a penetra-lá. 

-Geme pra mim, Lana. 

- Justin, porra aawn. - Alana arranhava minhas costas sem dó o que me renderia bons hematomas amanhã mas eu tava pouco me fodendo. Depositei um chupão em seu pescoço antes de retirar meu pau da sua buceta. Alana me olhou confusa. Me deitei ao seu lado e ela começou a entender.

-Quica pra mim Lana. - ela rapidamente atendeu ao meu pedido e começou a cavalgar no meu pau, fazendo seus peitos pularem na minha cara. Aquilo era a visão do paraíso.  Nossos gemidos se misturavam no quarto e em poucos segundos, nós gozamos juntos. 

Essa foi definitivamente, a melhor foda da minha vida. 






Notas Finais


MÚSICA: https://youtu.be/TUj0otkJEBo

HOJE FOI SÓ PUTARIA, ESPERO Q TENHAM GOSTADO GENTEEEEEEEE KSJSKSJAJAKAKAKAKSK que vergonha aiai... comentem aí o que acharam,beijos e até logo XOXO


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...