História Sick passion - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande
Personagens Ariana Grande
Tags Ariana Grande, Paixão Zariana, Suspense, Terror, Zariana, Zayn Malik
Visualizações 32
Palavras 1.207
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Terror e Horror, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Eae Amores, tudo bem?

Bem... essa será a minha primeira fanfic Zariana e espero muito que gostem.

Essa fanfic será inspirada no Tate e na Violet da primeira temporada de American Horror Story ( casal mais doentio que amo muito).

Algumas coisinhas antes:

• Zayn e Ariana terão uma relação meio conturbada, então se você não gosta, não leia. Haverá também agressões, mutilação e uso de drogas na fanfic.

• Por mais que a fanfic esteja cheia de coisas assim, haverá muito amor envolvido de ambas as partes.

• Os personagens não me pertencem, mas suas atitudes e pensamentos sim.

• Plágio é crime.

• favoritos e comentários me ajudaram bastante na continuação da fanfic.

• Críticas positivas e negativas são mais que bem-vindas, e também me ajuda muito para eu poder melhorar

• A capa da fanfic está sendo providenciada

• Boa leitura 💕

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Sick passion - Capítulo 1 - Prólogo

P.O.V ARIANA 


Fogo. 



Essa é a única coisa de que me lembro daquele dia. Aquele maldito dia. 


Flashback On 


[...] Subo as escadas, apenas seguindo os gritos que vinham do quarto de meus pais. 

As chamas do incêndio já estavam tão altas, que por míseros segundos fiquei apreciando a beleza delas. Os gritos continuaram que assustada olhava para a porta de meus pais. 

Eles ainda estavam lá. E eu não consegui salvá-los. O calor do fogo me penetrou. O cheiro ficou tão forte que tudo o que me restou fora a escuridão. 


Flashback Off  


- Ariana? - abro os olhos fugindo de minhas memórias assim que ouço tia Anabell. - Logo, logo chegaremos. - Me viro para ela que estava dirigindo. Ela permanecia atenta na estrada. 

Volto o meu olhar para a paisagem ao meu lado. Passo meus olhos rapidamente para acompanhar a cena. A neve cobria o chão e as árvores. Os pequenos flocos cristalinos caíam do céu, fazendo assim as folhas da árvore sumirem com seu tom natural. 

Subo meu olhar para o céu. Sempre gostei de neve. Especialmente dos flocos. Quando criança, gostava de contá-los, aquilo me acalmava. Observava os flocos caindo, e então aquilo voltou. Os flocos que antes eram cristalinos, se tornaram pretos. Minha visão volta imediatamente para a paisagem e as árvores estavam em chamas, logo virando cinzas. Um desespero passou por mim assim que vi as sombras. Fecho os meus olhos fortemente, afim de que toda essa imagem desapareça da minha frente. 

- Chegamos! - abro os olhos assustada quando o carro freia com certa brutalidade. Olho para tia Anabell que já estava fora do carro. Reviro os meus olhos e encaro os enormes portões acabados a minha frente. 

O Reformatório DC aparentava ser um lugar velho e, não duvido muito de realmente ser. Se localiza no sul Washington DC, nos Estados Unidos. As enormes paredes em tons cinzas estavam acompanhados de arbustos mal cuidados. Havia duas enormes janelas ali. Olhei cada canto daquele lugar e a visão externa não era nada agradável. 

- Bom dia. - uma senhora apareceu em frente ao portão. Seus cabelos eram grisalhos mais para um tom cinza e sua aparência não era tão incomum. Seus olhos negros me olharam atentamente e um sorriso surgiu em seus lábios. - Você deve ser a Srta. Grande, não? - apenas balanço a cabeça concordando. 

- Espero não estar atrasada. - minha tia e sua educação... 

- Magina, você chegaram na hora certa. - a senhora continuava me encarando. - Vamos?! - ela se vira e adentra no enorme local. 

Eu realmente me surpreendi com o tamanho do lugar. Era bem maior do que aparentava ser por fora. Meus olhos percorrem cada canto do lugar. A porta da entrada dava de cara com uma enorme escada. Subindo o olhar, é possível se ver que há dois caminhos. Perto do corrimão do andar de cima, uma garota loira me encarava. Arqueei uma sobrancelha e Continuei seguindo minha tia e a senhora. 

Entramos em uma sala neutra, toda trabalhada na cor vinho. 

- Desculpe, nem me apresentei. - a senhora se senta em uma cadeira, de frente à uma enorme mesa. - Sou a Madame Margot, diretora do Reformatório DC. - ela sorriu amarelo e fez gestos para nos sentarmos frente à ela. 

- Eu só tenho que assinar o resto da papelada e deixar ela aqui, não? - minha tia parecia bem animada com a idéia. 

- Largar, você quis dizer. - a corrijo e assim que me encara, forço um sorriso irônico. 

- Estou fazendo isso para o seu bem Ariana. -ela diz baixo, quase sussurrando para mim. 

- Não. Você está fazendo isso para o seu bem. - enfatizei o "seu" e ela engoliu em seco. 

- De fato aqui lhe ajudará bastante Ariana. - Margot se intromete na conversa e como resultado, a olho com minha sobrancelha arqueada. - Sim sra. Grande, apenas assinar o restante dos documentos e Ariana estará matriculada oficialmente aqui. - ela muda rapidamente de assunto, entregando uns papéis para Anabell. - Charlotte? - Ela eleva seu tom chamando a tal pessoa. 

-Sim sra. Margot? - ouço uma voz vindo da porta, mas não me esforço em me virar para ver de quem era. 

- Você poderia levar a Ariana para o seu quarto?

- Claro sra. Margot. - ouço passos se aproximando e logo uma mulher que aparentava der seus 30 anos estendeu a mão para mim. A ignorei e me levantei. Ela pareceu desconfortável mas não disse nada. Me acompanhou até a porta da sala e depois seguiu caminho na minha frente e fez sinal para eu á seguir. 

Subimos a enorme escada e passamos pelo corredor que estava a minha direita. Recebi vários olhares mas aquilo não me intimidou. Paramos em uma porta que pendurado havia o número "396". Ela pegou um maço de chaves e abriu a mesma. O quarto não era grande, mas dava pro gasto. 

- Logo, logo trarei suas coisas. - ela diz e sai do quarto. Permaneço ali observando o quarto. Vejo uma cama do outro lado do mesmo muito bagunçada. Ótimo. Colega de quarto. 

- Olá. - uma voz doce e suave soou atrás de mim, o que me assustou e me fez virar rapidamente. Era uma garota com os cabelos ruivos, pele branca e algumas sardas notáveis. Ela estava com um sorriso bem convidativo nos lábios. - Me chamo Sidney, serei sua colega de quarto. - ela estende sua mão e faço a mesma coisa, a cumprimentando. 

- Ariana. - digo por fim. Ela sorri para mim e me olha de cima a baixo, me medindo. 

- Gostei do seu estilo. - ela aponta para a minha roupa. Estava com uma calça jeans escura um pouco rasgada nos joelhos, uma blusa cm mangas cumpridas preta um pouco acima do umbigo trabalhada em renda e uma jaqueta de couro da mesma cor. calçava meu inseparável tênis desgastado. 

- Obrigada - sorrio. Logo, um barulho horrível ecoou pelo quarto todo, o que me fez tampar os ouvidos e fazer uma careta. - O que é isso? - pergunto destampando meus ouvidos assim que o som cessou. 

- O sinal para dar início a primeira aula, vamos. - ela me puxou apressada. 

Saímos do quarto e ela me levava para algum lugar. Esbarrei em várias pessoas e sempre ouvindo "olha por onde anda" ou até mesmo "Sai sua cega". Ia dizendo alguns "me desculpe" para as pessoas. Mas acabo trombando forte com alguém. Assim que olho para a frente, minhas mãos estão no peitoral de algum garoto. E que peitoral, atrevo-me a dizer. 

- Me desculpe- digo ainda sem levantar o olhar. Assim que como coragem, dou de cara com um Rapaz moreno. Seus olhos cor de avelã eram tão convidativos quanto teus lábios. Ele não expressava reação alguma. Mas ele dá um pequeno sorriso de canto, antes de me empurrar levemente para o lado e continuar sua trajetória. 

E eu estava igual uma boba, parada ali, ainda encantada com o rapaz que nem uma palavra trocou comigo. Sibilei um "vai se foder" pela tão grosseria do tal sujeito. E paralisei assim que vi ele se virando novamente para mim e vindo em minha direção... 




Continua? 


Notas Finais


Gente, me perdoem pelo capítulo chatinho... mas ainda é um prólogo e vcs sabem como é né...

Me desculpem por qualquer erro ortográfico e novamente por não ser tudo aquilo... mas prometo que ainda vai melhorar.

Favoritem e comentem oq acharam, isso me ajudará bastante na continuação


Bjs 😚💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...