História Side Effect - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Haikyuu!!
Personagens Asahi Azumane, Bokuto Koutarou, Daichi Sawamura, Hajime Iwaizumi, Kei Tsukishima, Keishin Ukai, Kenma Kozume, Koushi Sugawara, Ryuunosuke Tanaka, Shouyou Hinata, Tadashi Yamaguchi, Tetsurou Kuroo, Tobio Kageyama, Tooru Oikawa, Yuu Nishinoya
Tags Daichi, Haikyuu, Hinata Shouyou, Kagehina, Kageyama, Kenma, Kuroken, Kuroo, Oikawa
Visualizações 119
Palavras 2.006
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Mano, demorei dms, como sempre.

Mas é a falta de tempo mesmo, até daria um aviso dnv, mas o capítulo
Já estava em andamento então deixei para lá.

Eu gostei de escrever esse cap, ouvi as musicas do 50 tons de cinza e por isso o nome do capítulo.

Bjao até a próxima

Capítulo 14 - Sádico


Fanfic / Fanfiction Side Effect - Capítulo 14 - Sádico

Enrolava os fios ruivos entre meus dedos, a sensação de calmaria que estava no quarto era confortante, a única luz que iluminava era a que provinha da lua. Sorri ao encontrar-me com seus olhos.

— Então, já decidiu? — depositei um beijo em sua testa.

— Hn... — grunhiu, ri com aquele gesto, me lembrava um gato. — O que quero pedir... é algo embaraçoso... acho que é embaraçoso.

— Diga — disse. — Nada do que você pedir será embaraçoso para mim.

Esperava ansiosamente pelo seu pedido, estava curioso.

— E-eu quero ter a nossa... — Engoliu em seco. — …N-nossa primeira vez hoje…

...

Encarava o chão como se fosse a coisa mais interessante que já vi na vida, Hinata estava sentado ao meu lado esperando pacientemente. Tipo, não imaginava que seu pedido seria esse, ter ele em meu braços por completo; não pensei que se realizaria tão rapidamente. 

— V-você tem certeza? — o encarei.

— Sim! — o ruivo respondeu. — Quero fazer isso com você, quero ter a certeza de que você me pertence.

Fiquei surpreso ao escutar suas palavras, Kana havia dito que o ruivo estava sensível antes de irmos dormir e que era para mim fazer algo em relação a isso, fiquei envergonhado ao princípio, porém, fiquei preocupado.

Sorri ao olhá-lo novamente, seu cabelo estava desarrumado e suas bochechas ruborizadas, sentado sobre suas pernas o short que ele usava marcava as coxas, a alça de sua blusa estava caída deixando sua clavícula a mostra.

Aquilo só poderia ser tentação do destino, ele estava sexy demais, meu deus! 

— Argh...! — Mordi meu lábio inferior.

— Kageyama-kun? 

Lentamente envolveu seus braços em meu pescoço depositando beijos em minha orelha , estremeci ao sentir seu hálito de menta contra meu rosto,  virou-me para ele e tomou meus lábios vorazmente, levei minhas mãos  a sua cintura e o puxei para o meu colo. 

Puxando meu cabelo o ruivo rebolava sobre mim, apertei sua cintura aprofundando mais o beijo, mordiscava seus lábios tirando gemidos fracos de seus lábios, estava ficando quente, meu coração estava acelerado que cheguei ao ponto de achar que ele sairia pela boca.

— Mais... — Sussurrou em meu ouvido. — Quero mais, T-o-b-i-o-kun.

Em um só ato o joguei na cama e fiquei sobre ele, um sorriso brincalhão formou-se em seus lábios.

— Você está brincando com o fogo, Hinata. — Disse sério. 

— Eu sei — Respondeu colocando uma mecha de seu cabelo atrás da orelha. — Me deu uma enorme vontade de me queimar hoje. 

Ri de sua resposta, como esse garoto poderia ser tão ousado? 

— Cuidado — O adverti. — Você não sairá com uma simples queimadura que cura da noite para o dia. 

— Isso me deixa mais excitado só de escutar. 

Dedilhava meus dedos em sua barriga arrancando alguns risos do ruivo, tirei sua blusa vagarosamente deixando seu tronco descoberto, beijando seu pescoço ia descendo, Hinata grunhia baixinho. Observava as expressões de seu rosto, sorri ao pensar que sou o único que pode vê-lo desse jeito. 

Desci mais um pouco elevando suas pernas.

—T-tobio?!

O encarei e dei um sorriso de lado. Passei meus lábios por sua coxa fazendo-o arrepiar, depositei um beijo ainda encarando o ruivo a minha frente, pequenos chupões foram feitos nas extremidades de suas coxas, a pele, antes branca como neve, agora estava vermelha.

— Isso... é tortura — Disse entre gemidos — Você só pode está me punindo por hoje, não é?

O escutava maldizer-se enquanto passava meu dedo por sua glande, vê-lo se contorcendo era engraçado, queria brincar com ele um pouco mais.

— Você está bem sensível aqui — Murmuro esfregando mais um pouco seu pênis.

Elevou sua costa e contorceu-se, seu olhar estava perdido no prazer que lhe era proporcionado.

— T-tobio-kun… — gemeu — Estou... quase... pare...

Continuei com os movimentos até ele vir, limpei o líquido espesso de seu rosto e depositei alguns beijo em seus lábios. Sua respiração estava descompassada, seu peito subia e descia rapidamente.

— Você está bem? — Pergunto afastando os fios molhados pelo seu suor de seu rosto. 

— Você é um sádico — Murmurou — Você irá pagar por isso, idiota...

— Estou ansioso por isso, neko-chan. 

...

Quando ele disse que eu iria pagar, não pensei que seria agora, é sério, pensei que era outro dia. Mas agora ele está agachado e com meu pênis em sua boca, Ah cara...!

— H-hinata…! — Grunhi, segurei em seus cabelos, tentava segurar minha voz, mas era difícil. 

Sua língua quente… seu rosto… é tudo tão erótico, os movimentos eram lentos e provocativos, era quase impossível não deixar a voz sair.

— Estou quase pronto — Murmurou depois de tirar o meu pênis de sua boca. 

— Uhnn...? — Gemi, sua mãos direita ainda brincava com minha glande. — Qua.. nnh... pronto?

Levantou-se e ficou de joelhos, passou suas pernas por entre minha cintura e seu braços envolveram meu pescoço.

— Enquanto eu te masturbava — disse enquanto se ajeitava sobre mim — Estava me preparando, se é que você me entende. 

Estava confuso, se preparando? Preparando para oque? 

— Pelo visto não entendeu. — Riu baixinho.

Com sua mão ele posicionou meu pênis.

— H-hinata?! — Exclamei alarmado.

— Shhh... urgh …! — Seu rosto se contorceu de dor enquanto descia mais e mais.

— Shouyou! — Segurei sua cintura, estava apertado demais. — Você está bem? 

— S-sim, tudo bem — Apoiou sua cabeça em meu ombro, respirava lentamente. — Olha... já está tudo dentro. 

Levantou seu rosto com um sorriso mínimo.

— Me tornei um com Tobio-kun... — Seu olhos lacrimejavam um pouco. — Estou feliz.

Sorriu docemente, envolvi ele em meus braços e o abracei fortemente.

— Eu te amo, Shouyou... — Sussurrei. — Lembre-se disso, ok? 

...

H

Os primeiros raios da manhã adentravam pela janela despertando-me, passei as mãos no rosto e olhei para a pessoa que dormia serenamente ao meu lado, meus dedos brincava com seus fios negros, sentia meu corpo todo doer e ruborizei ao lembrar da noite passada, Kageyama disse no começo que iria fazer lentamente, mas no mesmo instante foi com tudo. 

Não consegui controlar meus gemidos e agora estou cogitando a ideia de  sair pela janela só para não me encontrar com a irmã do moreno.  Tentei me levantar para por em prática, porém, meus quadris impediram-me de levantar. 

— Que dor... — Passei a mão em minha bunda. — Kagebaka...

Deitei na cama novamente e encarei o teto, ontem à noite foi uma das melhores noites da minha vida, nunca cogitei a ideia de que Tobio seria um sádico, um sádico extremamente sexy por assim dizer. Cobri meu rosto com as mãos pela vergonha, só de lembrar que também fui tão lascivo, sinto que quero virar um avestruz. 

—…E enfiar a cabeça na terra… — Murmuro

Subitamente o moreno me puxa para mais perto dele, reclamo baixinho por causa da dor, ele coloca seu rosto em meu pescoço e o beija, arrepiei ao sentir seus lábios em minha pele novamente.

— Bom dia — Sua voz estava rouca e manhosa, estremeci até os ossos ao escuta-lo bem o pé do meu ouvido. — Dormiu bem?

— Não sei, eu estava dormindo — Inflei minhas bochecha e virei para encara-lo. 

Cabelos desgrenhados e o rosto marcado, era como Kageyama estava,  tão lindo... suspirei baixinho e continuei encarando queria guardar todos os traços de seu rosto em minha memória, queria guardar aquele rosto sonolento para todo sempre, sorri minimamente depositei um beijo em seus lábios.

— Bom dia, meu amor.

...

— Vamos Hinata — o moreno pedia para que me aproximasse da banheira. — Não vou te morder.

Você já fez isso ontem, idiota! 

— Não quero! — Bati o pé no chão. 

Ainda estava morrendo de vergonha por ontem à noite e estava irritado por ele está calmo, ele não deveria ficar calmo! Por que ele não surta também? 

— Não tem jeito.

Em meros 3 segundos fui retirado do chão e jogado na banheira sem nenhum aviso prévio, diga-se de passagem: morri e voltei a vida. Respirei e engoli água com sabão, tossia como uma pessoa com tuberculose, nada contra tubérculos, já até tive uma tia que teve, foi uma perda triste para família. 

— VOCÊ ESTÁ MALUCO?! — Exclamei, passava as mãos pelos meus olhos para tirar a sensação de cegueira repentina. — Eu...quase...morri.

Disse essas palavras pausadamente.

O moreno estava me observando sem expr sssr nenhum tipo de sentimento em seu belo rosto. Que vontade de esfregar essa carinha no asfalto...!

— Terminou com seu drama? — Perguntou enquanto adentrava a banheira e sentava-se a minha frente.

Ok, aquilo estava ficando bem estranho, quem era aquela pessoa na minha frente e cadê o meu real namorado? 

— Você tem um olhar muito fofo em seu rosto — Sorriu de escárnio. — Vem cá, precisamos limpar você, senão, irá ficar com dor de barriga.

Seus longos dedos agarraram meu braço e me  puxaram para mais perto dele, passou suas mãos pelo meu rosto e meu cabelo, massageou vagarosamente minhas orelhas e as beijou delicadamente. 

—Nngh... — Grunhi. 

— Eu - te - amo — Sussurrou em meu ouvido, virei surpreso, não pude respondê-lo ou questionar  pois meus lábios foram fisgados pelos os seus.

...

K

Queria agir normalmente, mas estou tão envergonhado que deixei meu outro lado assumir o papel. Não acredito que dizendo aquilo ontem, minhas gostam ardem pelos arranhões que Hinata fez noite passada, ainda consigo ouvi-lo gemer o meu nome, ele estava tão lindo. 

— Ainda estou com raiva de você — sair dos meus devaneios e o olhei. — Me jogar assim na banheira, e sem aviso prévio! Vou te matar!!

O abracei mais forte e coloquei minha cabeça em seu ombro, era tão bom está ali com ele, beijei sua clavícula , seu pescoço e tomei os seus lábios. O beijo estava com gosto de sabão, diga-se de passagem.

— Desculpa — Colei nossas testas — Me perdoa? 

— Hmm… tá bom, mas só dessa vez. — Disse. — Da próxima corto teu pinto.

• Não irritar mais o Hinata.

Anotado.

...

Na cozinha Kana preparava o café da manhã em seu pijama... como posso dizer? Vulgar? Parecia mais uma roupa que as coelhinhas da playboy usariam, ao som de Lana del Rey - Hit and Run. Para começar o dia de um jeito mais normal possível.

— Ela tem um rebolado muito bom — Hinata comentou sentando-se em meu colo. — Talvez devêssemos dançar juntos qualquer dia.

— Ah, sim... — Concordei. — Adoraria ver você rebolar sua bunda para mim. 

Ele desviou seu olhar, envergonhado, me deu um tapinha em minha coxa. Acariciei sua mão fazendo-o de arrepiar.

— Ora, ora, ora... 

Suspirei.

— O que foi Kana? — Me Vítor para vê-la em pé, atrás do sofá, com uma colher maior que a cabeça em mãos. Sinto que já vi essa cena. 

Kana apontou a colhe para mim.

— Ontem eu quase não dormi por causa de vocês dois! — Exclamou — " Aah.. Tobio... ughn... Shoyuou... aaaah mais fundo, isso aí…!"

Arregalei os olhos surpreso, senti meu rosto queimar de tanta vergonha que senti naquele momento, o ruivo quase se enterrava em meu peito e murmurava alguma coisa sobre Buda perdoar eles pelo seus pecados. 

Tentei balbuciar algumas palavras, porém, não sabia o que dizer. O que eu poderia dizer afinal? 

— Mas tudo bem — A morena disse por fim — Ter um BL ao vivo, embaixo do meu teto, foi a melhor coisa que aconteceu na minha vida. 

...

O sol estava em seu pico e quando digo isso quero dizer, o sol estava tão ardente que se jogasse um ovo em mim… ele fritaria.

Abanava com a mão para que pelo menos um pouco de vento pudesse amenizar essa tortura, não deu muito certo, só me cansei mais. Hinata estava tomando banho, ele disse que teria que voltar pois sua mãe queria que ele ficasse com sua irmãzinha.

Não queria que ele fosse, mas com mãe não se discute. Lembro do dia em que não fiz algo que minha havia me pedido, foi assustador o jeito que ela saiu atrás de mim com um pedaço de bambu, não me pergunte onde ela conseguiu. 

Passos reçoavam no assoalho desgastado, virei para ver o ruivo com a mochila em um dos ombros e os cabelos ainda molhados. Sorri para ele, incrível como esse ser humano poderia ser lindo de todos os jeitos.

— Estou indo, Tobio — se aproximou e agachou-se ao meu lado. — Mais tarde a gente se vê, ok?

Fiz uma careta, queria agarra-lo e não deixar ele ir.

— Tudo bem — murmurei — Mas… e o meu beijo de despedida? 

 

 


Notas Finais


Vou voltar com as minhas indicações de músicas.
Hj vou indicar essa aqui da Lana Del Rey

Link: https://youtu.be/Rneml40uMy4

Essa música vai ser a inspiração da minha próxima Oneshot e vai ser Otayuri, nela tem a tradução e vocês podem imaginar oq pode ter nessa one rsrs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...