História Side to Side - Imagine Jun (SEVENTEEN) - Capítulo 3


Escrita por: ~ e ~SraM

Postado
Categorias Seventeen
Personagens Boo Seungkwan, Hansol "Vernon" Chwe, Hong Jisoo "Joshua", Jeon Wonwoo, Junghan "Jeonghan", Kim Mingyu, Lee Chan "Dino", Lee Jihun "Woozi", Lee Seokmin "DK", Personagens Originais, Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Wen Junhui "JUN", Xu Ming Hao "THE8"
Tags Romance Seventeen Junhui Colegial
Exibições 136
Palavras 2.757
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Colegial, Crossover, Ecchi, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shounen, Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Mais um capítulo sendo postado com carrinho. Pessoas que posta os capítulos sou eu (SraM). Mas quem escreve é nós duas só pra esclarecer.
LEIAM AS NOTAS FINAIS <3
SARANGHAE...

Capítulo 3 - Capítulo 03


Fanfic / Fanfiction Side to Side - Imagine Jun (SEVENTEEN) - Capítulo 3 - Capítulo 03

Continuação...

Levanto-me no pensamento de ir pra casa, estou um pouco cansado, ______ também ronda meus pensamentos. Avisto DK vindo em minha direção, para em minha frente e fala.

- Caraca Jun, faz um tempinho que não te vejo - Batemos as mãos - já estava saindo?

- Dokyeom, quanto tempo. Sim, estou um pouco cansado, pretendo ir pra casa. - Coço a cabeça com aquela cara de “tô tão a fim de ir pra casa, sabe...”.

- Beleza, também já estava indo, só vim falar com você rapidinho, fazia tempo que não lhe via. Quer carona? - ainda bem que surgiu DOKYEOM, não sabia com quem iria voltar pra casa, preciso de um automóvel.

- Opa, claro!

                  ***

INDO PRA CASA: 23h10min

Dokyeom está tão concentrado no trânsito. Puxei assunto.

- Eai, como vai a vida amorosa? - Putz, porque perguntei isso? Ele me olha com uma cara de "pra que quer saber?", mas responde.

- Aaah, o amor não está pra mim agora e você? Flertando por aí? - Soltamos risos e começo a pensar em ______.

- Sabe, conheci uma garota, ela se chama ______, acho que sinto algo por ela. - DK me olhou com um olhar estranho, fazia um booooooom tempo que eu não gostava de uma garota, me fechei um pouco depois de uns acontecimentos que houve.

- Nossa, que bom cara. Já estava pensando que iria virar gay. - Rimos e rimos.

CASA: 23h40min

Dokyeom me deixou em frente de casa, dei tchauzinho pra ele, procuro as chaves, a rua está bem escura as casas estão com as luzes do lado de fora apagadas, só minha casa está iluminada. Sinto uma presença, olho para os lados, rua deserta, os vizinhos provavelmente já estão dormindo.

Caraca só eu estou no meio da rua? Penso alto.

Logo ouço uma voz que vem direto da calçada. Olho para trás, minha mão treme e as minhas chaves caem no chão, fico um pouco boquiaberto.

- Não é sua imaginação... Estou aqui de verdade. - soltou um sorrisinho, aquela menina, oque faz aqui, puta que pariu logo agora que eu estava a esquecendo.

- YanYan? - pergunto confuso, ela se aproxima cada vez mais pra perto de mim.

- Como eu estava com saudades, meu amor. - Ela fala, olhando mais de perto, continua muito bonita, acho que da mágoa, ainda resta um pouco de amor, mas eu estou apaixonado pela _______, oque está acontecendo?!

- Não, não, não - Me recuso a acreditar que está ali e perto de mim.

- Sim, você continua lindo. - toca em meu rosto, se aproxima mias, de repente seus lábios pequenos tocam nos meus, fico de olhos espantados, mas acabo respondendo. Depois desse beijo um pouco sem graça, olho em seu rosto, que ela está muito sorridente, pergunto-a.

- Você me magoou tanto. - Abaixo a cabeça. Sinto um pouco de raiva. - Porque YanYan, porque?

- Olha...

- Olha nada YanYan, eu te amava. VÁ EMBORA, SAIA DAQUI. - Chega a cair uma lágrima em meu rosto. Ela me olha espantada e segura em meus braços tentando se explicar.

- Jun... Não... Olha, eu te amo.

- SAI, vai embora, por favor - Abaixo a voz.

- Ok, mas eu volto.

Em meio estantes ela some, como ela me achou, como sabe que moro aqui? Outra lágrima cai em meu rosto. Entro em casa, tranco  a porta e vou direto ao banheiro, em seguida escovo meus dentes. Visto apenas uma bermuda e me deito, quero esquecer oque houve há minutos atrás, mas não oque houve na escola, ______ oque sinto por você? E YanYan oque sinto por você?

  _______ P.O. V

MADRUGADA: 04h30min

Ué? Porque me acordei no meio da madrugada? Pra eu me acordar assim, só o fim do mundo mesmo, corro para a janela vê se realmente está mesmo se acabando, ufa, não está. Deito-me de novo e tento pegar no sono, consigo.

DE MANHÃ 06h15min

03/02/17

Novo dia e segundo dia de aula tomara que hoje eu faça amizade com alguém. Meu despertador chamado MÃE, não me acordou hoje, ainda bem que acordei sozinha e lá se vamos nós.

                    ***

O café da manhã está na mesa, mas cadê mamãe?  Avisto um bilhete na mesa.

“Querida tive que sair cedo, essa hora já tem uma fila enorme me esperando no banco, está tudo certo aí? As chaves estão na sala, não se esqueça de trancar a casa. Irei buscar você na escola.

Obs.: O ônibus vai passar aí para lhe pegar, se apresse.

Mãe"

Eita tenho que tomar o café rápido. Ouço a buzina, deve ser o bus, saiu correndo, tranco tudo e entro no ônibus.

ESCOLA 07h00min

Cheguei cedo, só alguns alunos chegaram, vou a minha sala, sento-me em minha carteira, e uma menina senta em minha frente, seu cabelo é curto, certeza que não é Asiática.

- Oi, me chamo Mary!

- Oi, sou ______ - respondo um pouco tímida.

- Conhece o JunHui, certo?

- Sim, q-quer dizer, não muito.

             - Ah sim, eu namoro o Woozi, amigo do Jun.

- Não conheço.

- Que bom - Soltou risos e logo em seguida saiu da sala. Eu fiquei tipo "QUE?", mas tudo bem.

Logo em estantes o sinal bate e os alunos chegam e entra uma menina, senta bem ao meu lado, estranho um pouco porque ontem não a vi na sala.

           ***

Já era hora do intervalo, todos os alunos saíram da sala e fico apenas eu. De repente Mary chega e fala comigo.

- ______ vai ficar aí é?

- Não estou afim de sair. - Mal falo e ela já me puxa da cadeira e me leva ao pátio.

Chegando lá, me sento no banco e ela fala.

- Vou chamar os meninos pra você se enturmar, não sai daí.

- Ok - falei um pouco tímida.

Logo que Mary saiu, olhei para o lado e vi Jun e aquela menina da minha sala, eles se conhecem? Jun está com um semblante triste e ao mesmo tempo com raiva, mas continua lindo, ela parece querer explicar algo. Paro um momento de olhar, mas logo em seguida olho de novo, e vejo-os se beijando, parece um beijo forçado, MAS ELES ESTÃO SE BEIJANDO PORRA! Sinto algo em mim que me faz correr a minha sala, sento-me em minha cadeira e abaixo minha cabeça.

EU DISSE QUE NÃO QUERIA IR AO PÁTIO.

"Oque há comigo?"

SAÍDA DA ESCOLA 13h00min

Melhor parte de vim à escola é a saída. Soltei até um sorriso, e lá vem Mary e um cara baixinho, mas não menor que ela, estão de mãos dadas, que fofinho.

- ______, eu disse pra você ficar no banco.

- Eu... T-tava com dor de cabeça, isso, dor de cabeça - Menti.

-Hum, sei. Bem, esse é meu namorado Woozi.

- Ah, oi. - Dei oizinho.

- Oi - Woozi responde.

- É né, tá bom - VALAMIDEUS,  ela é bem ciumenta. Soltei risos.

- Tchau ______, até amanhã.

- Tchau Mary.

Ainda rindo da situação, olho para o lado e vejo JunHui vindo em minha direção, viro o rosto e decido sair dali e ir para outro canto mas Jun me chama.

- Espera. - Puxou meu braço fazendo-me ficar de frente a ele.

- Me solta, por favor.

- Eu vi o que você fez. - fiquei espantada.

- Ahn... Tá doido, fiz nada.

- Sim, você fez.

- Eu. Não. Fiz. Nada

- Você saiu correndo, quando viu a YanYan me beijando. - Então o nome dela é YanYan.

- Tem nada haver com você, e-eu tinha esquecido algo na sala.

- Então porque não voltou de lá? - Ele venceu. Fechei a cara.

Confesso estou gostando desse garoto, sim estou.

- ______ você está gostando de mim?

- Não te interessa. Q-quer dizer, o que importa se estiver ou não, você não liga.

- Quem disse. - De repente, nossos lábios se encontram, sinto borboletas voarem no meu estômago, parecem estar loucas. Não estava respondendo, mas acabo cedendo. Tão caloroso, que eu quero beijar ele até amanhã. Então, nossos lábios se separam e eu fico com um sorriso na cara como se nunca tivesse beijado antes, mas espera, EU SOU BV CARA, com 17 anos, que vergonha. Ele também está rindo.

- Então, ainda tem dúvidas?! - Estou preparada para dizer não, mas viro o rosto e vejo aquela menina, YanYan, parada um pouco longo da gente, olhando. Eu não acredito que ele me usou, pra causar ciúmes, eu não acredito, eu não acredito. Ele acaba olhando para YanYan também, e ele sabe o que devo está pensando.

- Não, não é oque você está pensando, ______ por favor.

- Não Jun, não. - Saí correndo antes que ele diga mais alguma coisa e lágrimas desciam sobre o meu rosto.

                ***

Não muito longe da escola vejo mamãe vindo no carro, ela estava indo me buscar na escola e já estava bem atrasada. Ela para e eu entro no carro e logo pergunta.

- O que houve filha? Por que não estava na escola me esperando?

- A senhora se atrasou de novo e decidi ir caminhado. - Inventei algo, e graças aos céus as lágrimas secaram.

EM CASA: 02h30min

Entro em casa e vou em direção à escada, mamãe já me chama.

- Querida, o almoço está na mesa.

- Não estou com fome. - subo as escadas correndo entro em meu quarto e tranco a porta.

Entro no banheiro e tiro meu uniforme,  tomo um banho beeeeem reforçado pra tirar todo esse peso e tristeza. Escovo os dentes, e depois visto apenas um short jeans rasgadinho cintura baixa e um moletom rosa curtinho mostrando a barriga e calço meu tênis branco. Olho-me no espelho, solto as madeixas que estão quase na cintura, meu cabelo é liso, mas ondulados nas pontas, passo até um pouco de maquiagem pra esconder minhas Sardas. Eu realmente não quero chorar, sofrer mais, por que sei que não vale a pena, eu acho né. Passo meu perfume doce, para onde vou?
Desço as escadas, quero sair um pouco. Tenho q sair logo, antes que mamãe me veja, mas é quase impossível.

- Para onde vai mocinha?

- Ah, quero me distrair um pouco.

- Volte cedo.

- Tá

               ***

Ando pelas ruas, sem direção. Está bem pouco movimentada, apenas uns carros passando, acho que já estou um pouco longe de casa, quando um carro preto bem bonito, parece de rico, para ao meu lado, mas continuo andando, vai que sei la né e vejo Jun descendo do carro mas quem está dirigindo é outro cara, faço passos rápidos, mas Jun me alcança.

- Como sempre, apressada.

- Não quero falar com você. - Na verdade queria da um murro na cara dele e uns beijos também, beijar é bom.

- Não mesmo? Então porque me respondeu? - Viro o rosto, quero nem saber. Seu perfume é bem forte e cheiroso, ele está com uma bermuda jeans azul e uma camisa verde e chinelo, bem comum.

- Olha o que você fez, foi errado cara, muito errado. - Falo

- Errado mesmo está você que pensou algo que não fiz. - Que chinês descarado, mas não respondo. - Queria me desculpar com você. Ainda bem que encontrei você na rua.

- Ata você pensa que é fácil  assim.

- Não, até por que você é bem difícil. - Acabo cedendo e entro no carro, nossa que vagabunda.

CARRO: 15h50min

- Esse é MingHao, mas pode chamar de The8. - Jun me apresenta o cara que está dirigindo.

- Iae gatinha - QUE?

- Eu tenho nome e é _______.

Soltamos risos. The8 nos deixa na praça.

PRAÇA: 16h20min

Mesmo dia, a praça é linda e tem praticamente ninguém aqui, só eu e Jun. Sentamos no banco e ele logo fala.

- Então, preciso lhe explicar algo.

- Sim - Ele pega em minha mão e lá se vem borboletas voarem no meu estômago, por que diachos elas não vão voar em outro lugar.

- YanYan foi minha namorada na China, ela me traiu e isso me machucou muito, aí decidi me mudar para Coréia. Então conheci você, e o sentimento que eu sentia por ela, senti por você e até mais forte. Eu pensei que ela nunca ia me procurar, mas não foi o caso, ela até se infiltrou na mesma escola que nós. E quando ela voltou, eu não sabia mais o que sentia por você ou por ela, ficou muito confuso. Hoje, ela novamente tentou se explicar e eu sempre acabo cedendo, eu tendo, mas não consigo. Eu fui falar com você, pra esquecer um pouco a YanYan, confesso, mas o beijo, juro que não foi, eu tinha que fazer aquilo, algo me dizia, juro que não tinha visto YanYan. Não foi pra fazer ciúmes, me desculpa?  - Ele acaba abaixando a cabeça em meu ombro, ouço choro e fico boquiaberta, sem saber oque fazer.

- Jun, olha pra mim - Ele levanta a cabeça e olha em meus olhos e ainda vejo uma lágrima cair.

- Eu, eu não sei o que dizer.

- Então me beija. - Nossos lábios se encontram de novo e dessa vez mais valente, sua mão pega em minha cintura e ele a aperta e olha o moletom ainda é curto. Ele acaba subindo a mão pelas minhas costas, chegando na fechadura de meu sutiã. Eu o afasto, separando nossos lábios.

- Calmo aí, tá muito rápido, tá bom né - Estou até sem ar.

- Você é muito linda.

- É, obrigada, p-preciso ir pra casa, preciso de água, preciso... Eita. - SEM AR, ORRA POXA. 

- Mas já? Agora que tava ficando bom - Que safado.

- Que? Estamos em lugar público, sai... Não.

- Mas não tem ninguém aqui - Nos beijamos de novo mas tenho que parar.

- Tchau, nossa, preciso de água... CASA isso, casa, preciso ir pra casa, tchau Jun tchau. - Sai me segurando nas árvores, que isso, nossa.

CASA: 17h30min

Entro em casa, saiu correndo em direção a escadas e mamãe me chama.

- Valha filha, oque foi?

- Nada mãe, tá calor hoje né? - E subo as escadas.

           ***

Já banhada, visto minha calcinha e meu baby-doll rosinha, esse não costumo usar. Deitada, tento cochilar, mas não consigo, JunHui não sai de minha cabeça, está como um chiclete. Caraca, o que aconteceu na praça foi quente, nossa, ainda estou sem fôlego. Ouço meu celular vibrar, deve ser mensagem da operadora. Número desconhecido?

DESCONHECIDO

Temos que ir à praça mais vezes.

JunHui

VOCE

Como conseguiu meu número? 

Pensei que era romântico.

Jun

Não é só você que é esperta. Eu sou, mas você me deixa sem fôlego.

Decidi não o responde, pra não acostumar. Viro o rosto, com um sorrisinho de lado. Ah, JunHui, não somos namorados e YanYan ainda pode dá seu bote. Preciso prestar muita atenção nessa tal de YanYan.

A NOITE: 08h40min

Consegui dormir, mas acordo com mamãe batendo a porta.

- Querida, se arrume, vamos sair!

- TÁ - gritei para que ela ouvisse.

               ***

Já arrumada, vesti apenas meu short jeans, uma camisa preta, meu all-star cano alto azul, sem maquiagem e com os cabelos soltos. Mamãe estava me esperando, acho que vamos ao restaurante, por que ela está com um vestido vermelho, até o joelho, mas colado e salto. Mamãe me olha e se espanta.

- Que roupa é essa? É um jantar com o pessoal da empresa, não um churrasco na esquina.

- Mas esse pessoal da Empresa Pledis, viu.

- Rum.

- Mãe, não estou a fim de vestir roupa chic ou é essa roupa ou vou nua. - Mamãe me olhou com um olhar surpreso. Mas rimos.

- Então vamos, mas se perguntarem se é minha filha, vou falar que não. - Caraca, desconsidera mais.

Restaurante: 09h00min

Chegamos ao bendito lugar, todos estão sentados em volta da mesa. Olho para o restaurante, é bem chic estou até arrependida de ter vindo com essa roupa. Está um pouco cheio, olho pra todos, as famílias, os casais e uma menina que está ao lado de nossa mesa, deve está esperando alguém, ela vira o rosto e me deparo com YanYan.

Caraca, o que essa demônia está fazendo aqui? Chamo a mamãe.

- Mãe, vou ao banheiro. - Mãe nem ligou pro que eu falei e corri para o banheiro.

Chegando lá, me olho no espelho, arrumo o cabelo pra disfarçar um pouco o susto.

            Continua...


Notas Finais


Não deixam de vê as fanfics dela, ela sempre deixa eu vê os rascunhos e são muito bons.
Falem o que acharam desse capítulo... Obrigado <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...