História Siga a Última Regra - Capítulo 30


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Abraxas Malfoy, Alastor Moody, Alvo Dumbledore, Andromeda Tonks, Arthur Weasley, Bellatrix Lestrange, Dobby, Dolores Umbridge, Draco Malfoy, Fenrir Greyback, Horácio Slughorn, Lílian Evans, Lord Voldemort, Lucius Malfoy, Minerva Mcgonagall, Molly Weasley, Narcissa Black Malfoy, Nymphadora Tonks, Órion Black, Pedro Pettigrew, Rabastan Lestrange, Regulus Black, Remo Lupin, Rita Skeeter, Rodolfo Lestrange, Severo Snape, Sibila Trelawney, Sirius Black, Tiago Potter, Walburga Black
Tags Drama, Harry Potter, Magia, Revelaçoes, Romance
Visualizações 43
Palavras 885
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Ficção, Magia, Romance e Novela, Saga, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Como estou internada, tenho mais tempo pra escrever. Porém, menos criatividade!

Estou tentando, vamos lá. Boa leitura!

Capítulo 30 - Visitas Inesperadas Através do Tempo



 Ela ouviu a campainha tocar e indagou-se sobre quem seria.
Thiago havia saído para trabalhar muito cedo junto de Sirius. Marlene estava muito ocupada com seus afazeres, tanto que ligara do telefone trouxa para avisar que não poderia vê-la naquela doce manhã. Seus pais moravam na Londres trouxa, ou seja, não restava mais ninguém que poderia querer visitá-la.
  A jovem ruiva enxugou as mãos desajeitadamente no pano sobre a pia, enquanto ouvia a campainha pela segunda vez. Se apressou em chegar até a porta, segurando a roliça maçaneta em uma de suas mãos e depositando a outra sobre a barriga, respirando fundo. 
 Quando finalmente abriu a porta, avistou uma figura encapuzada, que arrepiou toda a extensão de sua espinha dorsal. A figura demorou a virar, mas ao respirar fundo, Lilian pôde sentir o perfume derivado das estonteantes pétalas de narcissus recém colhidos com um pequeno aroma de tuberosas no fundo. Um incrível perfume francês. Lilian Evans só conhecia uma pessoa que usava aquele perfume tão caro...


 — Narcissa?

  Hogwarts, 1970


 Lily ouviu fortes batidas na porta e correu para abri-la antes que as pancadas a deixassem surda. Quando finalmente escancarou a porta, sua boca se abriu tanto quanto. O caro perfume francês invadiu suas narinas assim que conseguiu respirar fundo. 


 — Narcissa? 


 Era ela, não podia ser uma miragem. Narcissa Black estava diante de sua porta com o rosto coberto de lágrimas. Os olhos azuis cintilavam como duas safiras vivas. Ela usava um lindo vestido preto, com mangas de renda, comprido nas costas e curto na frente. O cabelo estava preso em um coque frouxo, deixando algumas mexas soltas. Como era possível ela continuar bonita mesmo chorando? À caso as irmãs Black tinham algum tipo de encantamento que as deixasse lindas eternamente, especialmente a caçula delas?


 — Como por Merlin você conseguiu entrar aqui? Quem lhe deu a senha? Espere, você... Você está chorando? Mas o que...


 — Cale a boca, Evans! — a garota respondeu, passando pela ruiva e entrando no quarto sem pedir licença. 


 — Olhe aqui... Se veio para me amaldiçoar, vou logo avisando que sou tão boa quanto você, e...


 — Você sabe que isso não é verdade. E por que não cala logo a droga da boca, Evans? 


 Narcissa se sentou sobre a cama da ruiva e escondeu o rosto entre as mãos, desatando a chorar. Lilian estava tão confusa quanto um elfo doméstico perdido em meio a um bazar de meias. Tentou colocar-se novamente no lugar, e decidiu colocar em questão o fato da loira estar ali, tentando de alguma forma não parecer rude.


 — Não quero ser insensível, mas por que está aqui? — questionou.


 — Por quê? — a loira ergueu o rosto, encarando Lilian com uma expressão confusa. — Por que estou aqui, Evans? Você não... Você não estava lá em baixo? Não viu o que... Ah, droga...


 — Eu subi mais cedo. Amanhã tenho prova de Transfiguração, ou seja, Minerva ficará uma fera se eu parecer ter sono durante a prova. E aliás, o baile estava extremamente desinteressante esse ano...


 — Ah, estava mesmo, Evans... — Narcissa falou desinteressada. 


  Lilian notou o desinteresse da outra e resolveu ser mais objetiva. Conversar com Narcissa sobre qualquer coisa nunca foi fácil. Ela falava por outros, claro. Ela mesma, nunca tentou falar com a Black, pois ouvia falar sobre as coisas horríveis que a irmã mais velha da outra costumava aprontar. Agradeceu a Merlin por ser o último ano de Bellatrix Black em Hogwarts.


— Bom, enfim... O que houve lá? 


 — Foi um show de horrores, Evans... Vão todos zombar de mim, agora... — as lágrimas se intensificaram, molhando seu vestido.


 — Zombar? Por que zombariam de você? 


 — Porque ela bateu no meu rosto na frente de todo mundo, como se eu fosse uma, uma... Uma vadia. — ela voltou a esconder o rosto entre suas mãos. 
 
  Lilian não fazia ideia do que ela estava falando, mas não parecia besteira. Narcissa Black não iria invadir o salão comunal da Grifinória e entrar em seu quarto sem ser convidada, por um motivo tosco. 


— Quem fez isso?


 — Bellatrix! 


 — Bellatrix? Por que essa vibora te bateu? E por que veio até aqui me contar isso? — Lilian não se lembrava da última vez em que estivera tão confusa com alguma coisa. Nada parecia fazer sentido.


 Narcissa sorriu ironicamente em meio às lágrimas excessivas. Voltou a encarar a ruiva.


 — Porque eu não tenho nenhuma amiga, Evans! Porque as pessoas não querem falar comigo por conta do meu sobrenome. E porque todos acham que sou uma vadia oferecida que vai lançar uma maldição imperdoável em qualquer um que me irritar. — desabafou.


 — E por que está falando tudo isso justo para mim, "A Evans sangue-ruim"? 


 — Ora, Evans... Porque você é a única que não se aproximou de mim por interesse, ou que me olha com nojo quando passa por mim. Entende?! 


 Lilian pensou sobre a situação, e acabou notando que ainda estava parada na porta feito uma tonta. A primeira coisa que fez, foi sair dali e se sentar ao lado da loira, que não recuou. Em seguida, pegou sua varinha sobre a cama, juntamente com um pedaço de pergaminho. Em um simples aceno, o pedaço de papel se transformou em um fino lenço branco. O estendeu para Narcissa, que agradeceu com um aceno de cabeça. 


— Agora, devagar... Me conte o que houve?! — pediu calmamente. 


 — Sirius me beijou! 

Godric's Hollows 1980 

 — Narcissa?


 — Olá, Lilian!
 


Notas Finais


E ai??? Ficou bom?

Tem gente que shippa muito as duas, mas eu prefiro não comentar minha opinião, hahaha. E vocês? Shippam também?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...