História Significando - Capítulo 3


Escrita por: ~

Visualizações 49
Palavras 492
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Crossover, Drabble, Drama (Tragédia), Droubble, Famí­lia, Ficção, Fluffy, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Universo Alternativo, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Boa leitura!

Capítulo 3 - 03. Ambedo


                        Significando

03. Ambedo

 

"Um tipo de transe melancólico no qual você se torna completamente absorto por pequenos detalhes sensoriais. - pingos de chuva escorrendo pela janela, árvores altas se dobrando lentamente com o vento, aspiras de creme se formando no café. - o que, por fim, leva a uma avassaladora constatação da fragilidade da vida."

 

��

 

 

Will pode sentir o corpo de Nico se aconchegar mais um pouco nele, o esparadrapo do curativo da bochecha roçando na pele de seu ombro. 

 

O garoto abaixou os olhos para a sua xícara de chocolate quente apoiada no braço do sofá. Era setembro e ainda faltava algumas semanas para o inverno, mas Will sentia frio mesmo assim. Por algum tempo ele encarou a xícara, o conteúdo se balançando um pouco por conta de sua respiração e do vento que saia do aquecedor formando pequenos desenhos incompreensíveis na nata. A respiração de Nico ainda batia no seu pescoço - leve e com cheiro de pasta se dente - era inexplicável o tanto de tempo que o loiro podia ficar ali admirando ele. A sua face angulosa e sua pele voltando aos poucos a cor natural, as bochechas coradas - seja por frio ou por vergonha - os cílios longos que tocavam as maçãs altas do rosto. Ele era tão bonito que Will teve que conter um suspiro exagerado para ele não acordar. 

 

Alguns minutos depois, o chocolate já frio em sua xícara cheira de desenhos estranhos, o filho de Apolo apertou mais o namorado contra si. O curativo no seu rosto um pouco manchado de sangue e Will quase chorou ao constatar o quão frágil ele parecia - embora não haja nada de frágil em Nico Di Angelo enfrentando monstros. - por mais bravo e poderoso que ele fosse, nada o impedia de ter morrido naquela luta, ou em outra, ou em alguma luta futura. Talvez, o fato fosse que, não era Nico que era frágil, nem Will por não gostar de pensar na possibilidade dele morrer. A vida era frágil, tanto quanto a xícara de vidro em sua mão.

 

Ele pensou que, caso Nico houvesse morrido, qual seria a última memória do namorado em relação a ele? Não pode deixar de perceber que o havia deixado sair pela porta, em direção ao acampamento, dizendo apenas algo como "faça o que você achar que deve".

 

Will acariciou seu ferimento por cima da gaze, os dedos se mancharam um pouquinho com o sangue, abaixou a cabeça e se inclinou sobre o namorado, deixando beijinhos em seu ombro e pescoço antes de finalmente colar seus lábios na testa dele - beijos na testa significavam proteção. - e acariciar seus cabelos negros, vendo-o abrir minimamente os olhos e abrir um sorriso sonolento.

 

– Eu amo você.

 

Ele disse, por que, quaisquer que fosse a causa da morte de Nico, a data, o dia da semana. Ele queria que as últimas palavras dele para o filho de Hades fossem essas.

 

 

XxXxXxXxX


Notas Finais


Bem, é isso.

Nos vemos nos comentários? Sinto falta de vcs :'(
 Xoxo


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...