História Signos do Vento - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Personagens Originais
Tags Angst, Fairy Tail, Sdv
Exibições 7
Palavras 1.188
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Mistério, Musical (Songfic), Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Self Inserction, Spoilers, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 18 - Arco III, Deixe Chover (00) - Autocontrole ajustável


 Dentre todos os sentires caóticos e, supreendentemente, afáveis ao presente tórrido e chamuscado não atrevia-se a desejar fugir, tinha o mundo em mente e barro quebrado entre dedos empoeirados esperando que ela voltasse atrás em sua decisão e se deixasse ser avistada pelos soldados que circulavam a região. Mas Avery era egoísta demais para isso. Ela era indiferente e intocável demais para qualquer coisa, uma tormenta incessante de sorte em más conquistas e azar na vida corrida. Sempre foi assim, desde miúda.

 Tinha seus próprios motivos particulares, claro, no entanto, morria-se cada vez mais ao dialogar com alguém nesse futurístico mundo de cadáveres quase vivos travados no automático. Vicioso, era um lugar que a exigia demais do autocontrole ajustável a cada fala, trocando as personalidades ao antever a incompatibilidade com certas pessoas nunca tão importantes assim.

 Se as escolhas fossem tomadas por ela como Dresmene o faria, indubitavelmente, já se encontraria longe, conversando com alguém como Salvatore coisas de casa. E, por falar em Dresmene, matá-lo nunca foi tão doloroso, não porque abafava-a a pena de fazer isso com tal indivíduo, ligasse para sua importância, ou quaisquer outras adiantáveis e sugeríveis respostas, odiava o que inspirava sua presença, em verdade, desde os fios azuis em sua cabeça até a unhas dos pés encravadas no dedão, ele renasceria por orações humanas, em todo caso, mas sim pelo fato de que, ao o fazer, tivesse recuperado em suas memórias terços das vidas dos outros membros da guilda que enfrentavam o frio massacre.

 E sim, nesses fios ela vira e compartilhara o trágico sofrimento de seus entes, a repetitiva vida de abusos e ironias de James, a perfeita criação de Sahnta e depois sua fuga de casa na sina de poder tecer o seu próprio destino, as noites mágicas na caravana de artistas do deserto em que Kytzia viveu complementadas com o desejo de conhecer seu pai e sua ida, o abandono de Edgar em uma escura floresta de Fiore, confusões, e esperança na própria inativa força até o despertar de sua magia, como Blace fora possuído por uma alma e matou seus pais no processo, até o atentado que sofrera o vilarejo em que Miski morava em sua infância e o ataque mágico enviado pelo membro de uma guilda negra que causara o problema assombroso em esforçar demais a sua garganta. A tragédia embebia-se com a adrenalina em suas veias e desfocava sua vista em mais uma paralisia.

 Ela poderia os ter contado e poupado, ou evitado, não é? Depois encontraria alguém para desencaixá-la daquela deficiente existência interior selada em algo mágico, obraria milagres, que inventasse algo! Ai não viria a ter conhecido James e tampouco o liberto do Caixão da Tortura.

“Um favor em moeda vira outro e a bagatela em juramento de transformará em ouro.” Havia de ser uma passagem engraçada no momento em que tinha dito, ainda que agora realmente algo a lembrasse o ouro: Toda a proteção e sabedoria que o rapaz obtivera até tortuoso presente de sua parte; um ouro amassado e diminuto, ainda que de real e igual valor.

 Se o mencionado mago agora deitado sob os escombros e de vestuário rememorador da causa de seu desmaio estivesse acordado contaria sobre como veios de sua alma estavam presos na urna que precisara no início e o quanto havia sido cômico que esses tivessem o seguido como forma de raposas até que esbarrassem diretamente com ela ou... Ah! Ela, em realidade, apenas corrigiria a história que lhe fora passada por Flower tempos atrás ou relataria o porquê de metade das coisas que saíram da boca de Salvatore em sua ausência eram mentiras. Mas nada podia, ele não estava tão existente ali naquele determinado momento.

 Avery suspirou e permitiu-se desativar ao captar ruídos vindos de fora da cratera ao chão onde jazia se aproximando do lugar.

 

・゚

 Praguejava o mundo, seus saltos afundavam nas terras lambidas pelas chamas, a fumaça presente no antigo incêndio sufocado na morta cidade apodrecia o bom odor que exalava dos seus cabelos e não estava vestida corretamente para uma caminhada, ainda que nada disso pudesse abalar a sua pose e felicidade por ter que filmar com o capitão da armada do Fatum, Sinnay, em segundos quase imediatos. A morena repórter desviou alguns cabelos que enrolavam-se em frente ao rosto e iniciou sua narrativa ao focar na lente da câmera:

— Bom dia, Honor. — Respondia para a apresentadora do programa de tevê no qual seu trabalho ao vivo era mostrado à Fiore. — Recentemente veio-nos a notícia de que uma guilda calada de passado bem marcado por incompetência estava presente no local do incêndio. A guilda conhecida como Fairy Tail, a mesma que há tempos nos negava mais uma garota escolhida pelo oráculo ao Deus da Chuva, Inari, ocupava a cidade destruída por seus membros anos atrás. Revoltantemente absurdo. Mas o importante a se saber é que a nova garota tão esperada está aqui, neste lugarzinho, como os cães rastreadores dos deuses dizem. A resistência de tal associação em liberar a entrada dos homens do Fatum foi principal ponto causador do desastre, disse-nos Sinnay em uma entrevista previa. — E a mulher passou o seu microfone para o acompanhante robusto de fios tingidos de rubro.

— Exato, Rose. Por uma extensa observação chegamos à conclusão de que a guilda veio supostamente para cá após fugir de ataques em Magnólia. Encontramos mesmo certa resistência, principalmente ao desmontar o feitiço de proteção, o que significava fritar as árvores pela raiz. O pessoal deles falhou ao pensar que aumentar o seu número salvaria a barreira. Isso meio que acabou matando-a mais rápido. Os raios apenas queimariam as árvores e o fogo acabaria ao chegar no solo, essas estavam longe demais umas das outras para provocar algo tão grand—

 E o relato do homem foi interrompido por recrutas que gritavam seu nome ao longe, esses dotados aos montes com magias que se divergiam de Achatamento, Gravidade, até Cartas; sinalizavam uma nova descoberta. Tal indicio curioso fez com que os que cobriam a reportagem se entreolhassem e corressem em direção ao local indicado.

 Depois uma presença titânica branca rodopiou como uma broca escapando de uma criada recente cratera e desapareceu aos céus, derrubando os que mantinham-se próximos no processo. Lá dentro quatro corpos foram descobertos.

 

— É ela? — Rose indagou ao supervisor assim que o último deles foi retirado do buraco ao chão, dormindo com inabalável graciosidade. A câmera focou em seu rosto de menina-moça pouco afetado pelas ações do soerguimento até ali e logo voltou-se para Sinnay.

— Sem sombra de dúvidas. E esse rapaz... Eu o conheço de algum lugar. Ah, sei quem é, sim. Ele deveria estar preso agora. Algemem-no. — Apontou ao outro corpo que adentrava em uma viatura com a ajuda de uma maca. — A guilda seria desfeita por suas ações perigosas após um bom tempo de conversa, mas, olha, seu mestre é um dos mortos em seu excesso de zelo. Com ele contamos três mortos, dois desaparecidos e três detidos, além da nossa moça que logo será preparada para o festival. Tenham um bom dia. — Virando-se para observar o estrago na faixa de terra a cobertura foi encerrada. 


Notas Finais


Pois é, gente, reta final... Eu nunca imaginei que iria chegar tão longe, na verdade. Mas fico feliz em ver a fic tão amável assim, gigante ou quase isso. Kkk
Sinto que eu esclareci quase tudo, não foi? Na minha listinha eu só tenho que explicar as histórias do capítulo 10 e 16 e seguir com os mistérios maiores da fic. Mas, é aquela coisa, se você sente que está em dúvida com algo que eu não expliquei no decorrer dos capítulos e que vê que eu posso deixar passar batido, fala comigo. Assim... Sei lá, me chama por uma mp ou pede isso com um review, eu ficarei imensamente feliz em comentar isso com você.~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...