História Signs - Capítulo 39


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton
Tags Ally Brooke, Camila Cabello, Camren, Dinah Jane, Drama, Ficção, Lauren Jauregui, Normani Kordei, Norminah, Romance
Visualizações 222
Palavras 1.073
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Pansexualidade, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 39 - Capítulo 39


Ally POV

Dinah me ligou um tanto quanto exaltada, achei estranho mas resolvi ir até seu apartamento. Meu nome já estava autorizado na portaria e logo eu subi pra casa da loira. Normani estava lá sentada no sofá olhando DJ andar de um lado para o outro. Nem entrei direito e já dispararam uma metralhadora de informações contra mim.

- Ally, a mãe da Mila sofreu um acidente e ela e a Laur estão em Portland pra ver a dona Sinu. – Que? Meu deus, coitada da Mila. – Mas tem uma coisa muito mais problemática que isso.

- O que ta acontecendo aqui? Eu tenho certeza que não foi por isso que me chamou aqui. – Jesus se segura aí no seu trono que eu sei que a coisa é séria.

- Foi o Shawn quem armou o acidente. – QUE?

- QUE?

- Calma Dinah – Normani ponderou. – A Laur tem 90% de certeza que foi o Shawn. Ele ameaçou ela hoje a tarde.

- Por que ele ameaçaria a Laur? E o que a Mila.... Ah... eu peguei as duas se comendo essa semana. Ele descobriu? – Mas são duas antas mesmo.

- Ele colocou um detetive atrás da Mila, mas a gente precisa que você faça algo por nós.

- Aí meu Francisco, o que vocês querem?

- A gente precisa que você seduza o Shawn. – Eu explodi numa gargalhada severa.

- O QUE? CÊS TÃO DOENTE? – E eu achando que só a Laur era metida com coisa ilícita.

- É sério, a Laur queria usar a Mila, mas não da. A Normani não pode porque ela namora. Você ta solteira e poderia quebrar esse galho.

- Eu preciso pensar nessa coisa absurda, ele é NOSSO chefe, eu não posso simplesmente fazer um coito com ele.

- Ninguém ta pedindo pra você dar pra ele Ally. – Dinah estava extremamente agitada. – Só seduz ele e faz ele falar.

- Vou pensar okay, mas agora eu preciso espairecer. Mais tarde eu aviso se aceito ou não.

Saí dali o mais rápido possível. Nunca tinha ouvido tanta bizarrice junta, mas eu pensaria no caso já que era pelo bem da nação.

--- Enquanto isso, em Portland ---

A mãe de Camila estava melhor, mas ainda não podia ser acordada. O coma induzido a salvava de algumas sequelas que estavam sendo corrigidas pelos médicos do hospital. Assim que Camz e Lauren chegaram, foram direto para lá e encontraram seu Allejandro e Sofi em estado de choque. Camila desabou ao ver seu pai entregue daquele jeito e Sofi, mesmo tão pequena, tendo que ser forte por ele. Os abraçou como se nunca tivesse o feito e, de uma forma um tanto quanto infeliz, teve a coragem e oportunidade de voltar pros braços de sua família.

Lauren POV

A família da minha latina estava desolada assim como ela. Eu estava em estado de choque, eu não sabia como acalmar todas aquelas pessoas, eu tenho um certo trauma de hospital por tudo o que passei. Me sentia sufocada lá dentro, mas eu tinha que ser forte pela minha menina.

Assim que eles se soltaram de um abraço que parecia mais uma conversa, os olhos do homem se viraram para mim e a cópia da Cabello me olhava curiosa. Ela provavelmente sabia quem eu era, mas não sabia porque eu estava ali.

- Lauren Jauregui? – Assenti. – Não estou sendo grossa ou coisa assim, mas o que você ta fazendo aqui com a Kaki?

- SOFI! Isso não é jeito de tratar sua... minha amiga. – Eu jurei que sairia um "cunhada" dali. – Ela veio comigo para que eu não ficasse sozinha. Deixa eu te apresentar pro meu pai.

- Eu já sei quem essa aí é. – ele disse bem bravo e eu dei um pulo do lado da latina. – Eu vejo noticiários e eu sei que você só causa problemas por onde passa. Por isso quero que você saia daqui agora e se afaste da minha menina.

Aquilo foi um tiro no meu peito, eu esperava que ele rejeitasse o meu “relacionamento” com Camila, não a minha amizade. Meus olhos lacrimejaram sem que eu nem percebesse.

- PAI! Ela é minha amiga e eu não vou me afastar dela.

- Tu ta metida com drogas, Camila? Assim como essa aí que só serve pra fumar um baseado e ficar doidona.

Eu saí dali o mais rápido que pude e consegui ouvir os gritos de Camila me chamando. Eu sabia que uma hora meu passado iria me achar de uma forma nada agradável, mas isso me soou mais como uma sessão de tortura. Me sentei na calçada do lado de fora do hospital e comecei a chorar como criança. Logo dois braços me rodearam e começaram a me agradar.

- Me desculpa por isso Lo, eu não sabia que ele te trataria assim.

- Ele não mentiu em nada do que disse Camz, eu era metida com drogas mesmo. Mas eu quero que você saiba que eu mudei, eu mudei por você. – Voltei a chorar copiosamente.

- Hey, calma meu amor. – Ela me chacoalhava de mansinho, como se eu fosse um neném. - Vamos conversar sobre isso depois, okay? – Assenti. – Agora eu vou com você pro hotel e depois eu volto e converso com meu pai.

- Não precisa, eu vou sozinha. Eles precisam de você aqui. – dei um selinho rápido nela. – Vai lá com eles e te vejo depois. Vai ficar no hotel comigo?

- Vou sim, mas tem certeza que não quer que eu vá contigo?

- Tenho meu anjo. Agora me deixe ir, vai ficar com eles.

A abracei e fui em direção ao carro que eu aluguei para me locomover na cidade. Lagrimas ainda corriam pelo meu rosto, mas eu tinha uma vingança para armar. Entrei no hotel e logo busquei pelo meu celular. Dinah já devia ter feito o contato que queria e eu precisava saber se deu certo.

--- Ligação ON ---

- Dinah, você já falou com o ser humano?

- Já, to aguardando a resposta. – Pude ouvir a risada de Normani do outro lado.

- Diga oi pra mani. Quem é a pessoa DJ?

- Só vai saber quando ver, mas confia no pai que o inimigo cai.

- Ai meu deus, espero que funcione. Até mais tarde gente.

- Até Laur.

--- Ligação OFF ---

Eu estava com um pouco de medo de quem a Dinah havia escolhido pra isso, mas vamos ver no que dá.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...