História Silêncio do Inocente - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Suga
Tags Hopemin, Lemon, Yoonseok
Exibições 45
Palavras 743
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Mistério, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Suicídio, Transsexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Apesar do título sério, a fanfic não irá girar em tragédia constante e morte (igual as drabbles que postei). Tentarei fazer algo que agrade todos.

Desde já agradeço pelos favoritos e comentários!

Capítulo 1 - O garoto que oferece cigarro, mas não fuma


O silêncio era o único som que poderia se ouvir, e mesmo que o meu consciente grite que é melhor assim, o meu coração chorava ao perceber que não. Dois anos vivendo como um fugitivo da própria voz. Dois anos com a boca fechada, e lá no fundo posso sentir é melhor assim. 

O meu apartamento era grande demais para os poucos móveis que tenho, e pequeno demais para aguentar a bagagem de sentimentos esmagados na minha mala. E antes que eu comece a me lembrar e chorar pelos cantos igual uma criança, irei desempacotar todos os móveis, já que não tenho mais a mordomia de ter empregados para fazerem tal serviço, igual na casa dos meus pais.

Está na hora de começar o trabalho duro, espero que o meu corpo magricela aguente tanto esforço. 

 

Incluindo as contas que fiz três meses antes de procurar um apartamento para morar, irei conseguir pagar — no mínimo — dois meses de aluguel adiantado, com o dinheiro dos meus  pais. Dinheiro esse que eles me forçaram a pegar, mesmo que eu tenha dito em alto e bom som que viveria de forma independente. Aliás, devo agradecer a super proteção deles, porque eu não fazia a mínima ideia de como procurar um emprego e convencer alguém a me contratar, visto que não tenho experiência nem em cozinhar. Mais um problema para a lista, mas esse eu consigo driblar.

Pensando bem, talvez seja melhor procurar um emprego e guardar o dinheiro que ganhei para casos extremos. Um ponto para o garoto independente, zero para os falsos pais preocupados.

Amanhã irei procurar um emprego e tentar não fracassar nessa nova fase da minha vida. 

 

Faz muito tempo que eu não sonho com alho digno de ser chamado de feliz e talvez esse sonho tenha ajudado no meu bom humor. Resolvi acordar cedo e preparar algo simples para tomar café da manhã, algo que não de trabalho e nem suje muito. Acabei comendo uma maçã. Fácil e prático.

Enquanto me concentrava em comer a minha maçã de forma calma para poder encher o meu estômago, acabei não percebendo que já havia chegado no elevador e graças a essa distração esbarrei com tudo em alguém. 

Me curvei mostrando arrependimento à pessoa, mas parei assim que notei um skate pendurado no seu braço. É estranho ver esse objeto novamente depois de tantos anos, só de lembrar que a maioria dos meus problemas começou através de pedaço de madeira com rodas, me sobe um calafrio.

Através de suas feições infantis, creio que esse garoto não passa de 18 ou 19 anos. Notando-se também que ele ainda usa skate para se locomover.

Sem nem ao menos abrir a minha boca, o garoto começou a falar, falar e falar... É tão irritante ver sua boca movendo a cada instante.

— Meu nome é Taehyung, e o seu?

E antes que eu pudesse responder, apareceu outra pessoa atrás do garoto tagarela. 

— Vamos logo, Taehyung, para de encher o saco dele.

— Mas eu não...

— Vai. 

Completamente devastado por não poder continuar sua conversa, Taehyung se foi.

— Peço desculpas pelo o meu irmão, ele gosta de  ser sociável e bom com os outros, mas acaba sendo um chato que fala demais. — Seus olhos castanhos tinham um brilho que eu nunca tinha visto. É difícil explicar o que se passa dentro deles, mas sei que é algo bom.

Acenei mostrando não estar incomodado com o garoto tagarela,  e eu não realmente não estava. Ele parecia divertido.

— Quer um cigarro?

Neguei. Eu poderia ter aceitado esse cigarro para experimentar, porque em todos esses anos vivendo em baixo das asas dos meus pais, nunca pude experimentar algo errado entrando em minhas veias. 

Esse é o momento certo para fazer  algo de errado, uma pena que não anseio mais por isso. Ah, se eu tivesse 16 anos novamente...

— Sério? Você tem cara que fuma.

Fiquei sem graça. Não é todo dia que se escuta de um desconhecido que você tem cara de fumante. Ainda mais um desconhecido que carrega cigarro e ainda te oferece.

— Você não curte falar muito, não é? Mas está tudo bem, eu também não curto fumar.

O seu sotaque apenas deixou tudo mais estranho, e o desconhecido saiu rindo, mostrando que eu era o motivo da graça. Como sempre.

Pela primeira vez, senti vontade de falar; não queria um diálogo grande ou queria apenas perguntar qual o sentido dele gastar dinheiro  com cigarro sendo que nem ao menos fumava. Eu acho.


Notas Finais


Quase dormi no capítulo zzzzz mas a vida do Yoongi é desse jeito: apenas ele e os seus pensamentos.

Espero que tenham gostado!!! Beijo ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...