História Silent Night - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Dragon Ball
Personagens Goku, Vegeta
Tags Kakavege Goku Vegeta Yaoi
Exibições 123
Palavras 2.019
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Luta, Romance e Novela, Shonen-Ai, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


sem pedrinhas!

eu não vou mentir. eu fiquei com preguiça e joguei muito lol.

portanto hoje o chap tem algumas coisas muito legais e mais de 2000 palavras :3

Capítulo 8 - Capítulo 8 - União


Fanfic / Fanfiction Silent Night - Capítulo 8 - Capítulo 8 - União

Capítulo 8 – União.

 

Foram cercados por todos os amigos. E parentes. Gohan e Goten assim como Trunks, não sabiam desse romance entre seus pais. Mas ficaram eufóricos. Quer dizer os menores. Pois o maior ficou o maior carão do mundo e saiu da festa. Videl saiu atrás dele, mas reprovando totalmente a atitude do noivo.

 

-Como podem? Dois homens. Casados. Com filhos abandonarem tudo. Tudo por algo como isso?! É nojento. Sinceramente repugnante.

 

-Nossa. Não sabia que você era assim Gohan. Pelo jeito não terei filhos nem a pau. Não gosto de pensar que no mundo em que vivemos já existe tanta coisa ruim. Para meu filho ter que lhe dar com um pai cabeça pequena e preconceituoso.

 

Gohan levantou voo. Mas videl se recusou a segui-lo. Deixaria ele sozinho para aprender a lidar com as diversidades. E cara! Era pai dele. Ele deveria prezar a felicidade do pai. E não o condenar.

Goku via da porta, um pouco triste. Esperava essa atitude de qualquer um menos de Gohan. Que sempre fora um menino tão simpático e gentil. Ouvir aquelas palavras o magoou um pouco. Mas não deixaria se abalar. Sabia que não seria a primeira vez e nem a última que iriam sofrer esse tipo de preconceito.

 

-Deixe-o videl. Ele aprenderá a lhe dar com isso tudo. De uma forma ou de outra.

 

-Senhor Goku. Desculpe ele. Eu nem sei o que lhe dizer. Minha vontade é socar a cabeça dele na parede até abrir. – sentia-se numa situação delicada, estava estampado na cara de Goku que ele estava chateado com o filho. Filho esse que ele morreu para salvar.-

 

-Senhor Goku. Eu lhe desejo toda a felicidade do mundo ao lado do senhor Vegeta.

 

O rosto de Goku voltou a se iluminar. Ela era de fato uma boa menina. Depois conversaria com Gohan. Agora voltaria para dentro para sofrer mais umas milhares de perguntas. De fato, as mais engraçadas partiam da mulher do Kuririn. Até ela sair com a pérola que chi-chi precisava mudar o gênio ruim ou ia morrer solteirona. E o foco foi para Chi-chi chingando muito a amiga. Piccolo normalmente não opinava. Mas já nos conhecíamos a tantos anos. Que ele chegou ao meu lado.

 

-Gohan foi injusto. Eu mesmo falo com ele.

-Tudo bem Piccolo. Ele terá que aceitar. Ou nunca mais falar comigo ... ele que decidirá seu próprio caminho. Fiz tudo o que eu pude. Eu ajudei a criá-los como eu pude. Ensinei valores que me foram passados por meu avô. E acima de tudo morri por eles e morreria de novo. Mas o fato é que eu não era mais feliz em meu casamento há anos e com Vegeta... tudo mudou.

-Percebi. Até aliança tá usando. Coisa que nunca vi você usar!

-É você percebe que a coisa é séria. Quando você cogita morrer ao lado da pessoa X. E eu nunca me vi assim com a Chi-chi. Ela é fantástica mas...

-Seja feliz, velho amigo. É tudo o que posso dizer.

 

Goku ficou pasmo. Ver Piccolo o chamar de “velho amigo”... deu a dimensão exata de quão “velhos” eles já são e sorriu ao pensar nisso.

Vegeta observava tudo de longe. E conhecia o companheiro o suficiente para saber que estava tão abalado quanto chateado com a reação do primogênito. Ele não tinha tido azar nessa questão. Trunks era realmente um bom menino. E pensar nesse quesito, fez o mesmo afagar o cabelo da criança de forma carinhosa. Trunks olhou para o pai com olhinhos brilhantes. A última vez que ele havia feito isso. Foi quando morreu na luta contra Majin boo.

 

-A última vez que você fez isso pai, foi quando o senhor morreu na luta.

 

Vegeta sorriu ao menino. E não via mais problema nenhum em demonstrar carinho ao filho. Era parte dele. E sabia muito bem que morreria por ele sem nem ao menos pensar. Abaixou-se e ficou da altura do filho, lhe dando um beijo em sua testa. O menino o abraçou em resposta e pediu colo. Estava tão feliz com o pai que estava com vergonha.

-Não precisa ter vergonha. Filho.

-Mas eu to.

-Desculpe por isso. Deveria ter sido um pai um pouco mais carinhoso. Mas irei recompensá-lo o quanto puder.

-É. O tio Goku mudou mesmo o senhor. Fico feliz. Porque o senhor finalmente é feliz.

-Seu moleque atrevidamente esperto.

-Sou seu filho. Tinha que puxar algo do senhor.

 

Vegeta naquela hora estou o peito, orgulhoso. De fato tinha o melhor filho do mundo. E se sentiu pra baixo por seu companheiro. Dado que vira toda a cena que Gohan havia feito com a mulher. Ao menos ela era uma boa menina. Talvez com mais tempo ela conseguisse mudar o pensamento do noivo.

 

-Pai. Vou chamar o Goten pra brincar.

-Tudo bem. *Vegeta soltou o filho e observou ele chegar perto do menor e o puxar pela mão. E com isso se aproximou de Goku.* -Está tudo bem, Goku?

-Oi. Ah está sim. Porque?

-Nada não.

 

E em lugar mais escondido. Trunks dava um beijo no rosto de Goten. Ao passo que o menor ficava vermelho.

-Quando a gente for mais velho Goten. Eu vo pedir pra você ser meu namorado.

-Mas e aquela Cait? Eu achei que você estava namorando com ela na escola?  Ela fala isso pra todo mundo

-Mentira. Porque eu gosto de você. Não dela.

 

Goten sorriu e logo ele e Trunks estavam brincando pelo jardim. Ainda tinham muito o que aproveitar por serem crianças. A festa se passou regada a risadas, conversas e brincadeiras envolvendo mais Goku e Vegeta. Vegeta participava até mais animado depois de beber alguns shots de tequila. Goku estava um pouco mais calado. Mas procurava deixar transparecer que estava chateado. No final da noite, Goku se despedia do povo do lado de fora. Enquanto Bulma e Chichi o puxaram para uma pequena conversa.

-O que o Goku tem?

-Ele está mais parecido com você do que gostaríamos.

-Não me culpem! A culpa é do Gohan.

-Como assim? Que meu filho te fez Vegeta!?

-A mim? Nada. Mas feriu e bastante o próprio pai. Eu irei conversar com o Goku sobre isso em casa. E vocês aproveitem que a Videl vai dormir aí e perguntem pra ela... o que o noivo dela fez ao próprio pai.

 

Depois da despedida. Goku se despediu das meninas. E foi com Vegeta pra casa através do teletransporte. Vegeta preferiu ficar calado. E quando chegou em casa. Disse que iria tomar banho primeiro. Na estratégia de esperar Goku acordado.

Cerca de uma hora depois. Goku sai do banho. Ainda abatido.

 

-Vamos conversar? Ou vai preferir ficar com essa cara triste. Coisa que não condiz com você. Quase todos na festa repararam que você estava chateado. Vamos conversar sobre como a opinião de Gohan está te afetando.

-Você estava lá?!!

-Sim. Estava ouvi palavra por palavra. E ele falou daquele jeito justamente por ter sentido nossa presença ali.

-Desculpe. Se não sou eu a te ferir. Alguém ligado a mim o faz.

-Me ferir? Te feriu. A mim não. Aquelas palavras... eu já escutei uma vez. E me afetaram uma única vez. Entendo que é seu filho. Aliás seu filho mais velho. Mas você ficar chateado não mudará a opinião dele.

-Eu sei *suspirou* mas não esperava uma coisa assim dele.

-Esquece isso. Uma hora ele muda. Ou aceita.

-Não sabia que me conhecia tão bem assim, amor * enfatizou a última palavra*

-Querido. Você é sempre um palhaço. Você é o bobo que alegra todo mundo. Acha mesmo que ninguém te estranhou? Por favor né!

-Mas fico feliz que você tenha sido o primeiro.

 

Vegeta corou. E consequentemente Goku o agarrou caindo de costas na cama macia. O beijava famintamente. Tinha saudades daquele gosto e daquele hálito mesmo que tenham ficado sem se tocar por algumas horas.

 Vegeta retribuía o carinho. Passava as mãos pelas costas do outro. Lhe afagava os cabelos negros revoltos. O abraçava numa tentativa de fazer o outro se sentir um pouco mais aceito. O filho realmente tinha mexido com ele. Talvez pelo fato de nunca ter sofrido uma rejeição na vida. Perdido em pensamentos. Mal notou quando o maior o sentou na cama, retirando sua regata  passando suas mãos levemente por aquele corpo que tanto o excitava.

Distribuía beijos, e pequenas mordidas pelo corpo de Vegeta,agora com muito mais fome. Queria marca-lo. Queria sentí-lo. Vegeta incomodado com a camiseta do outro, retirou a mesma, expondo aquele corpo deliciosamente maior que o seu o arranhando levemente.

Goku chegou ao cós da samba-canção que Vegeta usava. E a retirou com a boca. Vegeta não pode deixar de se excitar ainda mais com a cena. Se é que isso fosse fisicamente possível. Goku não deu muito tempo para vegeta pensar. Pois no instante seguinte estava com o membro do menor em sua boca. O sugando com força. Com agilidade. Queria vê-lo absorto em prazer. Que ouvir ele gritar por mais, mesmo que fosse impossível alguém como o príncipe se rebaixar a gemer alto.

-Ah.. Go...Ahh...Goku... ahh isso... e...

Goku parou o que fazia e o olhou com uma cara safada.

- Se quiser mais meu príncipe, terá que pedir. Quero ver o quanto és seu desejo por mim.

-Você não vai ser tão ridículo naõ é?

-Pede mais vai. Pede com carinho. E eu faço do jeito que você gosta.

Vegeta ficou extremamente vermelho. Mas não dava pra diferir se era de raiva ou de vergonha

-Go... continu...por...

Goku sabia que o príncipe era orgulhoso. E não gostaria que ele fosse diferente. Aceitou aquilo como um pedido. E voltou a ascender o membro do mais baixo com vigor. Lambia toda a extensão , sugando com força. Sentindo os espasmos do outro sabia que logo ele iria gozar. E como na primeira vez. ele o chupou até que o outro gozasse em sua boca.

Vegeta então empurrou Goku contra o colchão. Para que o mesmo ficasse deitado. E numa visão dos céus, segundo Goku, ele sentou em seu membro. De uma só vez. e gemeu alto, pois na empolgação esquecera de passar algo para deixa-lo mais “escorregadio”.

Goku segurou firme Vegeta e se recostou a cabeceira. Assim ele ficava sentado e poderia ajudar melhor Vegeta. Sabia que o outro estava sentindo dor. Pois a forma como ele mordera os próprios lábios ao ponto de tirar sangue, demonstrava claramente isso.

Goku afagou o rosto do menor em um carinho singelo. E esperou até que o menor desse algum sinal de que a dor havia diminuído. Goku era “bem dotado” e sentar daquela forma e sem preparo. Deveria ser uma dor horrível. E mais uma vez orgulhou-se do homem ao seu lado. Ele nunca reclamava de dor. Nem perto da morte. Balançou a cabeça espantando qualquer pensamento. E ajudou o menor segurando em sua cintura o levantando e o abaixando. Fazendo um vai e vem leve. Com medo de machucar mais ainda o canal do menor.

-Assim não...

 

E vegeta tomou a frente. Fez com que Goku lhe segurasse as mãos. E começou a subir e descer com vigor. Quase tirando todo o membro do outro, para depois sentar novamente nele, fazendo com que entrasse todo de uma única vez. Goku então o vira na cama, fazendo o mesmo ficar “meio” de 4 e o penetra fundo alucinadamente. A cama rangia, os corpos se batiam, a fricção chega à beira de os colar, e quase toda a certeza o quarto deveria estar beirando uns 50°. Vegeta num gemido alto, gozou primeiro, apertando maestramente o membro do maior, que gozou longo depois, se despejando todo dentro dele.

 

-Eu te amo príncipe. E muito.

-Eu sei Goku. Eu sei. E é reciproco.

Agarrados um no outro. Dormiram. Ilesos ao que acontecia longe dali. Muito longe dali. Atrevo-me a dizer alguns anos luz.

 

-Hora de nos vingarmos daquele ser. Cães do Freeza.

-Usaremos o que ele mais ama. Para depois despedaça-lo.

-Para isso precisaremos o outro. O poder da manipulação é mais divertido que o poder físico. Destruir a mente é mais prazeroso que destruir o corpo. Uma alma despedaça jamais poderá ser colada!


Notas Finais


hauhauhauahuahuahuahau

"aproveitem o amor :3 enquanto podem! hauahuahauhauhauahuahua"

bjokassssssssssssssssssss


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...