História Simbar- Uma paixão inconveniente. - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Luna Valente, Matteo, Simón
Tags Âmbar, Luna, Matteo, Romance, Simon, Sou Luna
Exibições 61
Palavras 607
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Desculpa pela demora em postar o capitulo,é que estava sem internet no computador e não gosto de escrever pelo tablet. Leiam as notas finais.
Boa Leitura!

Capítulo 4 - Confio?


Fanfic / Fanfiction Simbar- Uma paixão inconveniente. - Capítulo 4 - Confio?

"Se não confiares o suficiente nas pessoas, elas não poderão confiar-te nada".

          -Textos Taoístas 

Ok Ámbar, faltam apenas mais dois meses para o fim das aulas, ai você ficará livre, bom pelo menos por um tempo. Não aguento mais ter que levantar cedo, vestir esse uniforme e principalmente aturar Luna Valente, essa menina está tornando a minha vida um inferno. Fica contando "boatos" meus para toda a escola, obviamente são todos mentiras, a única que acredita em mim é a Nina.

Vou caminhando até a escola, meu pai está me atormentando cada vez mais, afinal não é só quem estuda comigo que ficou sabendo com quantos caras já fiquei. Se não consigo nem fazer com que meus pais acreditem em mim, como vou fazer uma multidão ver a verdade?

Fico olhando atentamente as pessoas que cruzam meu caminho enquanto ando. Cada uma delas possui milhares de problemas, cada um pior que o outro e mesmo assim parecem estar bem, conseguem esconder perfeitamente suas preocupações, queria ter esse dom também, já que todos os dias após as aulas me tranco em meu quarto e choro, até não poder mais.

Quando adentro o Blake, não vejo ninguém nos corredores, vou até meu armário, pego meus livros e caminho o mais rápido que posso em direção a sala de aula, ao chegar lá sento em meu lugar e fico esperando até o sinal tocar. Mas ele não toca, espero e espero cada vez mais, quando canso de ficar lá sentada decido me levantar para ver o que estava acontecendo.

Quando abro a porta me assusto, era Simón, ele estava parado na minha frente com a mão um pouco levantada, acho que ele estava prestes a abrir a porta. Pensei que esse tipo de coisa só acontecia em filmes de romance.

-Nossa você me assustou- Diz ele

-Ah, me-me desculpe- Tento responder. Porque sinto que minhas mãos estão começando a suar?

-Pensava que não havia ninguém aqui- Ele responde um pouco intrigado.

-Estava esperando as aulas começarem- Respondo como se fosse óbvio.

-Mas hoje não tem aula se lembra, eles cancelaram por causa daquela aluna que faleceu este fim de semana- Ele responde. Como isso pode ter acontecido? Quero dizer como não me dei conta?- Você está bem? - Ele pergunta.

-Sim, estou. Só um pouco surpresa, me esqueci completamente disso- Respondo envergonhada, como posso ser tão estupida?

-Será que eu posso entrar na sala?- Ele pergunta rindo, ainda estava na frente da porta impedindo sua passagem. Isso ainda pode ficar pior?

-Bom eu vou indo- Digo já recolhendo meus materiais.

-Você gostaria de ir ao Roller comigo? -Eu estava errada, tem sim como esse dia ficar pior.

-E porque você gostaria de ir comigo? Afinal eu sou a piada do Blake agora- Digo 

-Eu sei que tudo aquilo que a Luna falou de você é mentira- Ele responde e eu fico surpresa.

-Mas mesmo assim todos vão rir de você ou achar que o Simón Álvarez é nova vitima de Ámbar Smith- Digo e ele ri.

-É a Luna que se importa com a opinião dos outros e não eu- Diz pegando alguns livros de Literatura.

-Vou fingir que acredito nisso.

-Você vem ou não? -Ele me pergunta com a mão já estendida em minha direção. 

Pego em sua mão, Simón deixa os livros em seu carro e vamos de a pé para o Roller, afinal não ficava muito longe. Nenhum dos dois falava algo, mas o silêncio não era algo incomodo, confesso que estranhei um pouco essa aproximação dele, mas resolvi dar uma chance, sempre desconfio de tudo e todos pelo menos dessa vez espero que eu esteja certa.

 

 

 


Notas Finais


Desculpem pelo capitulo curto. Obrigada pelos favoritos e pelos comentários no capitulo anterior.
O ano já está acabando e tenho que me focar nesse último bimestre, por isso vai ficar um puco difícil postar, então até o próximo!
PS: Não corrigi o capitulo, então se escrevi algo errado por favor me corrijam.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...