História Simplesmente acontece.. (camren g!p) - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Amor, Camila, Camren, Fifthhamorny, Intersexual, Lauren
Exibições 419
Palavras 1.418
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Escolar, Famí­lia, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Intersexualidade (G!P), Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hallo! 😊

Capítulo 11 - Capítulo 10


Pov's Camila.

Tivemos que interromper nosso trabalho, porque recebi uma ligação de minha mãe, com toda certeza é porque já estava tarde.

_ Karla, preciso que você volte agora pra casa! _ diz ela

_ O que aconteceu?_ pergunto preocupada

_ Kaio! _ fala ela

_ O que ele aprontou dessa vez? _ questiono respirando fundo

Sabia que ele não estava bem com o papai tendo que viajar logo quando eles estavam construindo uma boa relação.

_ Seu irmão bebeu demais, e não quer entrar em casa, tá aqui na varanda jogado, reclamando da vida! _Diz ela

_ Mama eu estou fazendo meu trabalho! _ digo.

_ Karla Camila, venha agora pra casa, amanhã você termina essa coisa, você sabe que ele só escuta você quando está assim! _ diz ela

_ Tudo bem, estou indo! _ digo bufando ela nem se despede e desliga na minha cara, mãe ingrata.

Juro nunca quis tanto matar Kaio, como eu queria agora, estava tão bom aqui, pela primeira vez, Lauren e eu estávamos tendo uma conversa civilizada, mas tudo o que é bom dura pouco.

Eu estava tão encantada por ela, Lauren demostrou ser uma pessoa tão culta, inteligente, poderia passar dias aqui falando suas qualidades.

Mas agora eu tinha que ajudar meu irmão, quando ele bebia ficava um pouco agressivo ou ficava que nem um idiota dramático, só eu conseguia resolver a situação, mesmo que ele me tratrasse mal tempos atrás, era apenas a mim que ele ouvia quando estava bêbado, pessoa estranha.

_ Tenho que ir! _ digo arrumando minhas coisas

Lauren me ofereceu carona, no início eu recusei, mas como ela insistiu e minha mãe não parava de ligar tive que aceitar.

Assim que chegamos, sair correndo do carro, sem me despedir, realmente meu irmão não estava nada bem, cheguei perto dele.

_ Idiota! _ digo dando um tapa na cabeça dele

_ Ouch, porque tá me batendo? _ pergunta se enrolando com as palavras

_ Falei pra não beber demais idiota! _ digo dando mais um tapa na cabeça dele

_ Ouch Mila, isso dói, e eu bebi só um pouquinho! _ diz meio embolado

_ Um pouquinho é o caralho, agora levanta essa bunda daí! _ digo o ajudando a levantar e Lauren logo aparece pra me ajudar.

Pensei que ela já tinha ido embora.

_ Arrumou uma namorada manina? _ pegunta Kaio cheio de gracinha

Fico vermelha na hora.

_ Cala a boca, ou te deixo dormir aqui no frio! _ digo 

_ Não tá mais aqui quem falou!_ exclama ele

Entramos em casa em silêncio, ela me ajudou a leva-lo até o quarto dele.

_ Pode me esperar lá na sala, não demoro! _ falo a ela

_ Tudo bem! _ diz ela saindo do quarto

Levo ele até o banheiro, o sentando no chão do box,  ligando o chuveiro na água gelada.

_ Karla tá gelado! _ reclama ele tentando sair

_ Não reclama, ninguém mandou beber, agora tira essa roupa, que eu vou pegar outra pra você! _ digo

Escolhi uma calça moletom e uma camiseta e deixei na bancada da pia, esperei uns minutos sentada na cama.

_ Já terminou? _ pergunto do outro lado da porta

_ Já! _ fala

Entro no banheiro e ele estava sentado no chão ao lado da pia, enxugo os cabelos dele, não queria que ele ficasse doente ou algo do tipo, o ajudo a voltar pro quarto, o deitando na cama.

_ Alejandro vai voltar? _ questiona ele

_ Claro que vai Caleb, fica tranquilo ele não vai abandonar você! _ digo o tranquilizando.

_ Valeu Mila! _ agradece ele

_ Tudo bem agora vai dormir, e se você aprontar mais uma dessa eu juro que te bato mais forte! _ digo rindo

_ Seu tapa dói mesmo! _ mumurra fechando os olhos

Apago a luz de seu quarto, eu realmente amava meu irmão e ver-lo sofrendo por um idiota que o abandonou com apenas um ano de idade, é demais pra qualquer um.

(...)

Estava descendo as escadas e minha mãe estava com Lauren, sentadas no sofá, com um álbum de família em mãos.

Ooh não o álbum não.

Me apresso em descer, e puxar o álbum da mão de dona Sinuh, sei que isso não é nada educado, mas aquelas fotos são muito constrangedoras.

_ O que pensa que está fazendo mama? _ questiono brava

_ Devolva esse álbum aqui, Karla Camila, não é todo dia que temos uma amiga sua aqui em casa, preciso contar suas suas merdas! _ diz ela e Lauren rir.

Que mãe eu tenho não? Depois dessas fotos qualquer amiga ficaria traumatizada.

_ Você era muito fofa quando criança Karla! _ provoca Lauren

_ Ah, você também não, por favor esqueçam o Karla! _ digo

_ Não esqueço não, está reclamando do seu nome Karla Camila? _ questiona Sinuh

Quem seria louco de responder que não gosta do nome pra própria mãe? Pois é ninguém

_ Não mama, que isso? é um nome lindo! _ digo 

_ Muito bem! _ diz ela me dando um tapa e puxando o álbum de minhas mãos e voltando a mostrar pra Lauren 

_ Karla adorava correr nua pela casa, olha essa foto aqui, ainda estávamos em cuba! _ diz 

_ Mama por favor não! _ digo mais já era tarde demais

Ela estava mostrando uma foto em que eu tinha mais ou menos cinco anos e estava correndo de Alejandro, nua, isso mesmo como vim ao mundo, mais vergonhoso impossível.

_ Então você é cubana, bem que eu desconfiei! _ fala Lauren olhando pra mim por alguns minutos e logo voltando sua atenção para minha mãe.

Fui ignorada com sucesso, o bom é que elas estavam se entendendo bem, decidir comer alguma coisa, estava curvada procurando algo na geladeira, quando sinto alguém segurando minha cintura bom trás.

_ Você tem uma bela bunda Cabello! _ sussurra Lauren em meu ouvido

Aquela voz sexy e rouca me faz arrepiar na hora, viro de frente pra ela e a preso na bancada.

_ Você não deveria chegar por trás das pessoas assim Jauregui! _ digo mordendo o lóbulo de sua orelha fazendo ela arfar.

Se eu sabia o que eu estava fazendo? claro que não.

_ Não tenho culpa se você tem uma bunda tão atrativa! _ diz me dando uma mordida no pescoço e apertando minha bunda, fazendo com que ficasse-mos mais grudadas, não aguentei e acabei soltando um gemido.

_ Você não deveria provocar, se não pretender levar as coisas adiante! _ falo olhando em seus olhos

_ E quem disse que não quero ir adiante? _ questiona mordendo os lábios.

Meu Deus que tentação, que boca, estavamos a poucos centímetros uma da outra, estava prestes a beija-la quando minha mãe entrar na cozinha, fazendo com que afastasse-mos na hora.

_ Bom, eu já vou indo nos vemos amanhã Karla! _ diz Lauren agindo como se nada tivesse acontecido, mais cínica impossível, e eu estava extasiada.

_ Até outro dia, Sinuh! _despede-se ela

_ Até querida, volte mais vezes! _ fala mama

Que intimidade não?

Levo Lauren até a porta, ela me dar um beijo no canto da boca e sai rebolando.

Que filha da puta, provoca e me deixa na mão, se bem que eu nunca beijei ninguém, muito menos transei com alguém, definitivamente não sei o que me deu lá na cozinha, essa mulher me enlouquece.

Espero ela sair com o carro e quando entro, encontro minha mãe em pé, com os braços cruzados olhando pra mim.

_ Que bonito hein? Iriam transar na minha cozinha? _ questiona

_ Não aconteceu nada mama! _ digo

_ Não é o que seu amiguinho está dizendo Karla! _ diz minha mãe

_ Mãe, da pra parar de me deixar constrangida quando isso acontece? _

_ Não, é meu dever como mãe te deixar assim, e que vergonha Karla, nem pra pegar a garota de jeito você serve! _ diz ela

_ Se você não tivesse atrapalhado, poderia ter feito meu trabalho! _ digo

_ Não foi você que acabou de dizer que não tinha rolado nada? _ questiona rindo

_ Não sou obrigada a ouvir isso! _ digo subindo as escadas

_  A propósito ela é linda Karla! _ grita ela

Eu sei mãe, meu corpo também sabe o quanto ela é linda, e uma filha da puta por me provocar assim.

Olho pra baixo, de novo não, será que vai ser sempre assim quando estiver com a Lauren?


Notas Finais


Comentem Babys!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...