História Simplesmente Acontece [Malec] - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias As Crônicas de Bane, Os Instrumentos Mortais, Shadowhunters
Personagens Alexander "Alec" Lightwood, Clary Fairchild (Clary Fray), Isabelle Lightwood, Jace Herondale (Jace Wayland), Magnus Bane, Personagens Originais, Raphael Santiago, Simon Lewis
Tags Alec Lightwood, Clace, Lemon, Magnus Bane, Malec, Shadowhunters, Sizzy
Visualizações 80
Palavras 1.037
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Festa, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá pessoas, i'm back, e espero de todo meu coração que estejam gostando. Idéias e críticas são sempre bem-vindas, não sejam fantasmas. ❤

Capítulo 2 - Capítulo 02


Magnus observou Alec dormir o tempo todo, ele levantava às vezes pra pegar mais café, mas não tirava os olhos do menino Lightwood.

- Magnus? – Chamou pelo mais velho com a voz rouca e sonolenta, mas pra Magnus aquilo foi fodidamente sexy.

- Sim? – Disse balançando a cabeça.

- Você não dormiu? – Perguntou se sentando no sofá que ele havia dormido. Por mais que fosse um café, era tudo moderno, e não foi nada desconfortável dormir lá.

- Dormi. – Mentiu. - Acabei de acordar. – Se sentou ao lado de Alec.

- Não parece. – Alec levou seu polegar até o rosto de Magnus, passando o dedo por suas olheiras, mas parou quando percebeu o que tinha acabado de fazer. - Desculpa eu não...

- Shh. – Colocou os dedos sobre os lábios de Alec. - Quer café?

- Claro. A Dot não vai ficar brava, não é? Não quero causar problemas.

- Você conhece a Dot? – Disse enquanto colocava café para Alec.

- Sim, eu costumava frequentar bastante esse lugar, mas meu pai me proibiu de voltar quando descobriu que eu e Jace nos encontrávamos aqui.

- Entendi... Mas vamos sair antes de abrir. Fique tranquilo. – Voltou com o café em mãos, entregando para Alec que sorriu como agradecido. - Quem é Jace?

- Meu melhor amigo, bem, não nos falamos muito como antigamente... 

- Mas por que o seu pai te proibiu de ver ele?

- Porque eu gostava dele, mas foi até bom, o Jace é hétero então se descobrisse algo provavelmente não falaria mais comigo.

- Eu acho que não. Quem não se apaixonaria por esse par de olhos azuis? – Magnus disse isso esperando a reação de Alec, e se não fosse boa ele iria parar.

E Alec sorriu, corado, e aquela cena era apaixonante.

- Você não tem que ir pra escola? – Perguntou Magnus pegando a xícara vazia de Alec.

- Não. Essa semana vai ter recesso escolar. – Revirou os olhos.

- E isso é ruim? 

- Sim, porque eu vou ter que passar o tempo que eu deveria estar fazendo algo útil em casa, o lugar que eu mais odeio nesse mundo.

- Hum... Não dessa vez.

- Como assim?

- Deveríamos sair. 

- É... – Alec olhou pra si mesmo. - Pode ser, acho que meus órgãos estão todos aqui.

- Por que? Ainda estava com dúvidas sobre mim? Isso não é legal Alexander.

- Oh me desculpe. – Riu. - Mas eu não quero te incomodar.

- Não Alexander, sem clichê.

- Como assim clichê.

- Você diz que não quer encomendar, e eu vou responder que não é incomodo, porque eu quero passar o dia com você, não que isso não seja verdade, mas não vamos prolongar isso.

- Nossa. – Riu. - Tudo bem. Mas eu preciso voltar pra casa, trocar de roupa.

- Se esse for o problema eu mesmo te empresto alguma roupa, se você não se incomodar.

- Eu não me incomodo.

- Ótimo, eu moro aqui perto, vamos.

- Tudo bem. – Alec se levantou colocando as almofadas no lugar.

Assim que saíram Magnus trancou o café e mandou uma mensagem para Dot dizendo que tinha ido pra lá, e ela respondeu com um simples "ok", ela sabia que ele fazia isso quando estava com insônia.

Magnus e Alec caminhavam até a casa de Magnus, em silêncio, mas não era um silêncio "constrangedor", eles queriam observar melhor o dia.

Enquanto caminhavam Alec pensou em como tudo aquilo era louco, ele conhecia Magnus fazia menos de 24 horas e eles pareciam ótimos amigos. Os dois estavam gostando daquilo. Muito.

- Chegamos. – Disse Magnus indo na direção da porta.

- Você mora aqui? – Era uma casa enorme, uma mansão, e mesmo Alec sendo rico ou algo assim, ele ficou boquiaberto com a casa.

- Sim. – Riu. - Entra... – Deu espaço para Alec entrar.

- Então esse é o seu novo brinquedinho? – Perguntou Camille irônica, e bêbada, provavelmente ela tinha dormido com Ragnor. - Até que enfim achou alguém a altura. – Camille colocou o dedo no queixo de Alec, mas Magnus empurrou sua mão rapidamente.

- Não ouse tocar nele. – Disse Magnus já alterado. - Vem aqui Alec. – Puxou Alec pelo braço, que gemeu baixo sentindo Magnus pegar em um de seus cortes.

- Me desculpa! Eu sou um estúpido mesmo. – Ergueu o moletom de Alec. - Isso não está nada bom...

- Não tem problema Magnus. Quem era aquela garota? – Alec viu a expressão de Magnus mudar instantaneamente. - Me desculpa, não precisa responder.

- Não, está tudo bem. – Foi até a porta, fechando a mesma. - Se importa? – Perguntou Magnus se referindo a porta, trancando a mesma.

- Claro que não. Pode trancar. – Alec confiava em Magnus, era um fato.

- É a namorada do meu irmão, ou minha ex, como você preferir... E desculpa pelo que ela fez, ela é estúpida.

- Tudo bem, eu não me importei. Mas por que ela terminou com você? Você parece ser tão...

- Tão?

- Incrível! 

- Mas eu não sou, acredite, e foi bom até, terminar com ela foi um livramento, isso sim.

- Se você diz... – Disse passando a mão nos olhos.

- Isso está bom? – Magnus jogou uma camiseta cinza escura, uma calça preta, uma cueca box azul e umas toalha sobre a cama. - Eu não sei que número você calça, mas provavelmente se eu te der um dos meus coturnos vai ficar grande. – Riu.

- Magnus, isso está ótimo, obrigado. Mas por que você está fazendo tudo isso por um estranho? Talvez o psicopata seja eu.

- Tá vendo isso? – Magnus ergueu a camisa, exibindo um hematoma, não era nada grave, mas visível, e quando Alec viu aquilo ficou duro, foi instantâneo. - Meu irmão socou, antes de eu quebrar o braço dele.

- No-nossa... – Alec não sabia se estava surpreso pelo porte físico de Magnus ou pela brutalidade, ele não parecia ser nada disso.

Magnus riu com a expressão do garoto, e mordeu o lábio inferior vendo a ereção do mais novo.

- Você não vai tomar banho? Eu espero você aqui.

- Ah, vou sim. – Balançou a cabeça. - Eu já volto. – Disse entrando no banheiro.

15 minutos depois Alec voltou já vestido, com os cabelos um pouco molhados, e viu a cena mais apaixonante da sua vida, Magnus dormia como um anjo.

Ainda eram 9:00, então Alec resolveu não acordar Magnus, ele se sentou ao seu lado – Na cama de casal enorme que havia no quarto de Magnus – enquanto observava o mesmo dormir.

- Dorme bem, Mag. – Disse fazendo cafuné no maior.




Notas Finais


Espero que tenham gostado, comentem o que vocês acham que pode melhorar, como eu disse críticas são bem-vindas. Até outro capítulo. 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...