História Simplesmente Assim - Capítulo 19


Escrita por: ~

Postado
Categorias Sou Luna
Personagens Ámbar Benson, Luna Valente, Matteo, Simón
Tags Hetai, Romance, Sou Luna, Universo Alternativo
Exibições 410
Palavras 3.919
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá, bora que o capítulo tá pegando fogo... Boa leitura *--*

Capítulo 19 - Capítulo 19 - Grande Erro.


Uma semana depois...

Luna termina de organizar suas coisas dentro do quarto. Já é quinta feira da semana seguinte, ou seja, fazendo uma semana que terminou definidamente com Simón além da discursão em plena entrada da madrugada que teve com ele. Desde aquele dia não havia o visto e que para ela foi um alivio. Soube que o show da Roller Band foi um sucesso com casa lotada, segundo Matteo lhe contou e também suas amigas que foram ao show, já que ela decidiu não ir lá prestigiar a banda de seu ex-namorado, muito menos queria ver a cara dele depois da discursão que teve quando ele quase lhe agrediu. No dia até não pensou muito, mas depois de cabeça fria percebeu o quanto a atitude dele lhe decepcionou sendo a segunda coisa que fez perceber que Simón não era só um traidor, como também uma pessoa agressiva.

No entanto, Simón para ela já era coisa passada, por outro lado andava não se sentindo muito bem porque durante a semana seu relacionamento com Matteo parecia não está à mesma coisa. Não porque já não querem mais ficar um com outro, pois a maneira intensa como se davam bem juntos ainda continuavam na mesma intensidade e talvez aumentando ainda mais. Porem, Luna começou a sentir um sentimento estranho, pelo qual no começo não tenha dado atenção de que agora fosse fazê-la sentir daquele jeito.

Acontece que a morena de olhos verdes passou a se sentir mais incomodada do que deveria vendo a insistências das garotas querendo ter uma chance com Matteo. Ele até continuava sendo educado, conversando numa boa e sem aquele olhar de flete indicando interesse reciproco. Mas ainda sim, ela se sentia incomodada... Tentava disfarça e conseguia êxito porque desde que começou a ficar com Matteo sempre mostrou indiferença e diversão toda vez que chegava uma garota para interromper sua conversa com ele exigindo sua atenção, mas agora nos últimos dias tem se sentindo diferente do que o normal e mesmo não demonstrando, por dentro ela se sente péssima.

Com os pensamentos sobre seu incomodo de ver um abando de garota dando em cima de Matteo descaradamente, Luna pegou a toalha para ir tomar um banho. Ela está sozinha no apartamento, pois Nina havia decido ir ao cinema com Gastón, e Yam também iria ao cinema junto com Ramiro, e quanto a Jim, essa parece que está saindo com Nico um dos integrantes da banda de Simón desde que o conheceu nos bastidores do show da banda na boate.

Como Matteo só viria mais tarde quando saísse do trabalho, porque com o sucesso da banda na boate o movimento aumentou e com isso Tino chefe de Matteo pediu para ele ir lá ajudar no atendimento no bar, e como Matteo precisava da grana extra decidiu aceitar.  Não querendo ser vela de suas amigas, Luna preferiu ficar em casa com seus pensamentos concentrados nos seus próprios sentimentos.

Ela não demora muito no banho então desliga o chuveiro e pega a toalha enrolando do seu corpo. Como sempre não levava suas roupas para o banheiro, vai para o seu quarto para lá vesti algo apropriado. Dentro do quarto Luna veste uma calcinha decidindo em pegar uma camiseta e um short, mas antes de começar a se vestir escuta a campainha tocar.

Franziu a testa se perguntando quem poderia ser. Como não custava quem quer que fosse esperar ela pegou a camiseta na intenção de coloca-la, mas a campainha começa a tocar insistentemente... Então Luna pega o robie curto de seda e o coloca rapidamente e vai atender a porta.

-Já vai. – ela falou sem paciência pela campainha continuar a tocar.

Ao abrir a porta, Luna automaticamente fica com seus olhos abertos pela surpresa. E também arrependida por não ter olhado antes de abrir a porta no olho magico para ver quem seria.

Símón está ali diante dela com um olhar faminto quando desce seus olhos pelo seu corpo. Ela não gosta muito de vê-lo ali e muito menos a maneira como a olhou, estava claro que Simón havia bebido pelo cheiro de álcool que vinha dele, mas como Luna conhecia seu ex sabe que ele não é de ficar bêbado tão fácil.

Sem convidá-lo a entrar e tão pouco mostrar simpatia ela fala.

-O que está fazendo aqui?

Ele pisca os olhos como se acabasse de ser desperto.

-Preciso falar uma coisa com você, te alertar sobre o seu namoradinho.

Luna franziu a testa sem entender onde ele queria chegar com aquilo. Não o corrigiu por ele ter mencionado Matteo como seu namorado.

-O que tem o Matteo?

Simón hesita por um segundo olhando nos olhos dela, mas responde por fim.

-Escute. – ele dá um passo mais adiante, mas Luna ergue uma mão impedindo que ele se aproxime. Símón respeita o espaço e começa a falar novamente. - Quero que saiba que por mais tenha dado errado entre a gente, eu não quero seu mal e que seja feita de trouxa novamente.

Luna via até um pingo de sinceridade, mas algo dentro dela dizia que havia algo a mais na intenção de Simón.

-Do que está falando? Não entendo... – ela perguntou séria e confusa ao mesmo tempo.

O moreno respira fundo antes de falar.

-O Matteo está te traindo... Eu o vi com um monte de garotas se oferecendo para ele. Teve uma que até o agarrou e o beijou. Não vi o afasta-la, na verdade ele correspondeu.

Era uma grande mentira essa parte, porque quando ele viu a garota tentar beijar Matteo antes que a boca dela tocasse a dele, Matteo afastou a menina e falou algo que deixou a garota muito irritada e se afastando pisando fundo. Mas Simón não falaria a verdade, ele queria ferir Luna por ela ter feito o que fez com ele, se entregando a um cara que só está usando ela e sendo ainda pior do que ele foi.

Luna respira fundo, não se mostrando abalada. Sabia que Simón mentia em um detalhe, mas que não era novidade ter um bando de mulheres dando em cima de Matteo. Vendo que Luna não esboçou nenhuma emoção ou reação ao que falou, Simón começa a ficar confuso e irritado.

-Você não vai falar nada? – ele perguntou com um semblante de poucos amigos.

Luna respira fundo indiferente, mas responde.

-Não... Não tenho nada a falar.

Revoltado Simón sorri inconformado dizendo.

-Como assim? Vai deixar que ele faça piada com a sua cara?

-Não. Não farei nada. – ela respondeu tranquilamente e isso deixa o seu ex ainda mais furioso.

-Qual é o seu problema garota? Banca a pessoa digna comigo e agora quer bancar a capacho de uma cara que não vale nada, é isso?

Não querendo prosseguir numa discursão com Simón, Luna se vê obrigada a falar com ele com toda calma.

-Simón, não é nada disso. Não vou dizer nada e fazer muito menos, porque eu sei o que rola... Já vi muitas vezes essas cenas que acabou de me descrever e entre outras. Se eu não faço nada a respeito é porque Matteo e eu não somos namorados. Só saímos e curtimos juntos sem compromissos. Ele pode ficar com quem ele quiser que não me importo, como também posso ficar com quem eu queira que ele não irá se importa... – era uma grande mentira essa ultima parte, porque mesmo não sendo namorados, Luna não consegue sair com outro cara além de Matteo, e aparentemente, acontece o mesmo com Matteo.

Simón bufou sorrindo com ironia, mas quando volta a encarar os olhos de Luna sua expressão muda para algo que a faz engolir a seco.

-Então menos mal, e sendo assim... – ele volta a olhar com o mesmo olhar faminto se aproximando dela. – Podemos aproveitar essa liberdade...

Luna se afasta tentando fechar a porta, mas Simón ainda é mais rápido que ela forçando-a manter aberta. Com isso Luna acaba se afastando mais ainda e permitindo que Simón entre e fecha a porta atrás de si.

-O que pensa que está fazendo? – ela perguntou com sua voz alterada e ao mesmo tempo com medo, e isso faz Simón sorri malicioso.

Luna sabia o que viria e que seu ex obviamente pretendia fazer, mas ainda sim lutaria.

-Ora... Acha mesmo que vou aceitar que terminou tudo entre a gente sem experimentar o aperto dessa bucetinha que tem entre as pernas amor? Pode até ter perdido o lacre com outro, mas ainda sim vou adorar enfiar o meu pau ai dentro e fode-la até não aguentar mais.

Os olhos de Luna se abrem em terror e ela tenta correr até seu quarto, mas Simón a pega fazendo com que caísse ao chão.

-Me larga seu filhos da puta. – ela berra tentando lutar para que ele a solte.

Simón sorri maldosamente ajeitando o seu corpo para manter o corpo de Luna prensado ao chão. Com a luta o robie de Luna acaba se afrouxando e expondo boa parte de seu corpo ainda nu somente de calcinha...

-Já está preparada para mim... Que peitos gostosos... – ele fala tentando abocanhar um deles. Mas Luna consegue dar um tapa nele o impedido de toca-la nos seios.

Furioso, Simón devolve o tapa no rosto de Luna que mesmo com impacto tenta se soltar, nisso ela esbarra em um móvel e cai algumas coisas no chão.

-Sua puta. Não Luta porque será pior. Aproveite porque tenho certeza de que no fim vai querer só ter o meu pau enfiando nessa buceta...

Luna estava com nojo e ao perceber que ele tentava tirar seu pênis para violenta-la, não pensou muito, suas mãos alcançaram um enfeite de ferro caindo ao chão e lançou na cabeça de Simón que ficou tonto com o impacto. Luna nunca havia lutado, muito menos para poder evitar a ser estuprada, mas naquele momento estando cega pelo nojo e ódio, acabou por reunindo uma força que desconhecia.

Ela não corre, somente profere um chute no pênis do seu ex que ele ainda não tinha conseguido colocar para fora. Vendo que Simón estava impossibilitado de fazer algo contra ela. Luna arruma seu robie e corre para a cozinha pegando uma faca de cortar carne e volta na intenção de fazer algo que tem haver com castração.

-Não... Não... - Simón começa a berrar vendo que Luna está prestes a esfaqueá-lo.

Ela está tão cega pelo ódio por ele ter tentado estupra-la que perdeu a cabeça.

-LUNA, NÃO... – Luna ao mesmo tempo em que escuta a voz lhe chamar, ela paralisa se dando conta do que estar prestes a fazer.

Naquele momento, Matteo havia acabado de chegar para fazer uma surpresa a Luna, já que conseguiu sair mais cedo do trabalho por conta do movimento ter sido fraco. Assim que subiu as escadas do prédio escutou um barulho estranho e a voz de Simón reclamando de dor. Pensou tudo menos que iria se deparar com a cena em que Luna tendo em mãos uma faca pronta para ser enfiada em seu ex caindo no chão com as mãos entre as pernas como se tivesse sido agredido naquela parte.

Luna não larga a faca... Ela mantem nas mãos até que Matteo se aproxima tirando das mãos dela.

-O que está acontecendo?- ele perguntou confuso.

-Me-me desculpa. - Simón fala tentando se levantar e isso faz com que Luna quase avança em cima dele, mas Matteo a segura mantendo firme.

-DESCULPA É O CARALHO SEU DESGRAÇADO, FILHO DE UMA PUTA SARNENTA. – ela o xingou tentando se soltar dos braços de Matteo.

Naquele momento Simón não tinha mais a mesma expressão monstruosa de antes, ele parecia desolado, arrependido, mas Luna não parecia comovida.

-O que você fez com ela? O que veio fazer aqui? – Matteo perguntou com um olhar irritado, mas antes que Simón responda Luna responde em seu lugar.

-Ele veio aqui para me encher a paciência e não conseguindo quis me forçar a fazer sexo com ele. Mas por sorte eu consegui me defender... Eu ia castrar o pinto desse bosta e faze-lo comer para deixar de ser um filho da puta.

Matteo que mantinha o controle até então, ao escutar o que Luna falou dessa vez foi ele quem teve que ser contido, dando um soco na cara de Simón que não revidou, já que o errado naquela historia é ele.

Realmente Simón se deu conta da merda que iria fazer. Tomado pelo ressentimento e o ego ferido, acabou perdendo a cabeça e tentando forçar Luna a fazer sexo com ele e dizendo coisas terríveis que nunca falou nem se quer para uma prostituta.

Luna segura Matteo, porque mesmo estando com raiva percebe que Simón caiu na real e estava mesmo arrependido. Se dependesse dela, teria o castrado e levado a policia... Mas de alguma maneira decidiu por fim fazer diferente do que se deixar ser movida pela raiva.

-Deixa ele Matteo. – ela falou calma.

-Como deixa-lo? Ele queria te estuprar? Isso não se faz com nenhuma mulher. – Matteo argumenta, e Luna concorda.

-Sim, mas nem eu e você vamos nos sujar por conta de um idiota. – em seguida ela olha para Simón que está caindo desajeitado chorando no chão com a mão em sua boca sangrando por conta do soco que Matteo havia dado. – Você. Levanta e vai embora.

Simón desperta e se levanta dizendo.

-Luna eu, me...

-Cala a boca. Não quero te ouvir. – ela o interrompeu. – Só escute muito bem porque não irei repetir. Vai embora e não volte mais, esqueça que eu existo e nem tente me tocar. Dessa vez vou deixar passar e não irei à delegacia te denunciar pelo que quase fez comigo. Mas se tentar novamente, eu juro que o melhor a fazer é me matar no fim, porque eu ficando viva, você vai sofrer o mesmo que eu e ainda pior. Estamos entendidos?

Simón percebe o quanto Luna o odeia agora, mas não iria questioná-la, pois depois disso não teria mais coragem de olhar para ela. Sem dizer nada ele assente e sai do apartamento.

Vendo a porta de fechar após Simón passar por ela. Pela segunda vez em todo esse tempo, Luna chora por culpa de seu ex, não por sofrer por ele, mas por quase tê-la violentado. Mas calmo Matteo a puxa para os seus braços deixando que desabafe toda sua raiva e tristeza pelo que passou. Mesmo não entende porque Luna deixou seu ex ir embora sem denuncia-lo a policia, ainda sim entenderia e respeitaria seus motivos.

Naquela noite, Matteo dormiu ali com ela, mas nada fizeram... Pois Luna estava bastante abalada por quase ter sido estuprada pelo ex-namorado, então não haveria logica dos dois continuassem a seguir como sempre fazem.

Quando Luna adormeceu, Matteo ficou observando ela dormir acariciando seu rosto. Ainda estava furioso pelo que Simón fez, e não queria pensar caso ele tivesse tocado em sua mulher.

Sim, para Matteo Luna é sua mulher, a garota maluca sem noção que mexeu com ele como nenhuma outra foi capaz, e que a cada dia se descobria ainda mais apaixonado por ela. Matteo ainda não sabia como iria se declarar para Luna e finalmente pedi-la em namoro. E tendo sorte por está conseguindo se livrar da mulherada que só vive dando em cima dele, agora seria mais fácil para receber um SIM de sua morena de olhos verdes para firmar sua relação com ele.

(***)

Simón chegou ao hotel transtornado e ainda não acreditando o que quase foi capaz de fazer, por sorte não encontrou com seus amigos, por que teria vergonha de conta-los o que quase fez, porem assim que entra no seu quarto ele dá de cara com Âmbar sentada em sua cama com olhar tranquilo mostrando que estava a sua espera.

Ele não queria lidar com ela naquele momento, muito menos com os seus sarcasmos e alfinetadas.

-O que faz aqui? Como entrou? – ele perguntou tentando disfarçar seu estado abalado e indo até o banheiro limpar sua boca ainda suja de sangue.

A loira franziu a testa percebendo que havia algo errado com ele o vendo entrar rapidamente no banheiro, mas não o seguiu.

-Consegui a chave mestra com uma das camareiras. Achei estranho que sumiu e vim saber se estava bem. – ela responde de maneira que ele pudesse escutá-la.

Ele ri com ironia terminando de limpar sua boca e volta para o quarto e vendo Âmbar ainda sentada no mesmo lugar.

-Desde quando se preocupa comigo?

-Desde sempre. Não sei por que a surpresa.

Sério e não querendo brigar Simón senta ao lado dela na cama. Âmbar gira o seu corpo mudando a sua posição para poder olhar para ele.

-Porque está com essa cara? É por causa da Luna?

Ele não queria falar, mas acaba confirmando com um balançar de sua cabeça. Âmbar respira fundo cansada de ver a mesma burrice dele.

-Não entendo o que você viu nessa garota para ficar tão obsecrado por ela. Não é amor o que sente, é obsessão pelo qual não importa o quanto está feliz com outra, mas que só ela você quer manter por perto.

Simón olha para a loira vendo que ela entendia errado por está daquele jeito por Luna. Realmente ele já havia sacado que não amava a garota há muito tempo, e que sem perceber começou uma relação com a própria loira diante dele e mesmo com a maneira dela de agir, ele gostava dela, e se sentia bem ao seu lado... Entre ficar feliz com Âmbar ou Luna, numa escala de 1 a 10 Âmbar vencia por oito pontos. No entanto, precisava explicar a ela o que realmente aconteceu.

-Eu fui procura-la e avisá-la que o tal do Matteo a trai.

-Porque fez isso quando a gente mesmo o viu dar vários foras nas garotas que ficou dando em cima dele no dia do nosso show na boate?

Simon nega...

-Eu não sei... Acho que dói mais em mim saber que ela no fim se entregou  de corpo e alma para outro do que para mim. Mas a questão é que isso é de menos... Quase fiz uma besteira.

-O que fez? – Âmbar o encara séria esperando a resposta, mas vendo ele bem de perto notou que o canto esquerdo de seus lábios está um pouco inchado como se tivesse levado um soco.

-Eu acabei perdendo a cabeça e quase a forcei fazer sexo comigo.

-COMO É QUE É? VOCÊ QUASE A ESTRUPOU? FICOU MALUCO? – a loira não contem a sua voz e fica irritada por ver que Simón havia passado dos limites.

-Não aconteceu, tá bom? Ela tacou um troço na minha cabeça e me chutou no saco... Depois disso cai na real até que eu a vi vindo com uma faca na mão para sei lá, me matar ou castrar. Se não fosse o namorado dela chegar acho que teria me matado. - ele tenta justificar.

Âmbar ao escutar aquela revelação sente um amargor subir em sua garganta.

-Pois deveria ter feito como também fazê-lo engolir. – ela não contem a rispidez, pois Âmbar apesar de seu jeito arrogante é uma pessoa justa e não aceita esse tipo de erro cometido por um homem, nem mesmo o homem que ama.

Simón encolheu seus ombros.

-Eu sei que sou um filho da puta mesmo... Ela disse que não me denunciaria, mas que nunca mais chegasse perto dela, se não me mataria.

Âmbar bufou irritada e manifesta sua indignação.

-Quer saber Simón? Eu não sei mais o que falar a você. Não adianta dizer nada porque tudo o que eu ou os rapazes falam, entra por um ouvido seu e sai pelo outro. Você simplesmente não pensa e prefere agir feito um maluco sem pensar nas consequências e nas pessoas que serão afetadas com suas atitudes idiotas. – o moreno encolhe mais os ombros sabendo que ela está certa e não rebate. – Até quando será assim? Até que tudo o que batalhamos para ter se perder e cada um seguir o seu caminho? Porra! Não deu certo o seu namoro com Luna? Bola pra frente porque ela já seguiu o seu próprio rumo e deixou bem claro para que faça o mesmo. Foda-se se ela deu pra outro cara, porque se fez é porque quis e se vai quebrar a cara por isso é problema e dela. Vai ser feliz Simón porque Luna já está sendo da maneira dela.

-Âmbar eu...

-Quer saber?- ela o interrompeu não querendo escutar explicações esfarrapadas dele. – Eu cansei.

Simón a encara confuso.

-Do que está falando? – perguntou com a voz falha.

Âmbar o encara séria, mas não hesita em responder olhando nos olhos do moreno. Seus olhos estão cheios de lagrimas mostrando o quanto ela está sofrendo por ele continuar agir daquela forma.

-Estou falando que me cansei disso tudo... Cansei de ficar sendo o seu capacho, seu step quando não está afim de ficar se esfregando com alguma fã, ou bancando o namorado perfeito da garota certinha. Estou cansada de tentar mostrar para você o quanto somos perfeitos juntos e o quanto nos entendemos, estou cansada de te amar sem receber o seu amor. Não quero que faça nada por mim por obrigação, e aceito de bom grado se não me quer como eu te quero, mas, por favor, para de me usar, porque não estou mais aguentando ver você a cada dia fazendo merda e não se tocando, seja do meu lado ou não que seja feliz e não continuando fazendo idiotices.

Simón engole a seco, jamais viu Âmbar falar daquela forma com ele. Ela não parecia furiosa, hostil, e sim cansada e sofrida por tudo que está passado com ele. Simón não poderia negar o quanto sente algo especial pela loira... E mesmo não sendo da maneira como ela espera que demonstre, ele a ama de verdade e se não fosse esse comodismo por namorar Luna estariam bem. No entanto, pela forma como Âmbar expressou seus sentimentos percebeu que poderia está lhe perdendo e isso ele não quer mesmo, e seria ainda pior que tudo quando acabou sua relação entre Luna e ele.

-Âmbar eu... – ele tentou falar, mas ela fica de costa mostrando que não quer mais ouvir suas desculpas.

Mas Simón não desiste e levanta a fazendo ficar de frente para ele. Ela não consegue olha-lo, pois não queria ver o olhar de pena do moreno, mas Simón faz com que ela olhe nos seus olhos mostrando o quanto ele sente por ela. Aos poucos aproxima os seus lábios deixando roças nos dela a sentindo ofegar pela caricia, mas não demora e a toma em um beijo delicado.

Âmbar por mais que quisesse resistir, não consegue, mesmo que seus pensamentos a força fazer porque se aquilo significa que continuaria sendo capacho dele, era melhor parar.

-Não, por favor... Pare. – ela sussurrou fraca tentando se afastar.

Mas Simón a detém em seus braços olhando intensamente em seus olhos.

-Não posso... - ele sussurra. – Eu te quero Âmbar. Te quero como você me quer. E não estou mentindo... Posso ter feito muitas burradas em todo esse tempo, mas estarei fazendo outra vez se deixa-la ir perdendo a chance de ser feliz com você. Não se trata mais de Luna, acabou tudo. Eu agora só quero você... Não precisa me perdoar, só não me deixe e permita com que eu mostre o quanto sinto de verdade por você sem mais idiotices.

Âmbar sorri com lagrimas nos olhos, pois o moreno nunca foi tão sincero com ela quanto está sendo naquele momento. Sem dizer nada ela o beija, beija apaixonadamente vendo que dessa vez as coisas seguiram corretamente entre eles.


Notas Finais


Como dizia o meu falecido avô: - Nego quando não caga na entrada, na saída é na certa! kkk
*Ressaltando que o termo "nego" não está fazendo referencia a pessoas negras, para deixar claro. Até porque meu avó era negro. Negão do poder *--*
Mas o que quis dizer! Simón cagou no pau. Oh vacilo em meu filho! Gente eu sei que na raiva qualquer um faria o mesmo que ela, mas eu descrevi a mim mesma fazendo o que Luna iria fazer com Simón se Matteo não tivesse chagado a tempo. kkkkk
No final das contas o idiota, se deu conta da burrice que que isso faria ele perder até mesmo a unica mulher que ama de verdade mesmo fazendo cagada. Agora vamos ver se ele toma jeito.
Matteo pelo visto já está decidido em pedir Luninha em namoro, mas quer encontrar uma maneira perfeita de fazer e receber o sim da morena.
Digamos que ainda faltam 3 capítulos para acabar e muita coisa pode rolar até lá... Bjs e até dia 24 quando voltarei atualizar. Reta final minha gente. Bora comentar *--* Bjs #Lutteo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...