História Simply Love (Jariana) - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Justin Bieber
Tags Ariana Grande, Jariana, Justin Bieber
Exibições 164
Palavras 1.247
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Escolar, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Acho que é a primeira vez que não estou postando um capítulo de madrugada, que evolução. Não vou mentir adoro 🌚🍷

LEIAM AS NOTAS FINAIS!!!

Capítulo 7 - O beijo


Então.... Ela é cega.

Ela apertava a bengala com tanta força, que seus dedos estavam brancos

- Vem, vou te levar para lavar o rosto, sua boca está sangrando - segurei sua mão direita, a ajudando se levantar. 

Seguimos até o refeitório, porque lá tinha uma pia para  os alunos lavarem as mãos, no caminho todo Ariana não falou nada.

- Deixe-me te ajudar - peguei alguns guaranapos, que estavam em cima de uma das mesas que haviam por ali, e comecei a limpar o canto de sua boca, que estava suja de sangue, passei um pouco de água, e depois sequei navamente.

- Ai - gemeu de dor.

- Pronto, terminei - joguei o papel no lixo.

- Obrigado - ela parecia está sem graça - Porque me ajudou? - Fiquei sem fala por alguns segundos, eu não esperava aquela pergunta.

- Porque vi que estava precisando de ajuda. 

- Eu poderia muito bem, me virar sozinha, não preciso que tenham pena de mim - Além de cega aquela garota era uma ingrata.

- Eu não te ajudei por pena - expliquei - Você deveria ser mais gentil, nervosinha, e me agradecer, ao invés de reclamar.

- Eu já agradeci, quer que eu me ajoelhe? - ralhou em um tom irônico.

- Olha aqui garota, eu tenho mais o que fazer, do que ficar aqui aguentando suas borras.

- Ah claro, o todo poderoso - sua risada sarcástica me deixou nervoso.

- Sempre, mas costumo, demonstrar meu poder, melhor nada cama - susurrei as últimas palavras, em seu ouvido, vendo os pelos de seu corpo se arrepiar.

- Sa- sai daqui Justin - espera então ela também gravou meu nome. 

- Vejo que tenho uma admiradoras secreta, por aqui, que por sinal gravou bem meu nome. - suas bochechas ficaram vermelhas. 

- Você se acha né, eu só lembrei porque a Jazzy falou, isso não significa nada - ela estava ficando mais irritada, e eu estava adorando isso. 

- Tudo bem pode me chamar de Justin - me aproximei mais dela - Mais eu adoraria te ouvir gemendo Bieber - Sussurrei em seu ouvido, e logo em seguida senti o lado esquerdo do meu rosto, esquentado.

Ela me deu um tapa

- Quem você pensa que é em ? Eu não te dei essas liberdades! Eu não sou nenhuma das vadias que você come por aí. - Seus olhos estavam fixos em mim, por um momento cheguei a pensar que ela enxergava, e aquilo tudo era só uma brincadeira.

- Qual é, eu só tava brincando - Ela estava realmente nervosa.

- Então trate de guardar suas brincadeiras, para você e seus amigos - virou as costas e quando ia saindo do refeitório, voltou até mim - Meus livros - esticou a mão esquerda, e eu entreguei. 

Ela começou a andar em direção ao corredor. Meu Deus como ela sabia, que a saída era por ali, se não enxergava?! Isso devia ser realmente difícil, mas que parecia ser prático para ela. Comecei a seguir ela, silenciosamente, quando do nada ela parou de andar virando para mim.

- Você acha que eu não sei que você está me seguindo? - Como ela sabia disso?!

- Eu não estou seguindo você, só estou indo embora também - Ainda bem que conseguir inventar uma desculpa de última rápida.

- Vou fingir que acredito - se virou novamente e continuou andando. Só que eu tinha uma pergunta.

- Porque não conta para seus pais que sofre agressões na escola - Ela parou de andar na hora.

- Isso não é da sua conta Justin, só me deixa em paz - ela parecia sentir medo.

- Talvez eu possa contar para eles, por você então, já que não quer me contar. - Sua expressão estava séria.

- Você não ousaria - soltou uma pequena risada nervosa, negando com a cabeça.

- Quer pagar pra ver ? Tenho certeza que algum deles estão aí fora te esperando, para ir pra casa, eu posso ir até lá agora mesmo.

- Não - quase gritou.

- Eu só quero lhe ajudar.

- Eu não preciso de ajuda e muito menos de mais pessoas se intrometendo na minha vida - esbravejou - E agora eu tenho que ir, e vê se me deixa em paz.

Saiu quase correndo, ela realmente ficou muito nervosa. Aquela garota me deixou com mais vontade de querer saber sobre ela, e eu iria descobrir. Ela era tão linda, parecia ser grossa por pura defesa. Ai meu Deus o que eu to pensando, eu não posso ficar com uma garota..... Cega.

POV ARIANA

Esse garoto meu Deus, meu coração estava acelerado, isso não podia estar acontecendo, ele não tinha nada que ter intrometido, sentindo pena de mim. O cheiro de seu perfume era tão bom... Não Ariana pare agora.

Me aproximei da calçada e escutei a buzina do carro da minha mãe, entrei com pressa.

- Que foi Ari que está com essa cara, aconteceu alguma coisa? Porque demorou? - fez uma pergunta atrás da outra.

- Eu estava na biblioteca - vacilei demostrando nervosismo em minha voz.

- Não parece, Tem um garoto se aproximando do carro, fazendo sinal para mim esperar ele - meu coração gelou.

- Vamos embora logo mamãe, eu tenho que terminar uns trabalhos - eu estava completamente nervosa e nem fiz questão de esconder isso. 

- Aconteceu alguma coisa e você não quer me falar - afirmou.

- N- não aconteceu nada, vamos embora log- fui interrompida.

- Ah.. Oi - eu não respondi nada.

- Oi, deseja alguma coisa? - perguntou mamãe.

- Você que é a mãe da Ari ? - Não. Ele não podia fazer isso comigo.

- Si- interrompi minha mãe.

- O que você que Justin ? Estou atrasada - perguntei o cortando.

- É que você esqueceu suas canetas comigo. Aqui está - tocou as canetas em minhas mãos. - Mas eu não tinha emprestado nada. Se a intenção dele era me dar um susto, ele conseguiu. 

- Ahh.. Está certo, não precisava devolver - falei com uma falsa simpatia no rosto.

- Claro que precisava, obrigado. Agora eu já vou indo - Vai logo merda - Nos vemos amanhã então? - NÃO.

- Acho que sim, agora tenho que ir, tchau.

- Tchau dona... - se referiu a minha mãe.

- Joan, Joan Grande - respondeu minha mãe educadamente. 

- Espera... Ari o que foi isso na sua boca? Você se machucou? - QUE RAIVA, SOME DAQUI LOGO!

- Verdade o que aconteceu filha ? Alguém te bateu? Como eu não percebi isso antes? Vamos no hospital - É por isso que eu nunca conto nada pra ela.

- Não foi nada mãe, eu só esbarrei na bengala - menti na cara dura.

- Não é o que parece - E mais uma vez ele tinha que abrir a boca.

- Mas foi o que aconteceu, agora se nos da licença, temos que ir embora.

- OK tudo bem - senti ele se aproximando de mim, o que ele tava fazendo? Seus lábios macios tocaram minha bochecha, estremeci, quando ele sussurrou em meu ouvido - Não se livrará de mim assim tão fácil - e logo depois se afastou.

- Vamos mãe - disse quase gritando.

- Vamos, mas quando chegarmos em casa, iremos ter uma conversa dona Ariana. - fiquei tensa.

Parecia que seus lábios ainda estavam encostados em minha bochecha. E aquela sensação era muito boa.

 

 

 

 

 

 


Notas Finais


Como esestamos?

Estou postando mais um capítulo agora, porque vocês comentaram, o que me incentivou bastante. ❤ Se eu tiver bastante comentários, eu posto outro capítulo mais rápido.

DEIXEM SUAS OPINIÕES.

NOS VEMOS NO PRÓXIMO CAPÍTULO MORES. BEIJOOOOO ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...