História Simply Love (Jariana) - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Ariana Grande, Justin Bieber
Tags Ariana Grande, Jariana, Justin Bieber
Exibições 170
Palavras 2.580
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Escolar, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei, tentei escrever um capitulo, maior como vocês me pediram. Espero que gostem!

LEIAM AS NOTAS FINAIS!!!

Capítulo 9 - Apaixonados?!


Fanfic / Fanfiction Simply Love (Jariana) - Capítulo 9 - Apaixonados?!

POV ARIANA

Não demorou muito para que chegássemos em casa, sai do carro sem falar com ninguém, nem mesmo com Bea, eu sabia que fui grossa com ela, e depois iria me desculpar.  

- Que cara é essa filha? – ralhou meu pai, assim que entrei na sala.

- É  a única que eu tenho – andei em direção a escada.

- Mais respeito mocinha, eu sou seu pai – Não dei atenção, e quando ia subir as escadas escuto minha, e sua querida curiosidade.

- Porque ela está assim nervosa? O que aconteceu lá na aula? – perguntou  para Bee.

_ Acho que foi por- cortei minha irmã.

- Você não acha nada Beatrice – meu tom de voz saiu grossa de mas, não era o que eu queria.

- Porque está agindo assim com a sua irmã Ariana ? – seu tom de voz agora estava serio, até demais – O que aconteceu hoje na aula? Fala Beatrice!

- Não aconteceu nada mamãe – Bee falou bem baixinho.

- Você disse que acha, mas sua irmã lhe cortou, conte logo o que você acha – meu pai tinha que se intrometer. Que raiva.

- Eu- eu n-não sei – minha irmã parecia sentir medo.

- Como você nã- interrompi minha mãe.

- PAREM DE QUERER SE INTROMETER NA VIDA O TEMPO INTEIRO, QUE DROGA – perdi o controle e comecei a gritar.

- Abaixe o tom de voz na hora de falar com os seus pais Ariana – Joan.

- Então pare de querer controlar tudo que eu faço, eu sou cega mas também não sou tão inútil.

- Você não é inútil, não diga besteiras.

- Mas é como você faz eu me sentir – limpei algumas lágrimas, que insistiam em sair de meus olhos.

- Apenas nos preocupamos com você filha, olha como você chegou hoje, tratando todos mal, até mesmo sua irmã que tanto te idolatra – Eu realmente era uma inútil.

- Amanhã mesmo eu vou lá saber o que aconteceu.

- Não, você não vai, até porque eu já disse que não aconteceu nada – falei entre dentes.

- Mamãe, eu só ia dizer que eu acho que a Ari está assim, porque ela errou alguns passos hoje, então deve ter ficado chateada com isso – Mesmo eu a tratando com grosseria, ela me defendeu.

- Ta explicada então, dessa vez eu vou acreditar em Bea viu dona Ariana – bufei e comecei a subir as escadas, e Joan não satisfeita, continuou reclamando com meu pai.

Abri a porta do meu quarto, deitei na cama agarrando meu travesseiro, e comecei a chorar, um choro sentido. Esse garoto mal apareceu e já está me causando problemas. Eu só queria ter minha vida de dois anos atrás de volta, eu apenas queria ser normal, e parar de depender tanto dos meus pais, mas acho que isso iria demorar pra acontecer, isso se acontecesse algum dia.

POV JUSTIN

Cheguei em casa com Jazzy me enchendo minha paciência falando sobre a Ariana.

- E aí demoraram, posso saber o porque? – minha mãe estava com um olhar desconfiado.

- Porque Jus estava paquerando minha amiga – Jazzy e sua boca abençoada.

- Como assim Justin, vai ficar atacando criancinhas agora? Eu não te criei para isso não garoto – caí na gargalhada.

- Primeiro, eu não estava paquerando ninguém, só rolou uns beijinhos e .. – fui interrompido.

- OMG, vocês se beijaram – soltou um gritinho – Bem que eu estava desconfiando.

- JUSTIN BIEBER, ME EXPLICA ESSA HISTÓRIA DIREITO – gritou minha mãe.

- Calma mulher, ela não é criança não – pude ver ela soltando um suspiro, e colocando as mãos no coração em sinal de alivio – Não tem o que explicar, foi só uns pegas.

- Ela é uma menina descente? – como sempre curiosa.

- Sim mamãe, ela super educada, doce, gentil, carinhosa e muito legal – Jazzy já estva me enchendo o saco, com esses elogios toda hora.

- Menos mal, você podia trazer ela aqui pra mim conhece-la  - O QUE? Ela sabe não trago garotas para essa casa.

- Claro que não, você sabe que eu não trago ninguém aqui, e outra foi só uma ficada – me joguei no sofá.

- Você não tem jeito mesmo viu – balançou a cabeça em sinais negativos.

- Ela é tão linda mamãe, você tem que conhecê-la. Ela e Jus formariam um casal perfeito.

- Não inventa Jasmine, vire essa boca pra lá – peguei meu celular do bolso para ler minhas mensagens.

- Jazzy deve está certa mesmo – concordou minha mãe.

- To saindo, fiquem aí com suas loucuras sozinhas – elas apenas deram risada.

Entrei no meu carro e segui a caminho da casa do Ryan, ele ainda ia me ouvir muito, por ficar agredindo a Ariana.Tudo bem eu até fico zoando os nerds mas não quero que a Ariana seja zoada.

Em torno de vinte minutos, eu já estava na frente da casa de Ryan, entrei sem chamar a porta estava aberta, e eu tinha essa intimidade lá mesmo e nem me importei, logo encontrei o mesmo sentado no sofá da sala jogando videogame.

- Cheguei veado – entrei na cozinha e peguei uma garrafinha de cerveja na geladeira.

- Não tem bebida em casa não? – não tirou a atenção do videogame.

- Não, por isso vim aqui bebê de graça – dei um tapa na aba de seu boné fazendo com que o mesmo caísse para trás.

- Vai ir na festa do Chris sábado né?!

- Claro que vou, vai ter várias gostosas, Justin Bieber não perde tempo – falei com um sorriso irônico.

- To contando oas horas, vai ter tantas gostosas, que só de imaginar meu pau se anima – soltou uma risada.

- Ryan agora é serio, eu não quero que você zoando  mais com a Ariana – meu tom de voz estava sério.

- A ceguinha? Qual é dude, porque toda essa defesa agora? – largou o controle, olhando para minha cara, com um sorriso debochado.

- Porque não acho legal ficar  zoando uma garota que não pode se defender – tentei ser o mais convenente possível.

- Ta apaixonadinho pela ceguinha é? – tirou uma onda com a minha cara.

- Justin Bieber não se apaixona – dei uma gole na cerveja – Mas não quero que você implique mais com ela.

- É só ela não entrar mais no meu caminho – acho que perdi alguma coisa – Naquele dia que perdi o treino, foi por culpa dela, que fui para a detenção.

Alguma coisa não estava se encaixando bem nessa história, e se eu perguntasse para Ryan é claro que ele iria omitir várias coisa, deixando tudo ao seu favor, ainda mais porque ele não gosta de Ariana.

- Consegue deixa-la em paz? – ele me lançou um olhar desconfiado, levantou indo para a cozinha, e eu o segui, vendo ele pegando uma cerveja.

- Porque você está defendendo ela? Sou seu amigo me conte a verdade – seu olhar estava sincero, e eu sabia que podia confiar nele.

- Po- porque eu fiquei com pena dela – resolvi mentir, eu não a ajudei por pena, e sim porque eu quis.

- Não parece que foi por pena, eu sei que você ta mentindo, te conheço desde criança, desembucha – eu realmente não conseguia mentir para Ryan. Merda.

- Eu fiquei com ela – Ryan cuspiu a cerveja na mesma hora.

- Você ficou louco cara? Como assim você pegou a cega – seus olhos estavam arregalados.

- Não fala assim dela – passei as mãos no rosto e suspirei.

- Mas vocês transaram? Como foi isso ae? Ela é boa de cama pelo menos?

- Não transamos, foi só uns beijos – peguei outra cerveja na geladeira.

- E quando foi isso? Ela beija bem? – Ryan sabia ser irritante quando queria.

- Foi hoje quando fui buscar Jazzy na aula de ballet, e até que ela beija bem – soltei um sorriso sacana – Só que depois ela me deu um tapa na cara.

- O que? Você da a chance da garota perder o BV e ela ainda te bate – soltou uma gargalha – Tu é um trouxa, sério.

- Será que ela ela era BV? – minha expressão era de duvidas.

- Claro que era, quem ia ser o louco de querer algo com ela? – fingiu pensar – Claro, só você mesmo – gargalhou batendo palmas.

- Cala a boca Ryan, e esse assunto morre aqui.

- Sim, até porque seria péssimo o popular pegar a nerd, que clichê em Justin – soltou outra gargalhada, joguei uma maçã nele, que desviou.

- Que? Eu só estou falando a verdade – fez sinal de rendição com as mãos – Eu ainda acho que você ta se apaixonado pela ceguinha – olhei feio para ele – Ops.. Ariana.

- Claro que não, não viaja, sábado vou pra festa do Chris e pegar todas – terminei de beber minha cerveja.

- Não acredito muito nisso não, mas vamos ver no que vai dar. E fica tranquilo, eu não vou mais perturbar sua garota – vi que ele estava segurando a risada.

- Vai se foder Ryan, ela não é minha garota – amostrei o dedo do meio pra ele.

- Já que ela não é sua garota, vou ir dar uns beijinhos nela  também.

- Tenta pra você ver – minha expressão estava de raiva.

- Mas vocês dois não tem nada.

- Mas você é meu amigo, e ela também não ia querer ficar com você, ela te odeia – arrebati.

- Eu estava zoando, fica tranquilo, não vou pegar sua garota – deu ênfase no sua.

- Não adianta discutir com você, vamos jogar uma partida de futebol.

- Partiu – fomos em direção ao jardim.

(...)

POV ARIANA

E aqui estava eu andando, mas uma vez no corredor da escola, indo para sala de aula, agora seria aula de inglês. Até que sinto uma bancada forte na cabeça, me fazendo cair com tudo no chão, não tive tempo de processar meus cabelos estavam sendo puxados, eu estava sendo arrastada, comecei a chorar.

- P- para – pedi, entre soluços – Po- por favor.

- Cala a boca vadia – reconheci a voz e era ele, Ryan.

- Eu não te fiz nada – ele parou de me arrastar, e segurou nos meus braços me levantando, entando dentro de algum lugar que eu não sabia nem aonde era.

- Você sabe que fez, não seja sonsa – eu balançava minha cabeça, fazendo sinais negativos.

- Solta ela agora Ryan – era ele.

- Qual é Justin, virou defensor dos cegos agora? – soltou uma risada irônica.

- Sai fora daqui logo – esbravejou.

- Eu vou, mas só dessa vez – sua voz carregava ameaça. Escutei seus passos se afastando e logo depois, a porta batendo com força.

- Você está bem Ari? – passou as mãos em meu rosto limpando minhas lágrimas.

- Sim.. Obrigado – minha voz estava muito baixa.

- Não precisa agradecer princesa – senti minhas bochechas esquentarem, e abaixei a cabeça.

- Você me deixou sem graça.

- Essa não era a minha intenção – senti ele pegando na minha mão direita e acariciando, como se quisesse me passar segurança – Você está mexendo comigo garota – sua voz dessa vez, saiu baixa.

- Digo o mesmo – senti seus lábios encostarem nos meus, iniciando um beijo, cheio de desejos, coloquei minhas mãos em volta do seu pescoço, gemi quando senti ele mordendo meu lábio inferior.

-Ju- jus, vamos parar por aqui – ele apertou minha cintura, com um pouco de força.

- Mas está tão gostoso – ralhou entre o beijo, ele começou a beijar meu pescoço, e logo chupando meu ponto de pulso, me fazendo soltar um gemido, um pouco mais alto.

- Não devemos – suas adentraram minha blusa, aquela sensação estava tão gostosa que não dava vontade de parar.

- Eu sei que você quer – apertou meus seios, me fazendo arfar – Você quer tanto quanto eu – arranhei sua nuca.

- Ariana – continuei gemendo – Ari – eu estava fraca demais para responder.

- ARIANA – Abrir os olhos dando um pulo da cama.

- Que susto – coloquei as mãos no coração, sentando na cama.

- Você estava falando coisas estranhas – era Bea – E está toda suada, estava tendo um pesadelo? – perguntou-me.

- N- não foi só um sonho e que sonho – fiz um coque mal feito em meus cabelos.

- Certo já vou indo – sua voz carregava tristeza, foi quando me lembrei de como a tratei mal hoje mais cedo.

- Bee – a chamei cautelosamente.

- Fala – Sim ela estava chateada.

- Me desculpe por ter te tratado mal hoje mais cedo, é que eu tinha me desentendido com o Justin e estava muito irritada e quando chegamos aqui em casa eu só não queria que a mamãe soubesse sobre o Justin – suspirei – Eu fiquei nervosa e com medo de você contar, e obrigado também por não ter dito a verdade – minha expressão estava de totalmente arrependida.

- Dessa vez eu vou te desculpar, porque te amo muito – sua voz já estava doce novamente – Da próxima vou ficar sem falar com você por uma semana.

- Obrigada Bee, agora me de um abraço – abri os braços, e logo sentir seu corpo sendo chocado ao meu, seu cabelo tinha cheiro de Tutti Frutti – Eu também te amo muito.

- Mas o que aconteceu entre você e o irmão da Jazzy? Porque estavam brigando? – estava demorando.

- Ele me beijou – eu não tinha amigas, eu sei que minha irmã era mais nova que eu, mas eu precisava contar isso para alguém.

- Meu Deus – começou a gritar e pular.

- Para Bee, eu não quero que a mamãe entre aqui.

- Eu sabia que ele gostava de você – minha expressão foi de confusa – Ele te olhou como se estivesse apaixonado, ele olhou para você igual os namorados olham para as namoradas.

- Não invente besteiras Bea, isso é coisa da sua cabeça.

- Acho que não é só ele que está apaixonado aqui em – sentou no meu colo.

- Mas não tem ninguém apaixona- fui interrompida.

- Tem sim, você também está apaixonada por ele, isso é tão lindo Ari.

- Eu não estou Bee, para – senti minhas bochechas esquentarem.

- Ficou até vermelha, e com vergonha – encheu meu rosto de beijinhos – Mas porque vocês estavam brigando?

- É complicado... – suspirei – Você já está sabendo demais, já está bom hoje.

- Mas..

- Sem mais Bee, agora vai jantar – levantei ela do meu colo, dando dois tapinhas em seu bumbum.

- Você não vem? Mamãe vai ficar brava.

- Eu estou sem fome – fiz uma careta – Vou tomar banho e voltar a dormir.

- Tudo bem então, mas ainda acho que a mamãe vai subir aqui furiosa atrás de você – avisou.

- Eu sei, e por isso vou trancar a porta – ela gargalhou.

- Você é a melhor – me abraçou – Agora vou indo – beijou minha bochecha e logo ouvir ela se afastando.

Levantei pegando minha bengala, e indo em direção a porta para tranca-la, depois de missão cumprida, fui para o banheiro e comecei me despir, liguei o chuveiro, e deixando a temperatura morna, entrei no box e sentir a água morna escorrendo sobre meu corpo.

- Ariana – batidas na porta – Ariana abra essa porta.

Encostei minha cabeça na parede fria, fechando os olhos, desligando-me do mundo real por alguns minutos, e as lembranças vieram. O beijo, o sonho, esse garoto está mexendo comigo, e o pior isso não poderia acontecer, pois eu sabia que no final eu sairia magoada.

Narrador

Mal sabia a jovem Ariana que alguns K m  dali,  estava o garoto do perfume cheiroso, pensando na mesma, se perguntando-se como essa garota, em tão pouco tempo, conseguiu entrar em sua vida e bagunçar seus sentimentos, o deixando confuso.


Notas Finais


CUIDADO COM AS BURRAS QUE PENSARAM QUE O JUSTIN E A ARI IRIAM TRANSAR. HAHAHA ERA SÓ UM SONHO. ADORO!

Eu estava pensando em fazer o amor deles ser tipo "Amor proibido" pela mãe da Ari, o que acham? traria mais emoção pra fic, ser proibido não significa que não vai rolar!

ESSE CAPITULO ME DEU TRABALHO, ENTÃO SEJAM BONZINHOS E COMENTEM SUAS OPINIÕES! BEIJO MORES <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...