História Simply Words - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Pentagon (PTG)
Personagens E'Dawn, Hong-seok, Hui, Jin-ho, Kino, Shin-won, Woo-seok, Yan An, Yeo One, Yuto
Tags Kino, Kiyu, Pentagon, Yuno, Yuto
Visualizações 38
Palavras 1.674
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Escolar
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!
E muito amor ao Pentagon! <3

Capítulo 1 - Aluno novo


Fanfic / Fanfiction Simply Words - Capítulo 1 - Aluno novo


Kino era pretensioso. Sentia o prazer de poder saber tudo ou ao menos tentar.


Naquela noite no mesmo horário e no mesmo computador depois de horas olhando para aba de notas pensando se deveria ou não mandar. Talvez devesse enviar? Mesmo depois do final? Daquele final? Maldito final. Depois de ter acabado de ler o livro foi direto para o seu computador e descontou toda sua raiva nas teclas dele. Depois de ter colocado toda sua frustração no rascunhos ficou lendo e relendo o que tinha escrito. Que vontade que tinha de mandar, tinha gostando da sua argumentação, mas e se ofendesse o autor? Bem, livros foram feitos para serem lidos e argumentados; o escritor podia muito bem diferenciar um texto dissertativo para um texto ofensivo, afinal, era um escritor.


Mesmo assim, por que havia diferença naquela história? Era um grande livro! Um grande final, deslumbrante e pensador. E nunca ia saber se os textos que mandava era enviados ao o autor ou suas secretárias. Estressado, Kino resolveu fechar seu computador e guardar o livro em cima da mesa de madeira. Ele iria ver o que faria amanhã, mas o problema era que para ele não tinha essa de ver o que iria fazer. Ele decidia naquele momento. Se começava tinha que terminar, arranjar uma solução. Isso era tudo estranho para Kino e para sua rotina de domingo.

Aliás o que seria um adolescente sem seus grandes pensamentos em um domingo a noite?


*
- Eu estou te falando ele é totalmente desligado! - Jinho falava sobre Wooseok, o cara do terceiro ano que tentava falar há 2 semanas - Eu tento puxar o assunto, eu sento do lado dele, falo algumas coisas, ele me olha e depois volta a sua atenção pro seu quadrinho de super heróis! Sempre saio de lá com uma cara de bunda.- JInho encostou sua cabeça no ombro do amigo e suspirou frustado.


- Talvez ele seja tímido...


- Tímido!? Tímido como? Eu o vejo no corredores rindo alto com Hongseok, Hui e Edawn. Por que não somos populares? Podíamos muito bem ser amigos de todo mundo e eu podia pedir para uns dos amigos do Wooseok me apresentar a ele, mas como somos dois azarados não temos o privilegio disso. 


- Precisamos ser populares para sermos apresentados a ele? - Kino olhava para Jinho que agora estava olhando em direção a ele.


- Claro que sim! Como eu falei, não temos o privilegio do relacionamento de amizade da escola. Somos tipo... O-os invisíveis, mas de certa forma importante, entendeu?- JInho exclamava com as mãos enquanto explicava para ele o porque deles serem os invisíveis importantes até que a sinal da escola tocou os lembrando das suas aulas.


- Aula de literatura?- Perguntava Jinho enquanto colocava sua mochila nas costas.


- Sim, com Sra. Sun Hee


- A que tem verruga?


- Essa mesmo.


- Cara, cuidado. Sempre que ela começa a falar aquela verruga mexe junto. Sempre ela passa pelos corredores e cumprimenta, vejo a verruga falando Annyeong-haseyo - Kino dava gargalhadas enquanto juntavas seus cadernos do banco.


- Você é nojento, Jo Jinho.


- Te vejo no recreio?


- Fechado.
**
- Olá, Bom dia a todos! Antes de começar a aula temos um novo aluno.- Todos começaram a sussurrar sobre o aluno desconhecido. - Entre e se apresente.


- Bom dia a todos, sou Adachi Yuto e espero que você cuidem de mim nesse ano. Obrigado.- Adachi fez uma reverencia curta e rápida cumprimentando a todos. Ele era moreno e de voz curiosamente grossa. Seus olhos e cabelos também eram escuros. E sim, Kino reparava muito nas pessoas.


- Pode se sentar ali.- Sra. Sun Hee apontava atrás da Sunny que já massacrava o coitado com os próprios olhos. Boa sorte para o Adachi.


- Agora que já apresentei o novo aluno, vamos voltar aonde paramos. Por favor, peguem o livro da aula passada para terminarmos o exercício. E Adachi Yuto pode dividir o livro com o Go Seunjun.- Kino pegava o livro de dentro da sua mochila que se chamava ''Chamas por amor''.  Era um romance, um clichê, talvez besteiras, mas besteiras que serviam para boas argumentações.


*
- Bom, ainda faltam 15 minutos para tocar o sinal. Vamos debater um pouco sobre o livro? Qual a opinião de vocês sobre ele?- Sra. Sun Hee falava enquanto sentava na sua cadeira e fechava o livro.- Começando por...Hmm... Que tal Hyunggu Gu?!


- Ahn... Acho que Yangmin não deveria ter ido embora, se ela o amava porque ir embora? É claro que o sonho dela era ir embora, viver sua vida, mas poderia ter levado Jiyoung. 


- Por que ela queria ir sozinha. Não estava no planos dela um cara qualquer aparecer na sua vida assim.


E foi na hora que Adachi começou a falar que as coisas ficaram interessantes.


- Mas em uma parte do livro ela mesmo se questionou sobre o levar junto. Ele falou que estava disposto a ir. Ela foi sozinha por medo, então? -Cada vez mais a expressão de Kino se retorcia em revolta.


- Sim. - Adachi respondeu, simplista.


- Do quê exatamente?- Nessa hora Kino se virou para olha-lo.


- Talvez do futuro. De ele poder de alguma forma atrapalha-lha no seu caminho.


- Mas se ela o amava, como ele poderia atrapalhar ou prejudicar?


- Mesmo amando as pessoas elas atrapalham e são prejudiciais. Uma coisa não tem relação com a outra. Mesmo estando na nossa cara as vezes não vemos isso e ela não quis arriscar perder essa sensibilidade de julgamento. Todos julgam Yangmin por ter ido embora sem falar para o Jiyoung, mas acho que ninguém olhou o lado dela. Sempre olham o lado de quem sofreu, aparentemente. E também o livro acabou no capitulo de Jiyoung chegando na escola sem Yangmin. Ou seja, o livro terminou na visão de Jiyoung. E Yangmin ficou com a imagem de egoísta, orgulhosa e suja, mas ninguém sequer refletiu o sofrimento dela. E é nessa parte que nós como leitores, devemos olhar ao redor e não apenas o final que o livro mostra.- Quando Adachi acabou de falar o sinal tocou, sem deixar tempo para uma resposta. Kino olhou para Adachi e seus olhos refletiam negros.


- Bom argumentos, meninos! Com base no livro e também nos argumentos do Adachi Yuto e Kang Hyunggu quero que vocês escrevam um texto sobre a opinião de vocês sobre o livro. Entrega na próxima aula! Boa semana. - A professora falava enquanto todos guardavam suas coisas e sussurravam sobre o clima tenso instalado na aula.


Quando Kino voltou o olhar a cadeira de Yuto, ele não estava mais lá. Kino estava surpreso pois ninguém daquela aula tinha opinião, ou pelo menos coragem para externar algo, - era o que aparentava ser- a não ser ele. Kino ficou satisfeito por compartilhar suas opiniões com outra pessoa que tivesse segurança nas suas falas.


 Enquanto Kino ia em direção a cantina ele pensava em como Adachi tinha equilíbrio, ousadia e prudência em suas palavras.

*
- Depois ele saiu e eu nem vi! E foi o que aconteceu.- Kino comia seu bolo de arroz enquanto contava para Jinho o que tinha acontecido na aula de literatura. Jinho ouviu tudo com muita animação.


- E você veio direto pra cá!? Por que não foi atrás dele?- Jinho falou com indignação.


- Sim! Eu nem o conheço direito e conversei com ele através de uma discussão se é--


-Um debate, não discussão! - Jinho enfatizou com solidez.


- Ok! Você entendeu, Jinho. Vamos trocar de assunto. Então, como vai a situação com o grandão?


- Na mesma como sempre, estou pensando em desistir. - O mais velho pegava seu celular e começou a mexer nele.


- Por que? Você ficou todo semestre tentando falar com ele. Vai desistir agora? - Jinho levantou o olhar e Kino viu a pior cara de chateação de Jinho. Era uma expressão rara, mas sempre cortava seu coração.


- Por isso mesmo! Eu sempre tentei e ele nunca deu bola, não vou ficar insistindo. Você sabe que eu nunca corro atrás de alguém, esse é meu limite. - Jinho falava essas palavras com dificuldade evidente.  Kino colocou sua mão sobre o ombro do amigo e lhe deu um sorriso de segurança.


- Aish! Vai ser difícil, por que oras... Aquele menino é muito bonito para ser esquecido! E você vai me ajudar com isso!- Jinho apontava para Kino enquanto lhe olhava com aquele ar de quem está querendo alguma coisa.


- O que é dessa vez?


- Vamos para uma balada quarta- feira! E nem começa a fazer essa cara por que você vai sim.


Kino não gostava muito de baladas. 1°. Por que eram barulhetas. 2°. O cheiro de cigarro era o pior de todos. 3° As bebidas não eram as melhores e sim Kino bebia, mas se passasse de 2 garrafas e meia podia ter certeza que estaria mortinho.


- Ai não Jinho! E por que quarta-feira?


- Se lembra que sempre tem aquele jantar 1 vez mês por mês? Que junta todo mundo até quem ninguém se lembra?


- Sei, mas mesmo assim não sei se vou.


- Vamos! Por favor, me ajude a esquecer aquele poste - Jinho o olhou com o maior aeygo que já tinha visto. Ele ficou minutos assim até que Kino respondeu:


- Tá bom, tá bom! Mas eu não vou ficar tomando conta de você como da ultima vez! Ouviu?


- Tá tudo bem! Vou me comportar, eu prometo. - Kino sabia que tudo o que Jinho jurava não era feito. Kino já estava se preparando psicologicamente para aquela quarta-feira.


- Vamos, nós temos que ir! Você sabe que quando o professor entra na sala nós já temos que estar lá e eu não quero ganhar mais uma falta nessa aula.- Kino puxou Jinho que fez o mesmo, quase deixando cair o celular no chão. E lá estavam eles, os invisíveis importantes, indo para a aula de matemática enquanto esbarravam um no outro.
 


Notas Finais


Essa é a minha primeira história e confesso que estou bem ansiosa e nervosa! Espero que vocês gostem muito dessa fanfic e quem não gosta de um Kiyu bem cheirosinho? Obrigada quem leu até aqui, você é um guerreiro EWJDNEWJKD
Até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...