História Sing For You - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Sehun, Xiumin
Tags Ballet, Dança, Exo M, Exo-k, Sekai
Visualizações 129
Palavras 2.054
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Escolar, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Cross-dresser, Homossexualidade, Pansexualidade, Transsexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu demorei bastante pra essa att, não é?

Me desculpem, eu estava com um pouco de bloqueio criativo enquanto escrevia uma parte mais avançada da fanfic.

Espero que realmente estejam gostando :')

Recadinho nas notas finais~~

Capítulo 6 - Sixth


»┄┅┈┅❁•19•❁┅┄┅┄«

Jongin foi acordado com sua mãe batendo em sua porta. Ele havia dormido tarde na noite passada pelo fato do time favorito dele e de seu pai estarem jogando. Senhora Kim sabia que teria que acabar tendo que sacodir o menor para que acordasse, e não deu outra.

A escola o esperava e o mesmo precisava desesperadamente de uma noite de sono melhor. Suas olheiras não diziam outra coisa. Mesmo assim, mesmo com muito sono e com uma vontade tentadora de deitar-se novamente, ele arrumou-se para a escola.

A quarta série era uma coisa que o assustava. Além de ter ouvido várias histórias de seu pai sobre seus dias no quinto ano, ele percebeu que teria matérias extremamente mais difíceis que as do ano interior.

Ficar com medo era normal, afinal, temos medo do novo.

Seu pai o levou de carro, já que era caminho para seu trabalho. Deixou o garoto na porta da escola e logo foi embora. O pequeno olhava os grandes portões abertos enquanto tentava tomar coragem para entrar. Nem acreditava que o tempo havia passado tão rápido.

— Jongin-ah! O que está fazendo parado aí? Não vai entrar na escola? — Perguntou Yeonkong enquanto botava uma de suas mãos sobre o ombro do, agora, mais baixo. — Vamos! Seulgi deve estar esperando por nós. — Disse o puxando pelo braço para a enorme escola.

A sala de aula ainda tinha os quadros vazios, já que era o primeiro dia do ano letivo, não tinha trabalhos feitos para serem mostrados.

Seulgi, apesar de ser mais nova que Jongin e Yeonkong era avançada. Sempre esteve na mesma sala que os dois e nunca nem ao menos repetiu. Suas notas eram excelentes e isso causava um pouco de inveja nos dois meninos, principalmente em Yeonkong, que não conseguia aparender tão fácil a mateira que era passada e tinha que pedir ajuda para seus amigos.

A garota abraçou os dois ao mesmo tempo quando entraram, as gargalhadas felizes se puseram presentes e, com isso, nem consiguiram perceber que, por algum acaso, Oh Sehun estava sentado na última cadeira do canto da sala.

A professora fez um pequeno jogo para todos se apresentarem, mas Jongin e Yeonkong quiseram realmente ir para frente da sala para o fazerem.

Assim foi. Só com esse ato o Kim conseguiu avistar Sehun.

— Olá! Meu nome é Kim Jongin e tenho oito anos. Espero que sejamos todos amigos. — Se curvou ao terminar e deu espaço para seu amigo.

— Olá! Meu nome é Jong Yeonkong, tenho nove anos e espero que cuidem de mim! — Fez o mesmo ato de seu amigo e os colegas de sua sala todos bateram palmas. Até mesmo Sehun.

A professora pediu para um dos dois escolherem outra pessoa para ir até o quadro e se apresentasse. Era claro e óbvio que a ponta do dedo de Jongin foi parar na direção de seu vizinho.

— Oh! Venha! Se apresente para os seus amigos. — Disse a professora. Jongin olhava para Oh com o maior sorriso em seu rosto, mesmo que o mais novo não estivesse esboçando nada.

— Meu nome é Oh Sehun. — Disse e se curvou. Estava quase voltando para o seu lugar quando Jongin o puxou pela camisa, fazendo-o voltar..

— Quantos anos você tem? — Perguntou. Sehun o olhou como se fosse o matar.

— Você sabe quantos anos eu tenho.

— Mas a turma não! Diga logo... Por favor, Sehunnie!!! — Pediu fazendo bico.

— Não me chame de Sehunnie. — Disse. Então, a professora entrou no meio, fazendo o mais novo ficar mais extressado do que já estava.

— Ah, vamos lá, Sehun-ah! Fale a sua idade para a turma! Eu estou curiosa... E aposto que a classe também. — Afirmou e o mesmo bufou derrotado, para a felicidade de Jongin.

— Sete. — Disse e olhou para Kim como fosse o matar, mas o mesmo continuava com o sorriso em seu rosto. — Posso me sentar? — Perguntou e a professora assentiu logo escolhendo outro aluno para se apresentar.

Não tiveram muitas atividades, já que o primeiro dia servia para todos se conhecerem. Sehun continuou em seu canto, sozinho. No fundo, ele preferia ficar assim do que ter que ouvir os seus colegas da sala falar de Jongin, já que o mesmo conseguiu fazer amizade com todos em menos de dez minutos, assim como seu amigo, Yeonkong.

Ele também sabia que iria embora com o mais novo como sempre foi, morar ao lado da pessoa que você não tem muita simpatia estava virando uma tortura num nível elevado ao extremo para o mais novo. Kyunho, além de ter saído do Ballet, acabou se mudando e Baekpeom havia ido para outra classe. A única coisa que fazia Sehun agradecer é que Jongin também mudou de sala. Agora o uniforme do não tão mais baixo que si agora era de um azul escuro bem bonito.

Ele não sentia inveja dele por ter passado para uma outra etapa do ballet, afinal, Sehun não conseguia pegar os passos tão facilmente quanto ele, apenas gostava da cor do uniforme dos mais velhos. O azul céu do seu estava o deixando enjoado.

Ele também detestava o fato de seus pais serem amigos dos pais de Jongin e por causa disso quererem que os dois fossem amigos. Ele não suportava o jeito que Jongin tentava de todas as maneiras fazer o mais novo gostar de si. Seu sorriso e o olhar que o mesmo jogava para Oh o deixava completamente estressado e com raiva. Parecia que ele ficava zombando de Sehun.

Ele não gostava.

As aulas acabaram e Oh agradeceu aos céus. Finalmente poderá ficar em casa e tentar acabar de jogar seu jogo favorito sozinho e sem ninguém para o perturbar.

Ele esperava o mais velho em frente ao portão da escola enquanto observava o mesmo com os outros garotos conversando. Estava quase indo até lá e puxando o mesmo para irem logo, mas foi interrompido.

— Hm... Você é Oh Sehun? — Perguntou o garoto que era bem mais baixo. Ele tinha um olhar esperançoso e o castanho escuro havia cativado o mais velho.

— Quem é você? — perguntou virando-se para o mesmo. Um sorriso fofo se pôs em seus lábios e suas bochechinhas ficaram vermelhas por receber tanta atenção que, em sua mente, não era esperada.

— Do Kyungsoo... — Disse enquanto brincava com os seus dedinhos. — Quer ser meu amigo? — perguntou e Sehun riu baixo com o pedido do menor.

— Pode ser. — Disse ainda com um sorriso no rosto. — Você gosta de Dragomon? — Perguntou, mas não recebeu uma resposta já que Jongin havia chegado com um grande sorriso cínico.

— Quem é esse? — Perguntou para Sehun apesar de olhar para o garoto que tinha a estatura mais baixa.

— Não te interessa! — Disse Sehun o olhando também sorrindo cínico.

— Se não me interessasse eu não teria perguntado. — Respondeu cruzando os braços.

— Eu sou Kyungsoo, o novo amigo de Sehun-ah! — Disse o mais baixo dos três.

— Espera, você é mais velho? — Perguntou e o mesmo assentiu.

— Eu sou do sexto ano.

— Então, como sabe meu nome? — Perguntou Sehun com um semblante confuso.

— Eu perguntei pra uma garota da sua sala... Daí ela disse! — Respondeu e sorriu orgulhoso.

— Wooah! Olha! Minha Omma já chegou, vamos Sehunnie! — Disse Jongin passando por entre os dois garotos enquanto corria em direção à mulher.

Kyungsoo pareceu não gostar tanto da atitude do mais novo que si, idem Sehun. O mais alto dos dois respirou fundo e segurou as alças de sua mochilinha.

— Não se preocupe, Soo-hyung... Ele é assim mesmo. — Disse enquanto lançava um olhar de reprovação para o Kim que entrava no carro de sua mãe. A mulher continuou em pé, esperando pelo garoto. — Eu tenho que ir... Te vejo amanhã! — Disse sorrindo de canto. Antes de o mesmo poder se mover, Do se aproximou e o abraçou.

— Até, Sehunnie! — Disse abafado, fazendo o pequeno rir.

Jongin conseguia ver tudo de dentro de carro e novamente havia ficado chateado. Sehun havia conseguido um novo amigo e mesmo assim nem ao menos o notou.

Quando o garoto entrou no carro e sentou-se ao seu lado enquanto botava o cinto, Jongin o olhava esperando que falasse algo, mas nada saiu de seus lábios, o que o deixou completamente decepcionado novamente. Eles deixaram o mais novo na porta de casa e o Kim até estava pensando de perguntar para a Senhora Oh para que pudesse ficar e brincar com Sehun, mas ele não iria gostar e ficaria com cara feia até que Jongin saísse.

Não valia a pena.

»┄┅┈┅❁•20•❁┅┄┅┄«

Kim Jongin estava se sentindo infantil enquanto chorava baixinho. Seus bonecos de super-heróis estavam com a mesma expressão de fodões e com as sobrancelhas juntas, eles pareciam completamente durões e isso o lembrava Sehun. Sempre que estavam juntos o mais novo fazia essa cara. Por mais que Jongin fizesse piadas, tentasse o fazer cócegas, ou até mesmo sorrisse para ele.

Isso costumava funcionar quando as outras pessoas faziam com o jovem Oh, mas por que não com Jongin? Afinal, o que ele realmente fez? Por que ele era tão ruim e frio com Kim?

Essas perguntas ecoavam em sua mente enquanto olhava para seus brinquedos.

— Yah! — Uma voz se fez presente, assustando o garoto. — Aish!!! Esse som está me irritando, pare! — Disse novamente. Jongin agora ficou quietinho. Seu semblante era confuso. A voz parecia ser feminina, mas estava sendo forçada para ficar mais grossa. Tanto que logo foi ouvida uma tosse após as palavras ditas. Jongin se levantou em silêncio e olhou em volta, porém, não encontrou nada. — Pare de ser bobo! Eu não estou no seu quintal.

— Onde você está então? — Perguntou e logo se ouviu uma risada.

— Aqui, bobão! — Disse acompanhada de batidinhas. A garota estava do outro lado da pequena cerca que limitava o quintal dos Kim para o quintal do vizinho.

— Qual o seu nome? — Perguntou Jongin se aproximando da cerca e sentando-se em frente ao mesmo.

— Você não precisa saber! Apenas... Pare de chorar... Você parecia um bebezinho!!! — Disse. — Hm... Qual o seu nome?

— Eu só falo o meu se você falar o seu! — Disse Jongin cruzando os braços. Ouviu-se alguém chamando um nome, mas o mesmo não pareceu tão claro.

— Eu tenho que ir. — Disse e levantou-se.

— HEY! Não me deixa sozinho, por favor! Volta aqui... — Pedia desesperadamente, mas os sons dos passos apressados da garota foram ouvidos e não tinha mais nada a fazer.

Ela já havia ido.

Após esse acontecimento, Jongin tentava pensar: Quem seria a dona da voz? Será que ela voltaria novamente? Será que Sehun a conhece??

Ele respirou fundo e voltou para o lugar onde estava. Mesmo que a garota tenha ido embora, ele não sentia mais vontade de chorar, estava bem melhor que antes e o boneco de super-herói não lembrava mais Sehun tanto quanto antes.

»┄┅┈┅❁•21•❁┅┄┅┄«

— Ela era de verdade! Eu não estou maluco!!! — Defendeu-se Jongin enquanto botava a mão sobre seu peito.

— Céus, por que carambolas uma garota que estava do outro lado de uma cerca iria falar com você, Jongin-ah?? Isso não faz sentido! — Disse Yeonkong enquanto cruzava os braços. Seulgi apenas observava a conversa entre os dois garotos.

— Talvez porque... Só talvez, okay? Isso é uma suposição. — Disse enquanto apontava para o garoto. — Talvez seja porque eu estava chorando um pouco... Não sei... — completou e depois desviou o olhar de seus amigos, ele estava sentindo-se envergonhado por ter chorado por uma coisa tão boba.

Os dois amigos o olharam chocados.

— Yah!!! Por que não conversou comigo? O que aconteceu? — Perguntou Seulgi se aproximando e o abraçando. O garoto ficou um tanto confuso, mas também abraçou a garota.

— Parem de melosidade, por favor! — Yeonkong disse após revirar os olhos, mas não resistiu ir até o amigo. O abraçou e todos os três respiraram fundo.

— Por que estava chorando? — Perguntou Seulgi. E foi aí que Jongin não aguentou não olhar para Sehun passando ao seu lado.

Isso o denunciou.


Notas Finais


Eu me identifico muito com o Jongin dessa época, já que aconteceu de verdade algumas coisas citadas nesse capítulo e no próximo comigo. Mas, de qualquer maneira, não estou aqui para contar meus problemas pessoais.

Estou com uma ideia de fazer uma série de fanfics, mas isso talvez seria muito grande e faria com que eu pausasse a Sing For You.

Apenas colocarei essa ideia verdadeiramente em prática se vocês quiserem e serem pacientes.

Eu não irei abandonar a Sing For You caso vocês queiram a série :')

Explico a mesma no próximo cap <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...