História Single - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol
Tags Baekyeol, Chanbaek, Daddy Kink, Sekai, Shotacon
Visualizações 689
Palavras 1.234
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Yaoi
Avisos: Cross-dresser, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


TAN TAN TAN ULTIMO CAPITULO TAN TAN TAN EMOÇÕES FINAIS

Capítulo 9 - 09


 

Desligou o telefone sem ao menos responder. Se virou para Baekhyun, que dormia tranquilamente ao seu lado, e o acordou.

— Hyung? O que foi? — perguntou, sonolento.

— Baek, quando você arrumou suas coisas pra vir pra cá, você deixou algum de seus vestidos escondidos?

— Os deixei debaixo da cama, junto com as que você me deu, com aquele bilhetinho fofo que você tinha escrito. Porquê?

Então, era aquilo. Estava claro para Chanyeol, algum dos dois foi arrumar o quarto de Baekhyun e acabou vendo os vestidos e lingeries que ele havia comprado, junto de um bilhete seu. Eles haviam descoberto tudo, e Chanyeol se via sem saídas.

— Se arrume e pegue suas coisas. Rápido — ordenou Chanyeol, enquanto pegava seu celular novamente.

— Para onde vamos?

— Você já vai ver.

Seus dedos digitavam rapidamente o número decorado, a sua última esperança.

— Alô? Você está em casa? Preciso da sua ajuda.

 

 

— Hyung, você não me disse até agora o que aconteceu — disse Baekhyun, fazendo bico. — O que aconteceu de tão ruim?

— O que aconteceu, é que seus pais viram seus vestidos, e querem te proibir de me ver — respondeu Chanyeol, enquanto dirigia apressado. — E eu não vou deixar isso acontecer. Mas pra isso, você precisa confiar em mim.

— É claro que confio em você, hyung. Não quero ficar longe de você.

Chanyeol sorriu ao ouvir as palavras de Baekhyun. Era tão bom saber que era correspondido da mesma forma, mesmo com todos aqueles obstáculos entre os dois. 

Após alguns minutos, chegaram em uma casa, um pouco afastada da cidade. A luz da sala estava acesa, coisa que Baekhyun estranhou, afinal era quase duas da manhã. Os dois saíram do carro e andaram até a porta da casa, com Baek carregando sua mala. Não precisou bater na porta, os donos da casa já esperavam por eles.

— Graças a Deus vocês chegaram — disse um rapaz alto e moreno. — Você estava desesperado no telefone.

— Desculpe, mas é urgente. Baek, esses são os meus amigos, Jongin e Sehun.

— Então, é ele? — perguntou Sehun sorrindo, sentado no sofá. — E aí Baek, tudo bem?

— Hum, tudo — respondeu o garoto, se sentindo pouco à vontade. — Posso me sentar?

— Claro, fique a vontade.

— O que aconteceu, Channie? — perguntou Jongin.

— Os pais deles descobriram sobre tudo, e agora querem me tirar dele. Provavelmente serei demitido também, mas isso não importa. Não quero ficar longe dele.

— E você o trouxe aqui para escondermos ele?

— Não, isso é pelo menos até amanhã. Se nós ainda estivéssemos no meu apartamento, o sr. Byun o invadiria. Mas no caminho pra cá, pensei numa solução.

Baekhyun batia os pés no chão, se sentindo uma criança. Toda aquela situação só o deixava triste, queria que seus pais o aceitassem do jeito que era, como Chanyeol aceitava. Queria que todos entendessem que ele amava seu hyung, e queria ficar ao seu lado. Porquê era tudo tão difícil assim?

— Você tem certeza que isso vai dar certo? — perguntou Sehun.

— Tenho — respondeu Chanyeol, convicto. — Só preciso saber se o meu garoto está comigo nessa.

Chanyeol estendeu a mão para Baekhyun, que sem nenhuma dúvida a agarrou, como se dissesse que sim, ele estava com ele nessa.

 

 

No dia seguinte, Baekhyun fora instruído para voltar para casa sozinho. Iria dizer que Chanyeol-hyung estava arrependido do que fizera, que iria pedir demissão e nunca mais os incomodaria novamente. E assim que chegou em casa, foi isso que fez. Após dizer tudo aquilo, colocando muita verdade em suas belas mentiras, sua mãe cuidou dele como um bebê, verificou sua mala para ver se tinha alguma roupa feminina, para em seguida trancá-lo em seu quarto, até que Chanyeol estivesse longe dele. Ao entrar no quarto, viu que todos os seus vestidos não estavam mais lá, e que provavelmente estavam no lixo como aqueles que estavam em sua mala e que fora obrigado a se livrar. Baekhyun poderia se chatear com tudo aquilo, mas as palavras de seu hyung ecoavam em sua mente, e ele sabia que tudo iria ficar bem.

Durante a madrugada, Baek foi silenciosamente até o quarto de seus pais, onde deixou uma pequena carta. Depois retornou ao seu quarto, onde arrumou sua mochila calmamente, esperando a chegada de Sehun. Quando o carro preto parou em frente a janela de seu quarto, soube que era hora de dar adeus a seus pais, e a toda aquela vida de mentiras e aparências que mantinha.

Na casa do casal, Chanyeol esperava ansioso pela chegada de Baekhyun. Durante o dia, havia resolvido tudo, sua demissão na empresa, saque de seu dinheiro que estava guardado no banco, suas malas e algum outro carro que não fosse o seu. Jongin ofereceu seu carro para os dois, em troca do de Chanyeol, para que não fossem procurados. O Park agradeceria pelo resto de sua vida a ajuda que seus amigos estavam dando para aquela hora, se não fosse por eles nada disso estaria acontecendo. Assim que Sehun estacionou em frente a casa, Chanyeol se virou para dar um abraço de despedida em seu velho amigo.

— Mandem notícias, queremos saber de tudo — disse Jongin, emotivo.

— Claro que mando, e você, cuide do Sehun. Ele é um homem de sorte por ter você.

— Ah, eu sou mesmo — disse Sehun, entrando na casa. — Agora pare com essa melação porque o seu menino está te esperando, e a sua felicidade também.

Chanyeol sorriu, e se despediu pela última vez. No carro, Baekhyun esperava ansioso por ele, e assim que o viu, o abraçou fortemente, com lágrimas nos olhos.

— Agora vamos viver juntos, não vamos? Só eu e você — disse ele, o olhando nos olhos.

— Nós vamos, Baek. Só eu e você.




 

"Caro sr. Byun,

Não, não foi seu filho que escreveu essa carta. Fui eu, Park Chanyeol, seu sócio, o cara completamente apaixonado por seu filho. Eu juro que tentei, tentei com todas as minhas forças tirar esse sentimento de mim, parar de pensar tanto em Baekhyun, parar de desejá-lo. Mas eu não pude, eu fui fraco, e agora estou pagando pela minha fraqueza. Seu filho é tão encantador, tão frágil, o que pude fazer?
 

Os vestidos eram uma forma dele se expressar. Não pense que fui eu que o induzi a isso, já o conheci assim. Me lembro bem do primeiro dia em que o vi, ele estava em seu quarto, rodopiando com uma saia cor de rosa e laços nos cabelos. Acabei o flagrando sem querer, mas vi pela primeira vez quem ele realmente era. Ele confiou em mim, como está confiando agora, e sempre vai confiar.
 

Baekhyun não é mais uma criança, sr. Byun. Ele tem plena consciência do que faz, o senhor deveria saber disso a tempos. Mas sei que no fundo, ele continua sendo seu bebê, mas saiba que o seu bebê é a minha alma gêmea. Eu nunca quis fazer nenhum mal a ele, pelo contrário, só quero protegê-lo, e saiba que ele estará seguro aqui comigo, não se preocupe. Talvez você tente nos procurar, ou até mesmo nos encontre, e então você verá com os seus próprios olhos que o seu bebê está bem.
 

Eu poderia passar horas escrevendo várias folhas, dizendo tudo o que seu filho fez e ainda faz para me deixar assim. Poderia também dizer os milhares de motivos para ele ter fugido comigo. Ou poderia perguntar se você pode deixar o seu bebê ser o meu garoto.
 

Mas o seu bebê, ele já é meu."
 


Notas Finais


Chegou a parte chata em que agradeço as várias pessoas pela força e todo aquele blá blá blá que vocês sabem, então vou ser breve.
Obrigada a duas pessoinhas que viviam me enchendo a porra do saco pra continuar a escrever, vocês sabem quem são.
Obrigada a todos vocês que compraram essa ideia tosca e maluca de shotacon que na verdade não é mas é, que ficaram comigo até o fim. Eu amo todos vocês <3
Enfim, eu disse que ia ser breve.
Eu to com sono e é isso ai.
Me sigam no twitter @wonwoocute


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...