História Singular - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Seventeen
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Junghan "Jeonghan", Jungkook, Lee Jihun "Woozi", Rap Monster, Seungcheol "S.Coups", Soonyoung "Hoshi", Suga, V
Tags Bts, Lemon, Seventeen, Suga, Woozi, Yoongi
Exibições 133
Palavras 1.079
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 5 - Crise de falso gótico


Fanfic / Fanfiction Singular - Capítulo 5 - Crise de falso gótico

– Min Jihoon, vem aqui, preciso falar com você. – Namjoon meu professor de composição está tão serio, ele nunca fica serio. Ele é aquele tipo de professor que faz piada de tudo e nem sempre é engraçado.

        ¬¬  

- Sim, professor. – Me aproximei receoso enquanto os outros alunos saiam da sala.

- O que está acontecendo? – Ele recostou-se a mesa cruzando os braços. – Eu não quero ser duro, mas eu esperava muito mais de você, eu esperava muito mais emoção e verdade. – Passou a mão em seus cabelos agora platinados .

-Desculpe. – Eu não sabia onde enfiar a minha cabeça, estava ficando vermelho, tanto pela vergonha quanto pela raiva, eu sempre fui um dos melhores compositores da faculdade, meu nome estava sempre entre os três melhores da turma. E agora isso, estou sendo repreendido por não fazer direito a única coisa que eu sei fazer direito.

- Desculpe, professor, eu posso melhorar.

- Eu sei que pode, por isso quero saber o que está acontecendo. – Ele parecia realmente preocupado, mas ninguém é culpado só minhas emoções mesmo.  E tudo isso que envolve, Min Yoongi.

“Fiquei sabendo que o Yoongi acordou”

“Que coisa, o Yoongi Hyung saiu do coma, finalmente”

“Nossa que legal, o Yoongi Hyung está de volta!”

“ O Yoongi finalmente acordou e blá, blá, blá blá!”

Que pessoal mais repetitivo, parece político em época de eleição.

Serio! A cada 3 frases faladas comigo hoje, 4 eram sobre a maravilha do Yoongi ter acordado finalmente do coma. E olha que pelo o que o Hoseok me contou, as pouquíssimas coisas que me falaram sobre ele, é que ele não era esse amor de pessoa, bando de falsianes. De onde onde saiu esse amor todo? Do buraco do....  

Oh, isso não é inveja da atenção que ele está recebendo nem nada do tipo, mas antes as pessoas falavam comigo para saber opiniões sobre uma letra ou um base de musica  nova e tals...

Agora é só o Yoongi pra lá e Yoongi pra cá, não aguento.

Hoseok gritou igual a uma menininha histérica, eles eram amigos, tipo muito amigos.

Seokjin bateu palminhas e os olhinhos brilharam, eles também eram muito amigos.

Não é como se eu estivesse incomodado, “minha família” deu todos os motivos do mundo para eu ficar tranquilo, que eu era um deles e não precisava pensar muito nisso, mas sabe aquela crise existencial em que todo adolescente passa sobre sua existência, sobre a sua vida e sobre o motivo de sua existência. Tem aquela fase gótico de que ninguém me ama, ninguém me entende, tem aquela fase também de que os hormônios estão a flor da pele tudo é absurdamente erótico e você quer todo mundo, então eu não tive essas fazes. Sei delas na teoria, mas a minha fase de crise tem nome e sobrenome. E ai aquela praga chega e fala aquele monte de idiotices, fudendo ainda mais minha cabeça, Yoongi voltou eu não tinha mais motivos para existir, não tinha mais um propósito. Olha... eu só fui criado para substitui-lo, para preencher a lacuna que ele havia deixado em aberto, ou seja, dois corpos não ocupam o mesmo lugar no espaço certo?!

 

 Eu tenho uma curta vida, não tenho muitas memórias, e isso é realmente frustrante, tudo que eu sei, tudo o que eu faço, eu não descobri, só foi implantado em meu cérebro e veio no pacote. Tipo um bônus. A única coisa que me orgulho de descobrir sozinho e aprender sozinho e fazer sozinho, é musica. E eu sei que sou bom nisso, mas ele está me impedindo, meus pensamentos estão sendo perturbados e minha inspiração está inexistente no momento.   

- Professor, eu não sei mais o que fazer. – Sentei na carteira e ele intensificou o olhar de preocupação. – O senhor sabe o que eu sou não sabe?

- Jihoon, eu sei que você é uma pessoa maravilhosa, não importa de onde você veio, não importa como chegou aqui,  você é você, você é músico, um dos melhores que já passaram por aqui. Então pare de pensar besteiras e se concentre em fazer bem o que você faz de melhor.

Ele sorriu e me liberou, caminhei pra fora da universidade pensando na vida, ou na inexistência dela, Yoongi ainda não voltou pras aulas, terá que fazer alguns testes e rever algumas matérias, ele era fodão aqui dentro, mais alguém tem que manter os padrões nessa bagaça.  Cheguei no metro com meu caderno em mãos, tentando escrever alguma coisa. Mas a única coisa que passava pela minha cabeça é aquela merda de conversa quando ele chegou, aquele maldito pesadelo e aquele sorriso de dentes pequenos que me deixam realmente nervoso. Ele já deve estar lá tomando de conta de tudo de novo. Cheguei a porta da casa dos Min tão rápido que não notei.

Eu mal cheguei e já ouvi o grito da Anni.

- Jihoon, vá tomar banho e venha almoçar, hoje eu quero a família toda a mesa, todos os seus irmão vem pra cá hoje.

Nem tive tempo de responder ela me olhou  furiosa ordenando que obedecesse, sem questionar.

Subi correndo as escadas indo para meu quarto, grande erro, grande erro.

Ele estava com uma toalha envolta da cintura e secando violentamente os cabelos. As gotículas de água escorriam pelo corpo esguio e a pele branca. Acho que babei.

– Gosta do que vê?

– Não tem nada ai que eu não tenha. ­– Repeti a frase que me disse no primeiro dia, só para devolver na mesma moeda, tenho disso, sou vingativo.

– Então não tem problema, certo? – Ele então soltou a toalha, ficando nu na minha frente, NU, CARALHO!

 – Não é por que eu também tenho penis que eu quero ver os dos outros, então se me dá licença? – Corri para o banheiro e escorreguei pela porta assim que a tranquei.

Imagine o palavrão mais feio que você conhece? Então imagine que eu repetia ele milhares de vezes, quase como um mantra. Meu Deus, eu estava vermelho, meu coração batia tão forte que parecia base de musica do Skrillex, como uma pessoa só pode fazer isso com meu cérebro e meu corto. SANTO CRISTO.

Meus diálogos com Yoongi eram o mais reduzidos possíveis, até mesmo depois da confissão do meu sonho, não falamos mais sobre isso. Ele lá e eu aqui. Como deve ser.

 

 

 

Até aquela menina aparecer.


Notas Finais


Tcharam!


Beijocas no olho


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...