História Singular - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Confeitaria, Doce, Hotzando, Rosa, Yoonjin
Exibições 31
Palavras 1.258
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção, Saga, Shoujo (Romântico), Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


HELLO HELLO
PESSOAS QUE VIERAM AQUI PORQUE ACHAM QUE É A CONTINUAÇÃO DE MCP
~KATIAU, NÃO É
"Porque você NÃO POSTA ENTÃO SUA INÚTIL"
PORQUE EU JÁ TERMINEI DE ESCREVER, FALTAR POSTAR
mas eu tenho preguiça, desculpa.
Pessoas que chegaram agora: OLÁ, EU SOU A TITIA HOTZANDO, O AMOR DA VIDA DAS FUJOSHIS ~Joga confete ~
Coisas sobre a fanfic:
- yoonjin é flop, triste
- tem muito doce
- não tem tanta melação, eu juro
- é bem forte, com uma trama bem legal.
- tem um relacionamento abusivo, que não é o yoongi que bate, nem o jin que bate no yoongi, é mas ou menos o namorado do jin. VOCES VAO ENTENDER
- tae é irmão do jin
- vcs querem o Joon assex. ou eu arrumo uma mina chavozona pra ele?
- não vai passar do capítulo 30
- jikook ou taekook? ou jikook ou jihope? vcs decidem mozões


Boa leitura.

Capítulo 1 - One.


 

"Ela tinha namorado. Eu era um palerma. Ela era apaixonante. Eu era irremediavelmente sem graça. Ela era infinitamente fascinante. Então eu voltei para o meu quarto e desabei no beliche de baixo, pensando que, se as pessoas fossem chuva, eu seria garoa e ela, um furacão." — Quem é você, Alasca?"

 

 

 

Um dia antes do meu encontro com minha garota, pedir ela em casamento, e dizer adeus para a confiança que minha irmã tinha em mim, eu estava agitado. Andando de um ado para o outro, arrumando os mínimos detalhes, para que no dia seguinte eu ter um dia de “príncipe” para a minha futura noiva me achar digno. Eu estava confiante. No dia seguinte eu não conseguia dormir, e eu — me iludindo com minha “noiva” — como o combinado, fiquei no meu quarto. Digamos que, o combinado era comigo mesmo, pois não havia ninguém para me ajudar, minhas únicas amigas eram minha irmã, e minha “noiva”. Minha irmã não era com a cara de minha mulher, digamos que as duas nunca se bateram de frente, eu achava que era normal, aliás ciúme de irmão é normal, mesmo sendo adotivo. Ela tinha ido para o Brasil, e não sairia de lá tão cedo.

— Yoon Oppa? Yoon Oppa, precisamos conversar. — Ela dizia séria. Senti um choque em minhas costelas, mas fui até ela.

— Sim, amor? — Eu disse arrumando os cabelos.

— Uou, você está bonito... — E após disso, o silêncio. Ficamos nos encarando nervosamente.

— Yoongi/SeonLyang... — Dissemos juntos. Ela soltou uma risadinha, e ficou olhando para o nada.

— Pode dizer primeiro... — Ela disse e eu respirei fundo, contei até dez, e a levei para o meu quarto. A cama estava cheia de pétalas, e escrito com seus bombons preferidos “Quer casar comigo?” sorri ao ver que ela se assustou, e comecei o minha leitura da bíblia, vulgo o texto que eu havia feito.

— Seon, eu realmente não sei como começar. No começo pensei que você nunca fosse me olhar. Mas olhou. Sempre achei que mulheres como você não se interessavam por caras como eu. Mas se interessou. Quando disse aquela frase idiota, você sorriu. Quando usei minha camisa favorita, você disse que eu estava lindo. E quando aumentei o som do carro na minha música favorita, você sabia a letra. Então descobri que os meus defeitos não te incomodavam, e que também enxergava qualidades que eu nem sabia que as tinha. E as coisas foram ficando mais simples, e de repente me dei conta que era mais feliz quando estava com você, e que precisava dormir e acordar todos os dias ao seu lado, já que o pior momento do dia era a hora de te deixar em casa. Passei então a imaginar meus filhos com os seus olhos e o seu sorriso, e aos poucos tudo aqui dentro mudou. Aquele solteirão convicto de anos atrás virou esse bobão apaixonado. Aquele cara que não entendia porque as pessoas mudavam tanto quando estavam namorando, hoje tem orgulho de quem se tornou, e muito disso graças a você. E é por isso que hoje estou aqui, tremendo dos pés a cabeça, não por medo de estar tomando uma atitude errada, e sim pela grandiosidade do momento. O momento em que te peço para que nossas vidas virem uma só, que me deixe ser o pai dos seus filhos, para que me encha de orgulho assinando o meu nome e para que me dê a honra de ser a minha mulher. Pra você guardei a frase que todo homem precisa dizer um dia. Quer casar comigo? — Eu falei  com os olhos marejados. Ela me olhou sofrida e suspirou pesadamente.

— Não.

— Hm? — Perguntei como se não estivesse ouvindo muito bem.

— Não Yoon.  

—O que? — Eu disse em tom elevado.

— Não Yoon... Eu acho que gosto da sua irmã. Eu não sabia que você gostava tanto de mim, aigoo, agora estou me sentindo um lixo. Ela não sabe disso, mas eu decidi vir aqui te contar e... AIGOO! — Ela colocou a mão no rosto. Eu fiquei estático. Três anos jogados fora, era isso? Ela sabia, e me conhecia. Ela sabia que eu não era de demonstrar os meus mais profundos sentimentos, ela sabia que eu tinha mergulhado de cabeça nessa paixão, ela sabia que eu a amava muito.

— Vá embora.

— Yoongi, por favor... — Ela se aproximou e colocou a mão no meu ombro.

— VÁ EMBORA! — Eu berrei a deixando sem palavras. Ela apenas se virou e foi embora. Eu, sinceramente, achava que era recíproco, pelo jeito que ela me tratava e me chamava de “amor”. Eu era um idiota, iludido e apaixonado.

Ilusão

substantivo feminino

1.

erro de percepção ou de entendimento; engano dos sentidos ou da mente; interpretação errônea.

 

Respirei fundo, peguei meu celular que estava no sofá e liguei para a pessoa da minha salvação: Kim Namjoon, o meu amigo assexual que alegrava todo mundo só mostrando meio sorriso.

— Alô, Nam? Me leve para qualquer lugar, preciso te encontrar urgentemente.

 

 

 

 

— Então a sua namorada te largou porque gostava de sua irmã? Cara, isso é complicado. — Ele dizia andando. — Olha, chegamos. — Apontou para uma confeitaria na nossa frente. Ela era rosa claro, com umas fores.

— Uou, você me jura que é assexual? Depois dessa eu viu desconfiar que você curte uma salsicha. — Namjoon riu, me dando um tapa no braço. — Ok, vamos entrar.

O lugar era encantadoramente incrível. Toda decorada com arranjos simples, sempre rosa claro ou branco. Apenas em um balcão no fundo da loja, era rosa assim como as outras paredes, repletas de doces. Sorri contente, e me conduzi a uma das mesas, com Namjoon ao meu lado. Me debrucei e deitei com a cabeça na mesa, me lembrando da leve decepção da minha vida amargamente amorosa.

— Olhe, você não chore.

— Eu não vou chorar. — Ri sem humor olhando para a janela, de cenho franzido.

— Sua testa vai ficar cheia de rugas. — Meu amigo me alertou , e eu o olhei com desinteresse.

— Foda-se. — Eu disse voltando a me sentar normal.

— E estamos com o nosso velho rabugento novamente. — Namjoon bateu palmas sem fazer barulhos, e eu apenas revirei os olhos. Ouvi um barulho de rodas ao nosso lado, e vi uma pela moça. Os cabelos tingidos de rosa estavam soltos, com uma roupa escolar e com um avental cheio de babados por cima. A garota sorriu, rodopiando com seus patins verde-água, chamando a atenção de meu amigo também.

— Boa tarde, o que desejam? — Ela perguntou com um sorriso enorme no seu roto bonito. Abri a boca para dizer “qualquer torta que tenham bebidas alcoólicas” mas fui interrompido pelo meu querido amigo Namjoon.

— Te chamei aqui para ter uma overdose de doces, não uma cirrose, Hyung. Queremos um pedaço de torta de cada sabor, menos as que contém bebidas alcóolicas. — Namjoon avisou, e a garota assentiu sorridente, com seus patins deslizando no chão e entrando em uma portinha, que deduzi ser a cozinha. Logo que ela entrou, saiu um garoto tomando alguma coisa em um copo rosa, com um canudo branco. Por um momento, fiquei vidrado  no garoto que saía devagar do local, logo sendo interrompido por um pequeno grito.

— Jin Oppa, você já estava esquecendo os marshmallows  do Tae. — Deu um peteleco na testa do garoto que sorriu.

— Desculpe Hyun. — Ele pegou o pote, indo até a saída e ficando ali um momento. Meus olhos desceram de seu ombro largo para suas nádegas, pregando os olhos ali. Só percebi que eu estava olhando muito, quando ele saiu de minha visão, e a garota trazia os pedidos.

 

Nunca foi tão interessante ir a uma confeitaria.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...