História Singular - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Once Upon a Time
Personagens Emma Swan, Regina Mills (Rainha Malvada)
Tags Swanqueen
Exibições 81
Palavras 2.543
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - No escurinho do cinema


Fanfic / Fanfiction Singular - Capítulo 10 - No escurinho do cinema

Emma acordou com o toque do celular, havia programado para as 8:30 hrs, desligou o alarme e fechou os olhos novamente, acabou cochilando e levantou assustada quando viu que já eram 8:50 hrs. Correu pro chuveiro, tomou um banho rápido, com cuidado para não molhar os cabelos, escolheu uma calça jeans e uma blusa salmão e
calçou as mesmas botas de ontem, escovou os dentes e fez uma maquiagem leve, deixando os olhos mais marcados, deixou os cabelos soltos, saiu pronta do quarto, acendeu a luz do quarto do filho que já reclamou cobrindo a cabeça.
— Ah mãe hoje é domingo, me deixa dormir.
— Eu achei que talvez um garoto aqui nesse quarto estavesse a fim de ir no cinema hoje.
— Jura mãe! - Disse sentando na cama todo animado.
— Claro que sim. Se troca rapidinho, escova os dentes que estamos atrasados, vou preparar o café da manhã.
— Mãe podemos levar o Leo?
— A gente não combinou nada com Naty, em cima da hora assim é ruim.
— A mãe liga.
— Vou ligar mas não sei se vai dar certo.
— Ebaaa.

Ligação on
— Alô.
— Alo Naty! É a Emma, tudo bem?
— Tudo sim e vc e o Henry?
— Graças a Deus tudo bem, resolvemos ir pro cinema agora e o Henry pediu pra convidar o Leo, se vocês não tiver outro compromisso claro.
— Não temos compromisso não, deixa eu ver aqui com ele, já estou no quarto. Leo Emma e o Henry querem saber se quer ir com eles no cinema?
Emma ouviu a alegria do menino dizendo que sim e combinou em pegá - lo às 10:00 era caminho da casa da Regina mesmo, então seria rápido.
Na cozinha Emma preparava o café da manhã enquanto na casa da Regina essa também já tinha tomado seu banho e agora preparava um suco e uma tapioca com recheio de queijo prato.
Colocou ração extra pra Lola, água, achou melhor deixar ela do lado de fora porque assim ela vê o movimento da rua e se distrai, então deixou a cama dela também e alguns brinquedos. Foi ao quarto e se olhou no espelho para conferir novamente se estava tudo em ordem, usava uma calça jeans clara, e uma regata preta e por cima uma blusa arrastão, sapatilha também preta com um laço preto com strass. 
Emma parou o carro em frente a casa da Regina e saiu do carro para tocar a campainha.
— Mãe posso descer?
— Não filho se a Lola ver você vai ficar agitada e ela não pode ir, fique quietinho para ela não te ouvir.
— Tá bom mãe. - Disse chateado.
Emma tocou a campainha e ficou esperando no portão em segundos Lola estava descendo as escadas toda desesperada, como todo labrador, Lola não tem noção de seu tamanho e isso faz com que seja desajeitada e atrapalhada, porém doce e encantadora, quase bate no portão mas conseguiu parar, Emma fez carinho e conversava com ela quando ouviu a voz vindo do alto da escada.
— Bom dia Emma, aqui os convidados sempre são recebidos com lambidas.
— (risos) É o jeito que mais sou recebida, e gosto muito, ou não seria veterinária, esse amor aqui e esses lambeijos são os mais sinceros, até prefiro. 
Regina já estava abrindo o portão, puxou o portão com a mão atrás do corpo pra fechar, isso fez com que ela ficasse muito perto de Emma e não deu tempo da loira se afastar.
— Mas pode acreditar que este também é muito sincero. 
Regina encostou seus lábios no rosto de Emma bem próximo a boca, sabe quando pega ali no cantinho dos lábios, Emma não esperava e teve um pequeno desequilíbrio e foi amparada pela mão de Regina em sua cintura, Emma ficou vermelha e muito mexida, Regina percebeu mas disfarçou.
— Estou louca pra saber qual filme vamos assistir, vamos? 
— Vamos. - Só assim Emma conseguiu se mexer, se abaixou no portão novamente e fez um último carinho em Lola, pra tentar disfarçar o quanto aquele beijo mexeu com seu psicológico. " Preciso me controlar, não posso ficar assim cada vez que ela se aproxima. Já me arrependi de ter a convidado."
— Pode entrar Regina, está aberta.
— Oi Regina. 
— Oi lindo, quem é esse outro menino lindo aí? 
— Esse é o Leo, meu melhor amigo.
— Tudo bem Leo, já que é amigo do Henry também será meu amigo.
— Oi. - Disse Leo meio envergonhado.
Emma continuou a conversa querendo desfazer o clima lá de fora.
— A mãe do Leo é minha amiga de infância, éramos em três desde de que me mudei para cá, a Naty que é mãe do Leo, a Ruby e eu. Estudamos sempre juntas até no curso pré vestibular, Ruby e eu fomos juntas pra medicina veterinária e a Naty fez psicologia, e hoje nossos filhos são melhores amigos e estudam juntos desde o maternal. Só que Naty tem uma menininha também, coisa mais fofa tem 3 aninhos.
— Por isso é bom morar sempre na mesma cidade, você cria laços com amigos que são eternos, eu já não tenho, meus pais mudavam muito de casa de cidade, quando estava fazendo amizades legais a gente se mudava de novo e foi assim até a faculdade, quando eles morreram eu não tinha nenhum laço afetivo com ninguém, então no terceiro período de medicina conheci a Sarah e então conheci o que é ter uma amiga, ela se tornou minha família, tenho muita saudades porque ela está na França fazendo especialização na área dela que é neuropediatria, nos falamos sempre mas não é a mesma coisa.
— Mas hoje você tem uma nova amiga, não se lembra? 
— Claro que me lembro. - Olhou pra Emma que sorria lindamente. - Tive que fazer o graaande esforço de te deixar lavar a louça pra conseguir essa amizade. (risos)

A conversa foi animada por todo o caminho até chegar no Shopping, depois de estacionar andaram pelos corredores principais que levavam a praça de alimentação, depois de escolher seus lanches procuraram uma mesa, Emma se sentou e Henry sentou ao seu lado, ficando Regina de frente para Emma.
" Aí que droga…como vou comer com ela me olhando, devia ter esperado pra sentar, assim escolheria ficar ao seu lado não em sua frente." - Emma pensava.
— Olha só mãe, já consegui montar. - Disse o Henry sobre o brinquedo que veio com o lanche.
— Eu também. Olha que maneiro Henry.
— Vocês são muito espertos mesmo meninos, logo estão vindo sozinhos para o Shopping.
Eles ficaram com uma carinha de Feliz com o comentário de Regina.
Continuaram comendo e conversando Emma comia envergonhada mas as vezes levantava o olhar e encontrava com os olhares de Regina que disfarçava.
Quando terminaram seguiram para a bilheteria do cinema. 
— O que vamos assistir? Perguntou Leo para Henry.
— Pets- A vida secreta do bichos. Você vai gostar Regina. - Virou pra trás porque Regina e Emma caminhavam logo atrás deles. - Você vai descobrir o que a Lola faz quando você não está em casa.
— Sério? Que bom eu vou adorar descobrir isso, mas tem uma coisa que eu já sei que ela faz.
— O que? - Os dois meninos perguntaram juntos.
— Ba - gun - ça. - Disse fazendo cócegas nas barrigas deles, que morreram de rir.
— Isso esse dois aí também fazem. - Disse Emma, rindo dos meninos.
Compraram os ingressos, pipocas, refrigerantes e chocolates e foram para fila do cinema, logo foi liberado a entrada e se encaminharam pelo corredor central da sala de cinema, quando Emma indicou o lugar melhor os meninos sentaram nas duas primeiras poltronas Emma passou por eles e sentou ao lado do Leo, sendo assim Regina ficou ao lado direito de Emma. Emma já tinha se sentado quando Regina passou de costas pra ela que não pode deixar de olhar pra bunda da morena, estava na altura de seus olhos.
" O que está acontecendo comigo, nunca olhei assim pra uma mulher, mas a Regina é muito linda, eu diria gostosa, como assim o que estou pensando." Emma estava perdida em pensamentos que não ouviu Regina falar.
— Não é mesmo Emma? - Regina perguntou tocando em seu braço, percebendo que ela estava viajando em pensamento e desejou estar nos pensamentos da loira.
— Oi, o que? 
— Eu disse que tomara que não sente nenhum grandalhão aqui na frente. - Regina repetiu o que tinha dito.
— Sim tomara. Quer segurar a pipoca? 
— Não Emma pode deixar aí, quando quiser eu pego…Eu estou com frio, o ar está muito gelado. - Regina disse.
— Verdade, estou arrepiada, olha. - Emma ergueu os braços para mostrar pra morena em um gesto inocente.
Mas a Regina sentiu esquentar no mesmo minuto, ela desejou tocar seu braço, sentir sua pele, engoliu em seco e disfarçou pegando o refrigerante e bebendo no canudo. 
Luzes apagadas, trailer passando, todos de animação as crianças e adultos sorrindo, clima animado por todo ambiente, mas aquelas duas estavam disfarçando o quanto a presença de uma afetava a outra e vice e versa.
Regina que não é boba e muito mais experiente, sabia exatamente como provocar a loira, pois já sabia que estava conseguindo pelo menos a deixar perturbada, então deixou seu braço sobre o braço da poltrona entre ela e Emma, então vez em outra Emma encostava nela. E também o filme como falava do comportamento dos animais Regina sempre comentava algo no ouvido de Emma e sempre que Regina se aproximava de seu ouvido Emma se encolhia um pouco e a morena cada vez se aproximava mais pra falar, Emma estava passando apurado, cada toque um arrepio nem percebia mais o frio que estava no ambiente.
Emma também começou a comentar chegando perto e sentindo o perfume floral de Regina e em momento engraçado as duas foram comentar ao mesmo tempo e suas bocas ficaram muito próximas a ponto de sentirem a respiração uma da outra, sorriram e Regina encostou seu rosto no da loira e disse:
— Quase que te beijei…por um momento esqueci que é só minha amiga.
Emma quase teve um infarto, pegou o refrigerante e tomou. Mas Regina não desistiu, se aproximou de novo e falou em seu ouvido.
— Não precisa ter medo de mim Emma eu não mordo, e também não roubo beijos. 
Emma olhou pra ela e disse.
— Se tem uma coisa que não tenho é medo de você.
— Não mesmo?
— Não.
Regina se aproximou e parou a centímetros da boca da loira que não se afastou, mas Regina se afastou, encostou na poltrona, passou as mãos no cabelos e depois no rosto, se controlou, não tinha idéia do porque tinha feito isso, agora podia perder Emma pra sempre, até a amizade, olhou pra Emma ela olhava pra tela mas não prestava atenção também, porque todos ali no cinema morriam de rir, menos as duas, Regina tocou em seu braço e quando ela olhou disse:
— Desculpa!
— Por não me beijar?
— Pode ter certeza que não é por falta de vontade, mas por respeitar você e seu filho.
— Tudo bem, fica tranquila.
O filme terminou, os meninos pediram para ir nos brinquedos e enquanto eles se divertiam Regina e Emma sentaram - se em um banco, onde dava pra ficar de olho nos meninos. 
Emma percebeu que Regina estava muito quieta depois do ocorrido, estava sem graça ainda mais agora que estavam sozinhas, ela também estava sem jeito, aquilo tudo mexeu muito com ela e realmente por um minuto ela quis muito ser beijada pela morena, então resolveu falar.
— Reginha, eu não quero que fique esse clima ruim entre a gente, gosto muito de você, vamos esquecer o que aconteceu la dentro, você não exagerou em nada, se te deixa mais aliviada, por um momento eu quis aquele beijo.
Regina olhou assustada para ela com essa revelação.
— Eu não sei se saber disso ajuda ou atrapalha, mas prometo que não vai acontecer de novo, eu quero sua amizade.
— Isso você já tem Regina e eu não vou sair da sua vida por causa de um beijo que nem aconteceu.
— E se tivesse acontecido Emma? Agora estaria com raiva de mim.
— Como pode ter tanta certeza?
— Por você ser hetero, por ser a segunda vez que passamos um tempo juntas, por seu filho poder presenciar.
— Como sabe que sou hetero? Aliás como você soube que não era?
— Eu sei que é porque você me disse que teve um relacionamento com um homem e tem um filho, sobre mim eu desconfiei quando eu me senti atraída por uma colega de classe no segundo grau, de todos os meninos e meninas era ela que passeava em meus pensamentos, mas só tive certeza depois que beijei um homem e depois uma mulher.
— Como teve certeza, pelo beijo? Qual a diferença? 
— Não Emma, não foi pelo beijo em si, foi pelo sentimento, pela emoção, pela troca entende, não sei muito explicar, só sei que senti que eu só queria mulheres dali pra frente.
— Foi uma decisão então? - Emma perguntou.
— Não, não foi uma decisão, mas eu não olho para um homem com desejo, eu não olho para um homem e sinto vontade de beija-lo, como aconteceu lá dentro do cinema.
— Você sentiu mesmo essa vontade?
— Sim Emma, eu senti, eu sinto todo tempo, mas não se preocupe eu sei separar as coisas.
— Pare de tentar saber meus pensamentos, porque você não é boa nisso…eu não estou preocupada e nem muito menos com medo de um beijo seu, o que eu estou é confusa não com isso, mas com o que acontece aqui dentro. - Emma apontou para o coração.
— E o que acontece aí dentro? 
— Eu também não sei, eu só sei que você tem passado muito tempo aqui. - Apontou pra cabeça. - É isso.
Regina pegou em suas mãos, mas os meninos chegaram bem na hora porque os ingressos tinham acabado. 
Voltaram para a praça de alimentação e dessa vez comeram batata recheada e depois sorvetes, os olhares entre elas agora era de paquera de verdade. Olhares e Sorrisos envergonhados, pelo restante da tarde, já era noite quando Emma parou o carro em frente a casa de Regina, as duas soltaram o cinto de segurança juntas e viraram para trás, os meninos estavam dormindo, Regina disse:
— Muito obrigada pelo convite, eu amei tudo.
— Obrigada você, por aceitar, eu também amei tudo. 
Regina se aproximou do rosto dela e disse:
— Então tchau…- se afastou e viu que Emma estava de olhos fechados, então aproximou de seus lábios suavemente e deu um selinho demorado…quando começou a se afastar sentiu Emma buscando novamente por sua boca, então não conseguiu resistir e a beijou, colocou sua mão por entre os cabelos de Emma e a trazia para encontro de seu corpo, mas estava preocupada com os meninos ali então parou. Sorriu e falou no ouvido da loira: 
— Os meninos.
— Eu juro que esqueci. ( risos)
— Pois é dona moça, a nossa situação complicou não acha?
— Sim, complicou muito.
— Leva os meninos pra casa linda, a gente se fala pelo whats.
— Sim a gente se fala. 
Regina deu um beijo nas costas da mão de Emma, abrindo a porta desceu do carro, ficou do lado de dentro olhando pra Emma sair, acenou e subiu as escadas encontrando Lola, parou para fazer carinho.
Emma deixou Leo em casa e logo estava em casa colocando Henry no chuveiro, já era quase 22:00 quando conseguiu entrar no whats.


Notas Finais


Me falem o que estão achando...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...